COMENTÁRIOS À LIÇÃO 8: A LEI DE DEUS E A LEI DE CRISTO – (17 a 24/05/2014)

“A graça é mais do que receber, gratuitamente, a vida eterna, como resultado da vida, morte e ressurreição de Jesus, em nosso favor. A verdadeira graça produz em nós altruísmo e amor, como Jesus mostrou por nós. Um amor no qual damos nossa vida pelos outros. Um desprendimento que reconhece que nós, também, somos terríveis pecadores. Um amor que nos abençoa muito mais do que se vivermos, com egoísmo, uma vida medíocre. Você vai se comprometer, hoje, a pedir que o Espírito Santo inspire sua vida com amor?”

Santíssima Trindade - Antonio de Pereda y Salgado (Valladolid, 1611-Madrid, 1678)VERSO ÁUREO: “Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor; do mesmo modo que eu tenho guardado os mandamentos de meu Pai, e permaneço no seu amor.” João 15:10

 

INTRODUÇÃO (sábado 17 de maio) – O título da lição desta semana dá a entender que Deus tinha uma Lei e Jesus tinha outra Lei diferente. Mas sabemos que não é assim. No Antigo Testamento alguns rituais eram praticados exatamente para representar o sacrifício que Jesus faria ; depois de Jesus ter vindo e se sacrificado para salvar a humanidade, estes rituais perderam a sua validade. As leis cerimoniais que apontavam para Jesus, tendo encontrado o cumprimento em Cristo, não necessitaram mais de ser observadas; como vemos nestes textos: “Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz.”
Colossenses 2:14.

Jesus, o Verbo, se fez humano para confirmar as promessas feitas por Deus ao homem:
“Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz.”
Isaías 9:6

Era soberano para Jesus garantir o reconhecimento dos homens da soberania de Deus e o estabelecimento de Seu reino na Terra:

“Desde então começou Jesus a pregar, e a dizer: Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus.”
Mateus 4:17

“Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido.
E, ouvindo eles estas coisas, ele prosseguiu, e contou uma parábola; porquanto estava perto de Jerusalém, e cuidavam que logo se havia de manifestar o reino de Deus.”
Lucas 19:10-11

O conhecimento de Deus é essencial para a conquista da vida eterna, assim, parte da missão de Cristo na Terra era transmitir esse conhecimento:

“E a vida eterna é esta: que te conheçam, a ti só, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste.”
João 17:3

Como entender a expressão de Jesus:  “Um novo mandamento vos dou…?”:  Jesus não veio substituir os Dez mandamentos da Lei de Deus. Cristo veio cumprir em todos os detalhes a Lei como Ele mesmo disse: “Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim abrogar, mas cumprir. Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til jamais passará da lei, sem que tudo seja cumprido.”
Mateus 5:17-18.
Jesus estava dando uma nova dimensão ao desprendimento do eu em relação ao pecado desta vida no amor ao próximo , e foi por isso que Ele disse:
“Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis.”
João 13:34.

Os judeus, como nação,  falharam e foram rejeitados por Deus. Faltava-lhes o desprendimento do amor. Outro fator importante é que Jesus veio em uma época em que o mundo estava em uma situação miserável. O povo de Deus era dominado pelos romanos e haviam muitos doentes e pessoas carentes. Jesus aproveitou essa situação para aliviar muitas pessoas e para implantar o Cristianismo tendo como base a Lei do amor.

Depois de Jesus, cada crente é chamado para exercer o ministério do amor. Veja este texto: “Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz; vós, que em outro tempo não éreis povo, mas agora sois povo de Deus; que não tínheis alcançado misericórdia, mas agora alcançastes misericórdia.” I Pedro 2:9-10. Quando Jesus disse que dava um novo mandamento era no sentido de resgatar o mandamento original de Deus que sempre teve em vista conduzir os pecadores à Cristo, o único que pode salvar, e motivar-nos à prática do amor aos nossos semelhantes.

Keith Augusto Burton escritor e professor de teologia, explora a lei de Deus através da perspectiva de Jesus Cristo e nos deixa a seguinte reflexão:

“Embora a lei de Deus seja uma lei de misericórdia, Deus finalmente a usará como padrão de julgamento.”


 

DOMINGO (18 de maio) A LEI E OS PROFETAS – Jesus teve uma relação muito forte com Deus e também com a Sua Lei. Nos textos sugeridos para hoje vemos isso de forma muito clara. Na história do jovem rico,  Jesus disse assim: “Por que me chamas bom? Não há bom senão um só, que é Deus. Se queres, porém, entrar na vida, guarda os mandamentos.” Mateus 19:17. E na sequência do texto Jesus mencionou alguns mandamentos. No outro texto vemos um fariseu, doutor da lei perguntando para Jesus e Jesus dando-lha a resposta. Veja o texto: “Mestre, qual é o grande mandamento na lei? E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento. Este é o primeiro e grande mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas.” Mateus 22:36-40

 

Mas porque Jesus dividiu em duas partes os Seus mandamentos se são dez ao todo? Respondo fazendo uma outra pergunta: Por que duas tábuas ao invés de uma; afinal, todos os Dez Mandamentos não caberiam em uma só tábua, facilitando assim o seu manuseio? Deus dividiu em duas partes a Sua Lei: Do primeiro ao quarto mandamento, refere-se à obediência do homem para com Deus, e os outros seis, refere-se à responsabilidade do desprendimento diante do bem do homem para com o homem, por isso os mandamentos foram escritos em tábuas separadas. Não há nenhum relato bíblico de que Deus escreveu quatro dos mandamentos em uma tábua e seis na outra, mas sabemos que foram escritos por Deus em duas tábuas de pedra separadas. Ver Êxodo 19, Êxodo 20 e Êxodo 31:18. Mas quem tem, pelo menos, uma noção da Palavra de Deus logo vai entender que os quatro primeiros mandamentos referem-se a Deus para o homem, e os outros seis do homem para o homem, e nenhum deles é maior do que o outro. Por isso é que foram escritos em tábuas separadas.

O que Jesus quis dizer aos fariseus foi: Se amamos a Deus, guardamos os quatros primeiros mandamentos, e se amamos ao próximo, como a nós mesmos, guardamos os outros seis. Os fariseus tinham conhecimento desta verdade, e mesmo assim estavam colocando o sábado acima dos outros mandamentos, além de criar tradições de homens para aquele dia, invalidando assim o quarto mandamento. Na verdade não há nenhuma contradição na Lei de Deus e na Lei de Cristo. Trata-se da mesma Lei do sacrifício próprio como amor ao próximo. Cumprir a Lei e os profetas significa eu amar Deus em casa, na igreja e na comunidade e atender as necessidades das pessoas que mais necessitam.

 

SEGUNDA-FEIRA (19 de maio) OS MANDAMENTOS DO AMOR – Quais são as regras do amor? As regras do amor significam obedecer aos Mandamentos de Deus e atender as necessidades do próximo. Veja Mateus 5: 20 “Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no reino dos céus.”.  Ai mostra que os fariseus foram duramente criticados pelo Mestre em repetidas ocasiões, mas, nem todos os fariseus e judeus eram fingidos, muitos deles eram pessoas agradáveis a Deus, com verdadeira convicção do dever de obedecer a Lei. Mas muitos dos que se esforçavam em obedecer a Lei ficavam apenas no nível intelectual do amor. A regra do amor diz que obedecer Deus leva à ação, ao atendimento das necessidades do próximo.

 

Texto de hoje: “Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis. Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros.” João 13:34-35. Um texto parecido com este e dirigido especialmente aos judeus legalistas é este: “E, partindo dali, chegou à sinagoga deles. E, estava ali um homem que tinha uma das mãos mirrada; e eles, para o acusarem, o interrogaram, dizendo: É lícito curar nos sábados? E ele lhes disse: Qual dentre vós será o homem que tendo uma ovelha, se num sábado ela cair numa cova, não lançará mão dela, e a levantará? Pois, quanto mais vale um homem do que uma ovelha? É, por consequência, lícito fazer bem nos sábados.” Mateus 12:9-12. Neste caso, para esses homens legalistas o mandamento do sábado estava acima da dor humana. Aqui aqueles homens estavam quebrando a regra do amor que era criticar a ação de Jesus em dar atendimento ao homem que sofria. Nunca a letra da Lei pode estar acima do amor em ação.

Jesus cumpriu as regras do amor. Ele não só obedeceu os Mandamentos de Deus, como também combateu o espírito legalista dos discípulos e implantou um novo mandamento, que é amar o próximo. O povo escolhido tinha falhado em atender as necessidades das viúvas, órfãos e pessoas pobres; e junto com o pacote do amor Jesus regulamentou as regras do amor quando disse assim, no contexto do juízo final: “E porá as ovelhas à sua direita, mas os bodes à esquerda. Então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo; porque tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de beber; era estrangeiro, e hospedastes-me. Estava nu, e vestistes-me; adoeci, e visitastes-me; estive na prisão, e foste me ver. Então os justos lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome, e te demos de comer? ou com sede, e te demos de beber? E quando te vimos estrangeiro, e te hospedamos? ou nu, e te vestimos? E quando te vimos enfermo, ou na prisão, e fomos ver-te? E, respondendo o Rei, lhes dirá: Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes.” Mateus 25:33-40.

Veja estes outros textos: “Conhecemos o amor nisto: que ele deu a sua vida por nós, e nós devemos dar a vida pelos irmãos.” I João 3:16

“Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor; do mesmo modo que eu tenho guardado os mandamentos de meu Pai, e permaneço no seu amor.” João 15:10

“A religião pura e imaculada para com Deus, o Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo”. Tiago 1:27.

 

TERÇA-FEIRA (20 de maio) TODAS AS COISAS PARA TODOS OS HOMENS – Porque, sendo livre para com todos, fiz-me servo de todos para ganhar ainda mais. E fiz-me como judeu para os judeus, para ganhar os judeus; para os que estão debaixo da lei, como se estivesse debaixo da lei, para ganhar os que estão debaixo da lei. Para os que estão sem lei, como se estivesse sem lei (não estando sem lei para com Deus, mas debaixo da lei de Cristo), para ganhar os que estão sem lei. Fiz-me como fraco para os fracos, para ganhar os fracos. Fiz-me tudo para todos, para por todos os meios chegar a salvar alguns. E eu faço isto por causa do evangelho, para ser também participante dele.” I Coríntios 9:19-23.

 

E agora, como explicar este texto? Não só aqui, bem como em nenhum lugar da Bíblia, Paulo não está dizendo que não precisamos mais guardar a Lei de Deus. Pelo contrário, em todos os lugares da Palavra, Paulo e todos os profetas enaltecem a Lei de Deus. Infelizmente o homem, no decorrer dos milênios, tem deixado de guardá-la e, como resultado, o mundo tem sofrido o caos. Veja este texto: “A terra pranteia e se murcha; o mundo enfraquece e se murcha; enfraquecem os mais altos do povo da terra. Na verdade a terra está contaminada por causa dos seus moradores; porquanto têm transgredido as leis, mudado os estatutos, e quebrado a aliança eterna.” Isaías 24:4-5.

Paulo está apenas dizendo que para os judeus, que não tinham aceitado o Messias e que ainda viviam sob a penalidade e maldição da Lei, ele procurava adaptar-se a sua cultura religiosa para ganhar alguns judeus para Cristo. Paulo não dava muita importância se o judeu ainda celebrava algumas festas cerimoniais ou se ainda circuncidavam os seus filhos no oitavo dia; mesmo essas cerimônias tendo se encerrado na cruz de Cristo, pois os judeus não acreditaram na morte do Cristo Salvador mesmo. Por isso, Paulo não os confrontava e nem criava problemas com estes temas. Lembra-se do assunto da circuncisão que foi resolvido no concílio em Jerusalém? Esse concílio aconteceu muitos anos depois de Cristo. Ver Atos 15.

Em relação aos pagãos, que Paulo queria ganhá-los para Cristo, Paulo disse que eles viviam sem o conhecimento de Deus; e, consequentemente, “sem Lei” isto é; sem o conhecimento da Lei de Deus e da nova “Lei do amor” de Cristo. Tanto no caso dos judeus como no dos gentios Paulo estava dizendo aquilo que geralmente praticamos no nosso rol de amigos e nos esforços evangelísticos que envidamos: Participamos de festinhas com os amigos, vemos um pouco de televisão com eles, almoçamos, jantamos, e lanchamos com eles ou até vamos ao bar ou café com alguns, mas…, não consumimos algumas coisas que eles consomem e nem fazemos algumas coisas que eles fazem. Com certeza quando Jesus era visto com os pecadores comendo e bebendo, Ele consumia aquilo que apenas lhe era lícito. Aqui Paulo defendeu o princípio de que “estamos no mundo mas não somos do mundo.”

Veja estes textos: “Se vós fôsseis do mundo, o mundo amaria o que era seu, mas porque não sois do mundo, antes eu vos escolhi do mundo, por isso é que o mundo vos odeia.” João 15:19.

“Não rogo que os tires do mundo, mas que os protejas do maligno. Eles não são do mundo, como também eu não sou” João 17:15-16.

Ellen G. White escreveu que “unicamente os métodos de Cristo trarão verdadeiro êxito no aproximar-se do povo. O Salvador misturava-Se com os homens como uma pessoa que lhes desejava o bem. Manifestava simpatia por eles, ministrava-lhes às necessidades e granjeava-lhes a confiança. Ordenava então: “Segue-Me”. A Ciência do Bom Viver, 143.

“Muitos não compreendem a necessidade de se adaptarem às circunstâncias, e ir ao encontro do povo” Obreiros evangélicos, 381. Ellen White insta pela paciência e compreensão para com pessoas de diferentes antecedentes e cuja vida está em desarmonia com a vontade de Deus: “Os pastores devem ter cuidado em não exigir demasiado dos que se encontram ainda às apalpadelas nas trevas do erro”. Obreiro Evangélicos, 381 Jesus modelou como necessitamos encontrar as pessoas onde elas estão, antes de podermos ajudar a levá-las aonde Deus quer que estejam.

 

QUARTA-FEIRA (21 de maio) CUMPRINDO A LEI DE CRISTO (GÁLATAS 6:2) – Este é o texto: “Irmãos, se algum homem chegar a ser surpreendido nalguma ofensa, vós, que sois espirituais, encaminhai o tal com espírito de mansidão; olhando por ti mesmo, para que não sejas também tentado. Levai as cargas uns dos outros, e assim cumprireis a lei de Cristo. Gálatas 6:1-2.

Como já vimos, a Lei de Cristo dá uma ênfase muito forte na Assistência Social. Pois é nisto que consiste a verdadeira religião. É muito difícil sair da religião intelectual e começar a participar da religião prática. A Lei de Cristo tem a vertente da Misericórdia e da Graça de Deus, sem desprezar, é claro, a necessidade que cada crente tem de obedecer a Lei de Deus. A Lei de Cristo consiste em termos paciência com os irmãos que erram e em prestarmos socorro aos que sofrem. Quem é espiritual não causa problemas, mas sim resolve problemas.

Assim como fomos salvos do pecado, a Lei de Cristo exige-nos que levemos a salvação às pessoas que necessitam. A nossa ajuda às pessoas está relacionada em mostrar-lhes a salvação em Cristo e em auxiliá-las em suas necessidades familiares, emocionais e financeiras. Não adianta muito só irmos à igreja e não nos envolvermos em atividades missionárias e de atendimento humanitário. Veja estes pensamentos: “A lei divina requer que amemos a Deus sobre tudo, e a nosso semelhante como a nós mesmos. Sem o exercício desse amor, a mais alta profissão de fé não passa de hipocrisia. The Signs of the Times, 10 de Janeiro de 1911.

“O adorador de Deus verificará não poder ele nutrir uma fibra da raiz do egoísmo. Ele não pode cumprir seu dever para com Deus e exercer opressão sobre seu semelhante. O segundo princípio da lei é como o primeiro: “Amarás o teu próximo como a ti mesmo.” Mateus 22:39. “Faze isto e viverás.” Lucas 10:28. Estas são as palavras de Jesus Cristo, das quais não pode haver afastamento por parte de qualquer homem, mulher, ou jovem que queira ser cristão fiel. É a obediência aos mandamentos de Deus que molda o caráter segundo a semelhança divina. …Deixar um próximo a sofrer sem o auxiliar, é uma brecha na lei de Deus. … Quem ama a Deus, não somente ama a seu semelhante, mas olhará com terna compaixão as criaturas feitas por Ele. Quando o Espírito de Deus está em um homem, leva-o a aliviar em vez de causar sofrimento.” Filhos e filhas de Deus,  52

 

QUINTA-FEIRA (22 de maio) – LEI E JULGAMENTO – (JOÃO 5:30) – “Eu não posso de mim mesmo fazer coisa alguma. Como ouço, assim julgo; e o meu juízo é justo, porque não busco a minha vontade, mas a vontade do Pai que me enviou.” João 5:30

A Bíblia enaltece Jesus como Juiz . Verdades sobre o Juízo de Cristo:

1.Há um só legislador e um só juiz. Tiago 4:12

2.Todos comparecerão diante do tribunal de Cristo. II Co 5:10 e II Pedro 3:7

3.Os perdidos serão julgados e excluídos do reino de Deus. Ap 22:15

4.Diante do trono branco abrem-se os livros. Ap 20:11-12

5.Os salvos têm seus nomes escritos no livro da vida. Ap  3:5

6.A Palavra de Cristo julgará o mundo. João 12:47-48

7.Ouvir a Lei é diferente de praticá-la. Rm. 2:13

8-A lei de Deus será a base do julgamento: “Porque qualquer que guardar toda a lei, e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos. Porque aquele que disse: Não cometerás adultério, também disse: Não matarás. Se tu pois não cometeres adultério, mas matares, estás feito transgressor da lei. Assim falai, e assim procedei, como devendo ser julgados pela lei da liberdade. Porque o juízo será sem misericórdia sobre aquele que não fez misericórdia; e a misericórdia triunfa do juízo.” Tiago 2:10-13.

Hoje Jesus é o nosso Salvador e intercessor; e, está à nossa inteira disposição, no santuário celestial, mas chegará o dia que Ele será o nosso Juiz. Jesus declara-Se a Si mesmo, Juiz Soberano, conforme João: “O Pai a ninguém julga, mas ao Filho confiou todo julgamento(juízo), a fim de que todos honrem o Filho, como honram ao Pai…Quem ouve as minhas palavras e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, não entrará em juízo, mas passou da morte para a vida” João 5:22-24. Jesus é o único Juiz credenciado pelo Pai para julgar este mundo. Portanto, aqueles que já aceitaram a Jesus Cristo como seu único Salvador e Senhor, de verdade, têm seus nomes escritos no Livro da Vida e não serão lançados dentro do lago de fogo, após os mil anos. Porque foram obedientes a Lei de Deus, pela graça de Cristo, durante a sua vida. E para os que agiram assim, a Bíblia diz que “nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus” Romanos 8:1. Jesus disse: “quem nele crê não é julgado; o que não crê já está julgado” João 3:18. Por isso devemos falar para as pessoas que Jesus é Salvador e Senhor; mas que também é o Poderoso e Soberano Juiz.

 

SEXTA-FEIRA (23 de maio) – LEITURA COMPLEMENTAR DA LIÇÃOA irmã Ellen White escreveu o seguinte em seu Manuscrito nº 33: “Cumpre-nos cuidar de todo caso de sofrimento, e considerarmos como instrumentos de Deus para ajudar o necessitado ao máximo de nossa capacidade. Devemos ser cooperadores de Deus. Alguns há que manifestam grande afeição pelos parentes, pelos amigos e favoritos, e que todavia falham em ser bondosos e considerados para com os que necessitam de terna simpatia, que necessitam de bondade e amor. Com o coração ansioso, indaguemos: Quem é meu próximo? Nossos semelhantes não são apenas os vizinhos e amigos especiais, não são meramente os que pertencem à nossa igreja, ou que pensam como nós. Nossos semelhantes são a família humana inteira. Cumpre-nos fazer bem a todos os homens, e especialmente aos que são domésticos da fé. Devemos dar ao mundo uma manifestação do que significa cumprir a lei de Deus. Amar supremamente a Deus, e a nosso próximo como a nós mesmos.” Manuscrito 33.

Qual é a verdadeira religião e que tipo de sacrifício Deus aceita? “A religião pura e imaculada para com Deus e Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo.” Tiago 1:27

“Clamem, com uma voz como de trombeta; denunciem claramente ao meu povo, todos os seus pecados! Porque eles pretendem dar uma aparência de piedade, de religiosidade!  Vêm todos os dias ao templo e quem os vê parece que estão deleitados a ouvir a leitura das minhas leis, como se quisessem sinceramente obedecer-lhes, como se não desprezassem de forma nenhuma os mandamentos do seu Deus! Julgar-se-ia até que estão ansiosos por cumprir corretamente os preceitos de adoração. Oh! Como dão a impressão de amar os serviços do templo! Jejuámos na tua presença, dizem. Porque é que não ficaste impressionado com isso? Porque não reparaste nos nossos sacrifícios? Porque não quiseste ouvir as nossas orações? Fizemos tanta penitência e não te deste conta de nada! É porque vocês só vivem para satisfazer os vossos apetites carnais, mesmo enquanto estão a jejuar; e porque continuam sempre na mesma a oprimir os vossos trabalhadores. Vejam bem: Para que serve jejuar se continuam a disputar entre si, a odiar-se e a guerrear-se? Essa espécie de jejuns não tem efeito nenhum comigo. Alguma vez eu quero que vocês façam esse tipo de penitências, e se inclinem até ao chão como juncos batidos pelo vento, que se vistam de sacos, que se cubram de cinzas? É a isso que vocês chamam jejum? Não. A espécie de jejum que eu pretendo é que parem de oprimir os que trabalham para vocês e que os tratem com justiça, dando-lhes o salário a que têm direito. Quero que partilhem a vossa comida com os que têm fome e que sejam hospitaleiros para com os que vivem desprotegidos, pobres, desemparados. Que dêem roupa aos que têm frio, e que não se escondam daqueles que, sendo até vossos familiares, precisam da vossa ajuda. Se fizerem estas coisas Deus fará brilhar sobre vocês a luz da sua própria glória; dar-vos-á saúde; a vossa vida com Deus será a força do vosso progresso; a vossa justiça tornar-se-á o vosso escudo de protecção, e a glória do Senhor vos protegerá à retaguarda. E então quando chamarem, o Senhor responderá. Sim, aqui estou, será a sua rápida resposta. Tudo o que precisam de fazer é deixar de oprimir o fraco, abandonar a falsidade, não fazer falsas acusações, nem espalhar mentiras! Dêem de comer ao faminto! Ajudem os necessitados e aflitos! Então a vossa luz brilhará nas trevas, e a escuridão à vossa volta será como a brilhante claridade do dia. O Senhor vos guiará continuamente e vos encherá de toda a sorte de coisas boas, dando-vos bem-estar e saúde. Serão como um viçoso jardim bem regado com frescas águas; serão como uma fonte jorrando continuamente água abundante. Os vossos filhos tornarão a construir as ruínas antigas, edificando sobre velhas fundações do passado; e serão conhecidos como o povo que reconstrói as suas muralhas e cidades. Se guardarem o santo sábado, não se divertindo nem trabalhando nesse dia, mas antes honrando-o e tendo prazer nele como o dia santo do Senhor, honrando o Senhor em tudo o que fizerem, não seguindo os vossos próprios desejos e prazeres, nem mantendo propósitos e conversas ociosas e inúteis, então o Senhor será todo o vosso prazer. E farei com que cavalguem nas alturas, e com que obtenham a totalidade das bênçãos que prometi a Jacó, vosso pai. É o Senhor mesmo quem diz isto.” Isaías 58:1-14.

 

temasbblicos.blogspot.com.br
TTASD
brucecameron.blogspot.com.br
fabiodeps@gmail.com

 

Anúncios

, , , , , , , , ,

  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • ” Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo.” Apocalipse 1:3

  • “Não desprezeis as profecias; julgai todas as coisas, retende o que é bom.” 1 Tessalonicenses 5:20-21.

  • "Conservai-vos a vós mesmos no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo para a vida eterna.
    E apiedai-vos de alguns, usando de discernimento;
    E salvai alguns com temor, arrebatando-os do fogo, odiando até a túnica manchada da carne."
    Judas 1:21-23

%d blogueiros gostam disto: