COMENTÁRIOS DA LIÇÃO 2 (4º trimestre 2016) O GRANDE CONFLITO

 santa-ceiaa

VERSO ÁUREO: “Mas o Senhor disse a Satanás: O Senhor te repreenda, ó Satanás, sim, o Senhor, que escolheu Jerusalém, te repreenda; não é este um tição tirado do fogo?” Zacarias 3:2.

INTRODUÇÃO (sábado 1º de outubro) – O verso áureo menciona a repreensão de Deus a Satanás em relação ao sumo-sacerdote Josué.
Temos aqui uma cena de tribunal semelhante à de Jó, que estamos estudando durante este trimestre, ver Jó 1:6-12. Satanás veio para acusar Josué de ser indigno para o sacerdócio. “Satanás” significa acusador” A acusação é o estratagema favorito de Satanás contra os crentes.

Durante essa semana vamos discorrer, mais uma vez, sobre o tema “O Grande Conflito” que tem mostrado a guerra incessante entre Deus e Satanás, entre o bem e o mal, tanto ao nível cósmico como ao pessoal, familiar e da sociedade. Este tema ajuda-nos a entendermos melhor o tema geral da Bíblia Sagrada, especialmente sobre o plano da redenção. Embora somos diferentes de Jó e vivemos em outro tempos, temos uma coisa em comum; todos estamos envolvidos no grande conflito.
Embora exista o mal, Deus providenciou Jesus para resolver o problema. Jesus deseja curar os males, provocados pelo pecado, da vida das pessoas e da nossa vida. O que nós precisamos fazer é ir ao encontro do Senhor para poder tocá-Lo e para que Ele também nos toque com Sua graça transformadora. Quando Jesus faz parte da nossa vida em todas as áreas; corpo, mente, inteligência, vontade, disposição interior, boas lembranças e recordações. Quando acontece essa experiência com Cristo não sentimos tanto os efeitos do grande conflito.
Jesus é a solução para a queda de Lúcifer, de Adão e Eva. Jesus é capaz de resolver o problema do pecado “que tão de perto nos assedia”. Em Mateus capítulo 4 vemos algo absolutamente marvilhoso. O Filho de Deus Se tornou homem. Assim como Adão antes da queda, Jesus não foi gerado através por um homem, mas foi concebido diretamente pelo Espírito Santo. Assim, como Adão antes da queda, Jesus foi chamado à obedecer Deus diante de um terrível ataque satânico. Porém, é aí que as semelhanças com Adão terminam. Enquanto Adão permanecia de barriga cheia no Paraíso, Jesus permaneceu com a barriga vazia durante quarenta dias de jejum. Enquanto Adão teve o auxílio da uma esposa, Jesus estava sozinho. Enquanto Adão tinha apenas um mandamento à obedecer, Jesus tinha a lei como um todo para obedecer e cumprir. Jesus é vitorioso e pode fazer-nos vitoriosos também.


Veja este texto: “Que habite Cristo pela fé em vossos corações, sendo vós arraigados e fundados em amor, a fim de poderdes compreender com todos os santos qual é a largura e o comprimento e a altura e a profundidade, e conhecer o amor de Cristo, que sobrepuja a ciência, para que sejais cheios até a inteira plenitude de Deus. Ora, àquele que é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos, segundo o poder que opera em nós.” Efésios 3:17-20
O conflito envolve também uma guerra aberta contra a lei de Deus e as doutrinas da Bíblia Sagrada. Por exemplo; a igreja Romana declara que seu líder tem poder de Deus para perdoar os pecados e que é o representante de Deus na terra. O papa Leão XIII disse: “Temos nesta terra o lugar do Deus Todo-Poderoso.” The Great Encyclical Letters of Leo, XIII, pág. 304 ´As Grandes Cartas Encíclicas de Leão XIII´.. “O padre ora meramente para que os seus pecados sejam perdoados? Não, atuando como instrumento de Deus e ministro ordenado, ele perdoa verdadeiramente os pecados.” Reverendo William J.Cogan, Catecismo para Adultos, Chicago, IL: Adult Catechetical Teaching Aids Foundation, 1975, 78. Percebeu?

Sem contar outros erros como; a mudança do sábado para o domingo, como dia de guarda, e a compreensão equivocada do estado do homem na morte, que outras igrejas cristãs, suas filhas seguem os seus ensinos equivocados e distorcidos. Ver Apoc. 18. Isto já estava profetizado: “E proferirá palavras contra o Altíssimo, e destruirá os santos do Altíssimo, e cuidará em mudar os tempos e a lei; e eles serão entregues na sua mão, por um tempo, e tempos, e a metade de um tempo.” Daniel 7:25.
Um outro aspecto a considerar sobre o tema do conflito é que estamos numa guerra espiritual, e nunca podemos esquecer disso: “Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar.” I Pedro 5:8. Se você sofre oposição, conflito ou até perseguição por causa do reino de Deus, você está em boa companhia com outros servos de Deus e o próprio Senhor. Peça a Jesus forças, pois ninguém entende melhor deste assunto do que Jesus. Se você conhece pessoas que estejam sofrendo por causa do reino de Deus, interceda com orações por elas, e encoraje-as à permanecerem fiéis.


Nesta guerra Cristo e você são vencedores: “Quando Jesus foi posto no sepulcro, Satanás triunfou. Teve a ousadia de esperar que o Salvador não retomaria de novo a Sua vida. Reclamava o corpo do Senhor e pôs a sua guarda à volta do túmulo, procurando manter Jesus preso. … Quando viu Jesus sair em triunfo, compreendeu que o seu reino chegaria ao fim e que ele devia finalmente morrer.” O Desejado de Todas as Nações, 670.
“Eu vos escrevi, pais, porque já conhecestes aquele que é desde o princípio. Eu vos escrevi, jovens, porque sois fortes, e a palavra de Deus está em vós, e já vencestes o maligno.” I João 2:14
“Ao vencedor, Eu lhe concederei que se assente comigo no meu trono, assim como Eu venci e me assentei com meu Pai no seu trono.” Apoc. 3:21. Amém?
DOMINGO (2 de outubro) UM PEQUENO CÉU NA TERRA – A lição de hoje preocupa-se em apresentar que, mesmo estando em um mundo de pecados, ainda é possível ter um vislumbre do céu, vivendo na terra. A lição menciona a vida boa que Jó vivia antes das calamidades acontecerem.
Veja o texto para hoje: “Havia um homem na terra de Uz, cujo nome era Jó; e era este homem íntegro, reto e temente a Deus e desviava-se do mal. E nasceram-lhe sete filhos e três filhas. E o seu gado era de sete mil ovelhas, três mil camelos, quinhentas juntas de bois e quinhentas jumentas; eram também muitíssimos os servos a seu serviço, de maneira que este homem era maior do que todos os do oriente. E iam seus filhos à casa uns dos outros e faziam banquetes cada um por sua vez; e mandavam convidar as suas três irmãs a comerem e beberem com eles.” Jó 1:1-4.
Falando, no nível humano e pessoal; existe coisa melhor do que estar com a família e amigos e poder comer o alimento preferido e ter momentos de boa conversa? Jó tinha uma vantagem sobre os pagãos; ele era temente a Deus. Aproveitar a vida colocando Deus em primeiro lugar é uma coisa, agora; excluir Deus para aproveitar a vida é diferente. Com Deus, comemos e bebemos aquilo que Deus aprova e que seja bom para a saúde, frequentamos lugares que promovem a nossa fé, fazemos amizades apenas com pessoas que vão edificar a nossa vida espiritual e assistimos coisas que vão promover a paz interior e manter-nos ligados com Cristo e Sua igreja.
Os mundanos dão muito valor a vida porque procuram satisfação e felicidades em coisas fúteis. O cristão pode gozar realmente a vida porque não está tentando fazer com que ela lhe dê algo que seja incapaz de dar. Ter saúde, comer, beber, brincar, passear, conversar, fazer amizades, casar, ter filhos e recrear-se são atividades pertinentes ao cristão, pois ele é alegre. O sentimento de realização de um cristão vem através da sua ligação com Deus. Jó foi assim! Juntando a isso tudo; Jó era rico! Tem coisa melhor nesta vida do que ter Deus, saúde, família, amigos e dinheiro? Jó era assim! Tem crentes que ficam incomodados com as bênçãos que recebem e não conseguem aproveitar a vida de forma equilibrada! As bênçãos são para serem aproveitadas no temor do Senhor, é claro!


Como viver a vida? Observe estes textos chaves do livro de Eclesiastes: “Não há nada melhor para o homem do que comer e beber, e fazer com que sua alma goze do bem do seu trabalho. Também vi que isto vem da mão de Deus. Pois quem pode comer, ou quem pode gozar melhor do que eu? Porque ao homem que é bom diante dele, dá Deus sabedoria e conhecimento e alegria; mas ao pecador dá trabalho, para que ele ajunte, e amontoe, para dá-lo ao que é bom perante Deus. Também isto é vaidade e aflição de espírito.” Eclesiastes 2:24-26
“Já tenho entendido que não há coisa melhor para eles do que alegrar-se e fazer bem na sua vida. E também que todo o homem coma e beba, e goze do bem de todo o seu trabalho; isto é um dom de Deus.” Eclesiastes 3:12,13.
“Eis aqui o que eu vi, uma boa e bela coisa: comer e beber, e gozar cada um do bem de todo o seu trabalho, em que trabalhou debaixo do sol, todos os dias de vida que Deus lhe deu, porque esta é a sua porção. E a todo o homem, a quem Deus deu riquezas e bens, e lhe deu poder para delas comer e tomar a sua porção, e gozar do seu trabalho, isto é dom de Deus. Porque não se lembrará muito dos dias da sua vida; porquanto Deus lhe enche de alegria o seu coração.” Eclesiastes 5:18-20. Ver também Ecles. 9:7-9
Esta vida é cheia de boas e péssimas surpresas. Quando tudo vai bem, de repente; pode ficar mal. Após exames médicos, o diagnóstico indesejado, câncer. Separações conjugais, desemprego, inimizades, traição, mágoas, violência, etc… tiram a paz! Por isso devemos estar em comunhão com Deus e deixar com Ele os resultados. Seguir Jesus não é garantia de que tudo vai correr bem conosco! Quem segue Jesus também fica doente, perde emprego e morre.
Jó era religioso e intercedia em favor dos seus filhos, mas não conhecia muito bem o que hoje você conhece; a existência do diabo para estragar a sua felicidade. Veja como o seguinte texto mostra a existência do grande conflito entre o bem e o mal acontecendo em nossa vida: “Sucedia, pois, que, decorrido o turno de dias de seus banquetes, enviava Jó, e os santificava, e se levantava de madrugada, e oferecia holocaustos segundo o número de todos eles; porque dizia Jó: Porventura pecaram meus filhos, e amaldiçoaram a Deus no seu coração. Assim fazia Jó continuamente. E num dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o Senhor, veio também Satanás entre eles.” Jó 1:5,6
Nem sempre o diabo é o culpado. A conquista da felicidade depende das bênçãos de Deus na sua vida, mas depende também muito do que você faz para conquistar e merecer.  Um dos pontos para alcançarmos a felicidade é termos objetivos e propósitos bem definidos. Jó sabia o que queria, ele era um intercessor e abençoador da sua família.


O lar deve ser um céu na terra. “O lar deve ser tudo quanto está implícito nessa palavra. Deve ser um pequeno Céu na Terra, um lugar onde se cultivem as afeições em vez de serem estudadamente reprimidas. Nossa felicidade depende do cultivo do amor, da simpatia e da verdadeira cortesia de uns para com outros. Testimonies for the Church 3, 539. O mais agradável símbolo do Céu é um lar presidido pelo Espírito do Senhor. Se a vontade de Deus é cumprida, o marido e a esposa se respeitarão mutuamente e cultivarão amor e confiança.”  The Signs of the Times, 20 de Junho de 1911. O Lar Adventista, 15
Que esforços estamos fazendo para tornar a nossa vida e do nosso próximo feliz?

SEGUNDA-FEIRA (3 de outubro) CONFLITO CÓSMICO – Ontem estudamos sobre a paz que Jó e sua família gozavam, mas a partir de Jó 1:6 a situação mudou completamente. Parece que as coisas, no cosmos, não são tão pacíficas como imaginamos. Pelo menos na descrição vemos forças antagónicas entre si. De um lado Deus e de outro lado Satanás e Jó no meio do fogo cruzado!


Eis o texto de hoje: “E num dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o Senhor, veio também Satanás entre eles. Então o Senhor disse a Satanás: Donde vens? E Satanás respondeu ao Senhor, e disse: De rodear a terra, e passear por ela. E disse o Senhor a Satanás: Observaste tu a meu servo Jó? Porque ninguém há na terra semelhante a ele, homem íntegro e reto, temente a Deus, e que se desvia do mal. Então respondeu Satanás ao Senhor, e disse: Porventura teme Jó a Deus debalde? Porventura tu não cercaste de sebe, a ele, e a sua casa, e a tudo quanto tem? A obra de suas mãos abençoaste e o seu gado se tem aumentado na terra. Mas estende a tua mão, e toca-lhe em tudo quanto tem, e verás se não blasfema contra ti na tua face. E disse o Senhor a Satanás: Eis que tudo quanto ele tem está na tua mão; somente contra ele não estendas a tua mão. E Satanás saiu da presença do Senhor.” Jó 1:6-12
Satanás faz de tudo para que as pessoas pensem que ele não existe. E, se ele não existe, Deus não existe, a Bíblia não existe e nem a eternidade, e com isso, Jesus não morreu, nem ressuscitou e não vai voltar e nada do que está escrito na Bíblia é verdadeiro. Percebeu? Mas sabemos que ele existe e está por detrás dos sofrimentos humanos, tragédias e destruição.
Por muito vulgar que seja esta ideia, as pessoas têm opiniões radicalmente diferentes a respeito do teor do conflito, quem está nele envolvido, o que está em jogo e como vai terminar. No entanto, nós, como Adventistas do Sétimo Dia, temos uma perspectiva decididamente espiritual a respeito desta batalha, uma perspectiva que resulta da compreensão que temos da Bíblia e da forma como a Bíblia retrata aquilo a que chamamos;“O Grande Conflito entre Cristo e Satanás”. E os filhos de Deus vivem nessa espécie de fogo cruzado. A Bíblia ensina que o diabo e seus demônios existem e que são entidades reais envolvidas num conflito real. É assim que Bíblia ensina e os Adventistas do Sétimo Dia compreendem.
A vida é feita de escolhas, pois Deus nos dotou da liberdade de escolha. Lúcifer e seus anjos escolheram a rebelião no céu, Adão e Eva escolheram pecar no paraíso da terra, no Éden. E a Bíblia explica-se a si mesma. Textos devem ser comparados com textos para vermos as boas escolhas que devemos fazer no meio do conflito que estamos envolvidos.

Falando das nossas escolhas veja este texto: “O estudante da Bíblia deve obter conhecimento do seu grandioso tema central, do propósito original de Deus em relação a este mundo, da origem do grande conflito e da obra da redenção. Deve compreender a natureza dos dois princípios que contendem pela supremacia, e aprender a delinear a sua operação através dos relatos da história e da profecia, até à grande consumação. Deve ver como este conflito penetra em todos os aspectos da experiência humana, como em cada ato da sua vida ele próprio revela um ou outro daqueles dois princípios antagônicos; e como, quer queira quer não, ele está mesmo agora a decidir de que lado do conflito estará.” Ellen G. White, Educação, 189 e 190.
A guerra entre o bem e o mal teve e tem uma repercussão universal. Veja estes textos inspirados: “Lúcifer semeou dúvidas entre os seres celestiais. Lúcifer no céu antes da semana da criação começou a insinuar dúvidas com respeito às leis que governavam os seres celestiais, dando a entender que, conquanto pudessem as leis ser necessárias para os habitantes dos mundos, não necessitavam de tais restrições os anjos, mais elevados por natureza.” Patriarcas e Profetas, 37.
“O governo de Deus incluiu não apenas os habitantes do Céu, mas de todos os mundos que Ele tinha criado; e Lúcifer concluiu que, se ele pudesse levar os anjos do Céu consigo em rebelião, poderia levar também todos os mundos. Patriarcas e Profetas, 41. Ver também G. Conflito, 497.
“Os habitantes do Céu e dos mundos, despreparados para compreender a natureza ou consequência do pecado, não poderiam ver a justiça de Deus na destruição de Satanás. Patriarcas e profetas, 42. Ver também O Grande Conflito, 499.


Mas, Deus criou o plano de salvação para benefício de todos os mundos e especialmente para o homem caído. “Antes da criação do mundo determinou-se, conforme relato de Deus, que o homem deveria ser criado e dotado de poder para fazer a vontade divina. A queda do homem, com todas as suas consequências, não foi desconsiderada pela Onipotência e o plano da redenção foi um pensamento anterior, formulado antes da queda de Adão, com um propósito eterno, foi elaborado para remir pela graça, não apenas este mundo minúsculo, mas para o bem de todos os mundos que Deus criou.” ST, 13 de fev. de 1893.
“Seres não caídos assistem à controvérsia neste mundo. “Cada olho no universo não caído está voltado para aqueles que manifestam ser seguidores de Cristo. Em nosso minúsculo mundo trava-se uma guerra intensa.” RH, 29 de set. de 1891.
Assim como existe um conflito cósmico e que a terra é o ponto maculado do universo, com a volta de Cristo e no final do milênio todas as coisas serão restauradas e o universo voltará ao seu estado original, como era antes do pecado. Originalmente, o homem foi criado perfeito num mundo perfeito e completo. Infelizmente, este paraíso, anterior à queda, se perdeu devido ao pecado, e o mundo, tal como o conhecemos, está cheio de morte, violência, sofrimentos, temor e ignorância. O plano da salvação foi criado para levar de novo este mundo à sua perfeição original. Cristo veio para recuperar o que tinha sido perdido na queda.


Veja este texto: “No princípio, Deus criou o homem à Sua semelhança. Dotou-o de nobres qualidades. A sua mente era bem equilibrada, e todas as faculdades do seu ser estavam em harmonia entre si. Mas a Queda e os seus efeitos perverteram estes dons. O pecado manchou e quase fez esquecer a imagem de Deus no homem. Foi para a restaurar que se tinha concebido o Plano da Salvação, e se concedera ao homem um tempo de graça. Levá-lo novamente à perfeição, em que no princípio tinha sido criado, é o grande objetivo da vida. objetivo este que constitui a base de todos os outros.” Patriarcas e Profetas, 546
TERÇA-FEIRA (4 de outubro) O CONFLITO NA TERRA – O conflito na terra não está limitado apenas nas guerras, calamidades, divórcios, intrigas, doenças e morte, mas também em formas modernas do diabo enganar as pessoas. Diante das calamidades, perdas e vicissitudes de vida precisamos continuar confiando em Deus. Deus sempre nos ajuda.


Quais são as formas modernas do diabo enganar as pessoas? 1) Satanás diz que ele mesmo não existe. E, se ele não existe, Deus não existe, a Bíblia não existe e nem a eternidade, e com isso, Jesus não morreu, nem ressuscitou e não vai voltar e nada do que os cristãos aceitam e praticam é verdadeiro.

2) O diabo furta a palavra que Deus planta no coração humano. Jesus contou a parábola do semeador que saiu a semear, ver Mateus 13:1-23. A semente que caiu à beira do caminho foi pisada pelos homens e comida pelas aves do céu, ver Luc 8:5, e Jesus, interpretando a parábola, disse que essas aves simbolizam o diabo, que vem e arrebata a palavra do coração para que a pessoa não creia nem seja salva. Lucas 8:12. Aquela mensagem que fere o coração, que revela ao homem sua indignidade e a hediondez do seu pecado, que mostra a necessidade urgente de seu arrependimento e a inevitabilidade do juízo, essa é a mensagem que o homem pisa, pois ela golpeia o seu orgulho e o humilha até o pó. Dessa mensagem o diabo tem medo e faz de tudo para furtá-la do coração do homem.

3) Ele semeia o joio no coração humano. Jesus falou que, enquanto os filhos do reino estavam dormindo, veio o diabo e semeou o joio, filhos do maligno, no meio do trigal de Deus, a igreja. Ver Mt 13:24-30, 36-43. O diabo coloca os seus agentes dentro da igreja. Pessoas com aparência de crentes, com o nome de crentes, usando palavras de crentes, mas na verdade são filhos do maligno.

4) O diabo oprime pessoas com enfermidades e diz que Deus Se esqueceu delas.

5) O diabo inventa falsas religiões e filosofias. Paulo fala que nos últimos dias muitos obedeceriam a ensinos de demônios. Ver I Tim. 4:1. O diabo é um grande inventor de religiões. É o pai de muitas doutrinas geradas nas filiais do inferno e da mentira, para desviar as pessoas da verdade. É o pai da mentira, que não suporta a verdade. Ele trabalha incansavelmente para criar novas doutrinas, novos credos, novas religiões. Temos de gritar como Isaías: “ à lei e ao testemunho! Se eles não falarem assim jamais verão a alva. ’’Isaías 8:20.
Como já falamos, o diabo existe e está neste mundo para roubar, matar e destruir. Ninguém é forte o bastante para resolver seus próprios problemas sozinhos, especialmente quando falamos sobre nosso problema principal: o pecado. Dependemos de Deus e de Sua graça. Ver Efésios 2:8-9. Paulo disse assim: “Tudo posso naquele que me fortalece.” Filipenses 4:13.
O maior inimigo que temos é a nossa natureza herdada, carnal e pecaminosa. Por isso ela deve ser identificada e submetida todos os dias aos olhos do Espírito Santo. É hora de submetermos cada área da nossa vida a Jesus para que Ele nos liberte dos nossos pecados.Veja este texto: “Fazei, pois, morrer a vossa natureza terrena: prostituição, impureza, paixão lasciva, desejo maligno e a avareza, que é idolatria; por estas coisas é que vem a ira de Deus [sobre os filhos da desobediência]. Ora, nessas mesmas coisas andastes vós também, noutro tempo, quando vivíeis nelas. Agora, porém, despojai-vos, igualmente, de tudo isto: ira, indignação, maldade, maledicência, linguagem obscena do vosso falar.” Colossenses 3:5-8.


Veja este outro texto inspirado: “Justamente aqueles que Deus Se propõe usar como Seus instrumentos para uma obra especial, Satanás, empregando seu máximo poder procura transviar. Ele nos ataca em nossos pontos fracos, procurando, pelos defeitos do caráter, obter domínio sobre o homem todo; e sabe que, se tais defeitos são acalentados, terá bom êxito. Mas ninguém precisa ser vencido. O homem não é deixado só a vencer o poder do mal pelos seus fracos esforços. O auxílio está às mãos, e será dado a toda alma que realmente o desejar. Anjos de Deus, que sobem e descem pela escada que Jacó viu em visão, auxiliarão a toda alma, que o deseje, a subir mesmo aos mais altos Céus.” Patriarcas e Profetas, 417.
Leia os seguintes textos e veja como o diabo é real, sobrenatural e tem intenções de enganar, matar e destruir.Ao mesmo tempo que cuidados devemos tomar contra este inimigo?Gên. 3:1-4; Zacarias 3:2; Mateus 4:1; I Pedro 5:8; João 3:8 e Apoc 12:9.
QUARTA-FEIRA (5 de outubro) JÓ COMO UM MICROCOSMOS – A lição de hoje é, até certo ponto, a continuação da lição de segunda-feira. Até a volta de Cristo, estamos em um campo de batalha aberto, em fogo cruzado. O conflito envolve dois poderes espirituais; o de Cristo e o de Satanás, e os combates são travados na mente de cada ser humano em torno de ideias que trazem características do certo ou de errado, do bem ou de mau, de justiça ou de pecado. Neste contexto, as armas também são espirituais, com características de; verdade, justiça, obediência, da parte de Cristo; ou; engano, injustiça, desobediência, da parte de Satanás.
Cristo é mais poderoso e já venceu Satanás. Veja este texto: “É expressamente declarado que Satanás trabalha nos filhos da desobediência, não somente tendo acesso à mente deles, mas operando por meio de sua influência, consciente e inconsciente, para atrair outros à mesma desobediência. Se os anjos maus têm tal poder sobre os filhos dos homens em sua desobediência, quão maior poder têm os anjos bons sobre aqueles que estão se esforçando para serem obedientes! Quando pomos em Jesus Cristo a confiança, operando a obediência para a justiça, anjos de Deus operam em nosso coração para a justiça.” Mensagens Escolhidas vol.1, 94.
O conflito cósmico tem a sua origem na acusação feita por Satanás de que Deus é arbitrário, que o Seu amor é falso e que a Sua Lei não pode ser cumprida. Em essência foi isso que aconteceu no céu, antes da sua queda. Satanás continuou suas acusações com respeito a Jó. Satanás disse que se Deus permitisse o sofrimento a Jó, ele blasfemaria de Deus e O abandonaria.Eis a acusação e proposta: “Então respondeu Satanás ao Senhor, e disse: Porventura teme Jó a Deus debalde? Porventura tu não cercaste de sebe, a ele, e a sua casa, e a tudo quanto tem? A obra de suas mãos abençoaste e o seu gado se tem aumentado na terra. Mas estende a tua mão, e toca-lhe em tudo quanto tem, e verás se não blasfema contra ti na tua face.” Jó 1:9-11
Hoje o arqui-inimigo de Deus continua o conflito aqui na terra, onde espera enganar toda a raça humana e tornar-se o governante deste mundo. Decidiu ele que se não pudesse ser senhor da terra, obtendo o poder de criação, ele o seria enganando os habitantes da terra e voltando-os contra Deus. Deus, no entanto, não deixou o planeta desprotegido e, na verdade, tinha um plano para enfrentar essa contingência do inimigo: Cristo “o qual, na verdade, em outro tempo foi conhecido, ainda antes da fundação do mundo, mas manifestado nestes últimos tempos por amor de vós; e por ele credes em Deus, que o ressuscitou dos mortos, e lhe deu glória, para que a vossa fé e esperança estivessem em Deus.” I Pedro 1:20 e 2.
Assim como Jó, somos alvo do inimigo dentro do nosso microcosmos. Mesmo você sendo um crente verdadeiro, você tem pelo menos uma fraqueza, daquelas que chega até tirar o seu sono em alguns momentos da vida. Não é?Todos somos atingidos com as flechas da tentação naquilo que somos fracos. Ser tentado é uma coisa, mas cometer pecados é outra coisa diferente. Jesus foi tentado e não pecou. Ser tentado não é pecado!  Mesmo que busquemos a Deus, as fraquezas estão sempre diante de nós. A Bíblia chama isso de guerra do espírito contra a carne. Ver Gálatas 5:17. O próprio apóstolo Paulo passou por isso quando disse: “Porque não faço o bem que prefiro, mas o mal que não quero, esse faço.” Romanos 7:19.
Devemos admitir que somos fracos, caso contrário desenvolveremos atitudes de um fariseu. Jesus declarou aos apóstolos: “A carne é fraca” Mateus 26: 41. Não podemos usar a fraqueza como desculpa para pecar. Alguns dizem que se a carne é fraca então não tem como vencê-la. Essa é a forma incorreta de interpretar a orientação de Jesus. Jesus mandou perceber  a fraqueza da nossa carne a fim de sermos mais cuidadosos diante dela. Em Mateus 26:41 Jesus não apenas diz que a carne é fraca, mas nos dá elementos que tornam a nossa vitória contra ela possível. Precisamos fazer a nossa parte que Deus fará a dele: “Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar.” I Coríntios 10:13.
“Com fé humilde podeis reivindicar as Suas promessas, e sentir que embora não haja em vós coisa alguma por que Lhe possais exigir o favor, podeis, pelos méritos e a justiça de Cristo, chegar com ousadia ao trono da graça, e achar graça em tempo de necessidade. Não há nada que possa tornar a pessoa tão forte para resistir às tentações de Satanás no grande conflito da vida como buscar a Deus em humildade, lançando perante Ele vossa alma em todo o seu desamparo, esperando que Ele seja vosso ajudador e defensor. The Youth’s Instructor, 7 de Julho de 1892. Com a fé de uma criancinha, devemos chegar a nosso Pai celestial, expondo a Ele todas as nossas necessidades. Ele está sempre pronto a perdoar e ajudar. O suprimento de sabedoria divina é inesgotável, e o Senhor nos anima a dele sacar amplamente. O anseio que devemos ter de bênçãos espirituais, é descrito nas palavras: “Como o cervo brama pelas correntes das águas, assim suspira a minha alma por Ti, ó Deus!” Salmos 42:1. Necessitamos de mais profunda fome de alma pelos ricos dons que o Céu tem para conceder.
Devemos ter fome e sede de justiça.” O Cuidado de Deus, 13
QUINTA-FEIRA (6 de outubro) RESPOSTAS NA CRUZ – O livro de Jó menciona Satanás apenas no início do livro e depois esse personagem sinistro desaparece. O livro de Jó não explica como o conflito começou no céu e nem como vai terminar, mas temos explicações em outros livros sobre isso. No entanto, existem muitas coisas que ficamos sem respostas. Uma delas é: por que Jesus ainda não voltou e permite tanta gente sofrer e morrer?
Na cruz, Satanás foi totalmente exposto perante o universo como aquilo que ele realmente é; um assassino. A morte de Jesus traz a resposta de que necessitamos sobre a existência do pecado, de Satanás e do seu final. Quando Jesus morreu, Satanás teve a sua sentença de morte determinada.Veja este texto: “E ouvi uma grande voz no céu, que dizia: Agora é chegada a salvação, e a força, e o reino do nosso Deus, e o poder do seu Cristo; porque já o acusador de nossos irmãos é derrubado, o qual diante do nosso Deus os acusava de dia e de noite. E eles o venceram pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do seu testemunho; e não amaram as suas vidas até à morte. Por isso alegrai-vos, ó céus, e vós que neles habitais. Ai dos que habitam na terra e no mar; porque o diabo desceu a vós, e tem grande ira, sabendo que já tem pouco tempo.” Apocalipse 12:10-12.


Vejas outros textos que mencionam a derrota de Satanás com a morte de Jesus e o aceso à salvação de todos os que aceitam Jesus: “Agora é o juízo deste mundo; agora será expulso o príncipe deste mundo. E eu, quando for levantado da terra, todos atrairei a mim.” João 12:31,32. Na cruz Satanás foi julgado e condenado à morte. Sabemos que Satanás será destruído apenas depois do milênio, mas ele já sabe do seu fim, vai ser exterminado!
“Para demonstração da sua justiça neste tempo presente, para que ele seja justo e justificador daquele que tem fé em Jesus.” Romanos 3:26
“E, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também ele participou das mesmas coisas, para que pela morte aniquilasse o que tinha o império da morte, isto é, o diabo.” Hebreus 2:14

Algumas pessoas crêem que o tempo da graça para Satanás só se esgotou na cruz. Ver João 19:30, pois ainda nos dias de Jó ele participou com “os filhos de Deus” de uma reunião “perante o Senhor.” rever Jó 1:6-8. Mas, a descrição desse episódio não sugere que a reunião haja ocorrido, necessariamente, nas cortes celestiais, e muito menos que Satanás, depois de expulso do céu. Ver Apoc. 12:7-9, ainda tivesse acesso à salvação. Satanás foi àquela reunião como representante da terra que era, depois de Adão, Cristo tornou-Se o legítimo representante da terra e Satanás deixou de representar o planeta caído em pecados.
Depois que Lúcifer foi lançado do céu já deixou de ter oportunidade de se salvar.Veja este texto: “Satanás estava disposto a ocupar o seu próprio lugar, ou qualquer posição que lhe fosse designada. Mas não; o Céu não devia ser posto em risco. Todo o Céu poderia vir a ser maculado se ele fosse recebido de volta.” Primeiros Escritos, 146.
Sabemos que nenhum pecado pode ser tolerado na presença de Deus, que é santo. Satanás foi expulso porque Deus não tolera o pecado em nenhuma das suas formas. Veja estes textos: “Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu.” Mateus 6:10. A crise espiritual não teve lugar somente no céu, aconteceu com toda a humanidade, no decorrer dos séculos e milênios, mas Cristo ganhou a guerra com a Sua morte na Cruz.

“E cantavam um novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro, e de abrir os seus selos; porque foste morto, e com o teu sangue nos compraste para Deusde toda a tribo, e língua, e povo, e nação.” Apocalipse 5:9
Mediante a cruz e a ressurreição, Cristo alcançou a vitória final sobre o pecado e Satanás. O conflito, porém, aguarda a sua consumação no final do milênio, quando pecado e pecadores deixarem de existir e o próprio diabo for lançado “no lago de fogo”. Ver Apoc 20:7-10.
A cruz de Cristo, para além de julgar e condenar Satanás à morte, traz-nos esperança e certeza do perdão e salvação. Mas, a mesma cruz de Cristo também exige algo de nós: Veja este texto: “E chamando a si a multidão, com os seus discípulos, disse-lhes: Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome a sua cruz, e siga-me. Porque qualquer que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á, mas, qualquer que perder a sua vida por amor de mim e do evangelho, esse a salvará. Pois, que aproveitaria ao homem ganhar todo o mundo e perder a sua alma? Ou, que daria o homem pelo resgate da sua alma? Porquanto, qualquer que, entre esta geração adúltera e pecadora, se envergonhar de mim e das minhas palavras, também o Filho do homem se envergonhará dele, quando vier na glória de seu Pai, com os santos anjos. Marcos 8:34-38.
A cruz exige de nós; “negação” v. 34; “discipulado” v. 34 e algumas “perdas passageiras” vs 35 e 36.
SEXTA-FEIRA (7 de outubro) LEITURA ADICIONAL DA LIÇÃO 2 (4º trimestre 2016) O GRANDE CONFLITO – Cada ato da vida revela de que lado do grande conflito estamos; no de Cristo ou no de Satanás. Procure verdadeiramente compreender todas as implicações deste pensamento e posicionar-se do lado de Cristo. Embora estejamos envolvidos neste conflito temos a esperança de que a angústia não se levantará por duas vezes.
Como sabemos que no céu não haverá a possibilidade do pecado entrar novamente? Temos as promessas de Deus de que, depois dos milênios de pecados, todo o mal será erradicado, e diante do grande amor de Deus, demostrado na maneira como efetuará o juízo, nas suas várias fazes, os salvos serão eternamente atraídos pelo grande amor de Deus e não ousarão cometer pecados. Saberão que o pecado não compensa. A liberdade de escolha com que somos criados dará aos salvos a liberdade de permanecerem próximos de Deus, e sem cometer pecados.


Veja estes textos: “E ali nunca mais haverá maldição contra alguém; e nela estará o trono de Deus e do Cordeiro, e os seus servos o servirão. E verão o seu rosto, e nas suas testas estará o seu nome. E ali não haverá mais noite, e não necessitarão de lâmpada nem de luz do sol, porque o Senhor Deus os ilumina; e reinarão para todo o sempre.” Apocalipse 22:3-5.
“Que pensais vós contra o Senhor? Ele mesmo vos consumirá de todo; não se levantará por duas vezes a angústia.” Naum 1:9
É bom lembrarmos que quanto mais próximos estamos do fim da história do pecado e da 2ª volta de Jesus, o inimigo intensifica os seus ataques e sugestões para o pecado. Reveja este texto: “Por isso alegrai-vos, ó céus, e vós que neles habitais. Ai dos que habitam na terra e no mar; porque o diabo desceu a vós, e tem grande ira, sabendo que já tem pouco tempo.” Apocalipse 12:12.
Aqui está o princípio da intensificação. Quanto mais perto está o fim, o diabo intensifica mais os seus ataques. O cristão deve estar atento para não ser levado pelo vento impetuoso das tentações. Alguns filhos de Deus abandonam a Bíblia, a igreja e Jesus para viverem nos pecados de sua preferência e seu estilo de vida particular. Entre aqueles que caem em apostasia, alguns acabam por voltar, depois de muita dor e sofrimento, outros, no entanto; perdem-se para sempre.
Estudar a Bíblia e fazer orações particulares requer algum esforço para planejar e executar essa ação. Não é tão simples dizer: “vou orar e ler a bíblia agora”. Isso requer vigilância, decisão, planejamento e algum esforço. É nesse sentido que devemos envidar os nossos esforços. Quando o verdadeiro crente mantém esse excelente nível de relacionamento com Jesus, nota-se uma transformação na sua vida. Seus olhares e sorrisos tornam-se serenos e sua vida transmite grande paz. Ele não é crítico e nem expõe os erros dos outros ou da igreja, sua vida motiva as pessoas para o seguir e ele produz frutos dignos de arrependimento.
“Sobretudo não devemos negligenciar a oração secreta, pois ela é a vida da alma… Orai em vosso aposento particular; e enquanto seguis vossos afazeres diários elevai muitas vezes o coração a Deus. Era assim que Enoque andava com Deus. Essas orações silenciosas sobem para o trono da graça qual precioso incenso. Satanás não pode vencer aquele cujo coração deste modo se firma em Deus.” Caminho a Cristo, 95 e 96.
Um homem pode escolher atravessar ou não uma ponte, o que ele não pode escolher é voar sobre a ponte, pois a sua natureza o impede de voar, até pode voar, mas vai se quebrar todo. De forma semelhante, um homem não pode escolher tornar-se justo, sua natureza pecaminosa o impede de cancelar a sua culpa perante Deus, ver Romanos 3:23, mas o homem pode escolher ir à Cristo e ser purificado por Ele. Amém? Que Deus nos capacite a fazermos apenas boas escolhas.
Luís Carlos Fonseca

publicado em:

http://temasbblicos.blogspot.com.br/2016/09/comentarios-da-licao-2-4-trimestre-2016.html?m=1

Anúncios
  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • ” Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo.” Apocalipse 1:3

  • “Não desprezeis as profecias; julgai todas as coisas, retende o que é bom.” 1 Tessalonicenses 5:20-21.

  • "Conservai-vos a vós mesmos no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo para a vida eterna.
    E apiedai-vos de alguns, usando de discernimento;
    E salvai alguns com temor, arrebatando-os do fogo, odiando até a túnica manchada da carne."
    Judas 1:21-23

%d blogueiros gostam disto: