PARA QUE NÃO NOS ESQUEÇAMOS (Malaquias) – Comentários da Lição 13 (22 a 29 de junho)

Israel foi escolhida para revelar em toda sua prosperidade, a majestade, a glória e o poder de Deus a todas as nações. Porém esqueceram-se de seu desígnio, roubaram de Deus o serviço que deles se requeria, e do próximo a orientação religiosa e o exemplo santo. Seus sacerdotes oficiavam para crescimento do Templo (Jr 7:4) e em seus corações poluíam o santuário com interesses de grupos pessoais.
“Portanto assim te farei, ó Israel, e porque isso te farei, prepara-te, ó Israel, para te encontrares com o teu Deus.”
Amós 4:12

Malaquias

VERSO PARA MEMORIZAR:
“Desde o nascente do sol até ao poente, é grande entre as nações o Meu nome; e em todo lugar lhe é queimado incenso e trazidas ofertas puras, porque o Meu nome é grande entre as nações, diz o Senhor dos Exércitos” (Ml 1:11).

Leituras da Semana: Ml 1; Lv 1:1-3; Ml 2; Ef 5:21-33; Ml 3; Êx 32:32; Ml 4

O livro de Malaquias é um oráculo: “Sentença pronunciada pelo Senhor contra Israel, por intermédio de Malaquias.” Mal. 1:1. Esta foi a advertência de Deus através de Malaquias para dizer ao povo a voltar-se para Deus. Enquanto o último livro do Antigo Testamento se encerra, o pronunciamento da justiça de Deus e a promessa de Sua restauração através da vinda do Messias estão soando nos ouvidos dos israelitas.
Quatrocentos anos de silêncio passam, mas esse período termina quando o próximo profeta de Deus, João Batista, transmite uma mensagem semelhante e proclama: “Arrependei-vos, porque está próximo o reino dos céus” Mateus 3:2
” Vim lançar fogo à terra; e que mais quero, se já está aceso?” (lucas 12:49)
O apóstolo Paulo sabia muito bem que a Palavra de Jesus era bastante severa, e
conhecedor da natureza humana e conduzido pelo Espirito Santo, anteviu um tempo em que a legítima doutrina de Cristo seria adulterada, para se ajustar à indolência espiritual das pessoas: “Virão tempos em que a sã doutrina não será aceita, mas as pessoas acumularão mestres que lhe encham os próprios ouvidos, de acordo com os próprios desejos. Desviarão os ouvidos da Verdade e divagarão ao sabor de fábulas” (2 Tm 4:3,4). E o apóstolo Pedro complementa: “Muitos hão de segui-los na sua libertinagem e, por causa deles, o caminho da Verdade será blasfemado; movidos pela cobiça, hão de explorar-vos com palavras enganadoras” (2 Pe 2:2,3).

Malaquias escreveu as palavras do Senhor ao povo escolhido de Deus que tinha se desviado, especialmente aos sacerdotes que tinham abandonado ao Senhor. Os sacerdotes não estavam levando a sério os sacrifícios que deviam fazer a Deus. Animais com defeitos estavam sendo sacrificados, embora a lei exigisse animais sem defeito. Deuteronômio 15:21. Os homens de Judá estavam sendo desleais às esposas de sua juventude e se perguntando por que Deus não aceitava os seus sacrifícios. Além disso, as pessoas não estavam oferecendo o dízimo da forma em que deviam. Levítico 27:30, 32. Entretanto, apesar do pecado do povo e de se afastarem de Deus, Malaquias reitera o amor de Deus por Seu povo. Malaquias 1:1-5 e Suas promessas de um mensageiro que estava para vir. Malaquias 2:17 e 3:5.

Como tem sido a forma da nossa religião?

Veja estes textos: “Não te deleitas em sacrifícios nem te agradas em holocaustos, se não eu os traria. Os sacrifícios que agradam a Deus são um espírito quebrantado; um coração quebrantado e contrito, ó Deus, não desprezarás.” Sal. 51:16 e 17

“Tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te.” II Timóteo 3:5

DOMINGO (23 de junho) GRANDE É O SENHOR – O problema de Malaquias capítulo 1 está relacionado com a maneira como os sacerdotes se relacionavam com o sacrifício de animais no templo, levitas, povo e com o próprio Deus.

O texto de hoje indica de que houve um desvio de conduta por parte dos sacerdotes, sendo culpados de desprezarem o nome de Deus. Eles perderam o relacionamento pessoal com Ele. Os sacerdotes do templo, em desobediência à lei que regulamentava as atividades do templo, indevidamente recolhiam todas as ofertas do povo, nada deixando para os levitas, os órfãos, as viúvas e estrangeiros. Os sacerdotes transformaram-se em profissionais da religião e totalmente divorciados de Deus.

As passagens seguintes fornecem maiores detalhes, especificando os pecados cometidos pelos sacerdotes. Não eram todos, mas aqueles que eram arrogantes e desonestos. Eles foram culpados de profanarem o nome de Deus e de oferecerem no altar sagrado ofertas inaceitáveis, tais como animais cegos, coxos e enfermos. Malaquias 1:7-14. Deus fala especificamente aos sacerdotes e não ao povo, pois eram os sacerdotes que acendiam o fogo no altar. Malaquias 1:10.

O profeta enumera três razões porque Deus merece ser honrado dignamente: 1) A primeira é que Deus é o nosso pai e criador, por isso Ele merece o melhor da nossa parte. 2) A segunda razão é que Deus é o nosso mestre e Senhor e merece ser obedecido. 3) A terceira razão é que Ele é um Rei grandioso. Se um rei humano não aceita homenagens falhas dos seus súditos, principalmente Deus merece o nosso melhor.

Qual tem sido a forma da nossa adoração a Deus? Devemos adorá-lo na beleza da Sua santidade. Devemos oferecer-lhe o melhor da nossa vida. Se prestamos um culto defeituoso a Deus estamos diminuindo o nosso Deus que é o nosso Criador, o Rei do universo e santo. É bom lembrar também que embora a advertência do profeta foi contra o sacerdócio daquele tempo, hoje não só os pastores tem que cuidar da maneira como se aproximam de Deus e tratam os negócios de Deus; mas todos os crentes têm essa mesma responsabilidade, pois hoje Deus constituiu a todos os crentes como sacerdotes.

Veja este texto: Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz.” I Pedro 2:9. Ver também Apoc. 1:5 e 6

Duccio_di_buoninsegna_0661SEGUNDA-FEIRA (24 de junho) AMOR E RESPEITO AOS OUTROS – Este é o texto principal para hoje: “Ainda fazeis isto outra vez, cobrindo o altar do Senhor de lágrimas, com choro e com gemidos; de sorte que ele não olha mais para a oferta, nem a aceitará com prazer da vossa mão. E dizeis: Por quê? Porque o Senhor foi testemunha entre ti e a mulher da tua mocidade, com a qual tu foste desleal, sendo ela a tua companheira, e a mulher da tua aliança. E não fez ele somente um, ainda que lhe sobrava o espírito? E por que somente um? Ele buscava uma descendência para Deus. Portanto guardai-vos em vosso espírito, e ninguém seja infiel para com a mulher da sua mocidade. Porque o Senhor, o Deus de Israel diz que odeia o repúdio, e aquele que encobre a violência com a sua roupa, diz o Senhor dos Exércitos; portanto guardai-vos em vosso espírito, e não sejais desleais.” Malaquias 2:13-16

No tempo de Malaquias muitos homens judeus estavam quebrando os votos matrimoniais e abandonando as suas mulheres. Uma vez que, em Israel, o divórcio era legal, alguns estavam usando uma autorização humana para quebrar os votos do casamento

Os sacerdotes eram culpados de agir traiçoeiramente, como sendo os primeiros a se divorciarem de suas esposas, deixando de censurar esse pecado. Agora, “novamente” em Malaquias 2:13, Deus está censurando a hipocrisia dos sacerdotes, por continuarem a oferecer sacrifícios, enquanto vivem em rebelião.

Este texto tem uma forte relevância contra os sacerdotes porque eles eram os que literalmente choravam sobre o altar. O povo de Judá e Israel não tinham acesso direto ao altar, portanto não poderia literalmente “cobrir o altar do Senhor de lágrimas”. Segundo Neemias, Deus estava muito mais desgostoso com os sacerdotes do que com o resto do povo, por causa dos seus casamentos mistos com mulheres pagãs. No texto de hoje, nos versos 15 e 16, Deus deixa claro que detesta o divórcio.

Deus utilizou-Se do matrimônio para ilustrar aquilo que os sacerdotes e povo de Deus faziam em relação aos outros pontos da vida religiosa; como: idolatria, transgressão do santo sábado e desprezo do pobre, órfãos e viúvas.

É correto para um cristão namorar ou casar-se com alguém que não seja cristão? Em II Coríntios 6:14 declara: “Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas?” Enquanto esta passagem não menciona especificamente o casamento, certamente tem implicações para o casamento. A passagem continua dizendo: “E que concórdia há entre Cristo e Belial? Ou que parte tem o fiel com o infiel? E que consenso tem o templo de Deus com os ídolos? Porque vós sois o templo do Deus vivente, como Deus disse: Neles habitarei, e entre eles andarei; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo. Por isso saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; E não toqueis nada imundo, E eu vos receberei.” II Coríntios 6:15-17.

TERÇA-FEIRA (25 de junho) DÍZIMO NA CASA DO TESOURO – O povo de Israel antes de deixar de devolver os dízimos e ofertas já estavam praticando outros pecados: 1) Eles ofereciam animais com defeitos, em lugar de animais puros e sem defeitos. Ver Malaquias 1:8. 2) Eles tinham uma adoração vazia e falsa espiritualidade conforme o seguinte texto: “E chegar-me-ei a vós para juízo; e serei uma testemunha veloz contra os feiticeiros, contra os adúlteros, contra os que juram falsamente, contra os que defraudam o diarista em seu salário, e a viúva, e o órfão, e que pervertem o direito do estrangeiro, e não me temem, diz o Senhor dos Exércitos.” Malaquias 3:5.

A devolução do dízimo e a doação de ofertas voluntárias seguem as leis estabelecidas por Deus. Ele declara: “Desde os tempos dos seus antepassados vocês se desviaram dos meus decretos e não lhes obedeceram.” Mal 3:7

Hoje quando os filhos de Deus deixam de devolver os dízimos e ofertas a Deus, é porque a sua vida, em outros aspectos, está desorganizada. No processo de restauração da vida espiritual do povo, Deus pediu para o profeta dar a seguinte mensagem: “Roubará o homem a Deus? Todavia vós me roubais, e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas. Com maldição sois amaldiçoados, porque a mim me roubais, sim, toda esta nação. Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim nisto, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós uma bênção tal até que não haja lugar suficiente para a recolherdes. E por causa de vós repreenderei o devorador, e ele não destruirá os frutos da vossa terra; e a vossa vide no campo não será estéril, diz o Senhor dos Exércitos. E todas as nações vos chamarão bem-aventurados; porque vós sereis uma terra deleitosa, diz o Senhor dos Exércitos.” Malaquias 3:8-12

Sendo que o sistema de dízimos existiu desde os tempos antigos, e que Jesus e os apóstolos aprovaram, qual tem sido a nossa atitude quanto a este mandamento?

Veja estes textos: “No primeiro dia da semana cada um de vós ponha de parte o que puder ajuntar, conforme a sua prosperidade, para que não se façam as coletas quando eu chegar.” I Coríntios 16:2

“Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Pois que dizimais a hortelã, o endro e o cominho, e desprezais o mais importante da lei, o juízo, a misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer estas coisas, e não omitir aquelas.” Mateus 23:23

“Assim ordenou também o Senhor aos que anunciam o evangelho, que vivam do evangelho.” I Coríntios 9:14

Deus não necessita do nosso dinheiro; e sim deseja o nosso caráter transformado: Deus é o dono do universo e de suas riquezas e não tem nenhum problema em prover recursos para a Sua obra. O maior problema está em o homem roubar a glória de Deus. A glória de Deus é o Seu caráter. Ele quer desenvolver em Seus filhos os atributos comunicáveis de Seu caráter. Quando nos omitimos em seguir o Seu plano de dar, roubamos-lhe a oportunidade dele atuar em nós e desta maneira O roubamos em Sua glória.

QUARTA-FEIRA (26 de junho) UM MEMORIAL ESCRITO – Este é o texto chave para hoje: “Então aqueles que temeram ao Senhor falaram frequentemente um ao outro; e o Senhor atentou e ouviu; e um memorial foi escrito diante dele, para os que temeram o Senhor, e para os que se lembraram do seu nome.” Malaquias 3:16.

A questão aqui envolvida é aquela velha pergunta: Por que os ímpios prosperam enquanto eu, que sou fiel, passo por problemas? Os judeus que retornaram do exílio, questionaram Deus quanto às vantagens de servi-lo ou não. Diziam eles: Os que não têm o temor de Deus prosperam mais do que aqueles que O servem. Por que então servir a Deus e ser fiel? Este era o seu questionamento.

Aqui temos alguns pontos a serem analisados. 1) Os justos também vivem felizes, recebem o favor de Deus e tem a Sua proteção. Ver Salmo 91. 2) Os desobedientes também sofrem e, por serem a maioria, sofrem ainda mais. Aqui há o tal mito da grama do vizinho que é mais verde. “A grama do vizinho é mais verde e sempre melhor.” 3) No céu há um livro memorial escrito onde estão registradas as boas ações e os sofrimentos dos filhos de Deus, conforme o texto para hoje. Veja este outro verso: “Tu contas as minhas vagueações; põe as minhas lágrimas no teu odre. Não estão elas no teu livro?” Salmo 56:8. No céu, temos pelo menos mais dois livros; o livro da vida. Ver Apoc. 21:27, e o da morte. Ver Isaías 65: 6 e 7, Ecl.. 12:14. 4) 3) Quando Jesus voltar, os ímpios e desobedientes serão recompensados com a punição, enquanto que os justos, com a salvação.

Sabendo que Deus sabe, vê e anota tudo; qual deve ser a nossa postura perante as pessoas, coisas e Deus?

Veja estes textos: “Porque Deus há-de trazer a juízo toda a obra, e até tudo o que está encoberto, quer seja bom, quer seja mau.” Eclesiastes 12:14

“Porque, quanto ao Senhor, seus olhos passam por toda a terra, para mostrar-se forte para com aqueles cujo coração é perfeito para com ele.” II Crônicas 16:9

“Havendo, pois, de perecer todas estas coisas, que pessoas vos convém ser em santo trato, e piedade. Aguardando, e apressando-vos para a vinda do dia de Deus, em que os céus, em fogo se desfarão, e os elementos, ardendo, se fundirão? “II Pedro 3:11-12

O que Deus tem escrito a nosso respeito no Seu livro memorial?

QUINTA-FEIRA (27 de junho) O SOL DA JUSTIÇA – Este é o texto pivô para hoje: “Mas para vós, os que temeis o meu nome, nascerá o sol da justiça, e cura trará nas suas asas; e saireis e saltareis como bezerros da estrebaria.” Malaquias 4:2.

A descrição aqui é óbvia: Enquanto os perdidos serão destruídos com o fogo de Deus na Sua segunda volta, conforme Malaquias 4:1, os filhos de Deus serão protegidos, salvos e saltitarão de felicidades, pois o Rei terá vindo para libertá-los do sofrimento. Este capítulo também faz alusão à destruição do mal depois do milénio.

A expressão “raiz e ramos” aludem a Satanás, seus demónios e todos à os perdidos que serão destruídos no fim dos mil anos, como vemos a seguir: “E subiram sobre a largura da terra, e cercaram o arraial dos santos e a cidade amada; e de Deus desceu fogo, do céu, e os devorou. E o diabo, que os enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde está a besta e o falso profeta; e de dia e de noite serão atormentados para todo o sempre.” Apocalipse 20:9-10. Enquanto que os perdidos serão eliminados, para os filhos de Deus nascerá o sol da justiça.

Quem é o nosso sol? “Porque o Senhor Deus é um sol e escudo; o Senhor dará graça e glória; não retirará bem algum aos que andam na retidão.” Salmos 84:11

Quem é a nossa Justiça? “Eis que vêm dias, diz o Senhor, em que levantarei a Davi um Renovo justo; e, sendo rei, reinará e agirá sabiamente, e praticará o juízo e a justiça na terra. Nos seus dias Judá será salvo, e Israel habitará seguro; e este será o seu nome, com o qual Deus o chamará: O Senhor justiça nossa.” Jeremias 23:5-6

Ninguém gosta e nem pode viver sempre na sombra. Gostamos de dias ensolarados. E o sol é necessário para o nosso corpo receber a vitamina D e para o crescimento e desenvolvimento físico. Na vida espiritual não é diferente; necessitamos do sol da justiça para desenvolver o nosso crescimento espiritual. O nosso crescimento espiritual depende de três coisas: 1) Estudo diária da palavra de Deus. 2) Orações particulares, com a família e em público, e 3) Testemunho. O filho de Deus que negligencia um destes pontos está impedindo que o sol da justiça brilhe em sua vida.

SEXTA-FEIRA (28 de Junho) LEITURA COMPLEMENTAR – Malaquias 3:1-6 é uma profecia a respeito de João Batista. Ele era o mensageiro do Senhor, enviado para preparar o caminho. Ver Mateus 11:10. João pregava arrependimento e batizava no nome do Senhor, preparando assim o caminho para o primeiro advento de Jesus. Porém, o mensageiro que vem “de repente para o templo” é o próprio Cristo na Sua segunda vinda, quando Ele vier em poder e glória. Ver Mateus 24. Naquele tempo, Ele vai “purificar os filhos de Levi” v. 3, o que significa que aqueles que exemplificaram a lei mosaica também precisariam de purificação do pecado através do sangue do Salvador. Só então eles serão capazes de oferecer “uma oferta em justiça”, pois será a justiça de Cristo imputada a eles através da fé. II Coríntios 5:21.

Deus não se agrada quando não obedecemos aos Seus mandamentos. Ele recompensará com a punição aqueles que O ignoram. Quanto a Deus odiando o divórcio, ver Mal. 2:16, Deus leva muito a sério a aliança de casamento e não quer que ela seja quebrada. Devemos permanecer fiéis ao cônjuge de nossa juventude por toda vida. Deus vê o nosso coração, então Ele sabe quais são as nossas intenções; nada pode ser escondido dele. Ele voltará e será o juiz. No entanto, se voltarmos à Ele em arrependimento, Ele voltará Se para nós. Ver Malaquias 3:6.

Deus tomou a iniciativa em procurar o Seu povo para o arrependimento. Deus amou o povo no passado e nos ama hoje também. O Seu amor é incondicional e eterno. Deus procurou o povo e os sacerdotes para organizarem a vida no casamento; nos dízimos, no testemunho, no cuidado com as pessoas e na melhor forma de adoração. Hoje Deus pede o mesmo de nós. Qual é a nossa resposta?

fabiodeps@gmail.com

Editado sobre artigo publicado pelo Pr. Luis Fonseca.

Anúncios

, , , , , , , , , , ,

  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • ” Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo.” Apocalipse 1:3

  • “Não desprezeis as profecias; julgai todas as coisas, retende o que é bom.” 1 Tessalonicenses 5:20-21.

  • "Conservai-vos a vós mesmos no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo para a vida eterna.
    E apiedai-vos de alguns, usando de discernimento;
    E salvai alguns com temor, arrebatando-os do fogo, odiando até a túnica manchada da carne."
    Judas 1:21-23

%d blogueiros gostam disto: