AMOR E JULGAMENTO: o dilema de Deus (Oséias) – Resumo e Comentários à Lição 2 – (06 a 13/04/2013)

A última parte de Oséias conclui :
“Volte, ó Israel, para o Senhor, para o seu Deus. Seus pecados causaram sua queda!
Preparem o que vão dizer e voltem para o Senhor. Peçam-lhe: ‘Perdoa todos os nossos pecados e, por misericórdia, recebe-nos, para que te ofereçamos o fruto dos nossos lábios.” (Oséias 14:1-2)

e finaliza assim:
“Quem é sábio? Aquele que considerar essas coisas. Quem tem discernimento? Aquele que as compreender. Os caminhos do Senhor são justos; os justos andam neles, mas os rebeldes neles tropeçam.” (Oséias 14:9)

MartinoAltomonte

VERSO ÁUREO: “Tu, pois, converte-te a teu Deus; guarda a benevolência e o juízo, e em teu Deus espera sempre.” Oséias 12:6

INTRODUÇÃO: Deus sempre usou ilustrações para ensinar Seus filhos. Quando ouvimos um sermão com experiências; além de prestarmos mais atenção, retemos mais facilmente a mensagem que ouvimos. Deus utilizou-Se especialmente de duas metáforas para mostrar o Seu relacionamento conosco: marido e mulher e pais e filhos. Assim sendo, o profeta Oséias também usou parábolas para tentar explicar o grande amor de Deus por um povo que vivia no adultério espiritual e que devia voltar a Deus. Cada dia desta semana veremos uma metáfora.

 No passado, Deus levou Seus profetas, por vezes, a umas ilustrações bem dramáticas; para levar as pessoas a uma reflexão juntamente com o sentimento e voltar ao Senhor Deus. Hoje Deus permite que algo dramático também aconteça com os Seus filhos para que voltem ao Senhor. Caso não voltarem, aí então virá o juízo e a condenação.

 A lição desta semana fala de amor e juízo. É bom lembrar que o amor de Deus sempre triunfa no juízo: “Porque o juízo é sem misericórdia para com aquele que não usou de misericórdia. A misericórdia triunfa sobre o juízo.” Tiago 2.13. Vemos aqui Deus aplicando a pena que merecemos, e Deus dispensando ao pecador o Seu favor imerecido. Estes temas vistos pela Igreja primitiva e na Igreja reformada do século XVIII, continuam atuais. Afinal, a misericórdia e o juízo de Deus, assim como o homem, continuam os mesmos. Afirmamos que estes conceitos são essenciais para teologia e para ética cristã. Pois muitas vezes nos falta compreender o conteúdo e viver a profundidade da graça. Pois a justiça e pecado, misericórdia e santidade são a raiz e base de nossa vida cristã. Que Deus nos ajude a vivermos na graça de Deus para ficarmos livres do Seu juízo e condenação. Amém?

 DOMINGO (7 de abril) FACILMENTE ENGANADOS E SEM ENTENDIMENTO – Na lição de hoje Deus compara Israel com uma pomba. Veja o texto de hoje: “Porque Efraim é como uma pomba ingênua, sem entendimento; invocam o Egito, vão para a Assíria. Quando forem, sobre eles estenderei a minha rede, e como aves do céu os farei descer; castigá-los-ei, conforme o que eles têm ouvido na sua congregação.” Oséias 7:11-12

 Efraim era o filho mais novo de José e foi aplicado para referir-se às dez tribos do norte com sede em Samaria. Assim como Judá, filho de Jacó, teve o seu nome usado para aplicar ao reino do sul, com sede em Jerusalém. No verso acima vemos Israel sendo comparado à uma pomba ingênua que é apanhada na rede do passarinheiro: Veja este texto: “Ouvi agora isto, ó povo insensato, e sem coração, que tendes olhos e não vedes, que tendes ouvidos e não ouvis.” Jeremias 5:21.

 Que motivo principal levou o povo de Deus a cair em apostasia? Foi a aliança que fez com o Egito e Assíria para receber apoio comercial e financeiro. Com essas alianças o povo de Deus estava mostrando que confiava mais nos países vizinhos do que em Deus. Não há nada de errado os países mais fracos de hoje fazerem aliança com os mais fortes, para estes ajudarem os mais fracos, como vemos na União Europeia  mas no passado Deus fez duas coisas: Pediu para que não fizessem aliança com os estrangeiros e prometeu-lhes ajudar em quaisquer circunstâncias.

  Caso o povo de Deus permanecesse fiel, hoje seria uma nação ocupando as terras entre o Mediterrâneo e o Eufrates, e ao sul, estendendo-se até o Mar Vermelho e fazendo fronteiras com o o Egito, e ao norte, atingindo até a  Turquia. Com certeza seria uma nação mais rica que os Estados Unidos. Pois naquele eixo está a maior quantidade de petróleo do mundo. Para além, é claro, do povo ter sido o distribuidor das bênçãos para o mundo.

 Como resultado da infidelidade do povo de Israel, e falando apenas em termos religiosos; infelizmente, o que vemos hoje naquela região é um povo que não aceita Jesus como Deus que Se incarnou para salvar a humanidade; e no resto do mundo vemos uma apostasia da verdadeira palavra de Deus gerada através da igreja romana. E agora cada crente tem o privilégio de ser o Israel espiritual como vemos a seguir: “Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz. Vós, que em outro tempo não éreis povo, mas agora sois povo de Deus; que não tínheis alcançado misericórdia, mas agora alcançastes misericórdia.” I Pedro 2:9-10

 

SEGUNDA-FEIRA (8 DE ABRIL) BEZERRA DOMADA – A lição de hoje compara Israel com uma bezerra. Este é o texto: “Porque Efraim é uma bezerra domada, que gosta de trilhar; e eu poupava a formosura do seu pescoço; mas farei cavalgar Efraim. Judá lavrará, Jacó lhe desfará os torrões. Semeai para vós em justiça, ceifai segundo a misericórdia; lavrai o campo de lavoura; porque é tempo de buscar ao Senhor, até que venha e chova a justiça sobre vós. Lavrastes a impiedade, segastes a iniquidade, e comestes o fruto da mentira; porque confiaste no teu caminho, na multidão dos teus poderosos.”Oséias 10:11-13

 O reino do Norte, com sede em Samaria havia recebido terra boa e produtiva, lavrava a terra e colhia em abundância, mas Israel foi infiel. O povo de Israel, na parábola, foi domado porque arava a terra e trabalhava feliz no seu início; mas depois da aliança com os povos pagãos, já domada, trabalhava como escravo, pois pagava impostos caros e trabalhava para entregar os produtos aos seus inimigos, os assírios.

 O conselho de Deus foi claro: “Guarda-te de fazeres aliança com os moradores da terra aonde hás-de entrar; para que não seja por laço no meio de ti.” Êxodo 34:12

 “E o Senhor teu Deus as tiver dado diante de ti, para as ferir, totalmente as destruirás; não farás com elas aliança, nem terás piedade delas. Nem te aparentarás com elas; não darás tuas filhas a seus filhos, e não tomarás suas filhas para teus filhos. Pois fariam desviar teus filhos de mim, para que servissem a outros deuses; e a ira do Senhor se acenderia contra vós, e depressa vos consumiria.” Deuteronômio 7:2-4

 Que conselho Deus deixou-nos hoje? “Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas?” II Coríntios 6:14.

 Quais tem sido os resultados visíveis de um casamento ou sociedade com infiéis?

 Veja este texto: “Se o Senhor reprovou o Seu povo antigamente, por eles negligenciarem dEle buscar conselho quando estavam em dificuldade, não Se desagradará hoje se Seu povo, em vez de confiar em que os brilhantes raios do Sol da Justiça lhes iluminem o caminho, dele se afastarem em suas provas e dificuldades, em busca de auxílio de seres humanos tão sujeitos ao erro e deficientes como eles próprios? Onde está nossa força? Está nos homens que são tão indefesos e dependentes como nós mesmos, e que tanto como nós necessitam da orientação de Deus?” Testemunhos para Ministros, 380 e 381

 

TERÇA-FEIRA (9 de abril) UM FILHO A DAR OS PRIMEIROS PASSOS – Este é o texto de hoje: “Quando Israel era menino, eu o amei; e do Egito chamei a meu filho. Mas, como os chamavam, assim se iam da sua face; sacrificavam a baalins, e queimavam incenso às imagens de escultura. Todavia, eu ensinei a andar a Efraim; tomando-os pelos seus braços, mas não entenderam que eu os curava.” Oséias 11:1-3.

 O amor de Deus é maravilhoso! Ele teve a paciência em ensinar, ao povo de Israel, as lições de volta para casa. Depois de serem levados cativos pela Assíria em 722 a.C, o povo teve de reaprender como uma criança, a dar os primeiros passos de volta para casa. Antes do retorno do cativeiro da Assíria houve o cativeiro do Egito em que o povo ficou lá por maias de 400 anos.

 Veja este texto: “O Senhor tratou Israel com ternura, desde sua libertação do cativeiro egípcio à terra prometida. Em toda aflição do Seu povo Ele também Se afligiu e a presença de Seu anjo os salvou. Em Seu amor e em Sua misericórdia Ele os resgatou.” Comentários de Elen White ES, 1º trim/2013, 12 e 13.

 Que método Deus usa para corrigir-nos quando andamos por caminhos errados?

 “Eu repreendo e castigo a todos quantos amo; sê pois zeloso, e arrepende-te.” Apocalipse 3:19

 “As provas e obstáculos são os métodos de disciplina escolhidos pelo Senhor e as condições de bom êxito que nos apresenta. Ele, que lê o coração dos homens, conhece melhor do que eles mesmos o seu caráter. Vê que alguns têm faculdades e possibilidades que, bem dirigidas, podiam ser empregadas no avanço de Sua obra. Em Sua providência, Deus colocou estas pessoas em diferentes situações e variadas circunstâncias a fim de que possam descobrir, em seu caráter, defeitos que a eles próprios estavam ocultos. Dá-lhes oportunidade de corrigirem tais defeitos e de se tornarem aptos para O servir. Permite por vezes que o fogo da aflição os assalte, a fim de que sejam purificados.” A Ciência do Bom Viver, 471.

 Mais difícil do que aceitar a disciplina de Deus é conseguir confiar em Deus e suportar as provações. Mas temos a promessa da presença de Deus conosco: “Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar.” I Coríntios 10:13

 

QUARTA-FEIRA (10 de abril) COMPAIXÃO MAIS FORTE DO QUE A IRA – No texto bíblico de hoje, Deus está falando como um pai arrependido por ter repreendido seu filho por uma desobediência. 

 Todo pai que ama de verdade sofre quando tem que repreender o seu filho. Veja o texto: “Como te deixaria, ó Efraim? Como te entregaria, ó Israel? Como te faria como Admá? Te poria como Zeboim? Está comovido em mim o meu coração, as minhas compaixões à uma se acendem. Não executarei o furor da minha ira; não voltarei para destruir a Efraim, porque eu sou Deus e não homem, o Santo no meio de ti; eu não entrarei na cidade.” Oséias 11:8-9

 Deus não queria castigar os Seus filhos errantes. A obra de disciplinar um filho é muito trabalhosa e dolorida, mas quando isso é necessário os pais tem de o fazer para que os filhos tomem o melhor rumo na vida. Apesar de o Israel merecer a destruição total, Deus, na sua imensa misericórdia, continuou a amar o Seu povo enquanto procurava promover o arrependimento no coração do povo.

 Veja estes textos: “As misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim. Novas são cada manhã; grande é a tua fidelidade.” Lamentações 3:22-23.

 “Há muito que o Senhor me apareceu, dizendo: Porquanto com amor eterno te amei, por isso com benignidade te atraí.” Jeremias 31:3

 “O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é longânimo para conosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se.” II Pedro 3:9

 Com certeza Deus sofreu muito quando enviou Jesus para morrer pela humanidade e Jesus muito sofreu quando sentiu a separação do Pai.

 Veja estes textos: “O afastamento do Divino semblante, do Salvador nesta hora de suprema angústia penetrou seu coração com uma dor que jamais poderá ser inteiramente compreendida pelo homem.” Cristo “temeu que o pecado fosse tão ofensivo a Deus que Sua separação fosse eterna.. Foi o senso de pecado, trazendo a ira do Pai sobre [Cristo] como substituto do homem, que… quebrou o coração do Filho de Deus” e arrancou de seus lábios o agonizante brado “Meu Deus, meu Deus, porque me desamparaste?” O Desejado de Todas as Nações, 753, 754.

 “Deus ama Seus filhos, e quer vê-los vencer o desânimo com que Satanás os oprime. Não deis lugar à incredulidade. Não aumenteis as vossas dificuldades. Lembrai-vos do amor e da fortaleza demonstrados por Deus em tempos passados.” Minha Consagração Hoje, MM, 1989, 1953. 12.

 

QUINTA-FEIRA (11 de abril) CURADO, AMADO E PROTEGIDO – O Deus do Velho Testamento é mal interpretado por alguns. Deus é pintado como sendo cruel e mau. O livro de Oséias é uma demonstração que Deus é misericordioso, pois mostrou grande amor pelo povo que muito desobedeceu e errou.

 Deus nunca foi cruel, Ele sempre foi justo. Quando a polícia invade uma comunidade em busca de traficantes e criminosos, não vai jogando flores. Vai com armas e pronta para exercer o poder de polícia que a sociedade delegou, e nem por isso a polícia é má, Agora imagine um mundo de traficantes e criminosos, e Deus precisando lidar com isso. O problema é que alguns não crêem que o ser humano é intrinsecamente mau por natureza. Deus é santo, e qualquer partícula de pecado é abominável para Ele.

Deus estabeleceu governos e usou povos para colocar em prática o Seu juízo. Os israelitas quando estavam bem com Deus foram usados para destruir povos apóstatas que tentavam eliminar o povo de Deus, atrapalhar assim os planos de Deus.

  E quando o povo estava em apostasia, como foi o caso de Israel na época de Oséias, Deus podia ter destruído o povo e escolhido uma outra nação para O representar, mas Ele preferiu restaurar o povo do cativeiro, e Oséias capítulo 14 mostra esse grande amor. Oséias 14 é o clímax perfeito para mostrar o amor de Deus por Seu povo que muito errou. 

 Eis aí a mensagem de amor: “Converte-te, ó Israel, ao Senhor teu Deus; porque pelos teus pecados tens caído. Tomai convosco palavras, e convertei-vos ao Senhor; dizei-lhe: Tira toda a iniquidade, e aceita o que é bom; e ofereceremos como novilhos os sacrifícios dos nossos lábios. Não nos salvará a Assíria, não iremos montados em cavalos, e à obra das nossas mãos já não diremos mais: Tu és o nosso deus; porque por ti o órfão alcança misericórdia. Eu sararei a sua infidelidade, eu voluntariamente os amarei; porque a minha ira se apartou deles. Eu serei para Israel como o orvalho. Ele florescerá como o lírio e lançará as suas raízes como o Líbano.” Oséias 14:1-5

  Veja como na mensagem de salvação que Deus estendeu ao povo, estavam 3 condições: 1) Arrependimento. 2) Conversão. 3) Abandono dos pecados.

 Deus sempre associou o Seu amor à santidade: “E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra.” II Crônicas 7:14

 “Porque eu sou o Senhor, que vos fiz subir da terra do Egito, para que eu seja vosso Deus, e para que sejais santos; porque eu sou santo.” Levítico 11:45

 “Porquanto está escrito: Sede santos, porque eu sou santo.” I Pedro 1:16

 

SEXTA-FEIRA (12 de abril) LEITURA COMPLEMENTAR – A noção certa do carácter de Deus e dos Seus atos atrai as pessoas e leva-as a aceitar Jesus como salvador.

 Perguntas: De que modo podem os nossos pecados tornar-nos conscientes da nossa necessidade de cura?

 Por que razão, nos nossos dias, é tão difícil esperar e confiar em Deus?

 O que mais nos motiva as pessoas ao arrependimento, o amor de Deus ou a Sua disciplina?

 Como aceitar o amor e a justiça de Deus, em nossa vida, de forma equilibrada?

 “Através da natureza, de figuras e símbolos, de patriarcas e profetas, Deus falara ao mundo. As lições deviam ser dadas à humanidade na linguagem da própria humanidade…Os princípios do governo de Deus e o plano da redenção deviam ficar claramente definidos. As lições do Velho Testamento precisavam de ser plenamente apresentadas aos homens.” O Desejado de Todas as Nações, 25

 “Quando o povo de Deus tirar os olhos das coisas deste mundo e os puser no céu e em coisas celestiais, será um povo peculiar, porque verá a misericórdia e bondade e compaixão que Deus mostrou aos filhos dos homens. Seu amor atrairá deles uma resposta, e na vida mostrarão aos que os rodeiam que o Espírito de Deus os controla, que estão pondo suas afeições nas coisas de cima e não nas da Terra.” Nos Lugares Celestiais, MM 1968, 368

Editor: fabiodeps@gmail.com

Editado de  www.temasbblicos.blogspot.com.br por  Luís Carlos Fonseca

 

Anúncios

, , , , , , , , , , ,

  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • ” Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo.” Apocalipse 1:3

  • “Não desprezeis as profecias; julgai todas as coisas, retende o que é bom.” 1 Tessalonicenses 5:20-21.

  • "Conservai-vos a vós mesmos no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo para a vida eterna.
    E apiedai-vos de alguns, usando de discernimento;
    E salvai alguns com temor, arrebatando-os do fogo, odiando até a túnica manchada da carne."
    Judas 1:21-23

%d blogueiros gostam disto: