COMENTÁRIOS DA LIÇÃO 9 – CRISTO, A LEI E O EVANGELHO – (24 a 31/05/2014)

À pergunta errada: “Quanto tenho que renunciar para tornar-me cristão?” devemos entender a correta opção : “Quanto posso fazer por Cristo, que tanto fez por mim?”
” E dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me.

Porque, qualquer que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á; mas qualquer que, por amor de mim, perder a sua vida, a salvará.”
Lucas 9:23-24
“A boca do justo fala a sabedoria; a sua língua fala do juízo.
A lei do seu Deus está em seu coração; os seus passos não resvalarão.”
Salmos 37:30-31

Christ the Judge-FRA ANGELICO

Cristo, o Juíz – FRA ANGELICO

 VERSO ÁUREO: “Porque a lei foi dada por Moisés; a graça e a verdade vieram por Jesus Cristo.” João 1:17.

INTRODUÇÃO (sábado 24 de maio) – O assunto desta semana parece um pouco confuso; mas é fácil de ser entendido. Paulo sabia separar o Evangelho de Cristo, que é a graça, da Lei. A Lei tinha a função apenas de conduzir as pessoas à Jesus, e Jesus tem a função de operar a salvação. Os judeus não tinham dificuldades em aceitar e guardar a Lei dos Mandamentos. Tinham dificuldades, sim, em aceitar Jesus como o Messias. Tanto é que os escritos de Paulo foram inspirados para explicar aos judeus, que se convertiam ao Cristianismo, algumas verdades:
a) Em Romanos 3:19-20 Paulo diz que não somos salvos pela Lei porque a função dela é dar-nos conhecimento de que somos pecadores. Essa função da Lei é novamente apresentada pelo apóstolo em Romanos 7:7.

b) Em complemento a isso, Paulo diz em Romanos 7:12 que a Lei é “santa, justa e boa”, ou seja: ela reflete o caráter de Deus, seu Legislador. Veja Isaías 33:22: um caráter santo, justo e bom. c) Já em Romanos 7:14, Paulo afirma que a Lei é “espiritual”. Isso significa que ela é de origem Divina. Desse modo, a Lei deve ser observada espiritualmente, pela fé. Ver Rom. 1:5 e 16:26 e jamais como um “meio” de salvação. Ver Eésios 2:8-9 e Gál 3:1-3.

Agora, veja como a Lei e o Evangelho estão de “mãos dadas”: É a partir do momento em que contemplamos a Lei, e vemos o quanto somos pecadores por não conseguirmos viver dentro dos padrões dela, é que sentimos a necessidade de um Salvador, que é Cristo, e mais ninguém. Ver Atos 4:12. Se tirarmos a Lei de nossa experiência cristã, não teremos aquele “espelho” que mostra nossa condição pecaminosa para que corramos aos braços de Jesus;  o único que pode “nos limpar” por Sua graça e Justiça. Veja este texto: “Ao qual Deus propôs para propiciação pela fé no seu sangue, para demonstrar a sua justiça pela remissão dos pecados dantes cometidos, sob a paciência de Deus; para demonstração da sua justiça neste tempo presente, para que ele seja justo e justificador daquele que tem fé em Jesus.” Romanos 3:25-26. Além disso, se a Lei tivesse sido abolida, a cruz perderia todo o sentido. Afinal, Cristo teria morrido para pagar o quê? Por qual pecado Ele teria morrido se não houvessem padrões morais que tivessem sido transgredidos pela humanidade? Como bem disse Paulo em Romanos 5:13: “o pecado não é levado em conta quando não há lei”. Sendo que há pecado, isso prova que existe uma Lei que é transgredida e pela qual o próprio Deus pagou para nos dar a vida eterna em Seu filho.

O verso áureo não está diminuindo a Lei dos Dez mandamentos, quando diz que foi dada por Moisés; mas está dizendo que depois que Jesus chegou e cumpriu a Sua missão, de salvar a humanidade, a Lei deixou de exercer o poder que exercia sobre as pessoas. Agora Jesus concedia poder para guardar os Seus Mandamentos. Hoje também não é diferente da época de quando Jesus ainda não tinha morrido. Mas como assim? Explico: Para os cristãos que se esforçam em guardar os Dez Mandamentos com as suas próprias forças; sem ter comunhão com Jesus, o único que pode dar-nos poder para obedecer, estão a agir iguais aos judeus que nem sequer perceberam a chegada do Messias! Veja este texto: “Estai em mim, e eu em vós; como a vara de si mesma não pode dar fruto, se não estiver na videira, assim também vós, se não estiverdes em mim. Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.” João 15:4-5

 

DOMINGO (25 de maio) O PECADO E A LEI – Este é o texto de hoje: “Que diremos pois? É a lei pecado? De modo nenhum. Mas eu não conheci o pecado senão pela lei; porque eu não conheceria a concupiscência, se a lei não dissesse: Não cobiçarás. Mas o pecado, tomando ocasião pelo mandamento, operou em mim toda a concupiscência; porquanto sem a lei estava morto o pecado. E eu, nalgum tempo, vivia sem lei, mas, vindo o mandamento, reviveu o pecado, e eu morri. E o mandamento que era para vida, achei eu que me era para morte. Porque o pecado, tomando ocasião pelo mandamento, me enganou, e por ele me matou. E assim a lei é santa, e o mandamento santo, justo e bom.” Romanos 7:7-12.

Na primeira leitura que fazemos do texto acima achamos que é a Lei que mostra os nossos pecados, mas ao analisarmos bem, vemos que é o conhecimento e experiência que o crente tem com Cristo é que o leva para olhar à Lei de forma espiritual e não apenas na letra da Lei. O que é Lei espiritual conforme Romanos 7:14? Significa que é de origem Divina e que só Deus dá-nos capacidade para obedece-la. Os judeus tentaram guardar a mesma Lei, apenas na letra da Lei, e criaram muitas confusões, uma delas foi matar Jesus.

Uma vez que a liberdade da Lei é comparada à liberdade do pecado, alguém poderia concluir que são a mesma coisa. Paulo tira essa dúvida: “É a lei pecado? De modo nenhum!”. A Lei não é pecado, mas ela torna o pecado conhecido. Paulo, no texto de hoje cita o exemplo de cobiça. Paulo citou um dos mandamentos da mesma lei: “Não cobiçarás”. Este mandamento é um dos Dez mandamentos. Veja Êxodo 20:17, parte da Lei moral. Ainda é pecado cobiçar, mas não por causa da Lei antiga. É condenada na Nova Aliança que nos guia. Veja este texto: “Mas a fornicação, e toda a impureza ou avareza, nem ainda se nomeie entre vós, como convém a santos.” Efésios 5:3.  A Lei só traz a consciência do pecado, como vemos: “porque eu não conheceria a concupiscência, se a lei não dissesse: Não cobiçarás.” Quem busca a vida eterna terá que procurar em outro lugar, pois a Lei não traz a salvação. Foi o que Paulo fez! Ele aceitou Jesus e foi fiel a Ele até o fim. Ele disse antes de morrer: “Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda.” II Timóteo 4:7-8

Porque Paulo usou o mandamento da cobiça como exemplo e não usou o “não matar”? A cobiça é um pecado tão velado, podendo ser ocultado, que só percebe que é pecado aquele que conhece a Lei. A Lei continua a ter a sua importância.

 

SEGUNDA-FEIRA (26 de maio) A LEI E ISRAEL (Deuteronômio 30:15-18) – Segue o texto para hoje: “Vês aqui, hoje te tenho proposto a vida e o bem, e a morte e o mal; porquanto te ordeno hoje que ames ao Senhor teu Deus, que andes nos seus caminhos, e que guardes os seus mandamentos, e os seus estatutos, e os seus juízos, para que vivas, e te multipliques, e o Senhor teu Deus te abençoe na terra a qual entras a possuir. Porém se o teu coração se desviar, e não quiseres dar ouvidos, e fores seduzido para te inclinares a outros deuses, e os servires, então eu vos declaro hoje que, certamente, perecereis; não prolongareis os dias na terra a que vais, passando o Jordão, para que, entrando nela, a possuas.” Deuteronômio 30:15-18.

No início, a Lei de Deus tinha sido dada apenas de forma oral; e era repetida de pais para filhos. Somente na época de Moisés é que a Lei foi escrita em duas tábuas de pedras e entregue ao povo. Visto o povo de Israel se ter esquecido da Lei, Deus providenciou a Lei escrita. Mas é a mesma Lei, de amor e de vida, que sempre esteve disponível ao ser humano. Deus sempre deu importância à Sua Lei.

A Lei de Deus teve uma grande importância ao povo de Israel. Quando o povo de Israel surgiu, a Lei ainda era transmitida de forma oral e o povo já tinha a responsabilidade de receber e transmitir os princípios da Lei de Deus para todas as nações do mundo. Veja estes versos: “Ora, disse o Senhor a Abrão: Sai da tua terra… e vai para a terra que te mostrarei; de ti farei uma grande nação… abençoarei os que te abençoarem, e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; em ti serão benditas todas as famílias da terra” .Gênesis 12:1-3.

“O Senhor teu Deus te escolheu, para que fosses o seu povo próprio, de todos os povos que há sobre a terra” Deuteronômio 7.6.

Depois do apedrejamento de Estevão, Deus rejeitou o povo judeu e passou o direito do sacerdócio à todos os crentes. Veja este texto: Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz; vós, que em outro tempo não éreis povo, mas agora sois povo de Deus; que não tínheis alcançado misericórdia, mas agora alcançastes misericórdia.” I Pedro 2:9-10.

No passado foi o povo de Israel que recebeu o legado de abençoar o povo do mundo todo através dos benefícios da Lei de Deus, como vemos no texto para hoje. Eles falharam e Deus passou para os crentes atuais essa responsabilidade. Hoje qualquer crente está autorizado a pregar sobre a Lei e divulgá-la? Não. Somente aqueles que aceitam a Lei de Deus de forma integral. Aqueles que não aceitam e nem obedecem os Dez Mandamentos não tem moral religiosa para ensinar o povo. Deus aceita a sinceridade de quem, não conhecendo a Sua Lei, procura obedecer de acordo com a luz que lhe foi revelada, mas não aceita pessoas que quebram a Lei de Deus de forma voluntária. Por isso Deus designou, nestes últimos dias, a igreja Adventista do Sétimo Dia para receber e transmitir a Lei de Deus em sua integralidade. Os santos de  Deus tem essa responsabilidade, e ao mesmo tempo são perseguidos por pregar toda verdade. Veja estes textos: “Aqui está a paciência dos santos; aqui estão os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus.” Apocalipse 14:12

“E o dragão irou-se contra a mulher, e foi fazer guerra ao remanescente da sua semente, os que guardam os mandamentos de Deus, e têm o testemunho de Jesus Cristo.” Apocalipse 12:17.

Entre no exército do Senhor e participe na divulgação da Lei de Deus!

 

TERÇA-FEIRA (27 de maio) A LEI E AS NAÇÕES (Atos 10:34 e 35) – Estes são os textos sugeridos para o nosso estudo de hoje: “E, abrindo Pedro a boca, disse: Reconheço por verdade que Deus não faz acepção de pessoas; mas que lhe é agradável aquele que, em qualquer nação, o teme e faz o que é justo.” Atos dos Apóstolos 10:34-35

“E de um só sangue fez toda a geração dos homens, para habitar sobre toda a face da terra, determinando os tempos já dantes ordenados, e os limites da sua habitação; para que buscassem ao Senhor, se porventura, tateando, o pudessem achar; ainda que não está longe de cada um de nós.” Atos dos Apóstolos 17:26-27.

“Porque, quando os gentios, que não têm lei, fazem naturalmente as coisas que são da lei, não tendo eles lei, para si mesmos são lei.” Romanos 2:14.

Deus utilizou-Se de três maneiras especiais para revelar-Se às pessoas. Através da natureza, dos profetas, que é a Bíblia e de Jesus que veio ao mundo. Apesar dos erros de Israel, Deus não deixou nenhuma nação sem o Seu conhecimento. Apesar dos nossos erros e falhas, em pregar o evangelho, Deus não deixa as pessoas sem o Seu conhecimento. O nativo ou índio que nasce e morre, sem ter nenhum contato com a Bíblia, pode ver Deus através do livro da natureza. Veja estes textos: “Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis.” Romanos 1:20.

“Os céus declaram a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos. Um dia faz declaração a outro dia, e uma noite mostra sabedoria a outra noite. Não há linguagem nem fala onde não se ouça a sua voz. A sua linha se estende por toda a terra, e as suas palavras até ao fim do mundo. Neles pôs uma tenda para o sol, o qual é como um noivo que sai do seu tálamo, e se alegra como um herói, a correr o seu caminho. A sua saída é desde uma extremidade dos céus, e o seu curso até à outra extremidade, e nada se esconde ao seu calor.” Salmo 19:1-6

As pessoas serão julgadas pelas oportunidades que tiveram de conhecer Deus, mas todos serão julgados: Veja estes textos: “Mas Deus, não tendo em conta os tempos da ignorância, anuncia agora a todos os homens, e em todo o lugar, que se arrependam.” Atos dos Apóstolos 17:30.

“Porque Deus há-de trazer a juízo todas as obras, até as que estão escondidas, quer sejam boas, quer sejam más”. Ecles.12:14. E Paulo confirma: “… pois todos compareceremos perante o tribunal de Deus” Rom. 14:10.

A pessoa que só teve a oportunidade de conhecer Deus através do livro da natureza vai ser julgada por esta oportunidade que teve. E a lei da natureza está para todas as pessoas do planeta. Lembrando também que fomos criados à imagem e semelhança de Deus; isto implica que todas as pessoas foram criadas com o desejo espiritual. Conhecendo a Bíblia ou não, todos seremos julgados pelas oportunidades que tivemos de exercer o bem às pessoas, animais, e ecossistema. Embora as boas obras não nos salvem, elas são a prova de que obedecemos o Criador, e isso terá peso no dia do juízo. Veja este texto: “Porque o juízo será sem misericórdia para aquele que não usou de misericórdia; a misericórdia triunfa sobre o juízo.” Tiago 2:13.

 

QUARTA-FEIRA (28 de maio) GRAÇA E VERDADE – Como consequência do pecado de Adão e Eva toda a raça humana ficou afetada  com o pecado e maldição da morte. Deus concedeu a Sua Lei para que a humanidade pudesse ver os seus erros e solicitar Jesus para os salvar. Com a chegada da Graça de Jesus, Ele oferece a salvação à todos que O aceitam. João resumiu a história da salvação com apenas um verso: “Porque a lei foi dada por Moisés; a graça e a verdade vieram por Jesus Cristo.” João 1:17.

Quando Adão pecou, ele mergulhou a humanidade toda em desordem e escravidão do pecado. Mas Jesus, que não pecou, veio libertar o mundo que estava mergulhado no pecado. Veja estes versos que mencionam sobre como Jesus viveu aqui: “Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens.” Filipenses 2:7.

“Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor; do mesmo modo que eu tenho guardado os mandamentos de meu Pai, e permaneço no seu amor.” João 15:10.

“E, indo um pouco mais para diante, prostrou-se sobre o seu rosto, orando e dizendo: Meu Pai, se é possível, passe de mim este cálice; todavia, não seja como eu quero, mas como tu queres.” Mateus 26:39.

A graça de Deus exerce algumas funções importantes na nossa vida. A primeira é garantir-nos a salvação sem que tenhamos algum mérito. Veja estes textos: “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus.” Efésios 2:8 – “Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor.” Romanos 6:23. A segunda função da graça manifesta-se como uma presença constante de Jesus em nossa vida. E Ele proporciona-nos muita paz e segurança. É a alegria que o crente tem em ser e estar salvo. Em terceiro lugar a graça possibilita recebermos a justiça que a Lei promove. Sobre isso Paulo disse assim: “Para que a justiça da lei se cumprisse em nós, que não andamos segundo a carne, mas segundo o Espírito.” Romanos 8:4. A justiça da Lei é a liberdade que Cristo nos concede como consequência de estarmos vivendo em plena comunhão com o Pai. Quando vivemos ligados com Jesus não vamos cair em pecados que a Lei vai exigir a penalidade. E por último a graça de Deus nos capacita para obedecermos a Lei.

 

QUINTA-FEIRA (29 de maio) A LEI E O EVANGELHO (Romanos 1:16 e 17) – Disse recentemente uma autoridade em criminologia que estamos perdendo a batalha contra o crime. Ano a ano, ou mesmo mês a mês, aumenta assustadoramente a delinquência juvenil. As autoridades, em geral, estão muito preocupadas com o desrespeito do povo às leis dos seus países. A imprensa divulga os mais terríveis crimes, ocorridos diariamente. Qual será a causa de tão flagrante desvio da Lei? Acertou um escritor quando, num exame da depravação moral da sociedade, afirmou que já não existe um padrão moral para guiar a geração moderna. Mesmo alguns líderes religiosos defendem um modo de vida que é sumamente contrário ao que é ensinado na Palavra de Deus. Do alto de muitos púlpitos se proclama: “A lei de Deus foi abolida; por que, então, preocupar-nos com esse antigo jugo de escravidão?” Muitos cristãos dizem ser impossível guardar a lei de Deus; por que, então, insistir?

Algumas pessoas, que defendem a abolição da Lei, são sinceras, mas estão equivocadas. Se removemos a norma que assinala o bem e o mal, não demorará que a sociedade abandone todos os princípios morais. Estamos hoje colhendo os frutos do ensino e orientação que algumas igrejas ministraram ontem. Veja este texto: “Ja é tempo, Senhor, para intervires, pois eles violaram a Tua lei.” Salmo 119:126. Façamos uma ampla investigação do que ensina a Bíblia acerca de nossa relação com a Lei e a Graça, e então estaremos em condições de compreender quão maravilhoso é seguir os passos de Jesus e poder guardar os Seus mandamentos, incluindo o 4º, que requer a santificação do sábado que também continua em vigor.

Quando não há lei, ou ela foi abolida, como alguns dizem, o que acontece com o pecado? “Porque a lei opera a ira. Porque onde não há lei também não há transgressão.” Romanos 4:15. É por isso que o mundo está virado de pernas para o ar. As pessoas estão transgredindo a Lei de Deus com o argumento de que foi abolida e cada qual faz o que deseja. Veja o resultado disso tudo: “De todo se esvaziará a terra, e de todo será saqueada, porque o Senhor pronunciou esta palavra. A terra pranteia e se murcha; o mundo enfraquece e se murcha; enfraquecem os mais altos do povo da terra. Na verdade a terra está contaminada por causa dos seus moradores; porquanto têm transgredido as leis, mudado os estatutos, e quebrado a aliança eterna. Por isso a maldição tem consumido a terra; e os que habitam nela são desolados; por isso são queimados os moradores da terra, e poucos homens restam.” Isaías 24:3-6

“E a vós, que sois atribulados, descanso conosco, quando se manifestar o Senhor Jesus desde o céu com os anjos do seu poder, com labareda de fogo, tomando vingança dos que não conhecem a Deus e dos que não obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo.” II Tessalonicenses 1:7-8.

 

SEXTA-FEIRA (30 de maio) LEITURA ADICIONAL DA LIÇÃO – O verdadeiro evangelho é a boa notícia de que Deus salva pecadores. O homem é por natureza pecador e alienado de Deus, sem qualquer esperança de reparar essa situação. Entretanto, Deus providenciou o meio da redenção do homem na morte, sepultamento e ressurreição do Salvador, Jesus Cristo. A palavra evangelho significa literalmente “boas novas”. Entretanto, para realmente compreender quão boas essas novas são, devemos primeiramente compreender a má notícia. Como resultado da queda do homem no Jardim do Éden. Ver Gênesis 3:6, toda parte da mente do homem; sua vontade, emoções e carne tem sido corrompida pelo pecado. Por causa da natureza pecaminosa do homem, ele não pode buscar a Deus e não o faz. Ele não tem nenhum desejo de vir a Deus e, de fato, sua mente é hostil para com Ele. Ver Romanos 8:7. Deus declarou que o pecado do homem o condena à separação de Deus e à morte eterna, separado de Deus.

 

Entretanto, no evangelho; Deus, em Sua misericórdia, tem proporcionado essa solução, um substituto para nós; Jesus Cristo o qual veio para pagar a pena pelos nossos pecados através do Seu sacrifício na cruz. Esta é a essência do evangelho que Paulo pregou aos Coríntios. Em I Coríntios 15:2-4, ele explica os três elementos do evangelho;  a morte, sepultamento e ressurreição de Cristo em nosso favor. A nossa velha natureza morreu com Cristo na cruz e foi enterrada com Ele. Fomos então ressuscitados com Ele, para uma nova vida, quando fomos batizados. Ver Romanos 6:4-8. Por isso o batismo é necessário para ser salvo. Ver Marcos 16:16. Paulo nos diz para nos apegar firmemente a este verdadeiro evangelho, o único que salva. Acreditar em outro evangelho é crer em vão. Em Romanos 1:16-17, Paulo também declara que o verdadeiro evangelho é o “poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê”, o que quer dizer que a salvação não é alcançada pelos esforços do homem, mas pela graça de Deus através do dom da fé. Ver Efésios 2:8-9.

 

Por causa do evangelho, através do poder de Deus, aqueles que crêem em Cristo não apenas sentem prazer em obedecer a Lei de Deus como são salvos da morte eterna. Lembrando sempre que as obras nunca são o meio de salvação, mas são a prova de que fomos salvos. Aqueles que são salvos, pelo poder de Deus, sempre mostrarão a evidência da salvação através de uma vida transformada e de boas obras. “Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas.” Efésios 2:10.

Anúncios

, , , , , , , , , , ,

  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • ” Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo.” Apocalipse 1:3

  • “Não desprezeis as profecias; julgai todas as coisas, retende o que é bom.” 1 Tessalonicenses 5:20-21.

  • "Conservai-vos a vós mesmos no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo para a vida eterna.
    E apiedai-vos de alguns, usando de discernimento;
    E salvai alguns com temor, arrebatando-os do fogo, odiando até a túnica manchada da carne."
    Judas 1:21-23

%d blogueiros gostam disto: