COMENTÁRIO À LIÇÃO 1 (2ºTRIMESTRE) – Leis no tempo de Cristo – (29/03 a 5/04/2014)

Iniciamos uma série de lições sobre a lei de Deus. Parece tão natural pensar na lei e na graça, como opostas uma da outra. Meu objetivo, nesta série, é ajudar-nos a pensar sobre a lei e a graça como dons. Como um mapa, a lei é um dom maravilhoso de Deus, para nos ajudar a entender como chegar em segurança ao nosso destino.
“Porque, se pecarmos voluntariamente, depois de termos recebido o conhecimento da verdade, já não resta mais sacrifício pelos pecados,
Mas uma certa expectação horrível de juízo, e ardor de fogo, que há de devorar os adversários.
Quebrantando alguém a lei de Moisés, morre sem misericórdia, só pela palavra de duas ou três testemunhas.
De quanto maior castigo cuidais vós será julgado merecedor aquele que pisar o Filho de Deus, e tiver por profano o sangue da aliança com que foi santificado, e fizer agravo ao Espírito da graça?
Porque bem conhecemos aquele que disse: Minha é a vingança, eu darei a recompensa, diz o Senhor. E outra vez: O Senhor julgará o seu povo.
Horrenda coisa é cair nas mãos do Deus vivo.”
Hebreus 10:26-31

 

Gebhard_Fugel_Moses recebendo tabuas da lei-Gebhard Fugel 1863–1939

 

VERSO ÁUREO: “Quando, pois, os gentios, que não têm lei, procedem, por natureza, de conformidade com a lei, não tendo lei, servem eles de lei para si mesmos”. Romanos 2:14

INTRODUÇÃO (sábado 29 de março) – Um novo trimestre se abre diante de nós e estudaremos sobre a relação de Jesus com a lei, nos tempos antigos e no Seu tempo. Nesta semana vamos ver as principais leis dadas ao povo de Israel que foram abolidas e as que ainda estão em vigor.

Eis as leis: 1) Lei Moral, os Dez Mandamentos – Constituem-se na essência da responsabilidade moral humana para com o seu Criador.
2) Leis de Saúde – Entre as leis de saúde encontradas no Antigo Testamento, destacam-se as leis dos animais que não devem servir de alimentos. Ver Levítico 11 e Deuteronômio 14.
3) Leis Cerimoniais – Tais leis simbolizavam o sacrifício que Jesus viria fazer em favor da raça humana. Incluem-se aqui os diversos sacrifícios de cordeiros e animais que eram feitos. Ver Levíticos capítulos de 1 ao 7 e João 1:29; I Coríntios 5:7; Apocalipse 13:8. A lei cerimonial diz respeito especificamente à adoração por parte de Israel. Ver Levíticos capítulos 1, 2 e 3.
4) Leis Civis – A lei civil aplicava-se à vida cotidiana em Israel. Ver um exemplo sobre o empestar coisas. Deut. 24:10,11. Pelo fato de a sociedade e a cultura modernas serem tão radicalmente diferentes das daquele tempo, esse código, como um todo, não pode ser seguido. Mas os princípios éticos contidos nos mandamentos são atemporais, e devem guiar nossa conduta. Jesus demonstrou estes princípios por meio de Sua vida exemplar. Leis em conexão com o governo civil e militar, assim como aquelas relacionadas ao rei, para pactos com outros países, para fazer o censo e assuntos militares. Leis relacionadas no estado judaico, como; ordenação, santificação de sacerdotes e reis, da lua nova e o arranjo do calendário; as leis do Jubileu e o soar do shofar em Yom Kipur para anunciar o Jubileu; as leis dos serventes judeus; o direito de vender um ladrão, caso ele falhasse em restituir seu roubo; as regulamentações das cidades de refúgio; punições corporais e as multas relacionadas, e a pena capital; isso tudo cessou setenta anos antes da destruição do segundo templo, devido às invasões dos romanos, que começaram a exercer usa influência na Judeia. 5) Leis Religiosas – Havia diversas leis que regulavam a vida religiosa do povo Hebreu. Delas fazem parte as leis sobre a impureza. Por exemplo: mulheres menstruadas e pessoas que haviam tocado em mortos não podiam ir até o pátio do templo até se tornarem puras através das cerimônias. Ver Levíticos 15 e 16

“Se Adão não tivesse transgredido a Lei de Deus, nunca teria sido instituída a lei cerimonial. O Evangelho das boas-novas foi primeiro dado a Adão na declaração que lhe foi feita, de que a semente da mulher havia de esmagar a cabeça da serpente; e foi transmitido através de sucessivas gerações a Noé, Abraão e Moisés. O conhecimento da Lei de Deus e do Plano da Salvação foi comunicado a Adão e Eva pelo próprio Cristo. Entesouraram cuidadosamente a importante lição, transmitindo-a verbalmente aos filhos e aos filhos dos filhos. Assim se preservou o conhecimento da Lei de Deus.” – Ellen G. White, Mensagens Escolhidas, livro 1, p. 230.

Durante este trimestre estudaremos especialmente a Lei moral de Deus que refere-se aos 10 mandamentos. Embora devemos dar uma atenção especial às leis ainda em vigor, precisamos enaltecer a graça e a fé; das quais advém a nossa salvação: “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie.” Efésios 2:8-9

 

DOMINGO (30 de março) A LEI ROMANA – Mais de um quarto de século antes do nascimento de Jesus, a Palestina caiu sob o exército de Pompeu, e a lei romana foi imposta. Mas Roma, na época, muito extensa e muito preocupada com seus próprios problemas, não estava em condições de ali instalar o governo administrativo necessário para um governo direto. Assim, Roma criou uma linha de reis para governar sob o seu controle. Não eram judeus, mas árabes. Herodes Antipater (63 a 37 a.C.); Herodes, o grande (37 a 4 a.C.); Herodes Antipas, nos dias de Cristo.

 

O povo judeu podia manter sua própria religião e costumes, mas a autoridade final era de Roma e reforçada pelo exército romano. No ano 6 d.C. , o país foi dividido em duas províncias, Judeia e Galileia. Herodes Antipas tornou-se o rei da Galileia. Mas Judeia, a capital espiritual e secular, ficou sujeita a norma romana direta, administrada por um procurador romano sediada em Cesareia. O regime era brutal e autocrático. Ao assumir o controle direto da Judeia, mais de dois mil rebeldes foram crucificados. O templo foi saqueado e destruído e impostos pesados foram criados. Este estado de coisas foi aperfeiçoado, em favor de Roma, por Pôncio Pilatos; procurador da Judeia de 26 d.C. até 36 d. C. Os registros existentes indicam que Pilatos era um homem corrupto e cruel, e não só perpetuou, mas intensificou os abusos de seu predecessor. Pelo menos, à primeira vista, é surpreendente que os evangelhos não contenham críticas a Roma, nem menções ao jugo romano. Isso explica-se pelo fato do reino de Cristo ser pacífico, pois trata-se do reino dos Céus.

 

Veja como o texto sugerido para hoje mostra como José e Maria obedeciam as leis de Roma: “E aconteceu naqueles dias que saiu um decreto da parte de César Augusto, para que todo o mundo se alistasse(Este primeiro alistamento foi feito sendo Quirino presidente da Síria). E todos iam alistar-se, cada um à sua própria cidade. E subiu também José da Galileia, da cidade de Nazaré, à Judeia, à cidade de Davi, chamada Belém (porque era da casa e família de Davi), a fim de alistar-se com Maria, sua esposa, que estava grávida.” Lucas 2:1-5. José e Maria foram obedientes às leis romanas, pois a Judeia estava sujeita aos romanos.

 

Jesus certa vez, quando interpelado pelos judeus sobre o dever de pagar impostos à Roma disse assim: “E Jesus, respondendo, disse-lhes: Dai pois a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus. E maravilharam-se dele.” Marcos 12:17.

 

Até que ponto devemos obedecer as leis do país? As leis romanas proibiam a pregação do Cristianismo em lugares públicos. Certa vez Pedro e os demais apóstolos foram apanhados pregando e foram repreendidos, e quando diante do imperador eles disseram: “Porém, respondendo Pedro e os apóstolos, disseram: Mais importa obedecer a Deus do que aos homens.” Atos dos Apóstolos 5:29

 

SEGUNDA-FEIRA (31 de março) AS LEIS CIVIS DO ANTIGO TESTAMENTO – A lei civil aplicava-se à vida cotidiana em Israel. Ver um exemplo sobre o empestar coisas. Deut. 24:10,11. Pelo fato de a sociedade e a cultura modernas serem tão radicalmente diferentes das daquele tempo, esse código, como um todo, não pode ser seguido. Mas os princípios éticos contidos nos mandamentos são atemporais, e devem guiar nossa conduta. Jesus demonstrou estes princípios por meio de Sua vida exemplar. Leis em conexão com o governo civil e militar, assim como aquelas relacionadas ao rei, para pactos com outros países, para fazer o censo e assuntos militares. Leis relacionadas no estado judaico, como; ordenação, santificação de sacerdotes e reis, da lua nova e o arranjo do calendário; as leis do Jubileu e o soar do shofar em Yom Kipur para anunciar o Jubileu; as leis dos serventes judeus; o direito de vender um ladrão, caso ele falhasse em restituir seu roubo; as regulamentações das cidades de refúgio; punições corporais e as multas relacionadas e a pena capital, cessaram setenta anos antes da destruição do segundo templo, devido às invasões dos romanos, que começaram a exercer sua influência na Judeia. Leis do divórcio: Conforme Mateus 19:3-12 vemos que Jesus cita essa lei que os judeus ainda praticavam, depois Jesus regulamentou esta lei. Ainda acrescentamos as leis sobre impostos, serviço militar obrigatório, sistema político, sistema jurídico, etc. Isso tudo era seguido pelos hebreus mas que hoje cada país tem as suas leis.

 

No tempo de Jesus, os judeus estavam sob o poder romano e os romanos permitiam que o país mantivesse suas próprias leis. Em cada caso era feito um acordo. Os judeus mantiveram todas as leis que Deus lhes havia dado, e também conseguiram manter o Sinédrio que era a sede do governo judeu, no entanto regulamentado por Roma.

 

Veja outras leis civis do antigo Testamento que ainda eram praticadas na época de Cristo: 1)Pagar impostos no templo. Ver Mateus 17:24-27. 2) Lei do divórcio. Ver Mateus 19:7. 3) Lei do apedrejamento. Ver João 8:5. 4) Lei da circuncisão. Ver João 7:23.

 

Que cuidado se deve ter para não sermos influenciados por leis que, para nós, já caducaram? Como impedir que as tradições religiosas nos tirem a alegria do Cristianismo autêntico?

 

TERÇA-FEIRA (1º de abril) AS LEIS CERIMONIAIS – Tais leis simbolizavam o sacrifício que Jesus viria fazer em favor da raça humana. Incluem-se aqui os diversos sacrifícios de cordeiros e animais que eram feitos. Ver Levíticos capítulos de 1 ao 7 e João 1:29; I Coríntios 5:7; Apocalipse 13:8. A lei cerimonial diz respeito especificamente a adoração por parte de Israel. Ver Levíticos capítulos 1, 2 e 3. Seu propósito primário era apontar adiante, para Cristo, portanto, não seria mais necessária depois da morte e ressurreição de Jesus. Como vemos em Mateus: “E eis que o véu do templo se rasgou em dois, de alto abaixo; e tremeu a terra, e fenderam-se as pedras.” Mateus 27:51

 

As leis cerimoniais foram escritas em um livro, por Moisés, e colocadas ao lado da arca. Ver Deut. 31:24. Estas leis de sacrifícios, e tantas outras, apontavam para o sacrifício de Cristo, na cruz, como sendo o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Em Levítico capítulos 16 e 23, e Números capítulos 28 e 29, estão enumerados os vários dias de festa para os israelitas. Cada um desses dias festivos constituía uma santa convocação e era um dia de descanso, palavra que no hebraico é a mesma de sábado “Shabbat.” Contudo, eram dias móveis dentro da semana. Estes feriados eram os sábados de descanso, mas que podiam cair em qualquer dia da semana. E quando coincidia de cair em um dia de sábado semanal, era chamado de sábado grande, por comemorar o sábado da festa e o semanal do mandamento.

 

Eis a seguir os sete sábados cerimoniais e seus respectivos dias de celebração que Paulo faz referência em Colossenses:“Portanto, ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa dos dias de festa, ou da lua nova, ou dos sábados, que são sombras das coisas futuras, mas o corpo é de Cristo.” Colossenses 2:16-17.

 

1.º Sábado Cerimonial – Páscoa – 14.º dia do primeiro mês.

2.º Sábado Cerimonial – Festa dos Pães Asmos – 21.º dia do primeiro mês.

3.º Sábado Cerimonial – Festa das Primícias – 6.º dia do terceiro mês.

4.º Sábado Cerimonial – Festa das Trombetas – 1.º dia do sétimo mês.

5.º Sábado Cerimonial – Dia da Expiação – 10.º dia do sétimo mês.

6.º Sábado Cerimonial – Festa dos Tabernáculos – 15.º dia do sétimo mês

7.º Sábado Cerimonial – Festa dos Tabernáculos – 22.º dia do sétimo mês.

 

Aqui inclui também todos os serviços do santuário com seus significados apontando para Jesus. Estas ordenanças foram abolidas na cruz: “Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz.” Colossenses 2:14. É pena que muitos cristãos, e alguns deles são até sinceros, fazem uma grande confusão com a lei dos 10 mandamentos. Alguns chegam ao absurdo de dizerem que a lei de Deus, dos 10 mandamentos, foi abolida. A lei das ordenanças ou cerimoniais essas sim foram abolidas, mas os 10 mandamentos. e também o sábado, que faz parte dos 10 mandamentos, continuam em vigor.

 

QUARTA-FEIRA (2 de abril) A LEI RABÍNICA – O que é o Judaísmo e quem é judeu? O dicionário define um “judeu” como “um membro da tribo de Judá”, “um israelita”, “uma pessoa que pertença à continuação do povo judeu, ou através de origem, ou através de conversão” e “um seguidor do Judaísmo”. De acordo com o Judaísmo rabínico, um judeu ou é aquele cuja mãe é judia, ou alguém que se converteu formalmente ao Judaísmo. Levítico 24:10 é citado frequentemente para dar credibilidade a essa crença, apesar da Torá não clamar essa tradição especificamente.

 

O que é um rabino? No judaísmo, rabino é um título usado para distinguir aquele que ensina, aquele que tem a autoridade dos doutores da Torá ou aquele apontado pelos líderes religiosos da comunidade. Hoje os rabinos são os responsáveis pelo ensino e aplicação dos ensinamentos do judaísmo. Ao contrário de outras religiões, o rabino não é um sacerdote, não sendo estritamente necessário para a realização da maioria dos atos do ciclo de vida judaico, como o casamento, sepultamentos e outros. Atualmente os únicos atos que exigem a participação de um rabino são o divórcio, conversões e litígios que exijam a decisão de um tribunal rabínico.

 

Os rabinos desenvolveram 613 mandamentos ou 613 mitzvot, é o nome dado ao conjunto de todos os mandamentos que, de acordo com o judaísmo, constam na Torá, os cinco livros de Moisés. De acordo com essa tradição, estes 613 mandamentos estão divididos em “mandamentos positivos”, no sentido de realizar determinadas ações  e “mandamentos negativos”, que se deve abster de certas ações. Existem 365 mandamentos negativos, correspondendo ao número de dias no ano solar, que é como se cada dia dissesse à pessoa “não cometa uma transgressão hoje.

Geralmente os rabinos eram fariseus e eles criaram e adaptaram leis conforme as suas tradições. Veja duas delas e que Jesus as cita: “Porque os fariseus, e todos os judeus, conservando a tradição dos antigos, não comem sem lavar as mãos muitas vezes.” Marcos 7:3 – “Depois perguntaram-lhe os fariseus e os escribas: Por que não andam os teus discípulos conforme a tradição dos antigos, mas comem o pão com as mãos por lavar? E ele, respondendo, disse-lhes: Bem profetizou Isaías acerca de vós, hipócritas, como está escrito: Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim.” Marcos 7:5-6.

“E dizia-lhes: Bem invalidais o mandamento de Deus para guardardes a vossa tradição. Porque Moisés disse: Honra a teu pai e a tua mãe; e quem maldisser, ou o pai ou a mãe, certamente morrerá. Vós, porém, dizeis: Se um homem disser ao pai ou à mãe: Aquilo que poderias aproveitar de mim é Corbã, isto é, oferta ao Senhor.” Marcos 7:9-11. Neste caso a situação era muito séria, pois eles criaram uma lei dentro do 5º mandamento que; para se libertarem dos cuidados dos pais idosos e inválidos eles davam uma boa oferta para os sacerdotes e estes cuidavam deles até a morte. Era uma maneira dos filhos se livrarem dos cuidados e responsabilidades dos pais de forma autorizada, religiosa e civilmente.

 

QUINTA-FEIRA (3 de abril) A LEI MORAL – Os Dez Mandamentos, constituem-se na essência da responsabilidade moral humana para com o seu Criador. Os primeiros quatro mandamentos referem-se às nossas obrigações para com Deus, e os outros seis para com o nosso próximo.

 

Os dez mandamentos foram escritos pelo próprio dedo de Deus, conforme Êxodo 31:18 e entregues à Moisés. Ver os dez mandamentos em Êxodo 20:1-17. Os mandamentos estabelecem o modo do relacionamento entre os seres inteligentes. A lei orienta como os seres humanos devem se relacionar com Deus e entre eles mesmos. Embora sejamos salvos pela graça de Deus e pela fé que exercemos, todo bom cristão deve guardar os 10 mandamentos; pois “este é o dever de todo o homem e “os mandamentos não são pesados”

 

A lei dos 10 mandamentos rege o comportamento e a ética de todos os povos em todas as gerações. As constituições dos países e governos contém a maior parte dos 10 mandamentos. Deus, em Sua sabedoria, previu que as pessoas não devem matar, roubar, cometer adultério, mentir e cobiçar; e devem cuidar dos pais e das pessoas em necessidades. O próprio Jesus valorizou os 10 mandamentos: “E eis que, aproximando-se dele um jovem, disse-lhe: Bom Mestre, que bem farei para conseguir a vida eterna? E ele disse-lhe: Por que me chamas bom? Não há bom senão um só, que é Deus. Se queres, porém, entrar na vida, guarda os mandamentos. Disse-lhe ele: Quais? E Jesus disse: Não matarás, não cometerás adultério, não furtarás, não dirás falso testemunho; honra teu pai e tua mãe, e amarás o teu próximo como a ti mesmo.” Mateus 19:16-19.

 

Veja estes outros textos: “A ninguém devais coisa alguma, a não ser o amor com que vos ameis uns aos outros; porque quem ama aos outros cumpriu a lei. Com efeito: Não adulterarás, não matarás, não furtarás, não darás falso testemunho, não cobiçarás; e se há algum outro mandamento, tudo nesta palavra se resume: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo. O amor não faz mal ao próximo. De sorte que o cumprimento da lei é o amor.” Romanos 13:8-10

 

“Deus ama Suas criaturas com um amor que é a um tempo terno e forte. Estabeleceu as leis da natureza; estas, porém, não são exigências arbitrárias. Todo “Não”, seja no que concerne à lei física como no que respeita à lei moral, implica uma promessa. Caso ela seja obedecida, nossos passos serão seguidos de bênçãos; se desobedecida, o resultado será perigo e infelicidade. As leis de Deus visam levar Seu povo mais perto dele. Ele os salvará do mal e os levará ao bem, se quiserem ser conduzidos; forçá-los, porém, Ele jamais fará”. Testemunhos Seletos, vol. 2, 144 e 145.

 

A lei moral dura para sempre: “Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim abrogar, mas cumprir. Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til jamais passará da lei, sem que tudo seja cumprido.” Mateus 5:17-18

 

SEXTA-FEIRA (4 de abril) ESTUDO ADICIONAL DA LIÇÃO – Toda lei tem dois aspectos: proteção e punição. As leis são criadas, em primeira instância, para proteger as pessoas das consequências da desobediência das leis. Caso as pessoas resolvem desobedecer, sofrem as consequências com a punição, que pode ser desde um pequena multa ou um castigo na escola até a pena de morte, em países onde essa punição é aplicada.

 

Com Deus não pode ser diferente. Ele deixou-nos as Suas orientações na Bíblia Sagrada para obedecermos: “Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo.” Apocalipse 1:3. Quando não obedecemos sofremos as consequências, as vezes imediata ou eternamente: “E a vós, que sois atribulados, descanso conosco, quando se manifestar o Senhor Jesus desde o céu com os anjos do seu poder, com labareda de fogo, tomando vingança dos que não conhecem a Deus e dos que não obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo; os quais, por castigo, padecerão eterna perdição, longe da face do Senhor e da glória do seu poder.” II Tessalonicenses 1:7-9. Leis existem para o nosso bem. Devemos obedecê-las não por causa da punição, e sim, porque a obediência só nos favorece.
Há leis que perderam a sua validade por servir apenas para as épocas passadas. No entanto há outras leis que continuam vigentes, como as leis de saúde e os 10 mandamentos. Para a obediência destas leis devemos buscar a face do Senhor.
Jesus resumiu os 10 mandamentos em dois. Mas isto não quer dizer que os 10 mandamentos caducaram. Isto quer dizer que Jesus conhecia as duas tábuas da lei. Os primeiros 4 mandamentos estavam na primeira tábua e os outros 6 na segunda tábua. Tão simples quanto isso! Paulo também entendia isso quando disse: “A ninguém devais coisa alguma, a não ser o amor com que vos ameis uns aos outros; porque quem ama aos outros cumpriu a lei. Com efeito: Não adulterarás, não matarás, não furtarás, não darás falso testemunho, não cobiçarás; e se há algum outro mandamento, tudo nesta palavra se resume: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo. O amor não faz mal ao próximo. De sorte que o cumprimento da lei é o amor.” Romanos 13:8-10.
O 4º mandamento, que requer a guarda do sábado, também continua em vigor, conforme vimos na lição de terça-feira. Os sábados cerimoniais é que foram abolidos e não o “sábado” semanal do mandamento moral.

Veja este texto: “Em todos os séculos Deus tem tido heróis morais; e tem-nos agora os que como José, Elias e Daniel, não se envergonham de se reconhecerem como Seu povo peculiar. Suas bênçãos especiais acompanham os labores de homens de ação; homens que não se desviarão da linha reta do dever, mas que perguntarão com divina energia: “Quem é do Senhor”? Êxo. 32:26, homens que não se deterão apenas no perguntar, mas exigirão que os que escolherem identificar-se com o povo de Deus prossigam e demonstrem sem sombra de dúvida sua obediência ao Rei dos reis e Senhor dos senhores. Tais homens subordinam sua vontade e planos à lei de Deus. Por amor a Ele, não têm a sua vida por preciosa. Seu trabalho é captar a luz da Palavra e deixá-la brilhar para o mundo em raios claros e firmes. Fidelidade a Deus é sua divisa”. Profetas e Reis, 148.

 

evangelismo.adventistas.org.pt
temasbblicos.blogspot.com.br
gotQuestions.org
fabiodeps@gmail.com
cpb.com.br

Anúncios

, , , , , , , , , , , ,

  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • ” Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo.” Apocalipse 1:3

  • “Não desprezeis as profecias; julgai todas as coisas, retende o que é bom.” 1 Tessalonicenses 5:20-21.

  • "Conservai-vos a vós mesmos no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo para a vida eterna.
    E apiedai-vos de alguns, usando de discernimento;
    E salvai alguns com temor, arrebatando-os do fogo, odiando até a túnica manchada da carne."
    Judas 1:21-23

%d blogueiros gostam disto: