COMENTÁRIOS À LIÇÃO 12: A CEIFA E OS CEIFEIROS – (15 a 22/03/2014)

“….Treinar líderes para conduzir projetos evangelísticos, campanhas de mídia e atividades de relações públicas, em lugar de prepará-los para o conflito espiritual, é procurar o desastre. O verdadeiro evangelismo e a formação de discípulos focalizam quatro aspectos: (1)Reconhecimento de nossa condição pecaminosa; (2) contrição sincera; (3) entrega espiritual sem reservas; (4) incontrolável compulsão para difundir a mensagem divina. ”
(Lição 12 – CPB pg.146)
Apocalipse-14:15: Outro anjo saiu do santuário, gritando em grande voz para aquele que se achava sentado sobre a nuvem: Toma a tua foice e ceifa, pois chegou a hora de ceifar, visto que a seara da terra está madura.
A Igreja deve gerar em oração os ceifeiros da última hora, para colher as almas. Um Exército da Colheita só será levantado em espírito de oração, quem tem ouvidos ouça o clamor do Espírito Santo de Deus.

As Ceifeiras - Mário Soares(Algarve-Portugal,2005)

VERSO ÁUREO: “Nisto é glorificado meu Pai, que deis muito fruto; e assim sereis meus discípulos.” João 15:8

INTRODUÇÃO (sábado 15 de março) – Jesus disse que “grande é a seara e poucos são os ceifeiros”. Ele disse também que “se nós não pregarmos as pedras o farão”. O verso áureo desta semana está dentro do contexto da conversão de cada um de nós. Quando estamos ligados à “Videira Verdadeira” produzimos frutos para o reino de Deus.

Veja o texto apropriado para a lição desta semana: “E percorria Jesus todas as cidades e aldeias, ensinando nas sinagogas deles, e pregando o evangelho do reino, e curando todas as enfermidades e moléstias entre o povo. E, vendo as multidões, teve grande compaixão delas, porque andavam cansadas e desgarradas, como ovelhas que não têm pastor. Então, disse aos seus discípulos: A seara é realmente grande, mas poucos os ceifeiros. Rogai, pois, ao Senhor da seara, que mande ceifeiros para a sua seara.” Mateus 9:35-38.

Cristo falou isso porque, conforme a Bíblia relata, existia uma multidão e os discípulos eram apenas 12 homens. O cristianismo estava no seu início. Por isso Jesus orientou a clamar ao Senhor da seara para que mandasse ceifeiros para esta tão grande obra. Hoje o Senhor da Seara coloca este mesmo anúncio de emprego: “Precisa-se de ceifeiros”. Quem pode candidatar-se? Deus quer que você venha colher seu amigo que está na depressão, seu parente ou vizinho que está nas drogas, seu cônjuge que está no álcool.

Deus tem colocado no nosso coração o desejo de participarmos da missão da igreja. Deus prometeu capacitar cada um de nós para esta grande obra; e se estivermos envolvidos, veremos o milagre do Senhor acontecendo na vida dos nossos queridos e das pessoas do mundo inteiro.

Veja estes textos: “Deus requer que cada um seja um obreiro em Sua vinha. Deveis lançar-vos à obra de que fostes incumbidos, e fazê-la fielmente.” Serviço cristão, 9.

“Que nenhuma igreja imagine ser muito pequena para exercer influência e realizar serviço na grande obra para este tempo.” Review and Herald, 13 de março de 1888.

“A obra que os discípulos fizeram, também nós devemos fazer. Cada cristão deve ser missionário. Cumpre-nos, em simpatia e compaixão, servir aos que necessitam de auxílio, buscando, com abnegado zelo, aliviar as misérias da humanidade sofredora.” A Ciência do Bom Viver, 104.

DOMINGO (16 de março) O PÃO DOS MENDIGOS – A lição de hoje procura mostrar que nós, falhos como somos, podemos e devemos mostrar às pessoas, em situação pior do que a nossa, onde podem encontrar o Pão do céu. Que responsabilidade a nossa! A diferença é que nós já conseguimos visualizar a atmosfera do céu, já experimentamos o pão do céu e temos condições de levar o evangelho aos mendigos espirituais, que necessitam de nós. E os que mais necessitam de nós estão do nosso lado. São os nossos familiares, amigos e vizinhos.

Veja no texto para hoje como André e Filipe mostraram Jesus para os outros: “Era André, irmão de Simão Pedro, um dos dois que ouviram aquilo de João, e o haviam seguido. Este achou primeiro a seu irmão Simão, e disse-lhe: Achamos o Messias (que, traduzido, é o Cristo). E levou-o a Jesus. E, olhando Jesus para ele, disse: Tu és Simão, filho de Jonas; tu serás chamado Cefas (que quer dizer Pedro). No dia seguinte quis Jesus ir à Galiléia, e achou a Filipe, e disse-lhe: Segue-me. E Filipe era de Betsaida, cidade de André e de Pedro. Filipe achou Natanael, e disse-lhe: Havemos achado aquele de quem Moisés escreveu na lei, e os profetas: Jesus de Nazaré, filho de José. Disse-lhe Natanael: Pode vir alguma coisa boa de Nazaré? Disse-lhe Filipe: Vem, e vê.” João 1:40-46. É curiosos como André e Filipe também estiveram envolvidos na distribuição do pão, na primeira multiplicação!

A lição mostra também o exemplo da mulher samaritana que depois que encontrou Jesus, não hesitou; saiu correndo e anunciou o evangelho para os seus familiares e vizinhos. Ver João 4:28-30

Em João 15: 26 e 27 menciona que o Espírito Santo, atuando na nossa vida, pode impulsionar-nos para testemunharmos de Jesus.Veja o texto: “Mas, quando vier o Consolador, que eu da parte do Pai vos hei de enviar, aquele Espírito de verdade, que procede do Pai, ele testificará de mim. E vós também testificareis, pois estivestes comigo desde o princípio.” João 15:26-27

SEGUNDA-FEIRA (17 de março) QUANDO JESUS RECOMENDOU PACIÊNCIA – Os discípulos de Cristo estiveram envolvidos no Seu ministério e tudo para eles era novidade, pois o Cristianismo estava sendo fundado. Quando Jesus disse para os discípulos: “E eis que sobre vós envio a promessa de meu Pai; ficai, porém, na cidade de Jerusalém, até que do alto sejais revestidos de poder.” Lucas 24:49, os discípulos obedeceram e esperaram com paciência.

Veja outros textos que falam da paciência que os servos de Deus devem ter: “Aqueles, pois, que se haviam reunido perguntaram-lhe, dizendo: Senhor, restaurarás tu neste tempo o reino a Israel? E disse-lhes: Não vos pertence saber os tempos ou as estações que o Pai estabeleceu pelo seu próprio poder. Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há-de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria, e até aos confins da terra.” Atos 1:6-8

“E, passando pela Frígia e pela província da Galácia, foram impedidos pelo Espírito Santo de anunciar a palavra na Ásia. E, quando chegaram a Mísia, intentavam ir para Bitínia, mas o Espírito não lho permitiu. E, tendo passado por Mísia, desceram a Trôade. E Paulo teve de noite uma visão, em que se apresentou um homem da Macedônia, e lhe rogou, dizendo: Passa à Macedônia, e ajuda-nos. E, logo depois desta visão, procuramos partir para a Macedônia, concluindo que o Senhor nos chamava para lhes anunciarmos o evangelho.” Atos 16:6-10.

Alguns não têm esperado com paciência os desígnios de Deus e tem avançado, sem a orientação de Deus na sua vida, e, como consequência, se tem dado muito mal na vida pessoal; familiar, profissional, espiritual e não tem feito nenhum trabalho missionário para Deus.

Veja este importante texto: “Devemos estar dispostos a ser usados e guiados pelo Espírito. “Não podemos usar o Espírito Santo. Ele é que deve servir-Se de nós. Mediante o Espírito opera Deus em Seu povo ‘tanto o querer como o efetuar, segundo a Sua boa vontade’(Fp 2:13) . Mas muitos não se submeterão a isto. Querem-se dirigir a si mesmos. É por isso que não recebem o celeste dom. Unicamente aos que esperam humildemente em Deus, que estão atentos à Sua guia e graça, é concedido o Espírito”  DTN, pg. 502.

TERÇA-FEIRA (18 de março) EXERCENDO AUTORIDADE – Hoje a lição comenta a questão da delegação de autoridade e poder. Este é um assunto um tanto quanto sensível. Pois as pessoas, quando são colocadas na posição que devem exercer autoridade, revelam quem realmente são. Algumas chegam a ser até tiranas com os seus subordinados!

O exercício da autoridade nas coisas de Deus é um pouco diferente das coisas deste mundo. Eu explico: em uma empresa ou escola as leis máximas são os seus regulamentos internos. Na igreja de Deus devemos obedecer as ordens que Deus estabeleceu nos evangelhos e em toda a Sua Palavra. E a liderança deve exercer autoridade, com amor e paciência, com todos; mas especialmente com os que erram. Toda autoridade vem de Jesus. A Bíblia não dá aos cristãos a autoridade para repreender o diabo, mas para resisti-lo. Em Tiago 4:7 diz: “Sujeitai-vos, portanto, a Deus; mas resisti ao diabo, e ele fugirá de vós.” Zacarias 3:2 diz-nos que é o Senhor quem repreende Satanás. Até mesmo Miguel, um dos mais poderosos dos anjos, não se atreveu a acusar Satanás, mas disse: “O Senhor te repreenda” Judas 1:9. Em resposta aos ataques de Satanás, um cristão deve apelar para Cristo. Em vez de se concentrar em derrotar o diabo, devemos nos concentrar em seguir a Cristo, ver Hebreus 12:2 e confiar que Ele vai derrotar as forças do mal. Não é necessário que um cristão repreenda Satanás porque Deus nos deu a Sua armadura completa para nos proteger contra o mal. Ver Efésios 6:10-18.

Jesus quando aqui esteve delegou responsabilidades para os Seus discípulos e conferiu-lhes autoridade eclesiástica. Jesus entregou aos discípulos poder para agir. E garantiu que o Espírito Santo estaria sempre com eles, como um Consolador para lhes ajudar, mas eles seriam totalmente livres para realizar as suas tarefas. Os discípulos sempre agiram com a autoridade original concedida pelo Espirito Santo e com a liberdade do evangelho.

Veja os textos sugeridos para hoje: “Chamou a si os doze, e começou a enviá-los a dois e dois, e deu-lhes poder sobre os espíritos imundos. E ordenou-lhes que nada tomassem para o caminho, senão somente um bordão; nem alforje, nem pão, nem dinheiro no cinto; mas que calçassem alparcas, e que não vestissem duas túnicas. E dizia-lhes: Na casa em que entrardes, ficai nela até partirdes dali. E tantos quantos vos não receberem, nem vos ouvirem, saindo dali, sacudi o pó que estiver debaixo dos vossos pés, em testemunho contra eles. Em verdade vos digo que haverá mais tolerância no dia de juízo para Sodoma e Gomorra, do que para os daquela cidade. E, saindo eles, pregavam que se arrependessem. E expulsavam muitos demônios, e ungiam muitos enfermos com óleo, e os curavam.” Marcos 6:7-13. Ver também Mateus 16: 14-19 e 28:18-20.

Não só os pastores e oficiais de igreja devem exercer autoridade espiritual, tendo como base as Sagradas Escrituras e a atuação do Espírito Santo na vida; mas também todos os membros da igreja. Cada dia tem aumentado pessoas, não consagradas, que querem ditar as suas normas pessoais, não pautadas por Deus, e tem causado alguma confusão e prejudicado o crescimento da igreja Cristo.

Há três pontos que marcam a liderança cristã:

1) Serviço. Como todo líder em qualquer instância humana, ele deve iniciar sua influência sobre as pessoas servindo-as. Esta é a principal marca do ministério de Cristo: Ele veio para servir e não para ser servido.

2) Exemplo. Ser exemplo na maneira de agir, no caráter e no serviço, mas principalmente, na visão da vida. O líder carrega, guia e conduz as pessoas não pelo grito ou pela voz, mas pelo exemplo.

3) Amor a Cristo. Ninguém pode ser um líder na casa de Deus se seu amor a Cristo não for absolutamente evidente, visível e real na vida das pessoas. As pessoas devem ver no líder alguém que ama a Deus e até morreria por Jesus. Os irmãos morávios, que impactaram o ministério cristão após a Reforma, ao se entregar como escravos no trabalho missionário, proclamavam: “Pelo Cordeiro e por amor aos seus sofrimentos!”

QUARTA-FEIRA (19 de março) TRABALHADORES PARA A COLHEITA – Este é o texto para hoje: “E percorria Jesus todas as cidades e aldeias, ensinando nas sinagogas deles, e pregando o evangelho do reino, e curando todas as enfermidades e moléstias entre o povo. E, vendo as multidões, teve grande compaixão delas, porque andavam cansadas e desgarradas, como ovelhas que não têm pastor. Então, disse aos seus discípulos: A seara é realmente grande, mas poucos os ceifeiros. Rogai, pois, ao Senhor da seara, que mande ceifeiros para a sua seara.” Mateus 9:35-38.

Há muitas pessoas desejando saber sobre Jesus, mas são poucos os filhos de Deus que se dispõem à trabalhar por elas. É bom lembrar que para atingirmos o coração das pessoas necessitamos primeiramente satisfazer as necessidades básicas das pessoas.Maslow desenvolveu a sua pirâmide que media as necessidades do ser humano:

1) Necessidades Fisiológicas ou Básicas: Tais como a fome, a sede, o sono, o sexo e a excreção.

2) Necessidade de Segurança: Vai da simples necessidade de sentir-se seguro, dentro de uma casa à formas mais elaboradas de segurança; como um emprego.

3) Amor e Relacionamento. Aqui inclui amizades, família e ou casamento. Há pessoas que vivem muito bem sem estar casadas, mas não vivem bem sem amigos e família.

4) Auto Estima: Aqui envolve o respeito que precisam ter dos outros e que gostam de oferecer.

5) Necessidade de realização pessoal: Neste nível inclui-se; criatividade, espontaneidade, moralidade e espiritualidade.

Todas as pessoas têm necessidades de preencher o vazio da sua alma com alguma “divindade”. Há quem diga que não há ateus, pois as pessoas têm necessidade de acreditar em algo ou em alguém. Quando pregamos o evangelho devemos prestar atenção e ver se as pessoas estão sendo atendidas nos 4 primeiros degraus desta pirâmide. Uma pessoa que está faminta não consegue receber um estudo bíblico; primeiro devemos providenciar o alimento físico para depois levar-lhe o espiritual.

Veja este texto: “Nossos irmãos do ministério falham decididamente quanto a fazerem sua obra segundo a maneira indicada pelo Senhor. Deixam de apresentar todo homem perfeito em Cristo Jesus. Não obtiveram experiência mediante a comunhão pessoal com Deus, ou um verdadeiro conhecimento do que constitua o caráter cristão; assim, são batizados muitos que não se acham aptos para essa sagrada ordenança, mas que se acham enlaçados com o próprio eu e com o mundo. Não viram a Cristo nem O receberam pela fé.” Evangelismo, 319.

QUINTA-FEIRA (20 de março) PERDIDOS E ACHADOS – Só quem já perdeu ou teve os seus documentos e objetos furtados sabe o transtorno que é para recuperar os bens e refazer toda documentação. Diariamente as pessoas esquecem coisas no ônibus, metrô, avião, táxi, etc…As pessoas esquecem muletas, carteiras, óculos, carrinhos de bebê, e até o vestido de noiva. O pior é quando pais perdem os seus filhinhos ou animais de estimação. Aí o problema é maior!

Mas para além destes exemplos, está o perigo de perdermos a nossa alma. A lição de hoje traz-nos o exemplo de Lucas 15, que é conhecido com o capítulo dos perdidos e achados.

A parábola da ovelha perdida está relatada em Lucas 15:3-7. Os pastores são usados frequentemente, na Bíblia, para descrever aqueles que cuidam do povo do Senhor. Um bom pastor está constantemente alerta para as necessidades de suas ovelhas e pronto a arriscar-se para preservá-las. Na parábola, o pastor percebe que uma de suas 100 ovelhas está perdida. Ele deixa as 99 e vai procurar a perdida. Quando a encontra, volta para casa e chama seus vizinhos para participar da comemoração. A aplicação: há uma comemoração no céu quando um pecador perdido retorna ao Senhor.

A parábola da moeda perdida está em Lucas 15:8-10 – Uma mulher tinha dez moedas, o equivalente aproximado ao salário de meio mês. Ela perdeu uma das moedas e não podia descansar enquanto não a encontrasse. Ficou acordada até tarde procurando, por toda a casa, até que recuperou o dinheiro perdido. Que alívio! Ela chamou suas amigas e as convidou para partilhar com ela o seu regozijo. A aplicação: os anjos de Deus se regozijam quando um pecador perdido retorna ao Senhor.

A parábola dos filhos perdidos está em Lucas 15:11-32. Na terceira parábola, Jesus não está preocupado com animais e objetos perdidos. Ele agora evoca toda a emoção da vida real, falando de um pai amoroso e de seus dois filhos. Um dia, o mais novo desafiou seu pai com um desrespeito quase inimaginável. Especialmente na cultura dos dias de Jesus, um filho recebia sua herança quando o pai morria.

O pedido que este filho fez era um insulto indizível ao pai. Não era um mero pedido de dinheiro. Ele estava rejeitando seu pai e toda a bondade que ele lhe tinha mostrado através dos anos. Ele abandonou sua família, pegou suas malas e viajou para outro país.

O filho mais velho voltou do seu trabalho no campo, onde servia fielmente seu pai; ouviu a festança e ficou sabendo do motivo. O irmão ficou furioso e ressentido e se recusou a participar das festividades. Quando seu pai tentou acalmá-lo, o irmão mais velho mostrou seu egoísmo: “Há tantos anos que te sirvo sem jamais transgredir uma ordem tua, e nunca me deste um cabrito sequer para alegrar-me com os meus amigos; vindo, porém, esse teu filho, que desperdiçou os teus bens com meretrizes, tu mandaste matar para ele o novilho cevado” 15:29-30. Note o desdém na voz do irmão mais velho. Ele nem mesmo se referiu ao retornado como seu irmão. “Ele é teu filho”, ele disse a seu pai. A resposta de seu pai pôs as coisas no seu devido lugar. Ele lembrou o ciumento irmão mais velho de que ele tinha sempre gozado a grande bênção que o filho pródigo estava buscando recuperar: o privilégio de estar novamente na presença de seu pai. Ele defendeu sua decisão de comemorar, porque o morto estava vivo e o perdido foi achado.

É sempre assim. Quando alguém se perde, outro precisa procurá-lo. Se isso é verdade em casos como o citado acima, muito mais o é em casos espirituais. É preciso uma linguagem adequada, delicada, para que quem está espiritualmente perdido possa ser encontrado.

SEXTA-FEIRA (21 de março) ESTUDO ADICIONAL DA LIÇÃO – Não usamos o Espírito Santo; é o Espírito Santo que nos usa; frequentemente estamos tão amarrados às ervas daninhas do nosso coração que as oportunidades de usar os nossos dons espirituais para Deus passam despercebidas. Como evitar que isso aconteça?

Jesus escolheu a parábola dos filhos perdidos, relatada em Lucas 15, para mostrar a diferença entre o pecador que se arrependeu e o presunçoso que desprezou seu irmão. O propósito da parábola é corretivo:

Mas, e se os judeus religiosos tivessem mostrado uma atitude correta? Poderia ter havido um fim diferente? Tentemos aprender a lição de Lucas 15 de modo que Jesus pudesse descrever nossa atitude com uma versão diferente da parábola. Esta versão descreve a atitude do verdadeiro discípulo de Cristo. Jesus não contou esta parábola porque os fariseus não tinham aprendido o caminho do Senhor aos perdidos. Eles não entenderam o amor e a graça demonstrados por Jesus e mais tarde explicados, tão eloquentemente, por Paulo. Veja Romanos 1:16; 2:9-11; 3:10,23; 5:6-8; Efésios 2:8-9; 3:18-19.  Esta é a graça que Deus oferece para todos.

Façamos tudo o que pudermos para compreender a magnitude da justiça oferecida a nós e a todas as outras pessoas. Sigamos o exemplo de Jesus e não o dos escribas e fariseus. Todos necessitamos da graça de Deus e de partilhá-la às pessoas que vivem sem a salvação de Jesus.

Veja estes textos: “Não hesiteis em trabalhar pelo Senhor, por pensardes que pouco podeis fazer. Fazei com fidelidade o vosso pouco; pois Deus cooperará com vossos esforços. Ele escreverá vosso nome no livro da vida, como o de uma pessoa digna de entrar no gozo do Senhor. Supliquemos-lhe fervorosamente que sejam suscitados obreiros, pois os campos estão brancos para a ceifa; a seara é grande, mas poucos os ceifeiros” Mensagens aos Jovens, 23.

“Os discípulos oraram com intenso fervor para serem habilitados a se aproximar das pessoas e, em seu trato diário, falar palavras que levassem os pecadores a Cristo. Pondo de parte todas as divergências, todo o desejo de supremacia, uniram-se em íntima comunhão cristã. Aproximaram-se mais e mais de Deus e, fazendo isso, sentiram que era um privilégio poder associar-se tão intimamente com Cristo…. Os discípulos sentiram sua necessidade espiritual, e suplicaram do Senhor a santa unção que os devia capacitar para a obra da salvação. Não suplicaram essas bênçãos apenas para si. Sentiam a responsabilidade que pesava sobre eles. Compreendiam que o evangelho devia ser proclamado ao mundo e clamavam pelo poder que Cristo prometera.” Atos dos Apóstolos, 20

Editado de :
Luís Carlos Fonseca em http:/temasbblicos.blogspot.com.br
editado: fabiodeps@gmail.com

Anúncios

, , , , , , , , , , , , , , , ,

  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • ” Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo.” Apocalipse 1:3

  • “Não desprezeis as profecias; julgai todas as coisas, retende o que é bom.” 1 Tessalonicenses 5:20-21.

  • "Conservai-vos a vós mesmos no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo para a vida eterna.
    E apiedai-vos de alguns, usando de discernimento;
    E salvai alguns com temor, arrebatando-os do fogo, odiando até a túnica manchada da carne."
    Judas 1:21-23

%d blogueiros gostam disto: