COMENTÁRIOS DA LIÇÃO 6 – DISCIPULANDO OS “COMUNS” – (01/02 A 08/02/2014)

“Mas, se fazeis acepção de pessoas, cometeis pecado, e sois redargüidos pela lei como transgressores.”
Tiago 2:9

Fishing_for_souls_(Adriaen_Pietersz._van_de_Venne)VERSO ÁUREO: “E, andando junto do mar da Galiléia, viu Simão, e André, seu irmão, que lançavam a rede ao mar, pois eram pescadores. E Jesus lhes disse: Vinde após mim, e eu farei que sejais pescadores de homens. E, deixando logo as suas redes, o seguiram.”
Marcos 1:16-18

INTRODUÇÃO: (sábado 1º de fevereiro) – Por que Jesus escolheu pessoas simples para ser Seus discípulos?  Geralmente as pessoas comuns estão mais disponíveis para colaborar com o reino de Deus. A falta de posses, bens e poder na vida terrena, facilita voltarmos os olhos para a busca verdadeira que está dentro da perspectiva espiritual de uma vida eterna junto a Deus . Embora seja assim como maioria, isto não quer dizer que podemos nos deixar enganar pelo contrário e fazermos acepção de pessoas com maiores posses e poder. O importante sempre será vivenciarmos, em nossa conversão, que esta vida e suas posses, condições e atrações devem ser abandonadas pelo nosso eu mundano.  Nossa entrega ao caminho de Jesus é que fará a diferença, pouco importando nossas propriedades:” Aquele, porém, que atenta bem para a lei perfeita da liberdade, e nisso persevera, não sendo ouvinte esquecediço, mas fazedor da obra, este tal será bem-aventurado no seu feito.” Tiago 1:25

Quando analisamos os relatos bíblicos encontramos muitas pessoas que saíram dos seus trabalhos comuns para colaborar com o reino de Cristo. Vemos pastores, carpinteiros, pescadores, donas de casa e serviçais que, de modo geral, mais se aproximaram de Jesus. Os doze discípulos eram homens comuns a quem Deus usou de maneira extraordinária. Entre os 12 estavam; pescadores, um coletor de impostos e um revolucionário. As pessoas simples ou pobres tem que abandonar poucas coisas e geralmente estão mais disponíveis para a transformação do carácter.

Veja estas passagens que nos dão uma ideia clara do entendimento da lição :
“Porventura por Deus falareis perversidade e por ele falareis mentiras?
Fareis acepção da sua pessoa? Contendereis por Deus?
Ser-vos-ia bom, se ele vos esquadrinhasse? Ou zombareis dele, como se zomba de algum homem?
Certamente vos repreenderá, se em oculto fizerdes acepção de pessoas.” Jó 13:7-10

“E, abrindo Pedro a boca, disse: Reconheço por verdade que Deus não faz acepção de pessoas;
Mas que lhe é agradável aquele que, em qualquer nação, o teme e faz o que é justo.”  Atos 10:34-35

As pessoas comuns, geralmente são humildes. O orgulho já impediu que muitas pessoas aceitassem a Jesus como seu Salvador pessoal. Recusar admitir o próprio pecado; e que não podemos fazer nada com nossos próprios esforços, para merecer a vida eterna, tem sido uma pedra de tropeço para muitas pessoas.

Por que o orgulho é pecado? Orgulho é dar a nós mesmos o crédito por algo que Deus realizou. Orgulho é dar a nós mesmos a glória que pertence só a Deus. Orgulho é, em essência, o louvor próprio. Nada que realizamos nesse mundo seria possível se não fosse Deus capacitando-nos e sustendo-nos. Por isso é que devemos dar a Deus à glória, por que só Ele é digno de recebê-la. A prova do orgulho e da indisponibilidade está nos judeus tradicionais como os fariseus; escribas e sacerdotes que não reconheceram Jesus como o Messias. Veja estes textos: “Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus.” Mateus 5:3

“Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra.” Mateus 5:5

DOMINGO (2 de fevereiro) HUMILDES COMEÇOS – A lição de hoje menciona que Jesus teve um começo muito humilde. Seus pais eram pessoas comuns da sociedade e que passavam por todas as dificuldades que os pobres passam.

É certo que tantos ricos como pobres; pessoas ilustres ou comuns, passam por problemas; mas temos que admitir que as pessoas comuns, por terem que lutar mais pela sobrevivência, sofrem mais, mas também podem ser preservadas dos maiores ataques de Satanás. Veja este texto sobre Jesus: “Os pais de Jesus eram pobres e dependentes do seu trabalho diário. Ele estava familiarizado com a pobreza, a abnegação e as privações. Na Sua vida não havia momentos ociosos que convidassem à tentação. Nenhuma hora vaga abria a porta às companhias corruptoras.” O Desejado de Todas as Nações, 50

A lição menciona sobre duas situações que mostram as modestas origens de Jesus: a) Na apresentação de Jesus no templo; os seus pais, que eram pobres, levaram rolas e pombos em vez de animais mais valiosos. Veja os textos: “E para darem a oferta segundo o disposto na lei do Senhor: Um par de rolas ou dois pombinhos.” Lucas 2:24. – “Mas, se em sua mão não houver recursos para um cordeiro, então tomará duas rolas, ou dois pombinhos, um para o holocausto e outro para a propiciação do pecado; assim o sacerdote por ela fará expiação, e será limpa.” Levítico 12:8. b) Jesus era conhecido como o carpinteiro: Veja o texto: “E, chegando o sábado, começou a ensinar na sinagoga; e muitos, ouvindo-o, se admiravam, dizendo: De onde lhe vêm estas coisas? E que sabedoria é esta que lhe foi dada? E como se fazem tais maravilhas por suas mãos? Não é este o carpinteiro, filho de Maria, e irmão de Tiago, e de José, e de Judas e de Simão? E não estão aqui conosco suas irmãs? E escandalizavam-se nele.” Marcos 6:2-3.

Você tem orgulho da sua origem e faz por merecer as bênçãos de Deus na sua vida, família e ministério, junto a sua igreja?

SEGUNDA-FEIRA (3 de fevereiro) TRANSFORMANDO OS “COMUNS” – Sabemos que as pessoas comuns têm maior senso de dependência. Apenas o título ou capacidades de uma pessoa não a qualifica para o serviço de Deus. O que a torna útil é a junção da sua formação, mais o poder de Deus, atuando na sua vida. Pessoas qualificadas ou que possuam conhecimento e experiência avantajada na vida tendem a depender menos de Deus. É claro que não são somente as pessoas comuns que são úteis na pregação do evangelho. Quando a pessoa é bem qualificada, também é humilde e dedicada às coisas de Deus, estas são muito usadas para pregar o evangelho. Veja este texto: “O homem iletrado que é consagrado e aspira a abençoar a outros, pode ser e é utilizado pelo Senhor em Seu serviço. Mas os que, com o mesmo espírito de consagração, tiveram o benefício de uma instrução completa, podem fazer obra muito mais extensa para Cristo. Estão em posição vantajosa” Parábolas de Jesus, 333

Tendo em vista o princípio apresentado acima; com certeza, Jesus chamou e chama para o Seu ministério pessoas que estão dispostas a serem moldadas pela atuação do Espírito Santo na vida independentemente das suas capacidades, formação ou posição social.

De que maneira Jesus usou desejos e necessidades simples de cada dia para fazer discípulos e transformar vidas? Em João 2:1-11 mostra a realização do primeiro milagre de Cristo que foi transformar uma boa quantidade de água em vinho. Ali muitas pessoas puderam observar o poder de Cristo e tomar a decisão em O seguir. A lição de hoje também traz o exemplo do milagre da 2ª multiplicação dos pães e peixes, em Mateus 15:32-39. Com apenas 7 pães e alguns peixes, mais de 4 mil pessoas foram alimentadas. De igual maneira as pessoas foram tocadas e motivadas a se tornarem discípulos de Cristo.

Veja no texto a seguir os rudimentos da acepção:
“E, se invocais por Pai aquele que, sem acepção de pessoas, julga segundo a obra de cada um, andai em temor, durante o tempo da vossa peregrinação,
Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que por tradição recebestes dos vossos pais,
Mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado,”
1 Pedro 1:17-19

Para terminar a obra de evangelização, antes da volta de Cristo, Deus irá Se utilizar de pessoas comuns. Veja este texto:“Assim como outrora chamou pescadores para serem Seus discípulos, Ele suscitará dentre o povo comum a homens e mulheres que realizem Sua obra. Em breve haverá um avivamento que surpreenderá a muitos. Os que não percebem a necessidade do que deve ser feito serão passados por alto, e os mensageiros celestiais trabalharão com os que são chamados de pessoas comuns, habilitando-as a levar a verdade para muitos lugares”. Eventos Finais, 175 e 176.

TERÇA-FEIRA (4 de fevereiro) O CHAMADO DE UM FALHO PESCADOR – A lição de hoje menciona, especialmente, o exemplo de Pedro que, embora tenha sido muito influente entre os discípulos, era um homem cheio de defeitos. Impetuoso e instável, e às vezes até covarde, mas fiel, estava sempre disposto a humilhar-se e arrepender-se. Pedro foi, sem dúvidas, um dos grandes apóstolos de Jesus.

Este apóstolo é citado 154 vezes no Novo Testamento com o nome de Pedro. É chamado também 75 vezes por seu nome original Simão. Outras vezes aparece simplesmente como filho de João. Era natural da pequena cidade de Betsaida, nos arredores do Mar da Galiléia. Dali veio também André, seu irmão e Felipe. Tinha forte sotaque de pescador da Galiléia. Mas Pedro não era um pescador qualquer. Tinha uma pequena empresa de pesca em sociedade com um tal Zebedeu que era pai de outros dois apóstolos: João e Tiago. Devia ter alguma estabilidade econômica. Parece também que era um homem religioso. Tanto é verdade, que juntamente com seu irmão chegou a ir à Judéia acompanhar a pregação de outro profeta, João Batista. Acreditava que Deus iria intervir na situação da época, já que a região era dominada e explorada pelos romanos.

Simão Pedro tinha um temperamento que unia alguns contrastes; era forte e ao mesmo tempo fraco; era corajoso e ao mesmo tempo medroso; decidido e duvidoso; racional e muito emotivo; inteligente e ingênuo; capaz de dar a melhor resposta e também de dizer a maior bobagem; podemos dizer que era uma pessoa totalmente humana. Pedro era “pequena pedra” para construir e também para atrapalhar. Era o tipo de pessoa que costumamos chamar de “uma pedreira”. Mas a qualidade que integrava todos estes paradoxos é que Pedro era uma pessoa absolutamente sincera. Ele era fraco mais disposto a se tornar forte. Pedro tinha o desejo de vencer os seus defeitos de carácter, mas só conseguiu com o poder de Deus atuando em sua vida. O desejo humano e o poder de Deus transformam o vaso de barro em um verdadeiro tesouro, e foi o que aconteceu na vida de Pedro: “Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus e não de nós”. II Coríntios 4:7

Analise os exemplos, citados na lição para hoje, de como Pedro deixou ser transformado por Deus: Lucas 5:1-11; Mateus 16:13-17 e Mateus 26:75

QUARTA-FEIRA (5 de fevereiro) AVALIAÇÃO CELESTIAL – Para Deus todas as pessoas são iguais; são alvo dos mesmos cuidados, merecem as mesmas oportunidades e são responsabilizadas por seus atos. A lição de hoje menciona que para Jesus não existem distinções de classes. Ele busca salvar e responsabilizar a todos. As classes sociais são invenção do ser humano para satisfazer seu orgulho e atender o seu desejo de supremacia.

Deus não nos avalia por nossos sucessos profissionais na vida e também não busca pessoas infalíveis para o Seu reino. No episódio entre Saul e Davi, Deus escolheu Davi porque o seu coração estava vazio das influências corruptoras do mal. Ele tinha o seu coração vazio e pronto para ser preenchido por Deus. No caso de Moisés foi a mesma coisa. Ele ficou 40 anos no deserto de Midiã para esvaziar o coração das influências do mal, adquiridas no Egito. Louvado seja Deus por isso! O que Deus enxerga é o coração. E quando olhava para o coração de Davi, Moisés e outros, e o nosso; Ele via e vê um vazio que podia e pode ser preenchido pelo Espírito Santo.

Que valor temos à vista de Deus? A lição de hoje traz os seguintes textos referentes a avaliação que Deus faz dos Seus filhos: “Não se vendem cinco passarinhos por dois ceitis? E nenhum deles está esquecido diante de Deus. E até os cabelos da vossa cabeça estão todos contados. Não temais pois; mais valeis vós do que muitos passarinhos.” Lucas 12:6-7

“E, naquele mesmo tempo, estavam presentes ali alguns que lhe falavam dos galileus, cujo sangue Pilatos misturara com os seus sacrifícios. E, respondendo Jesus, disse-lhes: Cuidais vós que esses galileus foram mais pecadores do que todos os galileus, por terem padecido tais coisas? Não, vos digo; antes, se não vos arrependerdes, todos de igual modo perecereis. E aqueles dezoito, sobre os quais caiu a torre de Siloé e os matou, cuidais que foram mais culpados do que todos quantos homens habitam em Jerusalém? Não, vos digo; antes, se não vos arrependerdes, todos de igual modo perecereis.” Lucas 13:1-5

“Por isso vos digo: Não andeis cuidadosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer ou pelo que haveis de beber; nem quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o mantimento, e o corpo mais do que o vestuário? Olhai para as aves do céu, que nem semeiam, nem segam, nem ajuntam em celeiros; e vosso Pai celestial as alimenta. Não tendes vós muito mais valor do que elas? E qual de vós poderá, com todos os seus cuidados, acrescentar um côvado à sua estatura? E, quanto ao vestuário, por que andais solícitos? Olhai para os lírios do campo, como eles crescem; não trabalham nem fiam; e eu vos digo que nem mesmo Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles. Pois, se Deus assim veste a erva do campo, que hoje existe, e amanhã é lançada no forno, não vos vestirá muito mais a vós, homens de pouca fé?” Mateus 6:25-30

QUINTA-FEIRA (6 de fevereiro) UMA SOCIEDADE SEM CLASSES – A teoria de comunismo de Karl Marx (1818-1883) é, no fundo, bem simples: O comunismo puro, no sentido marxista referia-se a uma sociedade sem classes, sem estado e livre de opressão, onde as decisões sobre o que produzir e quais as políticas que deviam prosseguir e ser tomadas democraticamente, permitindo que cada membro da sociedade pudesse participar do processo de decisão, tanto na esfera política e econômica da vida. Com certeza, a ideia é boa; não fosse o egoísmo humano de querer dominar o outro e a exclusão de Deus.A visão do mundo marxista é altamente materialista, dá prioridade para os interesses econômicos da comunidade e nega a existência de Deus e de uma vida eterna individualmente conquistada , onde justiça seja vivida pela não necessidade de bens materiais.

Jesus já havia pregado uma sociedade sem classes, mas com a atuação do Espírito Santo à dirigir a vida dos Seus discípulos, para que que nenhum homem dominasse o outro. Geralmente as classes sociais separam as pessoas entre ricas e pobres, nacionalidades diferentes, cultas e não cultas, etc… Há um objetivo nisso: dividir as pessoas em grupos que não se ligam, e principalmente uns dominarem sobre os outros. Deus não aprova isso. A lição de hoje propõe que possamos viver a experiência comunitária bíblica. Veja estes textos: “E em toda a alma havia temor, e muitas maravilhas e sinais se faziam pelos apóstolos. E todos os que criam estavam juntos, e tinham tudo em comum. E vendiam suas propriedades e bens, e repartiam com todos, segundo cada um havia de mister. E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração, louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo. E todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar.” Atos 2:43-47

“E era um o coração e a alma da multidão dos que criam, e ninguém dizia que coisa alguma do que possuía era sua própria, mas todas as coisas lhes eram comuns. E os apóstolos davam, com grande poder, testemunho da ressurreição do Senhor Jesus, e em todos eles havia abundante graça. Não havia, pois, entre eles necessitado algum; porque todos os que possuíam herdades ou casas, vendendo-as, traziam o preço do que fora vendido, e o depositavam aos pés dos apóstolos. E repartia-se a cada um, segundo a necessidade que cada um tinha. Então José, cognominado pelos apóstolos Barnabé, levita, natural de Chipre, possuindo uma herdade, vendeu-a, e trouxe o preço, e o depositou aos pés dos apóstolos.” Atos 4:32-37.

Você deve concordar comigo que; quando vemos um irmão, vizinho ou qualquer pessoa necessitando da nossa ajuda para obter algum alimento, roupa, remédio; ou, em algumas situações, até dinheiro, que se não atendermos estamos mostrando um egoísmo diabólico.

A leitura completa de Isaías 58 nos dará uma boa noção do que o Senhor deseja que façamos sem hipocrisias e fingimentos vãos, veja alguns dos versículos deste capítulo:
“Porventura não é este o jejum que escolhi, que soltes as ligaduras da impiedade, que desfaças as ataduras do jugo e que deixes livres os oprimidos, e despedaces todo o jugo?
Porventura não é também que repartas o teu pão com o faminto, e recolhas em casa os pobres abandonados; e, quando vires o nu, o cubras, e não te escondas da tua carne?
Então romperá a tua luz como a alva, e a tua cura apressadamente brotará, e a tua justiça irá adiante de ti, e a glória do Senhor será a tua retaguarda.” (Isaías 58:6-8)

No que consiste a verdadeira religião? “A religião pura e imaculada para com Deus e Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo.” Tiago 1:27. Deus dotou-nos de recursos para distribuirmos às pessoas que mais necessitam. Sugiro a leitura de Mateus 25 sobre o cuidado que devemos ter para com as pessoas e no que consiste a verdadeira religião.

SEXTA-FEIRA (7 de fevereiro) ESTUDO ADICIONAL DA LIÇÃO – A grandiosidade do Cristianismo é que a religião entendeu-se por todo o mundo mediante o testemunho de pessoas que eram, na sua maioria, pessoas simples e sem escolaridade. Há nisto, sem dúvidas, uma mensagem para nós. Ainda que não haja nada de errado na formação acadêmica, as pessoas mais simples estão mais inclinadas a confiar em Deus, e não nelas mesmas ou em suas capacidades ou formação pessoal ou profissional.

As pessoas que dependem de Jesus e buscam a Sua face através da oração e estudo da Bíblia; como resultado desse relacionamento com Deus, “as coisas que antes aborreciam, agora amam; e aquilo que outrora amavam, aborrecem agora. O orgulhoso e presunçoso torna-se manso e humilde de coração. O vanglorioso e arrogante torna-se circunspecto e moderado. O bêbado torna-se sóbrio e o viciado, puro. Os vãos costumes e modas do mundo são renunciados.” Caminho a Cristo, 58

Veja a força deste texto: “Não é plano de Deus que a pobreza desapareça do mundo. As classes sociais jamais deveriam ser igualadas; pois a diversidade de condições que caracteriza nossa raça é um dos meios pelos quais Deus tem pretendido provar e desenvolver o caráter. Muitos têm insistido com grande entusiasmo em que todos os homens devem ter parte igual nas bênçãos temporais de Deus; não era este, porém, o propósito do Criador. Cristo afirmou que sempre teremos conosco os pobres. Os pobres, bem como os ricos, são comprados por seu sangue; e, entre os Seus professos seguidores, na maioria dos casos, os primeiros O servem com singeleza de propósito, enquanto os últimos estão constantemente colocando as suas afeições nos tesouros terrenos, e Cristo é esquecido. Os cuidados desta vida e a ambição das riquezas eclipsam a glória do mundo eterno. Seria a maior desgraça que já sobreveio à humanidade se todos devessem ser colocados em posição de igualdade em possessões terrenas”. Conselhos Sobre Saúde, 230.

temasbblicos.blogspot.com.br
gotQuestions.org
fabiodeps@gmail.com
http://www.cpb.com.br

Anúncios

, , , , , , , , , , , , ,

  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • ” Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo.” Apocalipse 1:3

  • “Não desprezeis as profecias; julgai todas as coisas, retende o que é bom.” 1 Tessalonicenses 5:20-21.

  • "Conservai-vos a vós mesmos no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo para a vida eterna.
    E apiedai-vos de alguns, usando de discernimento;
    E salvai alguns com temor, arrebatando-os do fogo, odiando até a túnica manchada da carne."
    Judas 1:21-23

%d blogueiros gostam disto: