COMENTÁRIOS À LIÇÃO 11: OS APÓSTOLOS E A LEI – (7 a 14/06/2014)

A parte fundamental da obediência é a confiança em Deus:
“Porque se introduziram alguns, que já antes estavam escritos para este mesmo juízo, homens ímpios, que convertem em dissolução a graça de Deus, e negam a Deus, único dominador e Senhor nosso, Jesus Cristo.” Judas 1:4

Se Deus exigiu obediência no céu, quanto mais no mundo:
“E aos anjos que não guardaram o seu principado, mas deixaram a sua própria habitação, reservou na escuridão e em prisões eternas até ao juízo daquele grande dia;” Judas 1:6

Cristo aparece aos apóstolos. Duccio di Buoninsegna - (Siena, 1255 — Siena, 1319)

 

VERSO ÁUREO: “E assim a lei é santa, e o mandamento santo, justo e bom.” Romanos 7:12

 INTRODUÇÃO (sábado 7 de junho) – Os discípulos ou apóstolos de Cristo tiveram uma relação muito estreita com o mestre Jesus e, consequentemente, com a Sua lei. A palavra apóstolo significa “enviado”. Os discípulos tornaram-se em apóstolos quando Jesus os enviou de dois em dois. Eles tornaram-se em apóstolos depois da morte e ressurreição de Cristo. Alguns que não foram discípulos de Jesus também receberam o nome de apóstolo, como é o caso de Paulo. A lição desta semana vai abordar a obediência irrestrita à lei de Deus que os apóstolos obedeceram.

 

Hoje temos três argumentos mais usados, por pessoas que se dizem cristãs, em relação a lei dos 10 mandamentos:
1) Alguns dizem que os 10 mandamentos não são obrigatórios para aqueles que estão vivendo no Novo Concerto. Usam o típico argumento: Jesus resumiu a lei em dois mandamentos; amor a Deus e ao próximo.
2) Outros cristãos, para anular o 4º mandamento, que requer a santificação do sábado, dizem que todos os mandamentos foram crucificados com Cristo na cruz. Dizem eles; basta não matar, não roubar, etc… e fazer o bem que Deus aceita.
3) Outros dizem que nove mandamentos continuam com efeito, mas que o sábado foi substituído pelo domingo por Cristo no momento da Sua ressurreição.
E hoje, tanto católicos como evangélicos ou protestantes, guardam o domingo e não o sábado; ou simplesmente transgridem o sábado bíblico.

A lição desta semana pretende mostrar que os apóstolos continuaram a guardar a lei de Deus mesmo depois da morte e ressurreição de Jesus. Se a lei tivesse sido mudada, os apóstolos ao menos teriam sido avisados para escreverem sobre a alteração da lei. Mas, com certeza, a Palavra de Deus afirma que a lei de Deus não sofreu nenhuma alteração, pois Deus não muda: Veja estes textos: “Porque eu, o Senhor, não mudo; por isso vós, ó filhos de Jacó, não sois consumidos.” Malaquias 3:6.

“E é mais fácil passar o céu e a terra do que cair um til da lei.” Lucas 16:17

Os 10 Mandamentos não podem jamais ser mudados. Veja o que Jesus mesmo diz em Mateus 5:17 e 18 “Não penseis que vim revogar a Lei ou os profetas; não vim revogar, vim cumprir. Porque em verdade vos digo: que até que o céu e a terra passem, nem um í ou um til jamais passará da lei até que tudo se cumpra”.

Você percebeu que Jesus jamais falou contra a Lei? Ele disse:“Se me amardes guardareis os Meus Mandamentos” João 14:15. E Jesus ainda continua dizendo que “Aquele que tem os Meus Mandamentos e os guarda esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele”. João 14:21

“Se guardardes os meus Mandamentos, permanecereis no meu amor; do mesmo modo como eu tenho guardado os Mandamentos de meu Pai e permaneço no seu amor”. João 15:10

Você viu que Jesus chama a lei de “Meus Mandamentos” e de Mandamentos de Meu Pai.  Sabe porquê? Porque foi o próprio Deus que escreveu com as suas próprias mãos. Portanto os 10 Mandamentos não são Leis de Moisés, mas sim Lei de Deus e também de Jesus.Em Êxodo 31:18 encontramos: “E tendo Deus acabado de falar com ele no monte Sinai, deu a Moisés as duas tábuas do testemunho, tábuas de pedra, escritas pelo próprio dedo de Deus”

 

DOMINGO (8 de junho) O APÓSTOLO PAULO E A LEI – O apóstolo Paulo foi o escritor que mais contribuiu para a compreensão da relação entre o evangelho e a lei de Deus. Dos 27 livros do Novo Testamento ele escreveu 13 cartas, e sua ênfase está na salvação que é pela fé e graça. Paulo dá ênfase no tema “justificação pela fé” que, em palavras simples, significa o pecador ser perdoado pelo grande amor de Jesus. Na verdade Paulo tornou-se um doutor neste tema. E, com certeza, não há tema mais lindo e importante para os pecadores filhos de Deus do que este.

Parece que Paulo se contradiz em algum momento quando fala da lei de Deus, mas é só entender o contexto, que tudo se esclarece. Em um momento ele diz que o cristão não está debaixo da lei, mas também diz que o cristão está sob a obrigação de guardar a lei. Veja estes textos: Anulamos, pois, a lei pela fé? De maneira nenhuma, antes estabelecemos a lei.” Romanos 3:31

“Pois que? Pecaremos porque não estamos debaixo da lei, mas debaixo da graça? De modo nenhum.” Romanos 6:15

“Que diremos pois? É a lei pecado? De modo nenhum. Mas eu não conheci o pecado senão pela lei; porque eu não conheceria a concupiscência, se a lei não dissesse: Não cobiçarás.” Romanos 7:7

“Logo, a lei é contra as promessas de Deus? De nenhuma sorte; porque, se fosse dada uma lei que pudesse vivificar, a justiça, na verdade, teria sido pela lei. Mas a Escritura encerrou tudo debaixo do pecado, para que a promessa pela fé em Jesus Cristo fosse dada aos crentes.” Gálatas 3:21-22.

E Paulo obedeceu os mandamentos de Deus? Sim, pois ele não era hipócrita. Ele vivia aquilo que pregava. Para além de guardar os 9 mandamentos, que a maioria dos cristãos hoje guardam, Lucas menciona que Paulo também santificava o sábado. E ele o fazia não porque era um judeu, mas porque era cristão. Mesmo porque, ele guardava o sábado muitos anos depois da ressurreição de Jesus. Como os mandamentos de Deus não mudam, o sábado também não mudou; pois caso tivesse mudado, a bíblia mostraria Paulo guardando o domingo, mas não é isso que vemos. Veja estes textos: “E todos os sábados disputava na sinagoga, e convencia a judeus e gregos.” Atos 18:4

“E no dia de sábado saímos fora das portas, para a beira do rio, onde se costumava fazer oração; e, assentando-nos, falamos às mulheres que ali se ajuntaram.” Atos 16:13

“E eles, saindo de Perge, chegaram a Antioquia, da Pisídia, e, entrando na sinagoga, num dia de sábado, assentaram-se.” Atos 13:14

“E no sábado seguinte ajuntou-se quase toda a cidade para ouvir a palavra de Deus.” Atos 13:44.

 

SEGUNDA-FEIRA (9 de junho) O APÓSTOLO PEDRO E A LEI – Pedro foi um dos apóstolos mais chegado de Jesus. Ele foi um dos primeiros a ser escolhido por Jesus. Ele exerceu um papel de liderança, junto aos discípulos, muito importante. Mesmo sendo temperamental e de difícil trato, ele foi transformado por Cristo e muito contribuiu para a implantação do Cristianismo. A relação de Pedro com a lei de Deus não foi diferente dos demais apóstolos. Pedro guardou a lei dos dez mandamentos, não porque era judeu, mas porque era filho de Deus e sabia que lei de Deus transcende a todos as gerações e épocas, pois é eterna. Como Jesus guardou a lei de Deus, Pedro também, como bom discípulo, imitou o Seu mestre.

 

Os primeiros cristãos tinham uma relação muito íntima com as raízes judaicas. A lição desta semana traz a visão que Pedro teve daquele lençol cheio de animais imundos e répteis, relatada em Atos 10:9-14. Pedro não comia alimentos imundos e Deus falou para matar e comer. Aquela visão não trata de alimentos, mas sim de preconceito; como vemos: E disse-lhes: Vós bem sabeis que não é lícito a um homem judeu ajuntar-se ou chegar-se a estrangeiros; mas Deus mostrou-me que a nenhum homem chame comum ou imundo.” Atos 10:28. Assim como Pedro era fiel aos princípios de saúde, ele também era fiel em obedecer aos mandamentos da lei de Deus.

 

Pedro tomou o cuidado de avisar aos leitores das suas cartas sobre o cuidado que deviam ter com os falsos mestres que não guardavam a lei de Deus. Veja estes textos: “Porque melhor lhes fora não conhecerem o caminho da justiça, do que, conhecendo-o, desviarem-se do santo mandamento que lhes fora dado.” II Pedro 2:21.

 

“Para que vos lembreis das palavras que primeiramente foram ditas pelos santos profetas, e do nosso mandamento, como apóstolos do Senhor e Salvador.” II Pedro 3:2.

 

Nesta epístola, o Apóstolo Pedro está em luta contra falsos mestres. Fazendo isto, Pedro começa mencionando que nós temos “mui firme palavra” para confiar, mais do que até ouvir a voz de Deus dos céus como aconteceu na transfiguração de Jesus. II Pedro 1:16-21. Esta “mui firme palavra” é a escrita Palavra de Deus. Pedro diz à eles novamente para serem cuidadosos “das palavras que primeiramente foram ditas pelos santos profetas, e do nosso mandamento, como apóstolos do Senhor e Salvador”. II Pedro 3:2. Tanto as palavras dos santos profetas, quanto os mandamentos que Jesus deu aos apóstolos estão registrados nas Escrituras. Como determinamos se uma igreja está ensinando a correta doutrina ou não? O único padrão infalível que temos, segundo as Escrituras, é a Bíblia. Ver Isaías 8:20; II Timóteo 3:15-17; Mateus 5:18; João 10:35; Isaías 40:8; I Pedro 2:25 e Gálatas 1:6-9. A tradição faz parte de qualquer igreja, mas esta tradição deve ser comparada com a Palavra de Deus, sob pena de ir contra o que é verdadeiro.Ver  Marcos 7:1-13. Mesmo sendo verdade que os cultos e, às vezes, as igrejas cristãs torçam a interpretação das Escrituras para apoiar suas práticas, as Escrituras, quando tomadas em contexto e estudadas com fé, são capazes de guiar-nos à verdade.

 

Pedro não foi o primeiro papa como os católicos pretendem, por algumas razões muito simples. A igreja Católica pretende a sucessão papal através de Pedro; se assim fosse, devia imitar Pedro ao menos nos dois seguintes pontos: 1) Pedro pregava o evangelho original e defendia a lei de Deus, mesmo que isso implicasse na sua liberdade ou até a vida. Ele guardou o sábado, e a própria igreja romana, liderada pelos papas, trocou o sábado pelo domingo. Veja este texto: “Porém, respondendo Pedro e os apóstolos, disseram: Mais importa obedecer a Deus do que aos homens.” Atos 5:29

 

2) Pedro não aceitava adoração e homenagens como vemos no caso de Cornélio que queria adorá-lo: “E aconteceu que, entrando Pedro, saiu Cornélio a recebê-lo, e, prostrando-se a seus pés o adorou. Mas Pedro o levantou, dizendo: Levanta-te, que eu também sou homem.” Atos 10:25-26. Nem sequer os anjos aceitam adoração: “E eu, João, sou aquele que vi e ouvi estas coisas. E, havendo-as ouvido e visto, prostrei-me aos pés do anjo que as mostrava para o adorar. E disse-me: Olha, não faças tal; porque eu sou conservo teu e de teus irmãos, os profetas, e dos que guardam as palavras deste livro. Adora a Deus.” Apoc. 22: 8 e 9.

 

TERÇA-FEIRA (10 de junho) O APÓSTOLO JOÃO E A LEI – João também teve uma ligação especial  de amizade com Jesus. Certa vez, depois da Sua ressurreição, Jesus apareceu aos discípulos na beira do mar de Tiberíades; e, enquanto os outros discípulos estavam preocupados com a missão, João começou a conversar com Cristo e Pedro perguntou à Jesus: “E o que o senhor diz de João? Jesus respondeu: “Quanto a ti segue-me” como que dizendo: “deixe João ficar comigo.”

João escreveu 5 livros; e nestes livros ele sempre enalteceu a lei de Deus. Veja os textos onde a lei de Deus recebe um destaque muito especial, inclusive na vida de Cristo:  “Se me amardes guardareis os Meus Mandamentos” João 14:15

“Aquele que tem os Meus Mandamentos e os guarda esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele”. João 14:21

“Se guardardes os meus Mandamentos, permanecereis no meu amor; do mesmo modo como eu tenho guardado os Mandamentos de meu Pai e permaneço no seu amor”. João 15:10

Você viu que Jesus chama a lei de “meus Mandamentos” e de Mandamentos de meu Pai. Sabe porquê? Porque foi o próprio Deus que escreveu com as Suas próprias mãos. Portanto os 10 Mandamentos não são Lei de Moisés, mas sim Lei de Deus e também de Jesus. Em Êxodo 31:18 encontramos: “E tendo Deus acabado de falar com ele no monte Sinai, deu a Moisés as duas tábuas do testemunho, tábuas de pedra, escritas pelo próprio dedo de Deus”.

João também escreveu dizendo que os fiéis filhos de Deus guardam os mandamentos de Deus e alguns sofrem duras perseguições: “E o dragão irou-se contra a mulher, e foi fazer guerra ao remanescente da sua semente, os que guardam os mandamentos de Deus, e têm o testemunho de Jesus Cristo.” Apocalipse 12:17

“Aqui está a paciência dos santos; aqui estão os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus.” Apocalipse 14:12.

João também disse que teve uma visão no dia do Senhor que é o sábado. Isso mostra que ele também guardava o sábado. “Eu fui arrebatado no Espírito no dia do Senhor, e ouvi detrás de mim uma grande voz, como de trombeta.” Apocalipse 1:10.

João menciona que o amor a Deus, e o ser cristão verdadeiro está relacionado com a obediência aos 10 mandamentos. Veja este texto: “E nisto sabemos que o conhecemos: se guardarmos os seus mandamentos. Aquele que diz: Eu conheço-o, e não guarda os seus mandamentos, é mentiroso, e nele não está a verdade. Mas qualquer que guarda a sua palavra, o amor de Deus está nele verdadeiramente aperfeiçoado; nisto conhecemos que estamos nele. Aquele que diz que está nele, também deve andar como ele andou. Irmãos, não vos escrevo mandamento novo, mas o mandamento antigo, que desde o princípio tivestes. Este mandamento antigo é a palavra que desde o princípio ouvistes.” I João 2:3-7

 

QUARTA-FEIRA (11 de junho) TIAGO E A LEI – Tiago, irmão de Jesus na lei, é o mais direto em relação a necessidade que os cristãos têm de guardar a lei dos 10 mandamentos. Após o apedrejamento de Estêvão, não só os judeus convertidos ao cristianismo; mas, muitos cristãos em geral, foram perseguidos. Ver Atos 8:1 e 11:19. E Tiago escreveu a sua carta para estes filhos de Deus dispersos e realçou a necessidade de continuarem a guardar a lei de Deus.

Tiago conhecia a lei dos dez mandamentos e sabia que Deus a tinha escrito em duas tábuas de pedra como vemos. Tiago sabia que a lei dos mandamentos fala do amor a Deus e ao próximo. Veja este texto: “Porventura não blasfemam eles o bom nome que sobre vós foi invocado? Todavia, se cumprirdes, conforme a Escritura, a lei real: Amarás a teu próximo como a ti mesmo, bem fazeis. Mas, se fazeis acepção de pessoas, cometeis pecado, e sois redarguidos pela lei como transgressores.” Tiago 2:7-9.

 

Caso Jesus tivesse a intenção de anular a lei dos mandamentos, Tiago, que era irmão de Jesus, teria sabido disso. Tiago, como líder da igreja, não só guardou a lei como também a promoveu no seio da igreja. Veja estes textos sobre a necessidade de obedecer a lei: “Porque qualquer que guardar toda a lei, e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos. Porque aquele que disse: Não cometerás adultério, também disse: Não matarás. Se tu pois não cometeres adultério, mas matares, estás feito transgressor da lei.” Tiago 2:10-11

 

“Assim falai, e assim procedei, como devendo ser julgados pela lei da liberdade. Porque o juízo será sem misericórdia sobre aquele que não fez misericórdia; e a misericórdia triunfa do juízo.” Tiago 2:12-13.

Tiago dá ênfase as boas obras da lei; enquanto Paulo dá ênfase à salvação pela graça. Ambos não estão em contradição. Uma coisa depende da outra. O cristão que vive ligado com Jesus produz boas obras pois Tiago escreveu: “Meus irmãos, que aproveita se alguém disser que tem fé, e não tiver as obras? Porventura a fé pode salvá-lo? E, se o irmão ou a irmã estiverem nus, e tiverem falta de mantimento quotidiano, e algum de vós lhes disser: Ide em paz, aquentai-vos, e fartai-vos; e não lhes derdes as coisas necessárias para o corpo, que proveito virá daí? Assim também a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma.” Tiago 2:14-17

“Porque, assim como o corpo sem o espírito está morto, assim também a fé sem obras é morta.” Tiago 2:26.

 

QUINTA-FEIRA (12 de junho) JUDAS E A LEI – Judas, um dos livros mais curtos do Novo Testamento, terá sido escrito por um outro irmão de Jesus. Judas modestamente, com toda humildade, se diz servo de Jesus e irmão do irmão de Jesus.
Judas não faz referência direta à lei de Deus, mas fala da fidelidade a Deus e à Sua Palavra. Veja este verso: “Porque se introduziram alguns, que já antes estavam escritos para este mesmo juízo, homens ímpios, que convertem em dissolução a graça de Deus, e negam a Deus, único dominador e Senhor nosso, Jesus Cristo.” Judas 1:4.

Ao Judas mencionar a existência da graça de Deus, é porque existe a lei que aponta para Cristo o único que pode remover o pecado. Em Judas 5-7 encontramos a relação entre a fé e a obediência: “Mas quero lembrar-vos, como a quem já uma vez soube isto, que, havendo o Senhor salvo um povo, tirando-o da terra do Egito, destruiu depois os que não creram; e aos anjos que não guardaram o seu principado, mas deixaram a sua própria habitação, reservou na escuridão e em prisões eternas até ao juízo daquele grande dia; assim como Sodoma e Gomorra, e as cidades circunvizinhas, que, havendo-se entregue à fornicação como aqueles, e ido após outra carne, foram postas por exemplo, sofrendo a pena do fogo eterno.” Judas 1:5-7.

Neste texto vemos Judas mencionando, aos seus leitores, a experiência dos israelitas que tinham sido libertados da escravidão egípcia. Deus mostrou que enquanto o povo foi fiel a Sua lei Ele o protegeu, mas após a desobediência sofreram as consequências.

Judas também recebeu a influência direta de Jesus e de Maria que guardavam os mandamentos de Deus. Veja estes textos: “E era o dia da preparação, e amanhecia o sábado. E as mulheres, que tinham vindo com ele da Galiléia, seguiram também e viram o sepulcro, e como foi posto o seu corpo. E, voltando elas, prepararam especiarias e unguentos; e no sábado repousaram, conforme o mandamento.” Lucas 23:54-56.

“Se guardardes os meus Mandamentos, permanecereis no meu amor; do mesmo modo como eu tenho guardado os Mandamentos de meu Pai e permaneço no seu amor”. João 15:10.

 

SEXTA-FEIRA (13 de junho) LEITURA COMPLEMENTAR DA LIÇÃO  – A obediência é o princípio áureo que todo o cristão deve seguir. Sua importância é tão explícita que alguns a enfatizam mencionando que o “abc” do cristão é: “obedecê”. É o dever de todo cristão que dá ouvidos à voz de Deus. O sábio Salomão também deixou-nos a recomendação à obediência como finalidade da vivência cristã: “De tudo o que se tem ouvido, o fim é: Teme a Deus, e guarda os seus mandamentos; porque isto é o dever de todo o homem. Porque Deus há-de trazer a juízo toda a obra, e até tudo o que está encoberto, quer seja bom, quer seja mau.” Eclesiastes 12:13-14

Os servos de Deus, que assumem o novo compromisso de viver piamente em Cristo Jesus, devem trilhar o caminho da obediência, como vemos: “Pelo qual recebemos a graça e o apostolado, para a obediência da fé entre todas as gentes pelo seu nome, entre as quais sois também vós chamados para serdes de Jesus Cristo.” Romanos 1:5-6. Numa nova dimensão de vida os crentes, transformados e libertos do pecado, submetem-se, em primeira instância, a Deus, aos irmãos em Cristo, às autoridades eclesiásticas e também políticas. Ver Heb. 13:17 e  Rom. 13:1.

A desobediência de Adão foi a razão de nossa condenação, ao passo que a obediência de Cristo foi o motivo de nossa justificação. Ver Rom. 5:19. Jesus Cristo foi o maior exemplo de obediência, pois cumpriu toda a justiça, aniquilando-Se a Si mesmo para morrer na cruz. Ver  Mat. 3:15 e  Filip. 2:5-8. Portanto, os servos de Deus devem ser obedientes. Ver I Ped. 1:14. Os filhos de Deus não devem se conformar com as concupiscências mundanas.

Os anjos de Deus também cumprem as ordens transmitidas pelo Pai. Veja este texto: “Bendizei ao Senhor, todos os seus anjos, vós que excedeis em força, que guardais os seus mandamentos, obedecendo à voz da sua palavra.” Salmos 103:20. A obediência aos mandamentos do Senhor se constitui num compromisso assumido de todo o coração, alma e entendimento. Não é uma responsabilidade que pode ser tomada como obrigação, mas como uma aliança de amor. Ver Deut.  11:13 e  Rom. 6:17. É por isso que precisamos prestar obediência à Palavra, de forma voluntária e sem reservas. Tal obediência, constituída de atitudes sinceras, está centrada em Deus que tudo vê, sonda e conhece. Vivamos, pois, de forma irrepreensível! Os obedientes receberão grandes bênçãos do Senhor, porque não se deram por esquecidos e atentaram para a lei perfeita da liberdade. Ver Deut. 11:27 e Tiago 1:25.

Os desobedientes, por sua vez, serão punidos, devorados pelo fogo e lançados fora da presença de Deus. Ver II Tes. 1:8 e 9

temasbblicos.blogspot.com.br
TTASD
brucecameron.blogspot.com.br
fabiodeps@gmail.com

 

Anúncios

, , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • ” Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo.” Apocalipse 1:3

  • “Não desprezeis as profecias; julgai todas as coisas, retende o que é bom.” 1 Tessalonicenses 5:20-21.

  • "Conservai-vos a vós mesmos no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo para a vida eterna.
    E apiedai-vos de alguns, usando de discernimento;
    E salvai alguns com temor, arrebatando-os do fogo, odiando até a túnica manchada da carne."
    Judas 1:21-23

%d blogueiros gostam disto: