COMENTÁRIO À LIÇÃO 7 – COMO LIDAR COM AS CONTENDAS – (07 A 14/02/2015)

Significativas para a Lição da Escola Sabatina desta semana são as palavras de Paulo a Timóteo a quem o apóstolo tinha como filho espiritual, “….ordenando-lhes que não tenham contendas….”  e  “….evita os falatórios profanos..”  são ‘ordens’ do apóstolo de Jesus ao povo crente:

“Palavra fiel é esta: que, se morrermos com ele, também com ele viveremos;
Se sofrermos, também com ele reinaremos; se o negarmos, também ele nos negará;
Se formos infiéis, ele permanece fiel; não pode negar-se a si mesmo.
Traze estas coisas à memória, ordenando-lhes diante do Senhor que não tenham contendas de palavras, que para nada aproveitam e são para perversão dos ouvintes.
Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade.
Mas evita os falatórios profanos, porque produzirão maior impiedade.” (2 Timóteo 2:11-16)

fabiodeps@gmail.com

contendasLIDAR COM CONFLITOS

VERSO ÁUREO: “É melhor um bocado seco, e com ele a tranquilidade, do que a casa cheia de iguarias e com desavença.” Provérbios 17:1

 INTRODUÇÃO (sábado 7 de fevereiro)Há uma lei dos relacionamentos que diz assim: “Quanto mais próxima é a relação entre as pessoas, maior é a chance de se ter atritos entre elas”. E é verdade! Você não vai ter problemas pessoais com o presidente da república ou governante, mas sim com o marido que deixa a toalha molhada em cima da cama, com a mulher que parece ter rodas nos pés quando sai de casa de manhã e só volta a noite e deixa a casa por arranjar, com o filho que não ajuda nas tarefas domésticas e com o empregado que chega atrasado para o trabalho.

 Salomão coloca diante de nós a necessidade que temos de reconhecer as prioridades na vida para evitarmos os conflitos. Existem muitas áreas de uma família, empresa, escola ou instituição onde o conflito possa se desenvolver; desde as tarefas do lar até a solução de uma separação ou divórcio. Desde adiantar um dinheiro para o empregado até o seu despedimento ou desde o atraso de um aluno até um processo disciplinar. Caso os filhos de Deus atentassem para as orientações divinas, as coisas não seriam tão complicadas em uma família e outros relacionamentos.

Na igreja também não é diferente. A maioria dos problemas tende a cair em uma das três categorias: conflito devido ao pecado flagrante entre os crentes, conflito com a liderança e conflito entre os crentes. É certo que muitos problemas podem envolver duas ou mais destas categorias. Os crentes que pecam abertamente representam um conflito para a igreja, assim como visto em I Coríntios 5. A igreja que não lida com o pecado entre os membros abre a porta para mais problemas. A igreja não é chamada para ser crítica dos incrédulos, mas espera-se que enfrente e restaure os crentes que não se arrependem dos pecados, como os apresentados em I Coríntios 5:11: “Mas agora vos escrevo que não vos comuniqueis com aquele que, dizendo-se irmão, for devasso, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador.” Tais indivíduos não devem ser aceitos pela igreja até estarem dispostos a se arrepender. Mateus 18:15-17 fornece um procedimento conciso para o confronto e restauração de um crente. A confrontação deve ser feita cuidadosamente, humildemente e com o objetivo de restauração. Ver Gálatas 6:1. As igrejas que amorosamente disciplinam indivíduos em pecados, reduzirão boa parte dos seus conflitos.

 Alguns conflitos são decorrentes do orgulho e do egoísmo, ver Tiago 4:1-10 e outros acontecem devido a ofensas que não foram perdoadas. Ver Mateus 18:15-35. Deus nos disse para lutarmos pela paz. Veja este texto: “Se for possível, quanto estiver em vós, tende paz com todos os homens.” Romanos 12:18.

 Como resolver conflitos? A) Seja manso. Ver Gálatas 6:1. B) Seja humilde. Ver Tiago 4:10. C) Conceda o perdão. Ver Efésios 4:31,32. D) Seja paciente. Ver Tiago 1:19,20. E) Avalie a sua culpa no conflito. Ver Mateus 7:1-5. Remover o argueiro do teu olho primeiro é necessário antes de ajudar os outros. F) Procure pessoalmente a pessoa. Ver Mateus 18:15.

 

DOMINGO ( 8 de fevereiro) PECADO E AMIGOS – O que os versos para hoje nos dizem sobre a postura do cristão concernente as pessoas que encobrem pecados? Veja os textos: 

“Aquele que encobre a transgressão busca a amizade, mas o que revolve o assunto separa os maiores amigos.” Provérbios 17:9

 “A prudência do homem faz reter a sua ira, e é glória sua o passar por cima da transgressão.” Provérbios 19:11.

 Quando se conhece o pecado de alguém o ser humano tem duas tendências: contar para toda gente ou calar-se. O que o cristão deve fazer? Nem uma coisa e nem outra. Ele deve primeiramente orar em favor da pessoa que cometeu o erro, depois deve procurar a pessoa para a ajudar, seguindo as orientações contidas em Mateus capítulo 18. Veja este texto: “Ninguém foi jamais recuperado de uma situação errônea, pela censura e acusação; mas muitos são assim mais repelidos do caminho direito, e levados a endurecer o coração contra a convicção. Um espírito de bondade, uma conduta cortês, paciente, podem salvar os que erram, e cobrir uma multidão de pecados.” Patriarcas e profetas, 380.

 Quando damos ouvidos à uma difamação contra nosso irmão, somos responsáveis pela mesma. Veja que o difamador não vai morar com Deus: “Senhor, quem habitará no Teu tabernáculo? Quem morará no Teu santo monte?”, responde o salmista: “Aquele que anda em sinceridade, e pratica a justiça, e fala verazmente segundo o seu coração: aquele que não difama com a sua língua, nem faz mal ao seu próximo, nem aceita nenhuma afronta contra o seu próximo”. Salmo 15:1-3.

 Conhecemos a história do povo de Israel quando conquistou Jericó. Acã furtou objetos de valor e escondeu em sua tenda, foi descoberto e condenado. Ellen White fala-nos que temos o dever de ajudar as pessoas que estão em erros. Veja este texto: “Vi que muitas pessoas afundarão em trevas por causa de sua cobiça. O testemunho claro e direto precisa viver na igreja, ou a maldição de Deus repousará sobre Seu povo tão certamente como repousou sobre o antigo Israel por causa de seus pecados. Deus considera Seu povo, como um corpo, responsável pelos pecados que existem em indivíduos em seu meio. Se os dirigentes da igreja negligenciam buscar com diligência os pecados que trazem o desfavor de Deus sobre a corporação, eles se tornam responsáveis por estes pecados. Tratar com mentes humanas é a mais bela obra em que já se empenharam os homens. Nem todos são habilitados a corrigir os que erram. Não têm sabedoria para tratar com justiça, e ao mesmo tempo amar a misericórdia. Não são inclinados a ver a necessidade de misturar amor e terna compaixão com fiéis reprovações.” Test. Para a Igreja, Vol. 3, 269.

 Com as bênçãos de Deus podemos perfeitamente restaurar um amigo e irmão, que caiu em erros, sem perder a sua amizade e respeito por nós e o amor por Cristo e Sua causa.

 

SEGUNDA-FEIRA (9 de fevereiro) SÊ JUSTO – Dois lindos atributos do nosso Deus é o amor e a justiça. Ele é a fonte do amor e sempre age com justiça. A justiça de Deus é maravilhosa pois é vista na pessoa de Jesus. Ele veio ao mundo para fazer justiça. Ele é a própria justiça. Veja este texto: “Pois assim como por uma só ofensa veio o juízo sobre todos os homens para condenação, assim também por um só ato de justiça veio a graça sobre todos os homens para justificação de vida. Porque, como pela desobediência de um só homem, muitos foram feitos pecadores, assim pela obediência de um muitos serão feitos justos.” Romanos 5:18-19

 Deus é tão justo que veio ao mundo para garantir a salvação da humanidade. As pessoas não entendem como Deus tornou o perdão dos pecados tão simples. É fácil obter o perdão dos pecados? Sim, realmente é! Você não pode conquistar o perdão de Deus. Você não pode pagar pelo perdão de seus pecados contra Deus. Você só pode recebê-lo, pela fé através da graça e misericórdia de Deus. O único castigo justo pelos nossos pecados é a morte. A primeira parte de Romanos 6:23 declara: “Porque o salário do pecado é a morte…” mas a segunda parte diz: “..mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna.” A justiça de Deus compreende salvar você.

 

Diante da justiça santa de Deus como você age diante das pessoas que cometem erros consigo? Veja os textos para hoje: “A repreensão penetra mais profundamente no prudente do que cem açoites no tolo.” Provérbios 17:10

“Açoita o escarnecedor, e o simples tomará aviso; repreende ao entendido, e aprenderá conhecimento.” Provérbios 19:25.

 Vemos através destes textos que o cristão deve fazer uma censura forte contra o transgressor, pois o pecado deve ser denunciado! Forte, no entanto, amorosa! A justiça humana compreende ajudar as pessoas em suas necessidades, mas também em repreendê-las quando se fizer necessário. Tanto pessoas abastadas como carenciadas necessitam de ajuda e repreensão. Mas necessitamos desenvolver o amor e justiça de Deus.

 Como o pai da parábola do filho pródigo o tratou no seu retorno? “Quando o filho ainda estava longe, viu-o o pai”. Foi o pai que viu o filho. Jesus é esse Pai que está olhando neste momento para aquele que cometeu erros e que está voltando para a casa do pai.

 Quais foram os sentimentos do pai? De mágoa e vingança? Não. Mas de “intima compaixão”. O Pai não esperou o filho com o manual da igreja numa mão e com a bíblia e espírito de profecia na outra mão. O pai queria ter os braços livres para poder abraçar seu filho. O pai correu, abraçou e o beijou. Quando uma pessoa erra e cai em pecados, ela não precisa de sermão mas de amor. De um abraço e um sussurro: “seja bem-vindo!”

 Veja como Jesus tratou com uma pecadora evidente. João 8:1-11.

 

TERÇA-FEIRA (10 de fevereiro) PALAVRAS OUTRA VEZ – A lição de hoje tem como base Provérbios capítulo 18 e dá ênfase nas palavras que pronunciamos, como pronunciamos e daquelas que não dizemos. Veja os textos para hoje: “Águas profundas são as palavras da boca do homem, e ribeiro transbordante é a fonte da sabedoria.” Provérbios 18:4

 “A morte e a vida estão no poder da língua; e aquele que a ama comerá do seu fruto.” Provérbios 18:21.

 O assunto do uso da língua é tão importante que Deus nos deixou muitas orientações e aqui estamos, outra vez, estudando sobre este tema. Salomão deixa claro que os tolos usam a língua para a sua própria destruição e os sábios para a edificação pessoal, familiar e comunitária. A imagem de um lago, com águas profundas, é usada por Salomão para representar a sabedoria. Ver verso 4. Mas Salomão diz assim das palavras dos tolos: “Os lábios do tolo entram na contenda, e a sua boca brada por açoites. A boca do tolo é a sua própria destruição, e os seus lábios um laço para a sua alma.” Provérbios 18:6-7.

 As vezes abrimos a boca para ferir e magoar alguém; e o quanto nós somos feridos por quem proferiu palavras torpes que nos marcaram e nos entristeceram profundamente! Deus nos orienta: “Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que seja boa para a necessária edificação, a fim de que ministre graça aos que a ouvem” Efésios 4: 29.

 Sua língua tem promovido bênção na vida das pessoas? A vida do cristão regenerado pelo sangue de Cristo é demonstrada pelo amor, porque o amor de Cristo é derramado em nossos corações. É impossível pregar o evangelho de Cristo se não sentimos amor e compaixão pelas pessoas do nosso convívio, quer seja a mulher, o marido, os filhos, os irmãos ou os vizinhos. Não importa a sua origem, se você não recebeu amor e carinho de seus pais ou até mesmo se você foi abandonado por eles; não é por isso que vamos deixar de usar palavras amorosas no nosso lar diante das pessoas com quem nos relacionamos. O cristão tem a responsabilidade de usar a língua de forma diferente dos mundanos. Cada um de nós teve marcas em nosso passado, entretanto, por causa do amor de Cristo derramado em nossos corações, é possível amar o nosso semelhante e abençoar as pessoas, independentemente da nossa formação pessoal e cultural. O sangue de Jesus e o Espírito Santo nos transforma. Veja estes textos: “Consoleis os desanimados e sustenteis os fracos” I Tessalonicenses 5: 14.

 “O Senhor Deus me deu língua de eruditos, para que eu saiba dizer boa palavra ao cansado.” Isaías 50: 4.

 A língua pura é limpa, expressa sensibilidade espiritual, comunica as verdades de Deus de modo correto e expressa amor pelas pessoas. Veja mais este texto: “O que contamina o homem não é o que entra pela boca, mas o que sai da boa, isto sim é o que contamina o homem.” Mateus 15: 11.

 Muitos não são capazes de perdoar porque se esqueceram do quanto foram perdoados por Jesus. As pessoas amarguradas não prosperam porque o diabo coloca suas vidas em prisão. Que Deus tenha misericórdia de nós e nos liberte de ressentimentos, até mesmo em nosso inconsciente! Veja este texto: “Quem perdoa uma maldade sofrida demonstra amor, mas quem vive relembrando problemas passados destrói boas amizades.” Provérbios 17: 9.

 

QUARTA-FEIRA (11 de fevereiro) OS DOIS LADOS DE UMA HISTÓRIA – ccSem humildade também não reconheceremos nossos próprios defeitos. Somos até capazes de enganar nossos próprios corações para não vermos nosso próprio pecado. Saul fez isto quando defendeu sua desobediência na batalha contra os amalequitas. Ele argumentou que tinha obedecido o Senhor e que o povo tinha errado. Ver I Samuel 15:20 e 21. Deus não aceitou aquela desculpa, e não aceita a nossa. Um outro problema relacionado com a arrogância é a dificuldade em aceitar a correção. Salomão mostra em Provérbios 15:31-33 a consequência de tal orgulho: “Os ouvidos que atendem à repreensão salutar no meio dos sábios têm a sua morada. O que rejeita a disciplina menospreza a sua alma, porém o que atende à repreensão adquire entendimento. O temor do Senhor é a instrução da sabedoria, e a humildade precede a honra.”

 

Provérbios 12:1 é mais direto: “Quem ama a disciplina ama o conhecimento, mas o que aborrece a repreensão é estúpido.” O outro lado deste problema é que a pessoa arrogante também não perdoa o erro dos outros. O orgulho é inerentemente egoísta e nos torna facilmente ofendidos e lentos em perdoar. Isto cria uma tremenda barreira para a salvação. Jesus ensinou claramente que a pessoa que não perdoa não será perdoada por Deus. Ver Mateus 6:12,14-15. Entre a verdade e aquilo que eu determino ser a verdade pode existir um grande abismo.

 Como resolver este problema? Temos muito o que aprender com as pessoas e com a Palavra de Deus. Sempre que formos tentados a pensar que somos grandes e importantes devemos parar para contemplar a grandeza e a majestade de Deus. Comparados com o Criador e Sustentador do Universo, somos débeis e insignificantes. Veja este texto: “Quando vejo os teus céus, obra dos teus dedos, a lua e as estrelas que preparaste; que é o homem mortal para que te lembres dele? E o filho do homem, para que o visites?” Salmo 8:3-4

 

QUINTA-FEIRA (12 de fevereiro) SER VERDADEIRO – A lição de hoje pede para lermos Provérbios 19, mas a ênfase está no não mentir, mas sempre falar a verdade. Veja o texto sugerido: “A falsa testemunha não ficará impune; e o que profere mentiras perecerá.” Provérbios 19:9. Este verso menciona dois problemas; a mentira e o falso testemunho em um julgamento. Quando se comete mentiras, ferimo-nos a nós mesmos e as pessoas.

 Conta-se que em uma universidade dois amigos que faziam o curso de medicina iam muito bem nas provas e trabalhos da faculdade. No final do semestre ambos tinham notas entre 90 e 100%. Havia uma prova final no curso de Química, mas os amigos estavam tão confiantes nas suas notas que resolveram passar um final de semana festejando com amigos de uma outra universidade. A festa foi grande e resultou em uma ressaca. Ambos dormiram tarde demais e no dia seguinte chegaram atrasados na universidade para o exame. Ao invés de tentar fazer o exame eles procuraram o professor e afirmaram que o carro deles teve um pneu furado e não tinham o pneu de reserva. Segundo eles, demorou para concertar o pneu e isso resultou no atraso deles para o exame. O professor considerou a história dos dois e concordou em dar uma segunda oportunidade para fazerem o exame. No dia seguinte o professor colocou-os em salas separadas e entregou-lhes o exame. Quando começaram o exame, perceberam que a primeira pergunta era uma questão fácil e valia 20% do exame. Animados, responderam à primeira pergunta e viraram a página. Na segunda página havia apenas uma pergunta: “Qual dos quatro pneus furou?” Essa resposta valia 80% do exame.

 A Bíblia menciona em Efésios 4:25: “Pelo que deixai a mentira, e falai a verdade cada um com o seu próximo, pois somos membros uns dos outros.” Quando mentimos não estamos seguindo o exemplo de Jesus. A Bíblia diz em Colossenses 3:9-10 “Não mintais uns aos outros, pois que já vos despistes do homem velho com os seus feitos, e vos vestistes do novo, que se renova para o pleno conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou.”

 Deus abomina a mentira. A Bíblia diz em Provérbios 12:22 “Os lábios mentirosos são abomináveis ao Senhor; mas os que praticam a verdade são o seu deleite.” Os que mentem são excluídos da presença de Deus. A Bíblia diz em Salmos 101:7 “O que usa de fraude não habitará em minha casa; o que profere mentiras não estará firme perante os meus olhos.” Os que são desonestos não serão permitidos entrar na cidade de Deus. A hipocrisia também é uma mentira. Mentimos quando dizemos que somos cristãos mas não obedecemos a Deus. Esta é a Palavra de Deus: “Aquele que diz: Eu o conheço, e não guarda os seus mandamentos, é mentiroso, e nele não está a verdade.”

 Pondere nisso: Até que ponto praticar a justiça social em favor do pobre enquadra-se na prática da verdade? Leia Deut. 24:10-22

 

SEXTA-FEIRA (13 de fevereiro) – LEITURA ADICIONAL DA LIÇÃO – LIDAR COM CONFLITOS – A melhor maneira de apagar uma fogueira é jogando água sobre ela e não colocando mais lenha. Assim também a melhor maneira de resolver um conflito é usando a sabedoria que Deus nos deu. A principal arma usada pelas pessoas, está no seu próprio corpo e chama-se língua! É uma arma muito perigosa, que corta na profundidade da alma e traz sobre aqueles que a usam, de forma errada, a condenação eterna.

 Os filhos de Deus devem evitar usar a língua para algumas coisas:

 a) Difamação: Quem mente difama o próximo. De acordo com o dicionário difamar é  “Tirar a boa fama ou o crédito a; desacreditar publicamente; infamar, detrair, falar mal.” A difamação, é crime contra a honra, previsto no código penal brasileiro. Veja estes textos: “A pessoa que diz mentiras  a respeito dos outros e tão perigosa quanto uma espada…” Prov. 25:16.

 ”Irmãos, não faleis mal uns dos outros. Aquele que fala mal do irmão, ou julga a seu irmão, fala mal da lei, e julga a lei; ora, se julgas a lei, não és observador da lei, mas juiz.” Tig 4:11. Veja também Lev. 19:16 e Prov 16:28-30

 b) Calúnia: O dicionário Aurélio a define como: “Difamar, fazendo acusações falsas, mentira, falsidade, invenção”. A calunia pode ser feita através da mentira, falsidade e invenção contra alguém. O código penal brasileiro também prevê penas contra os caluniadores. Se as constituições de países se preocupam com esse pecado, imagine Deus! Veja este texto: ”Nos últimos dias sobrevirá tempos difíceis; pois os homens serão… caluniadores… Foge também destes” II Tm 3:1-5.

É pena que em muitas igrejas os caluniadores não sofrem qualquer ação disciplinar, e por isso o mal se avoluma, pois o caluniador é assim estimulado na sua tarefa maligna e destruidora dos valores alheios. A Bíblia condena a calunia: ”Não dirás falso testemunho contra o teu próximo”. Ex 20:16. Este mandamento protege o nome e a reputação do próximo. Ninguém deve fazer declarações falsas a respeito do caráter ou dos atos de outra pessoa. Devemos falar de modo justo e honesto a respeito das pessoas. Veja mais este texto: “Seis cousas o Senhor aborrece… testemunha falsa que profere mentiras, e o que semeia contendas entre os irmãos.” Prov. 6:16,19

 c) Murmuração. A Bíblia também condena os murmuradores. Veja alguns textos:  ”…As vossas murmurações não são contra nós, e sim contra o Senhor.” Exo 16:8

 ”Todos os filhos de Israel murmuraram… Disse o Senhor… Até quando me provocará este povo… Com pestilência o ferirei, e o deserdarei…” Núm. 14:2,11,12

 ”Não murmureis como alguns murmuraram, e foram destruídos pelo exterminador.” I Cor 10:10.

 A maneira correta de evitar os conflitos é seguir os passos acima, e a orientação de Deus para eliminar conflitos já existentes é conceder o perdão às pessoas. Devemos também:

 a) Edificar nossos irmãos. “Assim, pois, seguimos as cousas da paz e também as da edificação de uns para com os outros”. Romanos 14:19. b) Abençoar os outros. Até mesmo os nossos inimigos merecem o nosso melhor. “Abençoai os que vos perseguem, abençoai e não amaldiçoeis”. Romanos 12:14. c) falar a verdade. “. . . seja o vosso sim sim e o vosso não não, para não cairdes em juízo” Tiago 5:12.

 Lembremos sempre que nossa língua é um dom de Deus para ser usada apenas e tão somente para a Sua honra e glória.

 

 

Publicado em:
http//:temasbbiblicos.blogspot por Luís Carlos Fonseca
Edição:
fabiodeps@gmail.com

Anúncios

, , , , , , , , , , , , , ,

  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • ” Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo.” Apocalipse 1:3

  • “Não desprezeis as profecias; julgai todas as coisas, retende o que é bom.” 1 Tessalonicenses 5:20-21.

  • "Conservai-vos a vós mesmos no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo para a vida eterna.
    E apiedai-vos de alguns, usando de discernimento;
    E salvai alguns com temor, arrebatando-os do fogo, odiando até a túnica manchada da carne."
    Judas 1:21-23

%d blogueiros gostam disto: