OBEDIÊNCIA: FRUTO DO REAVIVAMENTO – Comentário da Lição 5 – (27/07 a 03/08/2013)

Porém Samuel disse: Tem porventura o SENHOR tanto prazer em holocaustos e sacrifícios, como em que se obedeça à palavra do SENHOR? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar; e o atender melhor é do que a gordura de carneiros” (I SAMUEL 15:22).

tranfigura_Russo

VERSO PARA MEMORIZAR: 
“As armas da nossa milícia não são carnais, e sim poderosas em Deus, para destruir fortalezas, anulando nós sofismas e toda altivez que se levante contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo pensamento à obediência de Cristo” (2Co 10:4, 5).

 Leituras da Semana: Mt 26:69-74; At 5:28-32; 6:3-10; 9:1-9; Fp 2:5-8.

INTRODUÇÃO – A questão da obediência é muito séria. O cristão ou obedece a Deus ou não O obedece. Existem apenas duas opções: Obedecer ao pecado; ou obedecer, de todo o coração, a Deus e à sua doutrina, passando a ser um servidor da justiça. Dito com outras palavras: É impossível uma pessoa obedecer honestamente a Deus se o seu coração não estiver renovado. Não importa quão ativos somos em atividades religiosas, o que importa é quão obedientes somos à Ele, porque é a nossa obediência, e a quem nós obedecemos, que determina a quem servimos na realidade. Uma vez renovados espiritualmente, a nossa obediência será verdadeira, genuína e plena.

Deus em toda a história da humanidade sempre requereu de nós cristãos a obediência, desde o jardim do Éden o homem foi provado para saber se era obediente ou não.

Muitos vivem uma vida religiosa dissoluta, exibem externamente como se fossem pessoas santas, porém, internamente são lobos devoradores, vivem uma vida de pecado, não tem compromisso sério com Deus.

Deus requer corações sinceros diante Dele e não adoração e/ou louvores hipócritas.

O interesse maior de Deus não é a penitência, mas sim um coração quebrantado:

“O sacrifício aceitável a Deus é o espírito quebrantado; ao coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus”(SALMOS 51:17).

“Com que me apresentarei diante do Senhor, e me prostrarei perante o Deus excelso? Apresentar-me-ei diante dele com holocausto, com bezerros de um ano? Agradar-se-á o Senhor de milhares de carneiros, ou de miríades de ribeiros de azeite? Darei o meu primogênito pela minha transgressão, o fruto das minhas entranhas pelo pecado da minha alma? Ele te declarou, ó homem, o que é bom; e que é o que o Senhor requer de ti, senão que pratiques a justiça, e ames a benevolência, e andes humildemente com o teu Deus?” (MIQUÉIAS 6:6-8).

Só alcançaremos perdão e benefícios, bem como as bênçãos de Deus, se colocarmos nosso coração na lei do Senhor.

Deus não requer sacrifício de tolo. Não adianta sacrificar-se, se não tivermos constante obediência, enfim, primeiramente Deus exige que tenhamos amor e obedeçamos.

Levando para os nossos dias, pois Cristo foi nosso sacrifício vivo, que por uma só vez nos remiu e hoje somos santificados e salvos por Ele.

“Pelo que, entrando no mundo, diz: Sacrifício e oferta não quiseste, mas um corpo me preparaste; não te deleitaste em holocaustos e oblações pelo pecado. Então eu disse: Eis-me aqui (no rol do livro está escrito de mim) para fazer, ó Deus, a tua vontade. Tendo dito acima: Sacrifício e ofertas e holocaustos e oblações pelo pecado não quiseste, nem neles te deleitaste (os quais se oferecem segundo a lei); agora disse: Eis-me aqui para fazer a tua vontade. Ele tira o primeiro, para estabelecer o segundo. É nessa vontade dele que temos sido santificados pela oferta do corpo de Jesus Cristo, feita uma vez para sempre” (HEBREUS 10:5-10);

Cerimônias religiosas ou rituais são vazios, a menos que apresentados com atitude de amor e obediência.

Pois o sacrifício era um ritual que demonstrava a comunhão entre o homem e Deus.

O cristão reavivado recebe o Espírito Santo; como resultado da sua obediência. Veja este texto: “E nós somos testemunhas acerca destas palavras, nós e também o Espírito Santo, que Deus deu àqueles que lhe obedecem.” Atos 5:32. Não são todas as pessoas que recebem o verdadeiro Espírito Santo. São apenas os filhos de Deus que vivem sob a influência do Espírito e obedecem aos mandamentos de Deus. Deus quer obediência completa. Não adianta guardar uma parte da bíblia e desprezar a outra. Veja este exemplo: “Porque qualquer que guardar toda a lei, e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos. Porque aquele que disse: Não cometerás adultério, também disse: Não matarás. Se tu pois não cometeres adultério, mas matares, estás feito transgressor da lei. Assim falai, e assim procedei, como devendo ser julgados pela lei da liberdade.” Tiago 2:10-12

A bíblia diz que devemos obedecer aos governantes da terra. Há alguma ocasião em que não devemos obedecer às autoridades da terra? A resposta para essa pergunta pode ser encontrada em Atos 5:27-29: “Trouxeram-nos, apresentando-os ao Sinédrio. E o sumo-sacerdote interrogou-os, dizendo: Expressamente vos ordenamos que não ensinásseis nesse nome; contudo, enchestes Jerusalém de vossa doutrina; e quereis lançar sobre nós o sangue desse homem. Então, Pedro e os demais apóstolos afirmaram: Antes, importa obedecer a Deus do que aos homens”. Disto, podemos ver claramente que enquanto as leis da terra não se choquem com as leis de Deus, devemos obedecê-las. Assim, quando a lei da terra contradizer o mandamento de Deus, devemos violá-la e escolher obedecer à lei de Deus. No entanto, mesmo neste caso, devemos aceitar a autoridade do governo sobre nós, sem murmurações e críticas ao governo. Isto é demonstrado pelo fato de Pedro e João não terem protestado por terem sido açoitados, e sim se terem regozijado ao sofrer por obedecer a Deus. Ver Atos 5:40-42.
O mesmo princípio aplica-se aos pais incrédulos e patrões corruptos.

DOMINGO (28 de julho) VIDA TRANSFORMADA –Nossa vida é repleta de transformações. Mas, a lição de hoje não quer dizer de uma simples mudança de hábitos, e sim de um transformação completa, pois quando nos encontramos com o Senhor Jesus, somos tocados por um poder; por um amor, e por uma paz que transcende qualquer entendimento humano. Esta transformação se assemelha a metamorfose que a lagarta sofre. Assim como uma simples lagarta rastejante, acostumada a ver o mundo de baixo transforma-se em uma borboleta. Nós também, depois de sermos transformados em verdadeiros cristãos, começamos a ver as maravilhas de Deus, lá do alto, de uma forma ampla. Quando nos encontramos com o Senhor Jesus, antes acostumados a ter uma vida medíocre e sem perspectivas, passamos a ter a plena confiança da vida eterna que está em Cristo Jesus.

O único caminho seguro, na experiência do reavivamento, é entregar a nossa vida ao controle total do Espírito Santo, para que nos faça produzir os frutos do Espírito. Veja o seguinte texto na linguagem corrente: “Eu os aconselho a obedecerem somente as instruções do Espírito Santo. Ele lhes dirá aonde ir e o que fazer, e assim vocês não estarão fazendo sempre as coisas erradas que a natureza pecaminosa de vocês quer que façam.” Gálatas 5:16

A lição de hoje traz o exemplo de Pedro que antes da cruz teve uma reação à Jesus, e depois da morte e ressurreição de Cristo, teve uma reação de alguém que era verdadeiramente convertido e que vivia o verdadeiro reavivamento. Pedro era facilmente dominado por seus sentimentos. Quando Jesus declarou à Seus discípulos que todos O abandonariam, Pedro, enfático, disse que estava pronto para morrer por Jesus. Quando a prova sobreveio, negou qualquer relacionamento com Ele e total desconhecimento de Sua pessoa. Ver Mateus 26:69-74. Após a ressurreição, Pedro assumiu o compromisso de fidelidade para com Cristo e recebeu a missão de zelar pelo rebanho de pecadores que tomariam a sua decisão de viver para Jesus. Ver João 21: 15-19. E depois do Pentecostes, sob a liderança do Espírito Santo, Pedro revelou o fundamento do seu reavivamento espiritual: “Nós somos testemunhas destas coisas, bem como o Espírito Santo, que Deus concedeu aos que lhe obedecem.” Atos 5:29 e 32

O reavivamento genuíno acontece pela atuação do Espírito Santo, transformando a vida e a conduta do pecador. O pecador abandona os seus pecados. O covarde e fraco transforma-se em corajoso. O tímido é transformado em destemido e ousado. O incapaz é capacitado e testemunha com determinação e convicção. 

“Se sabeis estas coisas, bem-aventurados sois se as praticardes.” João 13:17

Você já está transformado?

Pietro Berrettini (Pietro da Cortona), Il Martirio di S. Stefano, 1660 ca., olio su tela 260 x 149 cm. San Pietroburgo, HermitageSEGUNDA-FEIRA (29 de julho) O ALTO PREÇO DA OBEDIÊNCIA – Estêvão é lembrado como o primeiro de muitos mártires no reino de Jesus Cristo. Ele entrou na história em Atos 6 e foi apedrejado no capítulo seguinte. O nome dele aparece apenas 10 vezes, todas no livro de Atos. Embora o tempo dele no palco da história tenha sido pouco, a importância da vida desse servo não deve ser subestimada. Ele mostrou características essenciais de um verdadeiro discípulo do Senhor.

Temos poucas informações sobre a vida de Estêvão. Um homem bom e dedicado perdeu a sua vida por causa do evangelho. Mas desse pequeno relato podemos aprender muito. Considere esta lição da vida e da morte de Estêvão: Deus sempre quer a fé obediente. Estevão não teve medo de proclamar a verdadeira fé. Nós, assim como Estevão, também devemos pregar dentro da palavra de Deus o que os ouvintes precisam ouvir, e não o que eles querem ouvir. Veja este texto: “Conjuro-te, pois, diante de Deus, e do Senhor Jesus Cristo, que há-de julgar os vivos e os mortos, na sua vinda e no seu reino, que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina. Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; e desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas. Mas tu, sê sóbrio em tudo, sofre as aflições, faze a obra de um evangelista, cumpre o teu ministério.” II Timóteo 4:1-5

Na igreja apostólica, a decisão pela obediência à vontade de Deus, recebeu da parte do inimigo e de seus instrumentos os mais hediondos atos de crueldade. Estevão, bem como outros discípulos, pagaram com a vida o preço da lealdade e obediência.

Temos ousadia em pregar, como Estêvão mesmo em face de perseguição; ou nos escondemos no meio da multidão?  Ver o texto para hoje. Atos 6.3:10

TERÇA-FEIRA (30 de julho) QUANDO O ESPÍRITO SURPREENDE – Aqui está o resumo da lição de hoje:

1) Saulo pediu cartas do sumo-sacerdote às sinagogas de Damasco autorizando perseguição contra os cristãos de lá. Ver Atos 9:1e 2

2) No caminho de Jerusalém para Damasco, Jesus o encontrou. Ver Atos 9:3

3) Quando Saulo viu uma luz brilhante no céu, ele caiu por terra. Uma voz perguntou: “Saulo, Saulo, por que me persegues?” Saulo respondeu: “Quem és Tu, Senhor?” A voz lhe replicou: “Eu sou Jesus, a quem tu persegues; mas levanta-te e entra na cidade, onde te dirão o que te convém fazer”. Atos 9:4-6

4) Os companheiros de Saulo ouviram a voz, mas não viram ninguém. Atos 9:7

5) Saulo ficou cego, e foi levado para Damasco onde ele ficou três dias sem comer e sem beber e depois foi baptizado por Ananias. Atos 9: 8-17

Deus tem as Suas maneiras de agir. Ele não está limitado aos conceitos humanos. Ele age quando quer, como quer, com quem quer e onde quer. Saulo, um zeloso e decidido fariseu na defesa dos conceitos espirituais de seu povo, por determinação sua e com o aval do Sinédrio de Jerusalém, decidiu perseguir a Igreja apostólica. Estava a caminho de Damasco para prender os novos conversos naquela cidade. Já nas proximidades da cidade, Jesus encontrou-se com ele para lhe falar sobre os Seus planos. Assim são os caminhos de Deus; Ele surpreende os amigos e os inimigos.

O Espírito Santo nos surpreende de forma maravilhosa. Às vezes, Deus demora anos para responder uma oração; e, quando menos percebemos, vemos a bênção diante dos nossos olhos. O próprio Ananias e as pessoas ficaram surpresos com a conversão de Saulo. Ninguém esperava!

Veja estes textos: “E todos os que o ouviam estavam atônitos, e diziam: Não é este o que em Jerusalém perseguia os que invocavam este nome, e para isso veio aqui, para os levar presos aos principais dos sacerdotes?” Atos 9:21

“Mas o Senhor disse a Ananias: “Vá! Este homem é meu instrumento escolhido para levar o meu nome perante os gentios e seus reis, e perante todo o Israel.” Atos 9:15.

O Espírito Santo tem impactado a sua vida ?

QUARTA-FEIRA (31 de julho) SENSIBILIDADE AO CHAMADO DO ESPÍRITO – O desenvolvimento de uma relação mais próxima com Deus é uma meta admirável e reflete um coração verdadeiramente renascido, pois apenas os que estão em Cristo desejam um relacionamento mais íntimo com Deus. Devemos também entender que nesta vida nunca seremos tão próximos de Deus como deveríamos ou desejamos ser. A razão disso é o persistente pecado em nossas vidas. Esta não é uma deficiência da parte de Deus, mas da nossa; o nosso pecado continua a ser uma barreira para a comunhão plena e completa com Deus, o que será realizado quando estivermos na glória.

Até mesmo o apóstolo Paulo, que teve um relacionamento com Deus tão próximo quanto possível nessa vida, ainda ansiava por um relacionamento mais íntimo: “Sim, deveras considero tudo como perda, por causa da sublimidade do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; por amor do qual perdi todas as coisas e as considero como refugo, para ganhar a Cristo e ser achado nele, não tendo justiça própria, que procede de lei, senão a que é mediante a fé em Cristo, a justiça que procede de Deus, baseada na fé” (Filipenses 3:8-9). Não importa onde estejamos em nossa caminhada com Cristo, podemos sempre ter uma caminhada mais próxima e, mesmo glorificados no céu, teremos toda a eternidade para crescer em nosso relacionamento com o Senhor.

cinco coisas básicas que podemos fazer para ter um relacionamento mais íntimo com Deus.

A primeira coisa que podemos fazer para ter um relacionamento mais íntimo com Deus é ter um hábito diário de confessar os nossos pecados a Ele. Se o pecado é a barreira no nosso relacionamento com Deus, então a confissão remove essa barreira. Quando confessamos os nossos pecados diante de Deus, Ele promete nos perdoar (1 João 1:9), e o perdão é o que restaura a relação que tem sido negativamente afetada. Devemos ter em mente que a confissão é mais do que simplesmente dizer: “Desculpe pelo meu pecado, Deus.” É o arrependimento sincero daqueles que reconhecem que o pecado é uma ofensa a um Deus santo. É a confissão de alguém que percebe que o seu pecado é o que pregou Jesus Cristo na cruz. É o grito do publicano em Lucas 18, que disse: “Ó Deus, sê propício a mim, pecador!” Como o rei Davi escreveu: “Sacrifícios agradáveis a Deus são o espírito quebrantado; coração compungido e contrito, não o desprezarás, ó Deus”(Salmo 51:17).

A segunda coisa que podemos fazer para ter um relacionamento mais íntimo com Deus é ouvir quando Deus fala. Muitos hoje estão indo atrás de uma experiência sobrenatural de ouvir a voz de Deus, mas o apóstolo Pedro nos diz que devemos ter “assim, tanto mais confirmada a palavra profética, e fazeis bem em atendê-la, como a uma candeia que brilha em lugar tenebroso, até que o dia clareie e a estrela da alva nasça em vosso coração” (2 Pedro 1:19). Essa “mais confirmada palavra profética” é a Bíblia. Na Bíblia, “ouvimos” a voz de Deus para nós. É através das Escrituras “inspiradas por Deus” que nos tornamos “perfeitamente habilitados para toda boa obra” (2 Timóteo 3:16-17). Portanto, se quisermos crescer mais perto de Deus, devemos ler a Sua Palavra regularmente. Na leitura da Sua Palavra, estamos “ouvindo” Deus falar através dela pelo seu Espírito que ilumina a Palavra para nós.

A terceira coisa que podemos fazer para ter um relacionamento mais íntimo com Deus é falar com Ele através da oração. Se ler a Bíblia é escutar Deus falando conosco, então falar com Deus é realizado através da oração. Os Evangelhos frequentemente gravam Jesus se isolando para ter comunhão com o Pai em oração. A oração é muito mais do que simplesmente uma maneira de pedir a Deus por coisas de que precisemos ou queiramos. Considere o modelo de oração que Jesus dá aos seus discípulos em Mateus 6:9-13. As três primeiras petições na oração são dirigidas para Deus (que Seu nome seja santificado, que Seu reino venha, que Sua vontade seja feita). As últimas três petições só são feitas depois das três primeiras e mais importantes (dar o nosso pão de cada dia, perdoar-nos as nossas dívidas, não nos deixar cair em tentação). Uma outra coisa que podemos fazer para reavivar a nossa vida de oração é ler os Salmos. Muitos dos Salmos são clamores sinceros a Deus por várias coisas. Nos Salmos vemos adoração, contrição, ação de graças e súplica modeladas em uma forma divinamente inspirada.

A quarta coisa que podemos fazer para ter um relacionamento mais íntimo com Deus é encontrar um corpo de crentes com os quais possamos adorar regularmente. Precisamos ter comunhão com alguém que seja “igual a nós” , veja em Jó 33:6,7 “Eis que diante de Deus sou o que tu és; eu também fui formado do barro. Eis que não te perturbará nenhum medo de mim, nem será pesada sobre ti a minha mão.”

É muito fácil para Satanás atacar aqueles que andam a sós. Como um navio atravessando este mar de corrupção e pecado, nos defenderemos melhor se estivermos em comboio de muitos. Este ‘comboio’, que nos envolve espiritualmente, é a igreja. Ela carrega a mensagem correta, que deverá ser vista em nossas vidas.

Finalmente, uma relação mais próxima com Deus é construída sobre uma vida de obediência. Jesus disse aos seus discípulos no cenáculo: “…Se alguém me amar, guardará a minha palavra; e meu Pai o amará, e viremos a ele, e faremos nele morada.” (João 14:23). Tiago nos diz que à medida que nos submetemos a Deus através da obediência, resistimos ao diabo, e nos aproximamos de Deus, Ele se aproximará de nós (Tiago 4:7-8). Paulo nos diz em Romanos que a nossa obediência é o nosso “sacrifício vivo” de ação de graças a Deus (Romanos 12:1). Devemos ter em mente que todas as exortações bíblicas de obediência são apresentadas como a nossa resposta à graça de Deus que recebemos na salvação. Não ganhamos a salvação através de nossa obediência. Pelo contrário , a obediência, é a nossa forma de demonstrar o nosso amor e gratidão para com Deus.

Assim, através da confissão, do estudo da Bíblia, da oração, da busca regular à igreja e da obediência, podemos desenvolver uma relação mais próxima com Deus. Parece bastante simples, se não simplista. Entretanto, considere isto: como é que vamos desenvolver um relacionamento mais próximo com os outros seres humanos? Conversamos com eles, abrindo-lhes os nossos corações e escutando o que têm a dizer. Reconhecemos quando fazemos algo de errado e pedimos perdão. Procuramos tratá-los bem e sacrificar nossas próprias necessidades para cumprir as deles. Realmente não é muito diferente da nossa relação com o nosso Pai Celestial.

O mesmo sol que derrete a cera endurece o barro. Temos na bíblia vários exemplos de pessoas que ouviram o evangelho, mas o rejeitaram. O rei Festo (Atos 25), Pilatos (Mateus 27) e outros são exemplos patéticos da rejeição do evangelho.

Como é a sua sensibilidade ao apelo de Deus para aceitar a Sua proposta de reavivamento e reforma espirituais? Você sente que progrediu ou regrediu na sua vida espiritual?

QUINTA-FEIRA (1º de Agosto) OBEDIÊNCIA GUIADA PELO ESPÍRITO – A lição de hoje traz um assunto muito delicado que se tem notado no meio cristão. Muitos dizem ser cristãos; mas, na realidade, poucos estão dispostos a serem dirigidos pelos ditames da palavra do Senhor Deus.

Uma questão muito importante em relação a receber o Espírito Santo é a obediência. Muitos procuram sentir um estado de êxtase emocional para terem a certeza de que estão sendo guiados pelo Espírito Santo. Mas nem sempre esse é um sinal seguro e de equilíbrio. Por exemplo: as pessoas que estão dopadas, com drogas, fazem coisas que fogem do seu controle mental. No aspecto religioso também acontece isso. Pessoas, de religiões onde a ênfase está na música ritmada, com o pretexto de que o Espírito Santo está a guiá-las, podem fazer coisas horríveis. Quantas mortes aconteceram lideradas por pessoas fanáticas que incentivaram ações, agindo apenas por sentimentos emocionais que estavam descontrolados. Nossa mente deve ser regida primeiro pela razão e depois, e também, pelas emoções. O que temos visto em igrejas pentecostais é um sentimentalismo exagerado que envolve barulho, músicas altas e com ritmos de dança, e depois quando você apresenta a necessidade de obedecer o 4º mandamento, que requer a observância do sábado, dizem que o sábado foi abolido. Ou se você tenta explicar o verdadeiro significado do dom de línguas de Atos 2, não aceitam e ainda dizem estar sendo guiados pelo Espírito. O Espírito Santo é dado somente para aqueles que obedecem Deus. Veja este texto como é claro: “E nós somos testemunhas acerca destas palavras, nós e também o Espírito Santo, que Deus deu àqueles que lhe obedecem.” Atos 5:32. Se não obedecem a palavra de Deus, de forma completa, e dizem ter o Espírito, certamente é um outro espírito, mas não o de Deus.

A verdadeira vida espiritual está fundamentada em princípios de conduta, princípios que atuam no interior, na mente, e revelam a integridade do carácter. A liderança do Espírito Santo era o mote de vida de Jesus. Declara o apóstolo Paulo, que esvaziou-Se de toda a glória a que sempre teve direito, para cumprir uma missão e um propósito do qual não havia a possibilidade de afastar-se um passo da rota determinada, sem que isso decretasse o fracasso total. Ele seguiu decididamente todos os detalhes de todo o caminho traçado; “e foi obediente até a morte, e morte de cruz.” Fip. 2:8

O verdadeiro filho de Deus deixa ser guiado em toda a verdade: Falando sobre a missão do Espírito Santo, na liderança da vida de todos os que aceitam a Jesus, encontramos este texto: “Mas, quando vier aquele Espírito de verdade, ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há-de vir.” João 16:13

Veja este outro texto: “Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus esses são filhos de Deus. Porque não recebestes o espírito de escravidão, para outra vez estardes em temor, mas recebestes o Espírito de adoção de filhos, pelo qual clamamos: Aba, Pai.O mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus.” Romanos 8:14-16

SEXTA-FEIRA (2 de agosto) LEITURA ADICIONAL – Tendo em vista que o reavivamento é gerado pela presença do Espírito Santo em nós, e que o Espirito é concedido àqueles que O obedecem é importante conhecermos melhor quem é o Espírito Santo.

Quem é o Espírito Santo? Há muitos conceitos errôneos sobre a identidade do Espírito Santo. Alguns vêem o Espírito Santo como uma força mística. Outros entendem o Espírito Santo como sendo um poder impessoal que Deus disponibiliza aos seguidores de Cristo. O que diz a Bíblia a respeito da identidade do Espírito Santo? Colocando de forma simples; a Bíblia diz que o Espírito Santo é Deus. A Bíblia também nos diz que o Espírito Santo é uma Pessoa, um Ser com mente, emoções e uma vontade.

O fato do Espírito Santo ser Deus é claramente visto em muitas Escrituras, incluindo Atos 5:3-4. Neste verso Pedro confronta Ananias em por que ele tinha mentido para o Espírito Santo, e a ele diz “não mentiste aos homens, mas a Deus”. É uma declaração clara de que mentir ao Espírito Santo é mentir a Deus.

Podemos também saber que o Espírito Santo é Deus porque Ele possui os atributos ou características de Deus. Por exemplo, a onipresença do Espírito Santo é vista em Salmos 139:7-8: “Para onde me irei do teu espírito, ou para onde fugirei da tua face? Se subir ao céu, lá tu estás; se fizer no inferno a minha cama, eis que tu ali estás também.” Em I Coríntios 2:10 vemos a característica de onisciência do Espírito Santo: “Mas Deus no-las revelou pelo seu Espírito; porque o Espírito penetra todas as coisas, ainda as profundezas de Deus. Porque, qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o espírito do homem, que nele está? Assim também ninguém sabe as coisas de Deus, senão o Espírito de Deus.”

Podemos saber que o Espírito Santo é mesmo uma Pessoa porque Ele possui uma mente, emoções e vontade. O Espírito Santo pensa e sabe ( I Coríntios 2:10). O Espírito Santo pode se entristecer (Efésios 4:30). O Espírito intercede por nós (Romanos 8:26-27). O Espírito Santo toma decisões de acordo com Sua vontade (I Coríntios 12:7-11). O Espírito Santo é Deus, a terceira Pessoa da divindade. Como Deus, o Espírito Santo pode verdadeiramente agir como o Confortador e Consolador que Jesus prometeu que ele seria (João 14:16,26; 15:26).

Para que possamos entender o trabalho transformador do Espírito Santo na vida do pecador arrependido, Deus apresenta a promessa desta bênção sob os símbolos das duas chuvas: temporã e serôdia. Na experiência cristã necessitamos destas duas chuvas. A temporã, que faz brotar a semente da verdade no coração, quando tomamos a decisão de viver para Cristo, também deve firmar na verdade, conduzir à obediência e fortalecer a fé. A chuva serôdia conduz para o amadurecimento espiritual e ao decidido testemunho em favor da verdade, culminando na frutificação de almas para o celeiro do Céu.

fabiodeps@gmail.com

temasbblicos.blogspot.com.br

gotquestions.org/Portugues/

Anúncios

, , , , , , , , , , , , , ,

  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • ” Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo.” Apocalipse 1:3

  • “Não desprezeis as profecias; julgai todas as coisas, retende o que é bom.” 1 Tessalonicenses 5:20-21.

  • "Conservai-vos a vós mesmos no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo para a vida eterna.
    E apiedai-vos de alguns, usando de discernimento;
    E salvai alguns com temor, arrebatando-os do fogo, odiando até a túnica manchada da carne."
    Judas 1:21-23

%d blogueiros gostam disto: