COMENTÁRIOS DA LIÇÃO 13: O CUSTO DO DISCIPULADO – (22 A 29/03/2014)

O mundo mudou muito desde que os cristãos primitivos pagaram com a vida a escolha de viverem para Cristo. Contudo, há ainda países no mundo onde o preconceito religioso é tão grande que há atos de violência entre crentes de diferentes credos religiosos. Talvez mais insidioso, porém, seja o clima em que muitos de nós se acham: um clima em que não importa a forma como as pessoas praticam a sua fé ou sequer que a pratiquem. O surgimento do secularismo e do materialismo em muitos países deixa pouco tempo para a vivência de uma espiritualidade autêntica.  De que maneira nos mantemos fiéis numa ou em ambas as circunstâncias?
(evangelismo.adventistas.org.pt)

DellaFrancesca

VERSO ÁUREO: “A nossa esperança acerca de vós é firme, sabendo que, como sois participantes das aflições, assim o sereis, também, da consolação.” II Coríntios 1:7

LEITURA COMPLEMENTAR PARA O ESTUDO DA SEMANA: Lucas 12:49-53; Deuteronômio 21:15; I Coríntios 9:24-27; Mateus 18:8 e 9; João 14:1-3 e Hebreus 11:32-12:4

INTRODUÇÃO (sábado 22 de março) – Ao longo da história, incontáveis milhões sacrificaram, voluntariamente, a vida por Cristo. Foram presos, torturados e até executados. Milhões perderam empregos, sofreram escárnio, suportaram a expulsão do seio da família e perseveraram no meio de perseguição religiosa, em vez de renegarem Cristo. Só Deus sabe a plena dimensão do sofrimento que os Seus fiéis têm suportado.

Veja estes textos: “E, também, todos os que piamente querem viver em Cristo Jesus, padecerão perseguições.” II Timóteo 3:12

“Porque para isto sois chamados; pois, também, Cristo padeceu por nós, deixando-nos o exemplo, para que sigais as Suas pisadas.” I Pedro 2:21

O único apóstolo cuja morte está registrada na Bíblia é Tiago. Ver Atos 12:2. O rei Herodes “fez Tiago passar a fio de espada”; aparentemente uma referência à decapitação. As circunstâncias das mortes dos outros apóstolos só podem ser conhecidas baseadas nas tradições da igreja. A tradição da igreja mais aceita em relação à morte de um apóstolo é que o apóstolo Pedro foi crucificado, de cabeça para baixo, em uma cruz em forma de x em Roma, cumprindo a profecia de Jesus. Ver João 21:18

Não é tão importante saber como os apóstolos morreram. O que importa é o fato de que todos eles estavam dispostos a morrer pela sua fé. Se Jesus não tivesse sido ressuscitado, os discípulos o saberiam. Ninguém morreria por alguma coisa que se sabe ser uma mentira. O fato de que todos os apóstolos estavam dispostos a morrer horrivelmente, recusando-se a negar a sua fé em Cristo é uma tremenda evidência de que eles verdadeiramente testemunharam a ressurreição de Jesus Cristo.

DOMINGO (23 de março) CALCULANDO O CUSTO: A MAIS ALTA PRIORIDADE – Veja os textos a seguir: Lucas 14:25 e 26; Mateus 10:37 e Lucas 12:49-53.

De que modo devemos nós compreender estas poderosas palavras? Qual é a mensagem de Jesus a nós dirigida nestes textos? “Ora, ia com ele uma grande multidão; e, voltando-se, disse-lhe: Se alguém vier a mim, e não aborrecer a seu pai, e mãe, e mulher, e filhos, e irmãos, e irmãs, e ainda também a sua própria vida, não pode ser meu discípulo.” Lucas 14:25-26

“Quem ama o pai ou a mãe mais do que a mim não é digno de mim; e quem ama o filho ou a filha mais do que a mim não é digno de mim.” Mateus 10:37

A final de contas; Jesus veio trazer paz ou guerra à terra? O contexto de Mateus 10 explica isso: “Não cuideis que vim trazer a paz à terra; não vim trazer paz, mas espada; porque eu vim pôr em dissensão o homem contra seu pai, e a filha contra sua mãe, e a nora contra sua sogra; e assim os inimigos do homem serão os seus familiares.” Mateus 10:34-36

Sem dúvidas que o assunto é simples de ser entendido, mas é muito difícil de ser praticado. Aqui está a questão das prioridades. Tendemos a dar prioridade para a família, amigos, emprego e lazer. E Jesus, fé e religião tendem a ficar para depois. As pessoas que resolvem colocar Deus em primeiro lugar padecem perseguições através das pessoas que são mais próximas. O inverso também pode ser verdadeiro. Pense na possibilidade de você estar levando uma vida espiritual longe de Deus; e estar, sem saber, atrapalhando a consagração de um familiar seu. Neste caso o melhor a fazer é buscar Deus em arrependimento e entregar o coração à Ele

SEGUNDA-FEIRA (24 de março) LEVAR A PRÓPRIA CRUZ – Este é o texto principal para hoje: “E, qualquer que não levar a sua cruz, e não vier após Mim, não pode ser Meu discípulo.” Lucas 14:27

O que é ser discípulo? Significa aceitar Cristo como Salvador e Senhor. Seguir a Jesus significa que se está pronto a suportar o mesmo sofrimento que Cristo padeceu.

O que significa levar a Cruz de Cristo? Antes do batismo, todos os candidatos devem compreender que o próprio Senhor Jesus lhes confiou uma cruz, sem a qual não podem, de modo algum, tornar-se Seus discípulos. A cruz era um instrumento usado para humilhar, torturar e matar; feita por duas vigas de madeira em forma de um grande T, algumas vezes em forma de X; onde eram colocados os: marginais, criminosos e malfeitores. A cruz de Cristo foi um fato insignificante para uns, ou seja, sem significado, mas para outros foi um ato de muita relevância. E para você o que foi a cruz de Cristo?

A Cruz de Cristo tem um grande significado para nós, pois foi numa cruz que Jesus Cristo foi cravado, e nela jorrou o sangue que nos lavou, curou, justificou e redimiu. O apóstolo Paulo escrevendo às igrejas da Galácia disse: ‘‘Mas longe esteja de mim gloriar-me, senão na cruz do nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo está crucificado para mim, e eu, para o mundo’’Gál. 6:14.

Levar a cruz de Cristo significa:
a) Estarmos dispostos à mudança de vida através do arrependimento, confissão, abandono dos pecados, estudo sistemático da Bíblia e oração.
b) Guardarmos, não só os 10 mandamentos da lei de Deus, mas todas as outras exigências contidas na Bíblia
c) Participarmos da adoração ao Seu nome através do culto em família e na igreja.
d) Estarmos ativamente envolvidos na pregação da palavra de Deus.

TERÇA-FEIRA (25 de março) RESPOSTA DISCIPLINADA – Analise as seguintes passagens: Lucas 14:31-33; I Cor. 9:24-27; Heb. 12:1-4; II Pedro 1:5-11.

O que nos dizem estes textos a respeito da vida de um discípulo? De que modo já experimentou, pessoalmente, a realidade daquilo que a Bíblia aqui nos diz? Veja alguns destes textos: “Ou qual é o rei que, indo à guerra a pelejar contra outro rei, não se assenta primeiro a tomar conselho sobre se com dez mil pode sair ao encontro do que vem contra ele com vinte mil? De outra maneira, estando o outro ainda longe, manda embaixadores, e pede condições de paz. Assim, pois, qualquer de vós, que não renuncia a tudo quanto tem, não pode ser meu discípulo.” Lucas 14:31-33

“Não sabeis vós que os que correm no estádio, todos, na verdade, correm, mas um só leva o prêmio? Correi de tal maneira que o alcanceis. E todo aquele que luta de tudo se abstém; eles o fazem para alcançar uma coroa corruptível; nós, porém, uma incorruptível. Pois eu assim corro, não como a coisa incerta; assim combato, não como batendo no ar. Antes subjugo o meu corpo, e o reduzo à servidão, para que, pregando aos outros, eu mesmo não venha de alguma maneira a ficar reprovado.” I Coríntios 9:24-27

Os textos para hoje motivam-nos a levarmos uma vida muito disciplinada, para sermos bons discípulos. Ninguém se tornou ilustre por fazer o que lhe dá na cabeça. Os homens insignificantes fazem o que querem e tornam-se nuns zé-ninguém. Os grandes submetem-se às leis que regem o setor em que são grandes. O auto domínio é sempre recompensado com uma força que dá uma alegria interior inexprimível e silenciosa que se torna no tom dominante da vida. O auto-domínio é a qualidade que distingue os mais aptos para sobreviverem. “O mais importante atributo do homem como ser moral é a faculdade de auto-domínio” escreveu Herbert Spencer. Nunca houve, nem pode haver, uma vida boa sem auto-domínio; sem ele a vida é inconcebível. A vitória mais importante e mais nobre do homem é a conquista de si mesmo. Assim é no mundo da sociologia e psicologia e não pode ser diferente na vida espiritual. O homem que não sabe controlar-se a si mesmo torna-se absurdo quando quer controlar os outros.

Na verdade, Cristo oferece-nos o poder para vencermos os defeitos do nosso caráter. Todo o apetite, toda a emoção e toda a inclinação intelectual podem estar sob a orientação do Espírito Santo. Repare-se no exemplo do atleta utilizado pelo apóstolo Paulo nalguns dos seus textos. Nenhum atleta decide correr mais lentamente, saltar mais baixo ou fazer o lançamento mais curto. Também nenhum crente olha para trás, sobretudo quando o que está em jogo na “corrida” é algo de eterno, ao contrário de qualquer prêmio que um atleta terreno possa obter em resultado de todo o seu esforço e treino diligente.

Veja este texto: “Os corredores punham de lado toda a condescendência que tendesse a diminuir as suas faculdades físicas, e, mediante uma disciplina severa e contínua, treinavam os músculos de modo a tornarem-se fortes e resistentes, para que, ao chegar o dia da competição, pudessem exigir das suas forças o máximo rendimento. Ora é muito mais importante que o cristão, que tem em jogo interesses eternos, coloque os apetites e as paixões sob o domínio da razão e da vontade de Deus! Não deve permitir que a sua atenção seja alguma vez desviada por entretenimentos, luxos ou comodidades. Todos os seus hábitos e paixões devem ser conservados sob a mais estrita disciplina. A razão, iluminada pelos ensinos da Palavra de Deus e guiada pelo Seu Espírito, tem de tomar as rédeas do controlo.” Atos dos Apóstolos, 220

QUARTA-FEIRA (26 de março) COMPARANDO OS CUSTOS – Veja nos textos sugeridos para o estudo de hoje o custo do discipulado: “Portanto, se a tua mão ou o teu pé te escandalizar, corta-o, e atira-o para longe de ti; melhor te é entrar na vida coxo, ou aleijado, do que, tendo duas mãos ou dois pés, seres lançado no fogo eterno. E, se o teu olho te escandalizar, arranca-o, e atira-o para longe de ti; melhor te é entrar na vida com um só olho, do que, tendo dois olhos, seres lançado no fogo do inferno.” Mateus 18:8-9

“Amai, pois, a vossos inimigos, e fazei bem, e emprestai, sem nada esperardes, e será grande o vosso galardão, e sereis filhos do Altíssimo; porque ele é benigno até para com os ingratos e maus.” Lucas 6:35

“Nada faça por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo.” Filipenses 2:3

As recompensas do discipulado podem ser calculadas mediante a comparação de custos. Esses custos podem incluir o sofrimento emocional, a rejeição social, a tortura física, a privação financeira, a prisão e até a morte, em alguns casos. Qualquer um que se envolva em discipulado deve, primeiramente, ter em cuidadosa consideração os investimentos envolvidos.

Quais são alguns benefícios do discipulado? “E disse Pedro: Eis que nós deixamos tudo e te seguimos. E ele lhes disse: Na verdade vos digo que ninguém há, que tenha deixado casa, ou pais, ou irmãos, ou mulher, ou filhos, pelo reino de Deus, que não haja de receber muito mais neste mundo, e na idade vindoura a vida eterna. Lucas 18:28-30 Ver também João 14:1-3 e Apoc. 22:1-5.

Não há dúvida de que o custo de seguir Jesus pode ser elevado mas uma coisa, porém, é certa: qualquer que seja o ganho nesta vida, seja o que for que alcancemos, independentemente do que façamos de nós mesmos, tudo é temporário. É algo que não vai durar sempre. Vai desaparecer, e vai desvanecer-se para sempre. Em contrapartida, o que obtemos através de Jesus, a vida eterna num novo céu e numa nova terra; é, de longe, mais valioso do que qualquer coisa ou do que tudo o que este mundo possa, alguma vez, oferecer-nos.

QUINTA-FEIRA (27 de março)  “UMA MELHOR RESSURREIÇÃO” – Leia Hebreus 11:32 – 12:4. Que mensagens veiculam para você, pessoalmente, estes versículos a respeito do custo e da recompensa do discipulado?

Veja o verso base de hoje: “As mulheres receberam, pela ressurreição, os seus mortos; uns foram torturados, não aceitando o seu livramento, para alcançarem uma melhor ressurreição.” Hebreus 11:35.

Na introdução desta lição escrevi que nenhuma pessoa morreria por alguma coisa ou pessoa que se sabe ser uma mentira. O fato de que todos os apóstolos estavam dispostos a morrer, horrivelmente, recusando-se a negar a sua fé em Cristo é uma tremenda evidência de que eles verdadeiramente testemunharam a ressurreição de Jesus Cristo. Este texto é claro em dizer da opção de algumas pessoas em morrer por Cristo. No final de tudo, antes de o grande conflito estar terminado, a menos que estejamos vivos aquando da segunda vinda, teremos pela frente ou a primeira ressurreição, ou a segunda ressurreição.

Qual é a melhor ressurreição; a primeira ou a segunda? Certamente sabemos qual é a melhor. O que mais pode ter importância do que não só nos encontrarmos nessa ressurreição, mas também de fazermos tudo o que pudermos para levar outros a participar nela? Hoje há várias interpretações de qual é a primeira e a segunda ressurreição; mas a Bíblia é clara em mostrar-nos esta doutrina tão importante!

Veja a seguinte explicação bíblica: Em João 5:28 e 29 menciona a existência de duas ressurreições; a ressurreição da vida, e a ressurreição da condenação. A ressurreição dos justos será quando Jesus voltar, a dos infiéis será após o período dos mil anos.

Apocalipse 20:1 e 2 menciona que Satanás e os demônios ficarão presos ou amarrados neste período. Ficarão presos porque não terão pessoas para tentar. Os salvos estarão no céu e os ímpios mortos, nos escombros da terra. Ficarão em “cadeias da escuridão” como diz II Pedro 2:4. A palavra grega para abismo é: “sem forma e vazia”, como sugere Genesis 1:2. Neste período a terra ficará sem forma e vazia, pois ficará totalmente destruída.

Apocalipse 20:13 e I Coríntios 6:3 mostram as atividades dos salvos durante os mil anos: eles julgarão os perdidos que estarão mortos. Este será um juízo de confirmação apenas. Os perdidos não terão outra chance, pois a Palavra menciona que depois da morte, vem o juízo e a condenação. “E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo, depois disso o juízo.” Hebreus 9:27.

Apocalipse 20:5 menciona que os ímpios receberão a recompensa depois do período dos mil anos. Eles ressuscitarão, mas será por pouco tempo. Será para verem as oportunidades desperdiçadas e reconhecerem que Deus é justo. O juízo vai durar mil anos literais, para que tudo seja feito com calma, e nem item escape aos olhos de Deus, e as pessoas possam reconhecer o Seu amor.

A seara está madura; milhões aguardam o chamado ao discipulado. Temos sido abençoados não apenas com o Evangelho, mas também com o Evangelho no contexto da “verdade presente” as mensagens dos três anjos de Apocalipse 14, a última mensagem de advertência ao mundo. O que vamos fazer com estas verdades, que tanto amamos? Pense bem nas implicações: a primeira ressurreição, a segunda ressurreição. À luz destas alternativas, o que mais tem importância além do estar na “melhor ressurreição”, que é a primeira, e ajudar outros a alcançarem-na também?

SEXTA-FEIRA (28 de março) ESTUDO ADICIONAL DA LIÇÃO –Todos anseiam pelo novo céu e pela nova terra que Deus nos tem preparado. No entanto, como discípulos de Cristo, podemos viver já agora os princípios do Seu reino; amor, alegria, misericórdia, justiça e pureza. De que modo está a fazer isto?

Veja o texto para hoje: “Do céu desce fogo. A terra abre-se. As armas escondidas nas suas profundezas são retiradas. Chamas devoradoras irrompem de cada abismo profundo. As próprias rochas estão a arder. Vindo é o dia que arderá “como forno” Malaquias 4:1. Os elementos fundem-se pelo vivo calor, e também a Terra e as obras que nela há são queimadas II Pedro 3:10. A superfície da terra parece uma massa fundida – um vasto e fervente lago de fogo. É o tempo do Juízo e perdição dos homens maus ‘dia da vingança do Senhor, ano de retribuições pela causa de Sião’ Isaías 34:8. Os ímpios recebem a sua recompensa na terra Provérbios 11:31. ‘Serão como a palha; e o dia que está para vir os abrasará, diz o Senhor dos exércitos’ Malaquias 4:1. Alguns são destruídos num momento, enquanto outros sofrem muitos dias. Todos são punidos segundo as suas ações.” O Grande Conflito, 559

Quando aceitamos a função de discípulo, estamos a declarar que vamos aceitar qualquer disciplina que seja requerida para honrar o nosso Mestre. Contudo, a disciplina de que estamos a falar aqui não é nem ríspida nem autoritária. Estamos a falar do tipo de disciplina adotada por um atleta em treino ou por um estudante que estuda para uma rigorosa carreira em direito, música, medicina, ou qualquer ciência em que se esteja a especializar ou em que tenha reprovado.

 

 

evangelismo.adventistas.org.pt
temasbblicos.blogspot.com.br
gotQuestions.org
fabiodeps@gmail.com
cpb.com.br

Anúncios

, , , , , , , , , , ,

  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • ” Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo.” Apocalipse 1:3

  • “Não desprezeis as profecias; julgai todas as coisas, retende o que é bom.” 1 Tessalonicenses 5:20-21.

  • "Conservai-vos a vós mesmos no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo para a vida eterna.
    E apiedai-vos de alguns, usando de discernimento;
    E salvai alguns com temor, arrebatando-os do fogo, odiando até a túnica manchada da carne."
    Judas 1:21-23

%d blogueiros gostam disto: