COMENTÁRIOS DA LIÇÃO 2 – (3º trimestre 2014) – O FILHO

Quem é Jesus? Esta é a pergunta mais importantes da vida. Em João 14:5-6, Jesus explica que Ele é o único caminho para o céu. Estudar a questão, ter o conhecimento e equilibrio da verdade e a sabedoria revelada por Deus podem levar à Vida Eterna.

“Que seria, pois, se vísseis subir o Filho do homem para onde primeiro estava?” João 6:62

Salvator Mundi-Leonardo da VinciVERSO ÁUREO: “Porque o Filho do homem também não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate de muitos.” Marcos 10:45

 INTRODUÇÃO (sábado 5 de julho) – Na lição desta semana vamos procurar responder quem é Jesus Cristo e qual é a Sua missão. Jesus fez duas perguntas curiosas aos Seus discípulos: “quem dizem os homens ser o Filho do homem?” Mat 16:13 e “e vós quem dizeis que eu sou? Mat. 16.15. Pedro respondeu: Tu é o Cristo, o filho do Deus vivo.” Mat. 15:16.

Quem é Jesus Cristo? Diferentemente da pergunta “Deus existe?”, bem poucas pessoas perguntam se Jesus Cristo existiu ou não. Geralmente se aceita que Jesus foi, de fato, um homem que andou na terra, em Israel, há quase 2000 anos. O debate começa quando se analisa o assunto da completa identidade de Jesus. Quase todas as grandes religiões ensinam que Jesus foi um profeta, um bom mestre ou um homem piedoso. A realidade é que a Bíblia nos diz que Jesus foi infinitamente mais do que um profeta, bom mestre ou homem piedoso.

 

C.S. Lewis, um ateu que se converteu ao cristianismo, em seu livro, Mero Cristianismo, escreve o seguinte: “Tento aqui impedir que alguém diga a grande tolice que sempre dizem sobre Ele, Jesus Cristo: “Estou pronto a aceitar Jesus como um grande mestre em moral, mas não aceito sua afirmação em ser Deus.” Isto é exatamente a única coisa que não devemos dizer. Um homem que foi simplesmente homem, dizendo o tipo de coisa que Jesus disse, não seria um grande mestre em moral. Poderia ser um lunático, no mesmo nível de um que afirma ser um ovo pochê, ou mais, poderia ser o próprio demônio dos infernos. Você decide. Ou este homem foi, e é, o Filho de Deus, ou é então um louco, ou coisa pior… Você pode achar que ele é tolo, pode cuspir nele ou matá-lo como um demônio; ou você pode cair a seus pés e chamá-lo Senhor e Deus. Mas não vamos vir com aquela bobagem de que Ele foi um grande mestre aqui na terra. Ele não nos deixou esta opção em aberto. Ele não teve esta intenção.”

 

Afinal, Jesus é Deus ou homem? Segundo a Bíblia, quem foi Jesus ? Primeiramente, vamos examinar as palavras de Jesus em João 10:30: “Eu e o Pai somos um.” Em um primeiro momento, pode não parecer uma afirmação que Jesus é Deus. Mas, veja a reação dos judeus perante Sua afirmação: “Os judeus responderam, dizendo-lhe: Não te apedrejamos por alguma obra boa, mas pela blasfêmia; porque, sendo tu homem, te fazes Deus a ti mesmo” João 10:33. Os judeus compreenderam o que Jesus havia dito como uma afirmação em ser Deus. Nos versículos seguintes, Jesus jamais corrige os judeus dizendo: “Não afirmei ser Deus”. Isto indica que Jesus realmente estava dizendo que era Deus ao declarar: “Eu e o Pai somos um”. João 10:30.

Outro exemplo é João 8:58, onde Jesus declarou: “Disse-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que antes que Abraão existisse, eu sou.” Mais uma vez, em resposta, os judeus tomaram pedras para atirar em Jesus. João 8:59. Ao anunciar Sua identidade como “Eu sou”, Jesus fez uma aplicação direta do nome de Deus no Velho Testamento. Ver Êxodo 3:14. Por que os judeus, mais uma vez, se levantariam para apedrejar Jesus se Ele não tivesse dito algo que creram ser uma blasfêmia, ou seja, uma auto-afirmação em ser Deus?

João 1:1 diz que “o Verbo era Deus”. João 1:14 diz que “o Verbo se fez carne”. Isto mostra claramente que Jesus é Deus em carne. Tomé, o discípulo, declarou a Jesus: “Senhor meu, e Deus meu!” João 20:28. Jesus não o corrigiu. O Apóstolo Paulo O descreve como: “…grande Deus e nosso Senhor Jesus Cristo” Tito 2:13. O Apóstolo Pedro diz o mesmo: “…nosso Deus e Salvador Jesus Cristo.” II Pedro 1:1. Deus o Pai também é testemunha da completa identidade de Jesus: “Mas, do Filho, diz: Ó Deus, o teu trono subsiste pelos séculos dos séculos; cetro de equidade é o cetro do teu reino.” Hebreus 1:8. No Velho Testamento, as profecias a respeito de Cristo anunciam Sua Divindade: “Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz”. Isaías 9:6.

 

Por que é tão importante a questão sobre a identidade verdadeira de Jesus? Por que importa se Jesus é ou não Deus? O motivo mais importante para que Jesus seja Deus é que se Ele não é Deus, Sua morte não teria sido suficiente para pagar a pena pelos pecados do mundo inteiro. Ver I João 2:2. Somente Deus poderia pagar tamanho preço. Ver Romanos 5:8 e II Coríntios 5:21. Jesus tinha que ser Deus para que pudesse pagar nossa dívida. Jesus tinha que ser homem para que pudesse morrer. Jesus é Deus e foi homem!

 

DOMINGO (6 de julho) O FILHO DO HOMEM – Jesus gostava muito de usar o título: “o Filho do homem” quando referia-Se a Si mesmo. Embora Jesus sempre foi Deus, quando esteve na terra, Ele revestiu-Se da humanidade para poder viver entre os homens e cumprir a Sua missão de morrer e ressuscitar para salvar a humanidade dos seus pecados. “O filho do homem” era uma expressão idiomática muito usada no Velho Testamento; e Cristo a usava para realçar a Sua humanidade.

 

O que significa dizer que Jesus é o Filho do homem? O Novo Testamento refere-se  a Jesus como o “Filho do homem” 88 vezes. O que isso significa? A Bíblia não diz que Jesus era o Filho de Deus? Então como Jesus também poderia ser o Filho do Homem?

 

O primeiro significado para o termo “Filho do homem” é usado em referência à profecia de Daniel 7:13-14: “Eu estava olhando nas minhas visões da noite, e eis que vinha com as nuvens do céu um como o Filho do Homem, e dirigiu-se ao Ancião de dias, e o fizeram chegar até ele. Foi-lhe dado domínio, e glória, e o reino, para que os povos, nações e homens de todas as línguas o servissem; o seu domínio é domínio eterno, que não passará, e o seu reino jamais será destruído.” O termo “Filho do homem” era um título messiânico. Jesus é o único a quem foi dado domínio, glória e o reino. Quando Jesus usou esse termo em referência a Si mesmo, Ele estava atribuindo a profecia do “Filho do homem” a Si mesmo. Os judeus daquela época, com certeza, estavam bem familiarizados com o termo e a quem se referia. Ele estava proclamando ser o Messias.

O segundo significado para o termo “Filho do homem” é que Jesus realmente era um ser humano. Deus chamou o profeta Ezequiel de “filho do homem” 93 vezes. Deus estava simplesmente chamando Ezequiel de um ser humano. Um filho do homem é um homem. Jesus era 100% Deus. Ver João 1:1 e introdução de sábado, mas Ele também era um ser humano Ver João 1:14. Em I João 4:2 nos diz: “Nisto reconheceis o Espírito de Deus: todo espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus.” Sim, Jesus era o Filho de Deus. Ele era Deus em Sua essência. Sim, Jesus também era o Filho do Homem. Ele também era um ser humano em Sua essência. Em resumo, a frase “Filho do homem” indica que Jesus é o Messias e que Ele realmente foi um ser humano. Somente Deus poderá salvar a humanidade; e veja como o seguinte texto descreve Jesus: “Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem; e todas as tribos da terra se lamentarão, e verão o Filho do homem, vindo sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória.” Mateus 24:30. Percebeu? Ver também Mateus 25:31 e 26:64

 

Por que Jesus foi humano, temos um sumo-sacerdote capaz de Se relacionar conosco em todas as nossas debilidades e fraquezas. Ver Hebreus 4:15, pois Ele mesmo foi tentado em todos os pontos nos quais também somos. A natureza humana do nosso Senhor permite que Ele compreenda as nossas próprias fraquezas por ter sido submetido à fraqueza também. Veja este texto: “Porque, tendo em vista o que ele mesmo sofreu quando tentado, ele é capaz de socorrer aqueles que também estão sendo tentados.” Hebreus 2:18. A palavra grega traduzida “tentado” aqui significa “pôr à prova”. Então, quando somos colocados à prova ou testados pelas circunstâncias da vida, podemos ter certeza de que Jesus entende como alguém que sofreu as mesmas provações e vem ao nosso socorro.

 

SEGUNDA-FEIRA (7 de julho) – O FILHO DE DEUS – O que significa dizer que Jesus era o Filho de Deus se Ele também é Deus? Jesus não é Filho de Deus no sentido como concebemos um pai e um filho carnais. Deus não se casou e teve um filho. Jesus é Filho de Deus no sentido que Ele é Deus manifestado em forma humana. Ver João 1:1,14. Jesus é Filho de Deus porque Ele foi concebido pelo Santo Espírito. Lucas 1:35 declara: “E, respondendo o anjo, disse-lhe: Descerá sobre ti o Espírito Santo, e a virtude do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra; por isso também o Santo, que de ti há-de nascer, será chamado Filho de Deus.” No tempo em que foi escrita a Bíblia, a expressão “filho do homem” era usada para descrever um ser humano. O filho do homem é um homem.

 

Durante o Seu julgamento perante os líderes judeus, o Sumo Sacerdote ordenou a Jesus: “Conjuro-te pelo Deus vivo que nos digas se tu és o Cristo, o Filho de Deus.” Mateus 26:63. Jesus respondeu: “Tu o disseste; digo-vos, porém, que vereis em breve o Filho do homem assentado à direita do Poder, e vindo sobre as nuvens do céu”. Mateus 26:64. Os líderes judeus responderam acusando Jesus de blasfémia. Ver Mateus 26:65-66. Mais tarde, perante Pôncio Pilatos: “Responderam-lhe os judeus: Nós temos uma lei e, segundo a nossa lei, deve morrer, porque se fez Filho de Deus.”João 19:7.

 

Por que o fato de se afirmar como “Filho de Deus” seria considerado blasfêmia e digno de uma sentença de morte? Os líderes judeus entenderam exatamente o que Jesus quis dizer com a expressão: “Filho de Deus”. Ser “Filho de Deus” é ser da mesma natureza de Deus. O “Filho de Deus” é “de Deus”. A afirmação em ser da mesma natureza de Deus, e de fato “ser Deus” era blasfêmia para os líderes judeus; então exigiram a morte de Jesus. Hebreus 1:3 expressa isto muito claramente: “O qual, o Filho, sendo o resplendor da sua glória, e a expressa imagem da sua pessoa…”

 

Podemos encontrar um outro exemplo em João 17:12, onde Judas é descrito como o “filho da perdição”. João 6:71 nos diz que Judas era filho de Simão. O que João 17:12 quer dizer quando descreve Judas como o “filho da perdição?” A palavra “perdição” significa “destruição, ruína, fraqueza. Judas não era literalmente filho da “ruína, destruição e fraqueza”, mas estas eram coisas que identificaram a vida de Judas. Judas era uma manifestação da perdição. Neste mesmo aspecto, Jesus é o Filho de Deus. O Filho de Deus é Deus. Jesus é Deus manifestado em carne. Ver João 1:1,14. Jesus sendo Deus. leva-nos a sermos grandemente beneficiados pois recebemos o perdão que só Deus pode conceder-nos, como vemos: “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça.” I João 1:9

 

TERÇA-FEIRA ( 8 de julho) A NATUREZA DIVINA DE CRISTO: 1ª PARTE- A Divindade de Jesus é o fundamento da fé cristã. Se Jesus fosse apenas humano, e não Divino, Ele seria como Maomé, Buda, Zoroastro e outros líderes religiosos. A diferença consiste exatamente que Jesus é Deus; e só Deus pode salvar a humanidade perdida em Seus pecados. Procurar entender a Divindade é uma tarefa quase impossível para seres humanos falíveis e pecadores, mas, dentro da revelação, podemos chegar à algumas conclusões muito interessantes e compensadoras para o nosso crescimento e vida espiritual.

Seria Jesus um ser criado e não coexistente com o Pai desde a eternidade? O seguinte texto não ensina que Jesus foi criado? “O qual é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação.” Colossenses 3:15. O texto diz que Jesus é o primogênito de todos os seres criados. A palavra grega aqui usada é prototokós que significa: “preeminente.” Isto significa dizerque Jesus é alguém que possui os privilégios e prerrogativas de Deus. Jesus é o primogênito não no sentido de tempo, mas de privilégios. Todos os privilégios de primogênito Lhe pertencem. Davi era o 8º filho de Jessé e, no entanto, ele é chamado de, o primogênito.Jesus possui os privilégios e prerrogativas de Deus. Somente Deus pode criar algo, receber adoração e perdoar pecados; como vemos nas seguintes referências:

 

1) Em Colossenses. 3:16 lemos:“Porque nele foram criadas todas as coisas que há, nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades: tudo foi criado por Ele e para Ele.”. 2) Ele era o “Eu Sou” de João 8:58. Querendo dizer que existia por Si próprio, Ele disse: “Antes que Abraão existisse Eu Sou.”. 3) O profeta Isaías chama-O de: “Pai da eternidade”. Ver Isaías 9:6. Miqueias declara que a Sua origem é: “desde a eternidade.” Ver Miqueias 5:2. Eterno é alguém que não teve início e nem terá fim.4) João afirma que Jesus estava no princípio de tudo e que tudo foi criado por Ele. Ver João 1: 1-3. Jesus era Deus, e criou todas as coisas.5) Paulo menciona que Jesus tendo a forma de Deus não teve por usurpação o ser igual a Deus, mas aniquilou-Se a Si mesmo tomando a forma de homem. Menciona ainda que Jesus é o Senhor e que merece adoração. Ele deixou os privilégios divinos para Se tornar o nosso Salvador. Ver Filipenses 2: 6-11. Somente Deus pode receber adoração.6) Jesus perdoava pecados, coisas que só Deus pode fazer. Ver Lucas 5.20-24. Aqui menciona Jesus curando um paralítico e perdoando os seus pecados.7) Jesus é o primeiro e o último, Aquele que possui a chave da sepultura. Apoc. 1:18. 8) Em Hebreus 1:5-9, o Pai dirige-Se ao Filho como Deus.9) Em João 20:28 Tomé testificou que Jesus era Deus e Senhor.10) “Jesus… é o único poderoso Senhor, Rei dos reis e Senhor dos senhores. Aquele que tem Ele só a imortalidade e habita na luz inacessível, a quem nenhum homem viu, nem pode ver…” I Timóteo 6:15e 16

Em Lucas 5:17-26 relata a cura de um homem paralítico. Neste milagre, e em todos os outros, foi necessário a manifestação do poder Divino para restabelecer a saúde ao corpo enfermo. Somente Deus pode restaurar a alma arruinada pelos pecados.

 

QUARTA-FEIRA (9 de julho) A NATUREZA DIVINA DE CRISTO: 2ª PARTE – A lição de hoje menciona a expressão de Jesus quando Ele mencionou que Ele existia antes de Abraão: Veja os textos para hoje: “Então disse Moisés a Deus: Eis que quando eu for aos filhos de Israel, e lhes disser: O Deus de vossos pais me enviou a vós; e eles me disserem: Qual é o seu nome? Que lhes direi? E disse Deus a Moisés: Eu Sou o que Sou. Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: Eu Sou me enviou a vós.” Êxodo 3:13-14

“Disse-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que antes que Abraão existisse, eu sou. Então pegaram em pedras para lhe atirarem; mas Jesus ocultou-se, e saiu do templo, passando pelo meio deles, e assim se retirou.” João 8:58-59.

Ao anunciar Sua identidade como “Eu sou”, Jesus fez uma aplicação direta do nome de Deus no Velho Testamento. Por que os judeus, mais uma vez, se levantariam para apedrejar Jesus se Ele não tivesse dito algo que creram ser uma blasfêmia, ou seja, uma auto-afirmação em ser Deus?

Um outro exemplo está em em João 10:30 que diz: “Eu e o Pai somos um.” Em um primeiro momento, pode não parecer uma afirmação que Jesus é Deus. Mas, veja a reação dos judeus perante Sua afirmação: “Os judeus responderam, dizendo-lhe: Não te apedrejamos por alguma obra boa, mas pela blasfêmia; porque, sendo tu homem, te fazes Deus a ti mesmo” João 10:33. Os judeus compreenderam o que Jesus havia dito como uma afirmação em ser Deus. Nos versículos seguintes, Jesus jamais corrige os judeus dizendo: “Não afirmei ser Deus”. Isto indica que Jesus realmente estava dizendo que era Deus ao declarar: “Eu e o Pai somos um”. João 10:30.

O que significa que Jesus é o unigênito Filho de Deus? A frase “filho unigênito” ocorre em João 3:16: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” A expressão “unigênito” é a tradução da palavra grega monogenes. É este último termo “unigênito” que causa problemas na mente de alguns que não aceitam Jesus como Deus. Falsos mestres se têm agarrado a essa expressão para tentar provar a sua falsa doutrina de que Jesus Cristo não é Deus, isto é, que Jesus, em sua essência, não é igual a Deus como a segunda pessoa da Divindade. Eles vêem a palavra “unigênito” e dizem que Jesus é um ser criado porque só alguém que teve um início em um certo momento pode ser “unigênito”. O que essa teoria deixa de destacar é que “unigênito” é uma tradução de uma palavra grega. Como tal, temos de avaliar o significado original da palavra grega, e não transferir o significado da nossa língua ao texto.

Então, o que monogenes significa? De acordo com o Greek-English Lexicon of the New Testament and Other Early Christian Literature (Léxico Grego-Inglês do Novo Testamento e outra Literatura Cristã Primitiva, 3ª Edição), monogenes tem duas definições primárias. A primeira definição diz respeito a “ser o único de seu tipo dentro de um relacionamento específico.” Este é o significado ligado ao seu uso em Hebreus 11:17, quando o escritor se refere a Isaque como o “filho unigênito” de Abraão. Abraão tinha mais de um filho, mas Isaque era o único filho que tinha com Sara e o único filho da aliança.

A segunda definição diz respeito a “ser o único de sua espécie ou classe, único no gênero.” Este é o significado implícito em João 3:16. Na verdade, João é o único escritor do Novo Testamento que usa esta palavra em referência a Jesus. ver João 1:14, 18; 3:16, 18; 1 João 4:9. João estava mais preocupado em demonstrar que Jesus era o Filho de Deus. Ver João 20:31, e usa esta palavra para destacar Jesus unicamente como o filho de Deus, partilhando da mesma natureza divina que o Pai; ao contrário de crentes que são filhos e filhas de Deus através da fé.

O que me deixa muito feliz é o fato de que toda a Divindade está interessada em salvar-me. O apóstolo Paulo, recordando os dias antes de ter encontrado Jesus, disse: “Pecadores, dos quais eu sou o principal.” I Timóteo 1:15.

 

QUINTA-FEIRA (10 de julho) A MISSÃO DE CRISTO – Depois de já termos analisado sobre quem é Jesus e reafirmarmos a sua Divindade, a lição de hoje mostra-nos qual é a missão de Cristo. Como definiu Jesus a sua missão?

 

“Eu sou o bom Pastor; o bom Pastor dá a sua vida pelas ovelhas.” João 10:11

 

“Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido.” Lucas 19:10

 

“Bem como o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir, e para dar a sua vida em resgate de muitos.” Mateus 20:28.

 

A missão de Jesus compreende dois aspectos muito importantes. O primeiro está relacionado com a minha salvação. Todos somos pecadores e, como tal, merecemos a morte eterna. Veja estes textos: “Como está escrito: Não há um justo, nem um sequer. Não há ninguém que entenda; não há ninguém que busque a Deus. Todos se extraviaram, e juntamente se fizeram inúteis. Não há quem faça o bem, não há nem um só.” Romanos 3:10-12

 

“Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor.” Romanos 6:23

 

O segundo aspecto da missão de Cristo está relacionado com a responsabilidade que tenho de anunciar o evangelho ao meu próximo. Se todas as pessoas terminassem na sepultura e não tivessem esperança da vida eterna que sentido teria viver aqui?Jesus prometeu conceder vida eterna a todos, e convida pessoas de todas as raças para aceitarem a Sua salvação. Jesus delegou aos seus discípulos, que somos nós, a responsabilidade de pregar o evangelho. Ele disse: “E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra. Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém.” Mateus 28:18-20

 

“Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há-de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra.” Atos 1:8. Você tem anunciado o evangelho?

 

SEXTA-FEIRA (11 de julho) LEITURA COMPLEMENTAR DA LIÇÃO – Até os demônios reconheciam a Divindade de Cristo. Veja estes textos: “Dizendo: Ah! que temos contigo, Jesus Nazareno? Vieste destruir-nos? Bem sei quem és: o Santo de Deus.” Marcos 1:24.

“E os espíritos imundos vendo-o, prostravam-se diante dele, e clamavam, dizendo: Tu és o Filho de Deus.” Marcos 3:11

“Tu crês que há um só Deus; fazes bem. Também os demônios o crêem, e estremecem.” Tiago 2:19

“Cristo não fingiu assumir a natureza humana; Ele, de fato, a tomou sobre Si. Em realidade possuiu a natureza humana. “Visto como os filhos participam da carne e do sangue, também Ele participou das mesmas coisas.” Hebreus 2:14. Era Ele o Filho de Maria; era da semente de Davi segundo a descendência humana. É declarado ser Ele homem, o Homem Cristo Jesus. “Ele é tido”, escreve Paulo, “por digno de tanto maior glória do que Moisés, quanto maior honra do que a casa tem aquele que a edificou.” Hebreus 3:3.

A preexistência de Cristo – Mas ao mesmo tempo que a Palavra de Deus fala da humanidade de Cristo, quando aqui na terra, também fala ela positivamente em Sua preexistência. A Palavra existiu como ser divino, a saber, o eterno Filho de Deus, em união e unidade com Seu Pai. Desde a eternidade era Ele o Mediador do concerto, Aquele em quem todas as nações da Terra, tanto judeus como gentios, se O aceitassem, seriam benditos. “O Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.” João 1:1. Antes de serem criados homens ou anjos, a Palavra [ou Verbo] estava com Deus, e era Deus.

O mundo foi feito por Ele, “e sem Ele nada do que foi feito se fez”. João 1:3. Se Cristo fez todas as coisas, existiu Ele antes de todas as coisas. As palavras faladas com respeito a isso são tão positivas que ninguém precisa deixar-se ficar em dúvida. Cristo era, essencialmente e no mais alto sentido, Deus. Estava Ele com Deus desde toda a eternidade, Deus sobre todos, bendito para todo o sempre. O Senhor Jesus Cristo, o divino Filho de Deus, existiu desde a eternidade, como pessoa distinta, mas um com o Pai.” Mensagens Escolhidas Vol. 1, 247

“Era Ele(Jesus) a excelente glória do Céu. Era o Comandante dos seres celestes, e a homenagem e adoração dos anjos era por Ele recebida como de direito. Isto não era usurpação em relação a Deus. “O Senhor Me possuiu no princípio de Seus caminhos”, declara Ele, “e antes de Suas obras mais antigas. Desde a eternidade, fui ungida; desde o princípio, antes do começo da Terra. Antes de haver abismos, fui gerada; e antes ainda de haver fontes carregadas de águas. Antes que os montes fossem firmados, antes dos outeiros, eu fui gerada. Ainda Ele não tinha feito a Terra, nem os campos, nem sequer o princípio do pó do mundo. Quando Ele preparava os céus, aí estava eu; quando compassava ao redor a face do abismo.” Provérbios 8:22-27.

Há luz e glória na verdade de que Cristo era um com o Pai antes de terem sido lançados os fundamentos do mundo. Esta é a luz que brilhava em lugar escuro, fazendo-o resplender com a divina glória original. Esta verdade, infinitamente misteriosa em si, explica outros mistérios e verdades de outro modo inexplicáveis, ao mesmo tempo que se reveste de luz inacessível e incompreensível.

“Antes que os montes nascessem, ou que Tu formasses a Terra e o mundo, sim, de eternidade a eternidade, Tu és Deus.” Salmos 90:2. “O povo, que estava assentado em trevas, viu uma grande luz; e aos que estavam assentados na região e sombra da morte a luz raiou.” Mateus 4:16. Aqui se apresentam a preexistência de Cristo e o propósito de Sua manifestação ao mundo, como raios vivos de luz do trono eterno. “Agora ajunta-te em esquadrões, ó filha de esquadrões; pôr-se-á cerco contra nós: ferirão com a vara no queixo ao juiz de Israel. E tu, Belém Efrata, posto que pequena entre milhares de Judá, de ti Me sairá O que será Senhor em Israel, e cujas saídas são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade.” Miqueias 5:1-2.

 

“Nós pregamos a Cristo crucificado”, declarou Paulo, “que é escândalo para os judeus, e loucura para os gregos. Mas para os que são chamados, tanto judeus como gregos, lhes pregamos a Cristo, poder de Deus, e sabedoria de Deus.” I Coríntios 1:23-24.” Mensagens Escolhidos vol. 1, 248

Luís Carlos Fonseca em temasbblicos.blogspot.com.br
TTASD
fabiodeps@gmail.com

 

 

Anúncios

, , , , , ,

  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • ” Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo.” Apocalipse 1:3

  • “Não desprezeis as profecias; julgai todas as coisas, retende o que é bom.” 1 Tessalonicenses 5:20-21.

  • "Conservai-vos a vós mesmos no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo para a vida eterna.
    E apiedai-vos de alguns, usando de discernimento;
    E salvai alguns com temor, arrebatando-os do fogo, odiando até a túnica manchada da carne."
    Judas 1:21-23

%d blogueiros gostam disto: