COMENTÁRIO À LIÇÃO 9 – PALAVRAS DE VERDADE – (21 A 28/02/2015)

O dom do discernimento, o mesmo que entendimento, nos dá uma profunda compreensão das verdades contidas na palavra de Deus, encontradas na Bíblia e que foram fixadas em nosso íntimo.
Faz-nos ver o que é divino sob a aparência do que é material. Através desse dom, passamos a reconhecer a profundidade de nossa perdição, a necessidade de buscarmos a Cristo Jesus, o cuidado dos nossos lábios a transmitirem o encorajamento e o amor de Deus.

“Inclina o teu ouvido e ouve as palavras dos sábios, e aplica o teu coração ao meu conhecimento.
Porque te será agradável se as guardares no teu íntimo, se aplicares todas elas aos teus lábios.
Para que a tua confiança esteja no Senhor, faço-te sabê-las hoje, a ti mesmo.”
(Provérbios 22:17-19)
 fabiodeps@gmail.com

palavrasdeverdadeVERSO ÁUREO: “Porventura não te escrevi excelentes coisas, acerca de todo conselho e conhecimento, para fazer-te saber a certeza das palavras da verdade, e assim possas responder palavras de verdade aos que te consultarem?” Provérbios 22:20-21

 INTRODUÇÃO (sábado 21 de fevereiro) – Dizemos com alguma convicção: “Preferimos a verdade mesmo que doa do que a doce ilusão” Mas será que é assim mesmo? Há um pensamento que diz assim: “ a dúvida tortura, a mentira mata e a verdade dói”.

A verdade é definida pelo dicionário como “conformidade a um fato ou realidade; uma declaração provada como ou aceita como verdadeira; realidade”. Sobre Deus e fé algumas pessoas dizem que não há uma verdade absoluta, apenas percepções e opiniões. Por outro lado, outros argumentam que deve haver uma realidade ou verdade absoluta na Bíblia Sagrada. Portanto, ao considerarmos a questão durante o estudo desta semana, quanto a haver ou não algo como a verdade absoluta, nós veremos dois pontos de vista exatamente opostos.

Um ponto de vista diz que a Bíblia não tem elementos suficientes para definir a verdade sobre Deus e a fé. Aqueles que têm tal posição acreditam que tudo é relativo, e que, portanto não há uma realidade verdadeira. Por causa disso, não há nenhuma autoridade para decidir se uma ação é positiva ou negativa, certa ou errada. Este ponto de vista chama-se ética situacional, na sua forma mais ampla. Não há certo ou errado, portanto o que quer que pareça certo em certo momento, será certo e o que parece ser errado, será errado.  É claro que este tipo de ética situacional leva a uma mentalidade e um estilo de vida do tipo: “vamos fazer tudo o que parece bom”, mas tem um efeito devastador na sociedade e nos indivíduos, pois o que é bom nem sempre é o melhor!

O outro ponto de vista acredita que a Bíblia é inspirada por Deus e real. Portanto, ações podem ser julgadas certas ou erradas de acordo com a medida do juízo de Deus contido na Bíblia. O pensamento de alguém alegar que não existe verdade absoluta é totalmente ilógico. Muitas pessoas hoje em dia estão abraçando um relativismo cultural que no seu cerne nega qualquer tipo de verdade absoluta. Uma boa pergunta para as pessoas que dizem não existir verdade absoluta é: “Você está absolutamente certo disso? Um problema com a negação da verdade é o fato de que todos os seres humanos possuem conhecimento limitado. Como seres humanos com uma mente limitada e finita, nós não podemos logicamente fazer declarações negativas absolutas. Por exemplo, uma pessoa não pode dizer logicamente: Não há Deus; porque para dizer isso ela deveria ter conhecimento absoluto sobre o universo inteiro do início ao fim. Quando as pessoas dizem não haver Deus ou não haver verdade absoluta, o que em essência é realmente a mesma coisa, o máximo que elas podem dizer racional e logicamente é: Com o conhecimento limitado que eu tenho, eu não acredito que exista um Deus, ou Com o conhecimento limitado que eu tenho, eu não acredito que exista qualquer coisa que seja absolutamente verdadeira.

A pergunta que não quer calar é: Por que aqueles que promovem a tolerância são tão intolerantes com as pessoas que acreditam na verdade absoluta? E por que as pessoas estão tão dispostas a abraçar um sistema de crenças que ameaça destruir a própria estrutura da sociedade e é no seu cerne tanto irracional quanto ilógico? A simples razão é que as pessoas não querem ser responsáveis pelas suas ações. Se existe verdade absoluta, então existem padrões absolutos de certo e errado, e nós estamos sujeitos a esses padrões. Essa responsabilidade é o que as pessoas estão realmente tentando negar na sua rejeição da verdade sobre Deus.

Eu acredito que existe um Criador e Ele revelou não só a Si próprio, como também a Sua verdade para nós através da Sua própria Palavra, a Bíblia. Se nós quisermos conhecer a verdade absoluta, a única forma de fazer isso é através de um relacionamento pessoal com Aquele que afirmou ser a Verdade, Jesus Cristo. Respondeu-lhe Jesus: “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim”. João 14:6.

 

DOMINGO (22 de fevereiro) O CONHECIMENTO DA VERDADE – Como vimos na introdução de ontem, a verdade é o próprio Jesus. Ele mesmo disse: “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim”. João 14:6. Conhecer a verdade significa conhecer o próprio Jesus. Quando eu conheço Jesus e me entrego inteiramente a Ele, eu sou influenciado por Ele e por Seus princípios que orientam a minha vida. Veja o texto para hoje: “Inclina o teu ouvido e ouve as palavras dos sábios, e aplica o teu coração ao meu conhecimento. Porque te será agradável se as guardares no teu íntimo, se aplicares todas elas aos teus lábios.” Provérbios 22:17-18.

Conhecer a verdade, que é Jesus, e praticar os Seus mandamentos é sinal de sabedoria. Jesus disse: “Eu sou a verdade…”Satanás é o pai da mentira! Ele disse que o homem seria como Deus, mas Eva confessou: “A serpente me enganou e eu comi”. Gênesis 3:13. De fato, o prazer do pecado é apenas ilusão, por isso; Deus deseja que vivamos a vida, pois Deus quer que todos os homens sejam salvos e venham ao pleno conhecimento da verdade”. I Timóteo 2:4. Deus disse: “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” João 8:32. Conhecer a pessoa de Cristo significa conhecer a própria verdade. Deus deixou-nos um conjunto de regras e mandamentos para seguirmos, e esse conjunto de regras chama-se Bíblia Sagrada. Através da Bíblia somos convidados à santificação. Veja o texto: Santifica-os na Tua verdade; a Tua Palavra é a verdade”. João 17.17.

Através de Jesus e de Sua Palavra recebemos fé, convicção e responsabilidade. Veja os textos sugeridos para hoje. A) Fé ou confiança: “Para que a tua confiança esteja no Senhor, faço-te sabê-las hoje, a ti mesmo.” Provérbios 22:19. B) Convicção: “Para fazer-te saber a certeza das palavras da verdade…” Provérbios 22:21. C) Responsabilidade em anunciar a Palavra: “E assim possas responder palavras de verdade aos que te consultarem?” Provérbios 22:21.

Tanto a fé como o arrependimento são dons de Deus, e devem ser cultivados. A fé vem pelo ouvir a Palavra do Senhor Deus. Por isso não podemos negligenciar a oração, o estudo da Bíblia e os cultos na igreja. A fé comunica convicção ao coração humano.

Em meio de tantas incertezas e desilusões, encontramos convicção em Deus quando estamos em ligação com Ele. Longe de Deus não temos nem fé e nem convicção. A própria definição de fé traz consigo a convicção, que é vital para a nossa vida religiosa. Veja o texto: “Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a convicção das coisas que se não vêem.” Hebreus 11:1.

A pregação do evangelho não é uma simples questão de informar outra pessoa, é necessário haver envolvimento de amizade com a pessoa e oração de intercessão por elas. Caso contrário, a mensagem fica sem o poder transformador do Espírito Santo. O conhecimento da verdade envolve um relacionamento com a própria verdade que é Jesus. O verdadeiro cristão tem um conhecimento experimental do autor do Cristianismo! Qual é a sua relação com Jesus?

 

SEGUNDA-FEIRA (23 de fevereiro) ROUBAR OS POBRES – Que advertências nos são feitas sobre a atenção que devemos dar aos pobres, necessitados e pessoas vulneráveis? Veja os textos para hoje: “Não roubes ao pobre, porque é pobre, nem atropeles na porta o aflito; porque o Senhor defenderá a sua causa em juízo, e aos que os roubam ele lhes tirará a vida.” Provérbios 22:22-23.

A lição de hoje menciona sobre o pecado de Davi em mandar matar Urias para tomar Bateseba como mulher. E depois Deus enviou o profeta Natã para advertir Davi de seus pecados. Ver II Samuel 22:21-27. No caso em referência, Davi era o rei e usou a sua influência para oprimir o simples soldado de guerra. Deus condena a opressão ao pobre como vemos nessa história Veja este texto: “Então disse Davi a Natã: Pequei contra o Senhor. E disse Natã a Davi: Também o Senhor perdoou o teu pecado; não morrerás.” II Samuel 12:13. O cristão deve ajudar o pobre e não aproveitar a sua situação de pobreza para tirar vantagens!

O seguinte texto bíblico faz menção aos ricos que oprimem os pobres: “Eis que o jornal dos trabalhadores que ceifaram as vossas terras, e que por vós foi diminuído, clama; e os clamores dos que ceifaram entraram nos ouvidos do Senhor dos exércitos”. Tiago 5:4. Existem outras referências bíblicas que mencionam a importância dos cristãos darem a devida atenção aos pobres. Veja este outro texto: “O que tapa o seu ouvido ao clamor do pobre, ele mesmo também clamará e não será ouvido”. Prov. 21:13.

O dinheiro hoje domina as casas de leis, as cortes e os palácios dos governos. O dinheiro é o maior “deus” deste mundo. Por ele as pessoas roubam, mentem, corrompem-se, casam-se, divorciam-se, matam e morrem. O problema não é possuir dinheiro, mas ser possuído por ele. O dinheiro é um bom servo, mas um péssimo patrão. Não é pecado ser rico, pois a riqueza é uma bênção. É Deus quem nos dá sabedoria para adquirirmos riquezas. O problema é colocar o coração nas riquezas. A raiz de todos os males não é o dinheiro, mas o amor ao dinheiro. Os ricos sentenciados por Deus ajuntam para eles o que devem pagar aos trabalhadores. Algumas pessoas fraudulentas prejudicam os pobres e ainda jogam a culpa neles e alguns ricos até condenam os pobres nos tribunais. Ver Tiago 2:6 e 5:6.

Ao contrário de roubar os pobres, Deus exige de nós cuidados em favor dos pobres e necessitados. A Bíblia ensina que Deus é um Deus de justiça. De fato, “Deus é… justo e reto”. Deuteronômio 32:4. Além disso, a Bíblia sustenta a noção de justiça social na qual a preocupação e os cuidados são mostrados em favor dos pobres e aflitos. Ver Deuteronômio 10:18, 24:17 e 27:19. A Bíblia, muitas vezes, se refere ao órfão, à viúva e ao estrangeiro, ou seja; pessoas que não eram capazes de cuidar de si mesmas ou não tinham um sistema de apoio, como merecendo a nossa especial atenção. A nação de Israel foi ordenada por Deus para cuidar dos menos afortunados da sociedade, e seu eventual fracasso de fazer isso foi, em parte, a razão para o seu julgamento e expulsão da terra.

A noção cristã de justiça social é diferente da noção contemporânea de justiça social. As exortações bíblicas para cuidar dos pobres são mais no âmbito individual do que das instituições e sociedade como um todo. Em outras palavras, cada cristão é encorajado a fazer o que puder para ajudar o menor destes. A base para tais mandamentos bíblicos encontra-se no segundo dos grandes mandamentos; “amar ao próximo como a si mesmo.” Ver Mateus 22:39. A noção de justiça social dos homens de hoje substitui o indivíduo pela instituição. Jesus ordena que cada cristão se torne responsável por cuidar dos menos favorecidos da sociedade e da igreja. A abordagem bíblica vê Cristo como Salvador e motivador do amor e cada cristão deve seguir os Seus passos.

 

TERÇA-FEIRA (24 de fevereiro) TER INVEJA DOS PECADORES – O que é inveja? É sentir desgosto ou pesar pelo bem ou pela felicidade dos outros. É o forte desejo de possuir o bem alheio. A inveja é um dos vários frutos da natureza humana. Ela produz profundas lesões na vida espiritual, tão sérias ao ponto de lançar os que a cultivam nas trevas. É um pecado que passa despercebido pelos que estão próximos, mas, que consome a vida das pessoas que a hospeda.

Freud percebeu que os doentes de psiquiatria revelavam um alto grau de inveja. Quanto maior o grau de inveja, mais doença revelavam. Melanie Klein, depois de Freud, foi a primeira notável pesquisadora desta problemática. É ela quem, de modo inovador na ciência psicanalítica, toma a inveja no sentido de “ataque que se faz ao bem”. À inveja, como doença se contrapõe à gratidão.

A verdade é que nos incomoda ver os justos sofrendo e os ímpios prosperando. Mas os filhos de Deus não ficam preocupados em ganhar o mundo; como fama e muito dinheiro. A nossa vocação é viver a vida na abundância de Deus. Não temos aqui casa, nem cidade permanente. Estamos aqui de passagem para um novo céu e uma nova terra. Para este destino não levamos conosco nem ouro, nem prata. Os pecadores terão um fim muito triste como vemos no seguinte texto: “Não te indignes por causa dos malfeitores, nem tenhas inveja dos ímpios, porque o homem maligno não terá galardão, e a lâmpada dos ímpios se apagará.” Provérbios 24:19-20. Eles sofrerão a morte eterna.

Veja estes outros textos sobre a inveja: “A paz de espírito dá saúde ao corpo, mas a inveja destrói como câncer.” Provérbios 14:30

“Não tenhas inveja dos pecadores; antes conserva-te no temor do Senhor todo o dia.” Provérbios 23:17

“Não nos tornemos vangloriosos, provocando-nos uns aos outros, invejando-nos  uns aos outros.” Gálatas 5:26

“Não tenhas inveja dos homens malignos, nem desejes estar com eles. Porque o seu coração medita a rapina, e os seus lábios falam a malícia.” Provérbios 24:1-2

A sensibilidade ao Espírito Santo faz-nos sentir o pecado ainda no seu início; na mente, e cabe-nos a responsabilidade de não deixarmos que cresça e floresça na vida. Somos chamados a vivermos em santidade, e esta condição não deixa brechas para qualquer tipo de sentimentos pecaminosos. A inveja é condenada pelo Senhor e é denominada como fruto da carne. Veja o texto: “As invejas, as bebedices, as orgias, e coisas semelhantes a estas, contra as quais vos previno, como já antes vos preveni, que os que tais coisas praticam não herdarão o reino de Deus.” Gálatas 5:21.

A inveja tem a sua origem em disputas insensatas entre pessoas carnais. Isso acontece em todos os níveis sociais e inclusive na igreja. Veja estes textos: “E eu, irmãos não vos pude falar como a espirituais, mas como a carnais, como a crianças em Cristo. Leite vos dei por alimento, e não comida sólida, porque não a podíeis suportar; nem ainda agora podeis; porquanto ainda sois carnais; pois, havendo entre vós Inveja e contendas, não sois porventura carnais, e não estais andando segundo os homens?” I Coríntios 3:1-3.

“É soberbo, e nada sabe, mas delira acerca de questões e contendas de palavras, das quais nascem invejas, porfias, injúrias, suspeitas maliciosas.” I Timóteo 6:4. Você já foi envolvido com este sentimento diabólico?

 

QUARTA-FEIRA (25 de fevereiro) O QUE POMOS NA NOSSA BOCA – Outra palavra de verdade está relacionada com a nossa alimentação, controle do apetite e vícios relacionados com a boca. Este é o tema do estudo da lição de hoje! Veja o texto de hoje: “Para quem são os ais? Para quem os pesares? Para quem as pelejas? Para quem as queixas? Para quem as feridas sem causa? E para quem os olhos vermelhos? Para os que se demoram perto do vinho, para os que andam buscando vinho misturado. Não olhes para o vinho quando se mostra vermelho, quando resplandece no copo e se escoa suavemente. No fim, picará como a cobra, e como o basilisco morderá. Os teus olhos olharão para as mulheres estranhas, e o teu coração falará perversidades. E serás como o que se deita no meio do mar, e como o que jaz no topo do mastro. E dirás: Espancaram-me e não me doeu; bateram-me e nem senti; quando despertarei? Aí então beberei outra vez.” Provérbios 23:29-35.

Quais são as razões fundamentais indicadas por Deus  para que Seus filhos se abstenham de bebidas alcoólicas? A principal razão é porque somos o templo do Espirito Santo. L. E. Froom menciona: “Transportando agora todos os tipos e figuras, que alguns poderiam minimizar, passamos à plena admoestação de Deus sobre o cuidado e a proteção que devemos dedicar ao nosso corpo, e à razão relativa disso. Descobrimos que de nosso corpo é declarado ser o “templo de Deus” três vezes e a habitação do Espírito Santo. Não devemos contaminar este templo com bebidas e alimentos proibidos, mas conservá-lo santo, para não sermos destruídos quando todos os maus forem exterminados. Paulo enuncia isto em I Coríntios: “Não sabeis vós que sois santuário de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o santuário de Deus, Deus o destruirá”. I Cor. 3:16, 17. No sexto capítulo declara que somos “templos do Espírito Santo”, o qual não tem qualquer parentesco com o álcool e a embriaguez. Devemos glorificar a Deus com este corpo que é redimido em virtude do sangue de Cristo: o nosso corpo deve ser cuidado como lugar de habitação de Deus. I Cor. 6:19, 20.”

Devemos ser separados como o eram os nazireus dos tempos bíblicos. Não devemos tocar aquilo que é impuro, mas antes purificar-nos de toda imundícia e aperfeiçoarmo-nos na santidade. Agora e para sempre devemos ser possessão divina, pois é o que Deus espera de nós. A sábia orientação divina consiste em advertir-nos, seriamente, para os perigos e as nefastas consequências das bebidas alcoolizadas. Os apreciadores de vinho não deviam ingeri-lo, justificando este desejo com exemplos bíblicos. Em vez de assim o fazer deviam meditar bem que esta fraqueza poderá levá-los à embriaguez, que está mencionada na Bíblia entre as obras da carne, que nos excluem do reino dos céus. Ver Gál. 5:21 e I Cor. 6:10. As Escrituras o condenam com veemência, em muitas passagens como em Provérbios 23:29 e 35.

O crente é convidado à evitar certas coisas que diminuem a vitalidade e saúde como o uso do tabaco, drogas, cafeína e alguns alimentos prejudiciais. A lição de hoje também menciona sobre os alimentos que não são construtivos e saudáveis para o nosso corpo e provocam um apetite exagerado. Veja o texto de hoje: “Quando te assentares a comer com um governador, atenta bem para o que é posto diante de ti, e se és homem de grande apetite, põe uma faca à tua garganta.” Provérbios 23:1-2.

Diversos estudos vêm constatando a perigosa relação do açúcar, sal e gorduras no aumento da produção de hormônios que causam a sensação de bem-estar, como a dopamina e a serotonina; neurotransmissores que aumentam a fome. Em um ciclo vicioso, a sensação de bem-estar que alimentos ricos em açúcar, sal e gordura proporcionam é de pouca duração e para mantê-la é necessário recorrer cada vez mais às guloseimas e em doses cada vez maiores. Não é à toa que esses ingredientes são a base da comida fast-food.

Hoje a recomendação dada para o açúcar pela Organização Mundial da Saúde (OMS) é a de no máximo 10% do total das calorias ingeridas diariamente. A gordura executa um papel importante para o desenvolvimento e manutenção do nosso corpo e devem estar inseridas em nossa alimentação diária, mas é necessário escolher sempre boas fontes e evitar a gordura saturada, que está presente nas carnes, queijos e frituras. Gordura saturada em excesso aumenta o colesterol ruim, elevando o risco de doenças cardíacas.

Veja alguns passos para controlar o apetite: 1) Invista em atividade física diária; ela é fundamental para sua saúde e qualidade de vida. Ela ajudará você a emagrecer e se manter saudável. 2) Mantenha uma alimentação balanceada, com todos os grupos alimentares, proteínas, gorduras boas e carboidratos de baixo índice de açúcar. Aumente a ingestão de fibras, que além de melhorar o trato intestinal aumenta a sensação de saciedade. 3) Diminua o consumo de açúcares e gorduras. Existem pessoas que são mais vulneráveis a se viciarem em alimentos pouco saudáveis, como os ricos em açúcares e gorduras, portanto evite-os!

 

QUINTA-FEIRA (26 de fevereiro) AS NOSSAS RESPONSABILIDADES – Estes são os textos para hoje: “Se tu deixares de livrar os que estão sendo levados para a morte, e aos que estão sendo levados para a matança; se disseres: Eis que não o sabemos; porventura não o considerará aquele que pondera os corações? Não o saberá aquele que atenta para a tua alma? Não dará ele ao homem conforme a sua obra?” Provérbios 24:11-12.

“O que disser ao ímpio: Justo és, os povos o amaldiçoarão, as nações o detestarão. Mas para os que o repreenderem haverá delícias, e sobre eles virá a bênção do bem.” Provérbios 24:24-25.

A lição de hoje incute-nos responsabilização em avisar as pessoas que conhecemos e todas as que pudermos, que vivem longe dos padrões de Deus, sobre aquilo que já praticamos e vivemos. A tendência de alguns cristãos, salvos por Cristo, é ficar trancados em suas casas e não ajudar ou ser solidários com as pessoas que necessitam.

A lição de hoje traz o exemplo de uma senhora que foi atacada por um homem e as pessoas ouviram os seus gritos e nada fizeram para a ajudar. Momentos depois, os gritos da senhora cessaram e ela foi encontrada morta com vários golpes de uma faca. As pessoas que ouviram nada fizeram para ajudar.

Quando meditamos na parábola do bom samaritano, observamos que tanto o sacerdote como o levita deixaram de aplicar a lei neste episódio, pois o texto da lei manda amar ao próximo como a si mesmo. Observe a resposta dada pelo intérprete da lei a Jesus: “E ele lhe disse: Que está escrito na lei? Como lês? E, respondendo ele, disse: Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças, e de todo o teu entendimento, e ao teu próximo como a ti mesmo.” Lucas 10:26-27.

O amor estava acima de qualquer regra; se a lei fosse quebrada ou transgredida pelos religiosos, socorrendo a vitima dos salteadores, certamente que ambos não seriam punidos pois ao mesmo tempo teriam obedecido a Lei, amando e socorrendo o próximo que estava diante deles. O que aqui vemos é o pecado de omissão e a indiferença com que o levita e o sacerdote trataram o episódio.

Podemos estar certos; não nos faltarão recursos para cuidarmos das pessoas, quando decidimos servir Deus ajudando as pessoas. Deus nos dará condições para que falemos de Seu grande amor para o pecador. Todos os que chegam ao Pai celeste através de Jesus, são tratados com muito carinho! Ele tem recursos abundantes para investir no pecador. Somos instrumentos nas mãos de Deus para levar a Palavra de Deus aos corações das pessoas.

Como ser uma testemunha eficaz para Cristo em um mundo perdido? Uma testemunha é alguém que atesta um fato, por isso, para ser uma testemunha eficaz para Cristo, é preciso ter um conhecimento de primeira mão dele. O Apóstolo João fala isso em I João 1:1-3, quando diz: “O que era desde o princípio, o que temos ouvido, o que temos visto com os nossos próprios olhos, o que contemplamos, e as nossas mãos apalparam, com respeito ao Verbo da vida, e a vida se manifestou, e nós a temos visto, e dela damos testemunho, e vo-la anunciamos, a vida eterna, a qual estava com o Pai e nos foi manifestada.” Percebeu?

Hoje, nós que temos experimentado a vida nova em Cristo, narramos do Seu amor e perdão, tanto verbalmente quanto na maneira como vivemos nossas vidas. Isto é testemunhar. Para sermos eficazes em nosso testemunho, devemos nos lembrar de duas coisas básicas: A) O poder do nosso testemunho vem do Espírito Santo. É o Espírito Santo que transforma a vida. Veja Tito 3:5, e uma vida transformada é mostrada para todos. À medida que testemunhamos, devemos passar muito tempo em oração, apropriando-nos do poder do Espírito Santo para que sejamos capazes de deixar nossa luz brilhar de tal forma que os outros vão reconhecer o poder de Deus em nós. B) A validade do nosso testemunho será mostrada na forma como vivemos nossa vida. Em Filipenses 2:15 encontramos este objetivo para nós: “Para que vos torneis irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis no meio de uma geração pervertida e corrupta, na qual resplandeceis como luzeiros no mundo”. A efetiva testemunha cristã viverá sua vida de forma irrepreensível no poder do Espírito Santo, cujo fruto exibimos quando permanecemos em Cristo. Ver João 15:1-8, Gálatas 5:22-23.

 

SEXTA-FEIRA (27 de fevereiro) LEITURA ADICIONAL DA LIÇÃO: PALAVRAS DE VERDADE – “Vi que ninguém poderia participar do “refrigério” a menos que obtivesse a vitória sobre toda tentação, orgulho, egoísmo, amor ao mundo, e sobre toda má palavra e ação. Deveríamos, portanto, estar-nos aproximando mais e mais do Senhor, e achar-nos fervorosamente à procura daquela preparação necessária para nos habilitar a estar em pé na batalha do dia do Senhor. Cumpre-nos remediar os defeitos de caráter, purificar de toda a contaminação o templo da alma.” Eventos Finais, 166

 

“É agora, neste tempo de pecados ousados e de trevas espirituais que o mundo precisa ouvir o amoroso convite de Deus. Somos um povo que precisa testemunhar por palavras e por exemplo, somos um povo distinto, um povo que ama a Jesus. “É o Espírito Santo, o Confortador, que Jesus disse, enviaria ao mundo, que muda o nosso caráter à imagem de Cristo; e quando isto é realizado, refletimos, como por espelho, a glória do Senhor.” Meditações Matinais. 1974, 244.

 

“As pessoas que nos circundam precisam ser despertas e salvas, ou perecerão. Não temos nem um minuto a perder. Todos exercemos uma influência que fala em favor da verdade ou contra ela. Desejo levar comigo as inconfundíveis evidências de que sou uma discípula de Cristo. Queremos algo além da religião do sábado. Necessitamos dos princípios vivos e de sentir diariamente nossa responsabilidade individual. Isso é evitado por muitos e seu resultado é descuido, indiferença, falta de vigilância e espiritualidade.” Test. para a Igreja, vol 1, 99.

 

“Pais e mães, vigiai em oração. Ponde-vos em guarda rigorosa contra a intemperança sob qualquer forma. Ensinai aos vossos filhos os princípios da verdadeira reforma de saúde. Ensinai-lhes o que lhes convém evitar, a fim de preservar a saúde. Já a ira de Deus está começando a manifestar-se sobre os filhos da desobediência. Quantos pecados e práticas iníquas estão-se manifestando por todos os lados! Como um povo, devemos ter o maior cuidado em guardar nossos filhos da companhia depravada.” Conselho sobre Regime alimentar, 247

 

“O único caminho seguro é não tocar, não provar e não manusear o chá, o café, vinhos, o fumo, o ópio e as bebidas alcoólicas. A necessidade de os homens desta geração chamarem em seu auxílio a força de vontade fortalecida pela graça de Deus, a fim de resistir às tentações de Satanás, e vencer a mínima condescendência com o apetite pervertido, é duas vezes maior que a de algumas gerações passadas. Mas a geração atual tem menos poder de domínio próprio do que os que viviam então. Os que têm condescendido com o apetite quanto a esses estimulantes transmitiram aos filhos os depravados apetites e paixões, e maior força moral é exigida desses filhos para resistir a toda sorte de intemperança. O único procedimento perfeitamente seguro é ficar firme ao lado da temperança, e não se arriscar no caminho do perigo.” Conselho para a Igreja, 108

 

Editado de comentário publicado em:
http//:temasbbiblicos.blogspot por Luís Carlos Fonseca
Edição:
fabiodeps@gmail.com

 

 

Anúncios

, , , , , , , , , , , ,

  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • ” Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo.” Apocalipse 1:3

  • “Não desprezeis as profecias; julgai todas as coisas, retende o que é bom.” 1 Tessalonicenses 5:20-21.

  • "Conservai-vos a vós mesmos no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo para a vida eterna.
    E apiedai-vos de alguns, usando de discernimento;
    E salvai alguns com temor, arrebatando-os do fogo, odiando até a túnica manchada da carne."
    Judas 1:21-23

%d blogueiros gostam disto: