COMENTÁRIOS À LIÇÃO 4 (4º trimestre de 2014) – SER E FAZER – (18 a 25 de outubro de 2014)

Nossa salvação é pela graça divina e se justifica pela fé. Uma vida de fé, para ser vivida de maneira plena e permanente, se realiza com obras que concedem a santificação e uma vida de bençãos, que Deus oferece àqueles que obedecem a Seus mandamentos e preceitos. A salvação, assim, se manifesta pelas obras e atitudes que estejam em harmonia com um Deus santo que concede as bençãos plenas a todos os crentes que não se estabelecem em rebeldia. Tiago está preocupado com “o outro lado da moeda”.
Como agora em nosso tempo, muitos cristãos estavam reduzindo o cristianismo a uma religião teórica, apenas espiritual, sem efeitos visíveis na vida do crente e da igreja. A estes, Tiago diz que as obras são importantes. Abraão é usado como exemplo. Depois de ter sua experiência pela fé, Abraão não cruzou os braços. Abraão agiu. Ele saiu da sua terra, se dispôs a oferecer Isaque, e fez tudo aquilo que Deus queria que ele fizesse.
fabiodeps@gmail.com

 Christ Blessing the Children, mid-1540s Lucas Cranach the Elder (German, 1472–1553) Oil on wood; 6 1/2 x 8 3/4 in. (16.5 x 22.2 cm)

VERSO ÁUREO: “E sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos.” Tiago 1:22

INTRODUÇÃO (sábado 18 de outubro) – “Prefiro ver um sermão a ouvir um algum dia. Prefiro que alguém caminhe comigo e não meramente me mostre o caminho. Os olhos são um aluno melhor e mais disposto que os ouvidos, o conselho excelente confunde, mas o exemplo é sempre claro. E o sermão que você faz pode ser muito sábio e verdadeiro, mas eu prefiro aprender minha lição observando o que você faz. Pois, posso compreendê-lo mal, no aviso elevado que você dá, mas não há como compreender mal a forma como você age e como vive. E todos os viajantes podem testemunhar que o melhor dos guias hoje, não é aquele que lhes diz, mas aquele que lhes mostra o caminho”. De Edgar Guest “Prefiro Ver um Sermão”
Este é o texto principal para esta semana:
“E sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos com falsos discursos. Porque, se alguém é ouvinte da palavra, e não cumpridor, é semelhante ao homem que contempla ao espelho o seu rosto natural; porque se contempla a si mesmo, e vai-se, e logo se esquece de como era. Aquele, porém, que atenta bem para a lei perfeita da liberdade, e nisso persevera, não sendo ouvinte esquecidiço, mas fazedor da obra, este tal será bem-aventurado no seu feito”. Tiago 1:22-25

Como podemos ver, no texto acima, nós realmente devemos ser ouvintes e cumpridores da palavra de Deus para seguirmos a lei perfeita da liberdade, que compreende toda a Palavra de Deus. O exemplo que Tiago dá, para aqueles que são ouvintes e não praticantes da Palavra, é bastante interessante; ele usa a simples e comum prática de se olhar no espelho e contemplar o rosto, aí você contempla e depois se esquece, e de fato é isso que acontece com os que não praticam a Palavra de Deus, eles ouvem e não praticam e assim acabam esquecendo do que lhes foi ensinado.

Já os que ouvem e praticam, fazem como os bons alunos na escola; prestam atenção, aprendem e aplicam o que aprenderam e assim são bem-sucedidos no que fazem. Sendo assim os que ouvem e praticam, vivem a Palavra de Deus em sua vida e persevera nela. Veja esta declaração de bênção: “Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo.” Apocalipse 1:3

O Senhor Jesus também deixa um exemplo sobre quem pratica Suas palavras. Ele explica que os que ouvem as palavras dele e praticam, são como o homem que edificou a casa sobre a rocha e vieram as tempestades do tempo, mas a casa continuou em pé. Já o que ouviu e não praticou, edificou a casa sobre a areia e as mesmas circunstâncias do tempo vieram sobre a casa, e ela caiu. Veja o texto: “Qualquer que vem a mim e ouve as minhas palavras, e as observa, eu vos mostrarei a quem é semelhante: é semelhante ao homem que edificou uma casa, e cavou, e abriu bem fundo, e pôs os alicerces sobre a rocha; e, vindo a enchente, bateu com ímpeto a corrente naquela casa, e não a pôde abalar, porque estava fundada sobre a rocha. Mas o que ouve e não pratica é semelhante ao homem que edificou uma casa sobre terra, sem alicerces, na qual bateu com ímpeto a corrente, e logo caiu; e foi grande a ruína daquela casa”. Lucas 6:47-49. Como é com você; ouve e pratica ou só ouve?

 

DOMINGO (19 de outubro) CONHECER O INIMIGO – Este é o texto sugerido para hoje: “Porque, se alguém é ouvinte da palavra, e não cumpridor, é semelhante ao homem que contempla ao espelho o seu rosto natural. Porque se contempla a si mesmo, e vai-se, e logo se esquece de como era.” Tiago 1:23-24

Tiago dá-nos a entender que o nosso maior inimigo é nós mesmos. No fundo nós somos o nosso maior inimigo. São os medos, angústias, desilusões, insegurança, etc…. que nos perturbam. Nós e o nosso péssimo hábito de complicar tudo, e mais alguma coisa; procurando a perfeição, quando sabemos que somos pecadores e necessitamos estar constantemente agarrados nas mãos poderosas de Cristo para não cairmos. Querendo sempre mais, sem se contentar com o que tem, perdendo assim a oportunidade de usufruir de pequenos prazeres da vida, que têm o poder de fazer tão felizes, assim é o homem sem Deus! A vida nem sempre segue no rumo que escolhemos, ou pelo menos que idealizamos. Descobri, logo cedo na vida, que somos imperfeitos e que quando erramos temos que arcar com as consequências de tais erros. Na vida, nada é mais difícil do que nos conhecermos a nós próprios. E de uma coisa podemos estar certos; o reflexo do que somos estará presente em todos os nossos atos. E quando erramos, será que isso faz de nós más pessoas? Ou isso não fará parte da construção do nosso caráter para o crescimento espiritual? Cuidado para você não se tornar no seu próprio carrasco!

Nem sempre o que pensamos, acerca de nós mesmos, está correto. A lição de hoje traz o exemplo do jovem rico que pensava estar fazendo tudo corretamente; mas, descobriu que estava longe do reino dos céus. Ver a história em Mateus 19:16-22. Temos também o exemplo de Pedro que achava estar servindo integralmente a Cristo, mas falhou miseravelmente. Veja o texto: “Mas Pedro, respondendo, disse-lhe: Ainda que todos se escandalizem em ti, eu nunca me escandalizarei. Disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que, nesta mesma noite, antes que o galo cante, três vezes me negarás. Disse-lhe Pedro: Ainda que me seja mister morrer contigo, não te negarei. E todos os discípulos disseram o mesmo.” Mateus 26:33-35. Ver a traição de Pedro em Mateus 26: 69-75.

Não podemos confiar em nossas emoções, pois elas podem falhar e trazer-nos grandes decepções e complicações. Também não podemos confiar em nossa consciência. A consciência não é um guia seguro. Alguns dizem: Falo mentiras, não pago os impostos devidos, não devolvo os dízimos, tenho relacionamentos fora do matrimônio, tomo dinheiro emprestado e não pago, etc…; e a minha consciência não me acusa. Há até fanáticos religiosos que matam pessoas em nome de Deus, porque a sua consciência não os acusa. O nosso único guia seguro é a Palavra de Deus. Tanto as nossas emoções como a nossa consciência devem estar pautadas pela Bíblia. Você já conhece bem o seu maior inimigo?

 

SEGUNDA-FEIRA (20 de outubro) SER UM CUMPRIDOR – A Bíblia diz: “E sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos.” Tiago 1:22.

Dizer que é cristão e fazer as coisas contrárias do que Jesus fazia não é ser cristão de verdade! O dicionário define cristão como alguém que professa a crença em Jesus Cristo ou na religião baseada nos ensinamentos de Jesus. A palavra cristão, é usada apenas três vezes no Novo Testamento. Ver Atos 11:26; Atos 26:28 e I Pedro 4:16. Os seguidores de Jesus Cristo foram chamados de “cristãos”, pela primeira vez, em Antioquia porque o seu comportamento, atividades e fala eram como de Cristo. Cristão significa literalmente: pertencente ao partido de Cristo.

De acordo com Jesus, em que aspectos práticos da vida cristã podemos amar as pessoas? “Mas a vós, que isto ouvis, digo: Amai a vossos inimigos, fazei bem aos que vos odeiam; bendizei os que vos maldizem, e orai pelos que vos caluniam.” Lucas 6:27-28. Certa vez, em um estudo da Bíblia, quando o texto acima foi apresentado, por mim, alguém disse não acreditar no que lia e ouvia. Na verdade estas são exigências, do evangelho de Cristo, muito difíceis de ser atendidas!

Por que necessitamos amar os nossos inimigos, e orar por eles, de acordo com Jesus? Veja a resposta: “E se amardes aos que vos amam, que recompensa tereis? Também os pecadores amam aos que os amam. E se fizerdes bem aos que vos fazem bem, que recompensa tereis? Também os pecadores fazem o mesmo. E se emprestardes àqueles de quem esperais tornar a receber, que recompensa tereis? Também os pecadores emprestam aos pecadores, para tornarem a receber outro tanto. Amai, pois, a vossos inimigos, e fazei bem, e emprestai, sem nada esperardes, e será grande o vosso galardão, e sereis filhos do Altíssimo; porque ele é benigno até para com os ingratos e maus.” Lucas 6:32-35. Os pecadores, incrédulos, idólatras, etc… não entrarão no reino dos céus, e eles fazem tudo isso. Espera-se que aqueles que vão morar no céu tenham atitudes e comportamentos de gente santa e altruísta, e não de pecadores egoístas e vingativos. Percebeu a grande diferença?

Amar o inimigo significa que devo ter amizade com ele? O ensino antigo era; amar o próximo e odiar o inimigo, mas Jesus ensinou algo perturbador: “Amai a vossos inimigos”. Amar já é difícil, imagine amar o inimigo! Orar pelos que nos perseguem parece fácil, oramos para que eles sumam e desaparecem da nossa frente, e se esqueçam de nós; só que não parece que é isso que Jesus ensina. O ensino de Jesus é de orar para Deus abençoar, salvar e fazer obra de graça em nossos inimigos. O servo de Deus, naturalmente, encontra inimigos, pois o diabo não gosta que você abra a bíblia e mostre as mudanças que a pessoa precisa fazer na vida. Quando os inimigos levantam a cabeça contra o servo de Deus, ele deve orar para que aconteça algo com o inimigo e ele se ocupe e o esqueça. Outras vezes, mudar-se para bem longe do inimigo será a solução mais viável. Em resumo: Cada um no seu barco e cada qual terá que dar conta no dia do juízo. Cuidado para não ser você a iniciar uma provocação e ser o inimigo! A Bíblia manda orar, abençoando o inimigo, que esse é o meio mais rápido de Deus julgar aquele que se levanta contra nós. Ore abençoando. Eu imagino isso assim: imagine que você está orando, abençoando o seu inimigo, justamente no momento em que ele está planejando o seu mal. Deus está vendo aqui e ali ao mesmo tempo. Numa dessas horas em que você abençoa o infeliz, Deus o apanha falando mal de você. Pronto! Você fica livre de suas pragas e ele ainda pode ser salvo como fruto das suas orações. Foi isso o que aconteceu com Jó, enquanto ele orava pelos inimigos, Deus o abençoou.

Como amar os inimigos? O primeiro passo é compreender o que ocorre com o ser humano e o que a Bíblia nos fala sobre o coração perverso do ser humano. O segundo passo é perdoar a pessoa, em nome de Jesus, pois esse nome tem muito poder. O terceiro passo é entregar o caso à Deus e deixar Deus agir. Devemos apresentar o caso, em oração sincera à Deus, e confiar que Deus irá resolver o assunto. O quarto passo é pedir perdão ao próximo e a Deus, se foi eu que causei o problema.

O cumpridor da Palavra de Deus produz o fruto do Espírito Santo e não os frutos da carne. Ver Gálatas 5:22 e 23.

 

TERÇA-FEIRA ( 21 de outubro) A LEI DA LIBERDADE – Veja o texto de hoje: “Aquele, porém, que atenta bem para a lei perfeita da liberdade, e nisso persevera, não sendo ouvinte esquecediço, mas fazedor da obra, este tal será bem-aventurado no seu feito.” Tiago 1:25.

Sabemos, perfeitamente, que a lei de Deus, os 10 Mandamentos; não tem poder para salvar. Por isso Paulo disse: “Porquanto o que era impossível à lei, visto como estava enferma pela carne, Deus, enviando o seu Filho em semelhança da carne do pecado, pelo pecado condenou o pecado na carne.” Romanos 8:3.

“Logo, a lei é contra as promessas de Deus? De nenhuma sorte; porque, se fosse dada uma lei que pudesse vivificar, a justiça, na verdade, teria sido pela lei.” Gálatas 3:21.

Sabemos também que somente Cristo tem poder para salvar e renovar o coração poluído do pecador.

Paulo deixou isso bem claro quando disse: “Seja-vos, pois, notório, irmãos, que por este se vos anuncia a remissão dos pecados. E de tudo o que, pela lei de Moisés, não pudestes ser justificados, por ele é justificado todo aquele que crê. Atos 13:38-39.

Embora não somos salvos pela lei de Deus, e sim por Jesus o nosso Senhor; os 10 mandamentos precisam ser guardados como resultado de que vivemos em plena comunhão com Jesus. É ponto passivo que cristãos conscientes e obedientes a Deus; não matem, não roubem, não cometam adultério, não cobicem, não coloquem deuses e imagens de esculturas além do Deus criador dos Céus e da terra, não mintam, honrem pai e mãe, não tomem o nome de Deus em vão e guardem o sábado, pois estes mandamentos continuam em vigor. Pois Jesus disse assim: “Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim abrogar, mas cumprir. Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til jamais passará da lei, sem que tudo seja cumprido.” Mateus 5:17-18.

É sobre essa lei que Tiago está falando. Se guardamos a lei dos mandamentos, pelo poder de Cristo, somos livres das consequências da transgressão, por isso chama-se; “lei da liberdade”. Liberdade é o estado de pessoa livre e isenta de restrição externa ou coação física ou moral. A pessoa livre tem o poder de exercer livremente a sua vontade. O cristão que obedece a lei de Deus é livre para entrar e sair sem ser impedido pela polícia, vizinho ou por um fiscal das finanças.

Libertinagem é diferente; é a vida de libertino, devasso e sensual. Muitos confundem essas duas coisas, ou acabam fazendo da liberdade, libertinagem. Alguns pensam que se trata da mesma coisa, mas não é.

Veja estes textos: “Porque vós, irmãos, fostes chamados à liberdade. Não useis então da liberdade para dar ocasião à carne, mas servi-vos uns aos outros pelo amor.” Gálatas 5:13.

“Pois certos indivíduos se introduziram com dissimulação, os quais, desde muito, foram antecipadamente pronunciados para esta condenação, homens ímpios, que transformam em libertinagem a graça de nosso Deus e negam o nosso único Soberano e Senhor, Jesus Cristo.” Judas 1:4. A lei de Deus não concede liberdade para cometer pecados; mas, sim, quando obedecida livra das consequências do pecado.

 

QUARTA-FEIRA (22 de outubro) ÚTEIS OU INÚTEIS – De que forma os textos de hoje definem o verdadeiro Cristianismo? Leia os textos e faça aplicações para a sua vida: “Se alguém entre vós cuida ser religioso, e não refreia a sua língua, antes engana o seu coração, a religião desse é vã. A religião pura e imaculada para com Deus e Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo.” Tiago 1:26-27.

“Porque tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de beber; era estrangeiro, e hospedastes-me; estava nu, e vestistes-me; adoeci, e visitastes-me; estive na prisão, e foste me ver….E, respondendo o Rei, lhes dirá: Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes.” Mateus 25:35-36 e 40.

“O amor seja não fingido. Aborrecei o mal e apegai-vos ao bem. Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros. Não sejais vagarosos no cuidado; sede fervorosos no espírito, servindo ao Senhor; alegrai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, perseverai na oração; comunicai com os santos nas suas necessidades, segui a hospitalidade; abençoai aos que vos perseguem, abençoai, e não amaldiçoeis. Alegrai-vos com os que se alegram; e chorai com os que choram; sede unânimes entre vós; não ambicioneis coisas altas, mas acomodai-vos às humildes; não sejais sábios em vós mesmos. A ninguém torneis mal por mal; procurai as coisas honestas, perante todos os homens. Se for possível, quanto estiver em vós, tende paz com todos os homens.” Romanos 12:9-18.

A lição de hoje traz dois pontos importante que mostram se somos úteis ou inúteis. A pessoa que usa a sua língua para ferir e fazer fofocas, é inútil. O cristão que usa a sua língua para louvar e bendizer é útil. A pessoa que despreza o seu semelhante, e é egoísta é inútil. O cristão que atende as necessidades dos seus semelhantes é útil.

A Palavra diz: “Quando Jesus saiu do barco e viu tão grande multidão, teve compaixão deles e curou os seus doentes.” Mateus 14:14. A melhor maneira de resolver uma angústia pessoal é trabalhar para solucionar as angústias dos outros. O crente que se fecha, dentro de si, acaba por morrer com seus problemas. Aquele que se envolve em alguma atividade humanitária tem a vida renovada. Os psicólogos, neurologistas e epidemiologistas estão afirmando que, agora, está cientificamente provado: ajudar ao próximo traz benefícios para a saúde de quem ajuda. Fazer o bem é bom para o coração, para o sistema nervoso e imunitário. O cristão que é útil tem a oportunidade de aumentar a expectativa de vida e a vitalidade. O inútil morre infeliz e  precocemente.

 

QUINTA-FEIRA (23 de outubro) DIFERENTES DO MUNDO – Quando alguém se dispõe em servir a Deus, deve se empenhar em agrada-lo e não mais fazer a sua própria vontade. Vivemos em um mundo que como diz a Palavra de Deus, “jaz no maligno”. É comum vermos as pessoas constantemente amaldiçoando umas as outras, hoje, em grande medida, até nas redes sociais. A Bíblia nos ensina e nos adverte que devemos amar sempre e jamais odiar, abençoar e jamais amaldiçoar. Ser cristão é ser parecido com Cristo. Jesus quando foi crucificado, após passar por toda aquela humilhação, sofrimento e dores terríveis, disse: “Pai, perdoa-lhes, pois não sabem o que fazem”.

Ser cristão é ser diferente do resto da humanidade. O ímpio e infiel segue por um caminho, mas o cristão segue por outro. O caminho do cristão é o caminho estreito. A vida que tínhamos, no passado, tem que ficar para trás para que todos os que nos conheceram, antes, vejam a transformação em nossa vida e sejam conduzidos para o bem. Se tivermos a mesma conduta como a dos infiéis, seremos condenados por Deus como eles. Pois não adianta estarmos fisicamente na igreja, e não praticarmos os ensinamentos do Senhor Jesus. Veja este texto: “E digo isto, e testifico no Senhor para que não andeis mais como andam também os outros gentios, na vaidade do seu sentido, entenebrecidos no entendimento separados da vida de Deus pela ignorância que há neles, pela dureza do seu coração.” Efésios 4:17-18.

A lição de hoje pede-nos para fugirmos da corrupção deste mundo. Veja o texto: A religião pura e imaculada para com Deus e Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo.” Tiago 1:27.

O que fazer para fugir da corrupção do mundo? Atos 2:42 pode responder essa pergunta: “E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações.” Então, de acordo com esta Bíblia, os cristãos devem praticar o ensino da doutrina bíblica, providenciar um espaço de adoração para os crentes, observar a ceia do Senhor, e praticar a oração. Com certeza, a igreja deve ser um lugar de comunhão, onde os cristãos possam se devotar uns aos outros e honrar uns aos outros, ver Romanos 12:10, instruir uns aos outros, ver Romanos 15:14, ser benignos e misericordiosos uns com os outros, ver Efésios 4:32, encorajar uns aos outros, ver I Tessalaonicenses 5:11, e; principalmente, amar uns aos outros, ver I João 3:11. Assim fazendo estamos protegidos contra os ataques do inimigo. O crente que, voluntariamente, coloca-se no terreno do inimigo, ouvindo músicas mundanas, frequentando lugares impróprios, comendo alimentos imundos, vestindo-se como os mundanos, praticando pecados voluntariamente, etc… não é, em nada, diferente do mundo.

 

SEXTA-FEIRA (24 de outubro) – LEITURA ADICIONAL DA LIÇÃO – Existe uma necessidade de distinguir tudo o que é verdadeiro daquilo que é falso. Quando os Coríntios pediram ao apóstolo Paulo uma prova de que Cristo falava através dele, a prova que ele lhes forneceu era a mesma prova que eles tinham, que estavam na fé. Veja o texto: “examinai-vos a vós mesmos, se permaneceis na fé; provai-vos a vós mesmos.” II Cor 13:3-6. Ele os instruiu, se eles pudessem distinguir nas suas próprias vidas, as marcas de um cristão, eles poderiam reconhecer as marcas de que Cristo falava através dele. Paulo está ensinado-nos que, se podemos ter a certeza de que somos em Cristo, assim podemos saber se alguém outro é verdadeiro ou falso, mas é claro, sem julgar ninguém.

A nossa fé precisa ser firmada. O apóstolo Pedro relata, aos que alcançaram a fé, a necessidade de firmar a nossa vocação e eleição aos que estão ao nosso redor, tanto crentes como incrédulos. Ver II Pedro 1:10. Firmar a nossa fé aos outros faz com que alcancemos a confiança em Cristo ao ponto de sermos confortados e fortalecidos para não darmos mal testemunho.

Existe grande número de enganadores no mundo. Se no tempo do apóstolo Paulo existiam obreiros fraudulentos, ver II Cor 11:13 e se os dias estão piorando cada vez mais, ver II Tim 3:13 e Mat. 24:24, como não os teríamos, hoje em dia, em número crescente ao nosso redor? Satanás pode se transformar em um anjo de luz, ver II Cor 11:14 e, como ele, por que não podem os seus ministros, ver II Cor 11:15?

Não podemos confiar em nosso próprio coração. Quem confia no próprio coração é insensato. Ver Prov. 28:26. Ele nos engana por sua própria natureza, ver Jer 17:9 e pela natureza do pecado, ver Heb. 3:12-14 que habita em nossos membros. Ver Rom 7:23.

É certo que nem todo aquele que diz “Senhor Senhor!” entrará no reino dos céus” Mat. 7:21, que nem todos os que são de Israel são israelitas, ver Rom 9:6 e Isa 48:1 e que nem todos os que têm zelo de Deus têm entendimento. Ver Rom. 10:1-3. Por isso, existe a necessidade de determinar a diferença entre quem é hipócrita e quem é verdadeiro.

A alegria sublime, para qualquer criatura de Deus, deve ser a de que o Criador seja glorificado. Se o filho deve honrar o pai, e o servo o seu senhor, ver Malaquias 1:6, então, nada mais racional que o Criador ser honrado pelas criaturas da Sua mão. O homem, pelo pecado, se corrompeu, e parte desta corrupção é a autoconfiança, a auto-admiração e auto-suficiência, ver Rom. 3:10-18. Para o homem pecador, Deus está relegado à uma posição de ajudante ou colaborador do homem, seja na esfera da religião ou na vida prática, mas o verdadeiro discípulo de Cristo enaltece o Seu sacrifício na cruz e tem o maior prazer de obedecer a lei de Deus.

Veja este pensamento: “A lei é o grande espelho moral de Deus. O homem deve comparar as suas palavras, o seu espírito e os seus atos com a Palavra de Deus.” SDABC, vol 7, 935

 

 

Publicado em:
http//:temasbbiblicos.blogspot por Luís Carlos Fonseca
Edição:
fabiodeps@gmail.com

Anúncios

, , , , , , , , ,

  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • ” Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo.” Apocalipse 1:3

  • “Não desprezeis as profecias; julgai todas as coisas, retende o que é bom.” 1 Tessalonicenses 5:20-21.

  • "Conservai-vos a vós mesmos no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo para a vida eterna.
    E apiedai-vos de alguns, usando de discernimento;
    E salvai alguns com temor, arrebatando-os do fogo, odiando até a túnica manchada da carne."
    Judas 1:21-23

%d blogueiros gostam disto: