ADULTÉRIO ESPIRITUAL (OSÉIAS) – RESUMO E COMENTÁRIOS DA LIÇÃO 1 (2º trimestre) – 30/03 a 06/04/2013

Muitas pessoas acham que os benefícios do erro justificam os riscos. Pode haver alguns benefícios-prazeres, lucros, amizades, etc.- mas o preço final é sempre mais alto do que o valor dos benefícios:
“Porém que fareis quando estas coisas chegarem ao seu fim?” (Jeremias 5:31).

Satanás e seus servos (sejam igrejas falsas, tentações carnais, vida fácil, etc.) oferecem coisas atraentes do mundo para nos enganar.
Enquanto o Israel espiritual não se arrepender, Deus o deixará sofrer as conseqüências do pecado.
Ela se torna em terra seca e seus filhos sofrerão.

Perseus_Andromeda_Puget_Louvre - Pierre Paul Puget (16 October 1620 – 2 December 1694)
VERSO ÁUREO: “E semeá-la-ei para mim na terra, e compadecer-me-ei dela que não obteve misericórdia; e eu direi àquele que não era meu povo: Tu és meu povo; e ele dirá: Tu és meu Deus!” Oséias 2:23
INTRODUÇÃO: Quando e onde Oséias exerceu o seu ministério profético? Oséias começou a servir como profeta numa época em que o Rei Uzias, de Judá, com sede em Jerusalém, 829-778 a.C, e o Rei Jeroboão II, de Israel, com sede em Samaria, 844-804 a.C, eram contemporâneos. O ministério profético de Oséias estendeu-se aos dois reinos; e durou, pelo menos 40 anos. O livro de Oséias foi escrito por Oséias depois de 745 aC, pouco antes de Israel ser levado ao exílio pela Assíria em 722 a.C.
O casamento de Oséias com Gômer foi alegoria ou realidade? Alguns estudiosos bíblicos acham que o casamento de Oséias é visionário, um transe ou um sonho que nunca se realizou. Contudo, o profeta não disse nem indicou que se tratava de uma visão, ou de um sonho. Outros acham que o casamento é uma alegoria ou parábola. Mas Oséias não usou terminologia simbólica ou figurada ao considerá-lo. Encarar isso como relato do casamento real de Oséias com Gômer e da volta literal de Gômer ao profeta, dá força e significado à aplicação histórica e real desses assuntos a Israel. Não distorce o claro relato bíblico e harmoniza-se com o fato de Deus ter escolhido Israel, com o subsequente adultério espiritual da nação, e seu retorno à Deus, quando o povo se arrependeu.
 
Como entender o contexto de que Oséias devia casar-se com uma mulher de prostituição? Às ordens de Deus, Oseias tomou para si “uma esposa de fornicação e filhos de fornicação.” Ver Oseias 1:2. Isto não significa que o profeta se tenha casado com uma prostituta ou com uma mulher imoral que já tivesse filhos ilegítimos. Antes, indica que tal mulher se tornaria adúltera e que teria tais filhos depois de casar-se com o profeta. Oséias casou-se com Gômer, que “deu-lhe à luz um filho”, Jezreel. Ver oséias 1:3, 4. Mais tarde Gômer deu à luz uma filha, Lo-Ruama, e, depois, a um filho, chamado Lo-Ami, sendo ambos evidentemente frutos de seu adultério, visto que não se faz nenhuma referência pessoal ao profeta com relação aos nascimentos deles. Ver Oséias 1:6, 8, 9.  Lo-Ruama significa: “com Ela não se teve misericórdia”, e o significado de Lo-Ami é: “não meu povo”. Tais nomes indicando a desaprovação de Deus para com o volúvel Israel. Por outro lado, o nome do primogênito, “Jezreel”, que significa “Deus semeará”, é aplicado de modo favorável ao povo, numa profecia de restauração.
 
Qual é a aplicação homilética que fazemos desta história? Após o nascimento desses filhos, Gômer, aparentemente, abandonou Oséias em troca de seus amantes, mas não se diz que o profeta se divorciou dela. Evidentemente, mais tarde ela foi abandonada pelos amantes e caiu na pobreza e na escravidão. Oséias 3:1-3 indica que o profeta comprou-a como se fosse escrava e acolheu-a de volta como esposa. Seu relacionamento com Gômer comparava-se ao de Deus com Israel; dispondo-se Deus a acolher de volta seu povo errante, depois que este se arrependeu de seu adultério espiritual. Ver Oséias 2:16-20 e 3:1-5.
DOMINGO (31 de março) UMA ORDEM ESTRANHA – Aqui está a ordem de Deus: “O princípio da palavra do Senhor por meio de Oséias. Disse, pois, o Senhor a Oséias: Vai, toma uma mulher de prostituições, e filhos de prostituição; porque a terra certamente se prostitui, desviando-se do Senhor. Foi, pois, e tomou a Gomer, filha de Diblaim, e ela concebeu, e lhe deu um filho.” Oséias 1:2-3
 
Que lição queria Deus ensinar com este pedido, aparentemente, absurdo? Não se sabe exatamente se Gômer era uma prostituta que Oseias foi e tomou para o casamento, ou se ela tornou-se em uma esposa infiel. Gômer era da nação de Israel; e Deus quis mostrar ao povo que, embora, os israelitas estivessem em apostasia, Deus; o marido celestial, aceitaria o Seu povo de volta. O casamento de Oséias com Gômer é um símbolo do amor de Deus para com os Seus filhos errantes.
Quando Oséias foi enviado por Deus para chamar Israel ao arrependimento, mais de cento e cinquenta anos já haviam decorrido desde que abandonaram a Deus e se voltaram para os deuses do paganismo, no mais trágico e desconcertante adultério espiritual. Portanto a ordem de Deus para Oséias foi estranha, mas real. Foi o apelo mais dramático que Deus encontrou para revelar o Seu amor pela esposa rebelde e prostituta espiritual, Israel e  para revelar o Seu amor para filhos entregues ao adultério espiritual.
 
A história de Oséias e Gômer traz-me muito consolo e alegrias espirituais, pois sendo eu pecador, Deus foi, procurou-me e salvou-me: “Porque Cristo, estando nós ainda fracos, morreu a seu tempo pelos ímpios. Porque apenas alguém morrerá por um justo; pois poderá ser que pelo bom alguém ouse morrer. Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores.” Romanos 5: 6 e 7
SEGUNDA-FEIRA (1º de abril)  ADULTÉRIO ESPIRITUAL  – Qual foi o adultério espiritual que o povo de Israel cometeu? Foi a adoração aos ídolos dos deuses pagãos. O processo de apostasia é lento e gradual. Ninguém que segue Deus diz assim: “Vou abandonar Deus”. As pessoas começam não lendo mais a bíblia, não fazendo orações particulares, não participando de reuniões de oração, não devolvendo os dízimos e ofertas, não mais testemunhando de Jesus e criticando os irmãos. E quando se apercebem já estão fora da igreja.
 
O que é idolatria? Idolatria é colocar coisas ou pessoas entre nós e Deus. Quando pessoas ou religiões adotam estátuas ou ídolos de madeira; ouro, gesso ou outros materiais é porque, antes disso, já adotaram um estilo de vida religiosa cheio de tradições humanas onde Deus já ficou para planos inferiores de prioridade. Assim também o povo de Israel, antes de adorar deuses nos montes, já tinha abandonado Deus e adotado outros costumes e práticas perniciosos de povos idólatras.
 
Que pecados o povo de Israel praticava contra Deus?
1) Transgressão do sábado
: Deus, por repetidas vezes, enviou profetas para lembrar o povo da necessidade que tinham de obedecer o mandamento do sábado: “Se desviares o teu pé do sábado, de fazeres a tua vontade no meu santo dia, e chamares ao sábado deleitoso, e o santo dia do Senhor, digno de honra, e o honrares não seguindo os teus caminhos, nem pretendendo fazer a tua própria vontade, nem falares as tuas próprias palavras.” Isaías 58:13.

2) Desprezo das viúvas e órfãos: Este também era um mandamento do Senhor Deus que o povo devia seguir, mas desprezavam esta parte social da religião. Deus da mesma forma lembrou-lhes da necessidade de voltarem a praticar esta parte da fé Israelita: “Porventura não é este o jejum que escolhi, que soltes as ligaduras da impiedade, que desfaças as ataduras do jugo e que deixes livres os oprimidos, e despedaces todo o jugo? Porventura não é também que repartas o teu pão com o faminto, e recolhas em casa os pobres abandonados; e, quando vires o nu, o cubras, e não te escondas da tua carne?” Isaías 58:6-7.
3) Retenção dos dízimos e ofertas: “Roubará o homem a Deus? Todavia vós me roubais, e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas.” Malaquias 3:8.
4) Prostituição, adultério, assassínio e idolatria: “Vocês pensam que podem roubar e matar, cometer adultério e jurar falsamente, queimar incenso a Baal e seguir outros deuses que vocês não conheceram.” Jeremias 7:9.
A apostasia era quase que total, e à essa apostasia Deus chamou de adultério espiritual. Para o profeta, a prostituição de Israel tinha duplo sentido. Além de estar cometendo adultério espiritual contra Deus ao buscar a Baal, o povo também se prostituía nos atos sexuais associados aos ritos dos cultos de fertilidade dos cananeus.
 
Idolatria é uma espécie de ingratidão: Esta foi a conduta de Israel em seu relacionamento com Deus eterno. Deus libertou o povo da vergonha da opressão e da humilhação. Proveu-lhe uma terra produzindo em abundância as mais ricas colheitas para o seu sustento físico. Deu-lhe a mais preciosa orientação espiritual que envolveu o povo na verdadeira alegria da liberdade e da salvação. Porém, Israel traiu o seu amoroso benfeitor. Rejeitou-O como seu Deus e, com avidez, procurou assemelhar-se aos povos que praticavam coisas abomináveis e ofensivas a Deus.
 
Que cuidados devemos ter para não incorremos nos mesmos pecados de Israel?
TERÇA-FEIRA (02 de abril) UMA PROMESSA DE RESTAURAÇÃO – A mulher de Oséias não resistiu ao apelo de seus amantes e voltou à vida de prostituição. Deus pediu para que Oséias retornasse à mulher que o traiu e a comprasse por determinado valor, demonstrando assim o seu perdão e o intenso desejo de conservá-la como esposa digna.
 
Se Deus pedisse algo semelhante para si, você atenderia como o profeta fez? Qual é a relação entre amor e perdão? O que vem primeiro, o amor ou o perdão? Em todos os casos, o perdão só é possível por causa do amor. Quando o amor se esgota, o perdão não tem a menor chance. Se o nível do amor de Deus abaixasse, a disponibilidade do perdão também cairia. Foi isso o que Deus queria que a nação entendesse.
O capítulo 2, alterna entre o relacionamento de Oséias com Gômer e a representação simbólica do relacionamento de Deus com Israel. Os filhos recebem ordens de expulsar de casa a mãe infiel; mas a intenção era reformá-la, não livrar-se dela. Deus ordena que o profeta continue marido, e ele a aceita de volta, mantendo-a em isolamento por algum tempo. Ver cap. 3. Este caso representa, de modo pitoresco, o relacionamento entre o Senhor e os israelitas que tinham sido desleais à Ele ao adorarem as deidades cananéias como fonte de fartura. O Senhor, porém, continuava amando o povo da aliança e ansiava recebê-los de volta como Oséias recebeu Gomer. Essa volta é relatada numa linguagem figurada que relembra o êxodo do Egito e o seu estabelecimento em  Canaã.Muitas pessoas tentam ser convertidas e converter outras, sem arrependimento. Elas ensinam um cristianismo indolor, que não exige sacrifício. Elas salientam as emoções, a felicidade e as bênçãos, porém pensam pouco sobre as mudanças reais que a conversão exige na vida diária da pessoa. Entendamos isto claramente: Não há conversão sem transformação. Aquele que creu e foi batizado, aquele que até mesmo foi aceito numa igreja e participa fielmente das atividades religiosas, mas que não se arrependeu, não é salvo. O arrependimento é um compromisso sério, determinado, para mudar sua própria vida.
 
Quais são os passos para a restauração da alma? 1) Quebrantamento da alma. 2) Esvaziamento da alma. 3) Preenchimento da alma. Foi isso o que aconteceu com Gomer, com o povo de Israel e acontece com todos que desejam a restauração. Observe estes passos nos seguintes textos: 
“E devastarei a sua vide e a sua figueira, de que ela diz: É esta a minha paga que me deram os meus amantes; eu, pois, farei delas um bosque, e as feras do campo as devorarão. Castigá-la-ei pelos dias dos Baalins, nos quais lhes queimou incenso, e se adornou dos seus pendentes e das suas jóias, e andou atrás de seus amantes, mas de mim se esqueceu, diz o Senhor. Portanto, eis que eu a atrairei, e a levarei para o deserto, e lhe falarei ao coração.” Oséias 2:12-14
“Eu a plantarei para mim mesmo na terra; tratarei com amor aquela que chamei Não-amada. Direi àquele chamado Não-meu-povo: Você é meu povo; e ele dirá: ‘Tu és o meu Deus.” Oséias 2:23
QUARTA-FEIRA (3 de abril) O CASO CONTRA ISRAEL – É interessante notarmos que a lição de hoje menciona que Deus move três ações muito graves contra Israel como nação. Eis o texto:“Ouvi a palavra do Senhor, vós filhos de Israel, porque o Senhor tem uma contenda com os habitantes da terra; porque na terra não há verdade, nem benignidade, nem conhecimento de Deus. Só permanecem o perjurar, o mentir, o matar, o furtar e o adulterar; fazem violência, um ato sanguinário segue imediatamente a outro. Por isso a terra se lamentará, e qualquer que morar nela desfalecerá, com os animais do campo e com as aves do céu; e até os peixes do mar serão tirados.” Oséias 4:1-3.
 
1) Ausência da verdade. Para o coração humano, que é pecador, praticar o erro é muito mais fácil do que praticar a verdade. Verdade significa estar em harmonia com um fato. É seguir o que é correto. Verdade é agir de forma correta. A Verdade é “UMA SÓ”. Só pode haver uma verdade. Jesus Cristo disse: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida..” João 14:6. O povo de Israel tinha excluído Deus, que é a verdade e a vida.
 
2) Ausência de benignidade. A injustiça social estava espalhada por toda a terra. Os ricos ficavam cada vez mais ricos e os pobres cada vez mais ricos. Havia o desprezo pelos pobres, órfãos e viúvas. Eis um texto: “E um mercador; tem nas mãos uma balança enganosa; ama a opressão. E diz Efraim: Contudo me tenho enriquecido, e tenho adquirido para mim grandes bens; em todo o meu trabalho não acharão em mim iniquidade alguma que seja pecado.” Oséias 12:7-8. 
 
Blue_2Hoje não é diferente. Vejam este textos:
“As vossas riquezas estão apodrecidas, e as vossas vestes estão comidas de traça. O vosso ouro e a vossa prata se enferrujaram; e a sua ferrugem dará testemunho contra vós, e comerá como fogo a vossa carne. Entesourastes para os últimos dias. Eis que o jornal dos trabalhadores que ceifaram as vossas terras, e que por vós foi diminuído, clama; e os clamores dos que ceifaram entraram nos ouvidos do Senhor dos exércitos.” Tiago 5:2-4.
“Deliciosamente vivestes sobre a terra, e vos deleitastes; cevastes os vossos corações, como num dia de matança.”
Tiago 5:5
No versículo 5  Tiago 5  se refere ao prazer sensual e voluptuoso por detrás do aspecto de piedade. Os pensamentos destes crentes  eram inteiramente carnais, não espirituais. ‘Entregavam-se’ a este tipo de vida. O apóstolo Paulo usou uma expressão similar ao dizer (a respeito das viúvas): “Mas a que vive em deleites, vivendo está morta. ” (1 Tim. 5:6).Tal atitude mental e amor ao prazer amiúde levam à própria imoralidade, não apenas à sexual, mas à imoralidade de diversas espécies bem explicadas no texto de 2 Timóteo 3:2-6. Ai podemos incluir atos de opressão, crueldade e roubo, para conseguir lucro e reter a riqueza, a fim de perpetuar seu estilo de vida.
 
3) Falta de conhecimento de Deus. Os pais israelitas já não ensinavam os seus filhos sobre o Deus criador e mantenedor de todas as coisas. As crianças aprendiam sobre a idolatria. A apostasia atinge os seu ápice quando as pessoas não recebem mais informações sobre Deus. Hoje há alguns fatores que estão contribuindo para o afastamento das pessoas de Deus, são eles: o evolucionismo que é ensinado nas escolas, os desenhos animados, as novelas, os filmes e jogos electrônicos. Todos tendem a enaltecer o erro e com isso, Deus não é mais lembrado. E a falta de conhecimento de Deus leva as pessoas a não querer manter relacionamento com Ele.
 
Eis os resultados da falta de conhecimento de Deus: “Só permanecem o perjurar, o mentir, o matar, o furtar e o adulterar; fazem violência, um ato sanguinário segue imediatamente a outro. Por isso a terra se lamentará, e qualquer que morar nela desfalecerá, com os animais do campo e com as aves do céu; e até os peixes do mar serão tirados.”
 
Por que o povo de Deus foi destruído? “Meu povo foi destruído por falta de conhecimento. Uma vez que vocês rejeitaram o conhecimento, eu também os rejeito como meus sacerdotes; uma vez que vocês ignoraram a lei do seu Deus, eu também ignorei seus filhos.” Oséias 4:6
QUINTA-FEIRA (4 de abril) UM CHAMADO AO ARREPENDIMENTO – Qual foi o convite para o arrependimento que Deus fez para Seu povo no passado? “Então conheçamos, e prossigamos em conhecer ao Senhor; a sua saída, como a alva, é certa; e ele a nós virá como a chuva, como chuva serôdia que rega a terra.” Oséias 6:3
 
Como conhecemos alguém? Através de muita conversa e convívio. Um aperto de mão, quando alguém nos apresenta pessoas, não permite que conheçamos os outros. É necessário passarmos tempo, bem proveitosos, junto com as pessoas que desejamos conhecer. Só depois de muito convívio é que passamos a gostar muito da companhia dos amigos. Assim é com Deus. Deus convida o povo para conversar com Ele.
 
Em outra ocasião Deus disse assim: “Vinde então, e argui-me, diz o Senhor: ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a branca lã.” Isaías 1:18.
Conhecer e desenvolver o conhecimento implica em relacionar-se. É o companheirismo do dia-a-dia que irá enriquecer o conhecimento de Deus. Ler e ouvir a Bíblia significa Deus comunicando-Se conosco; e orar, significa nós conversando com Deus.
No Novo testamento o povo judeu também tinha se esquecido de Jesus, e Ele disse: “E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo a quem enviaste.” João 17:3. A vida eterna não é produto do acaso, de encontros fortuitos no final de semana. A vida eterna resulta do relacionamento constante com o Criador.
 
Qual é o nível de conhecimento que temos de Jesus? Teórico ou prático? Veja os seguintes textos:
“Jesus dizia, pois, aos judeus que criam nele: Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sereis meus discípulos; e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” João 8:31-32
“Aquele que diz: Eu conheço-o, e não guarda os seus mandamentos, é mentiroso, e nele não está a verdade.” I João 2:4
“E Moisés disse ao Senhor: Eis que tu me dizes: Faze subir a este povo, porém não me fazes saber a quem hás de enviar comigo; e tu disseste: Conheço-te por teu nome, também achaste graça aos meus olhos. Agora, pois, se tenho achado graça aos teus olhos, rogo-te que me faças saber o teu caminho, e conhecer-te-ei, para que ache graça aos teus olhos; e considera que esta nação é o teu povo.” Êxodo 33:12-13.
“Assim diz o Senhor: Não se glorie o sábio na sua sabedoria, nem se glorie o forte na sua força; não se glorie o rico nas suas riquezas, mas o que se gloriar, glorie-se nisto: em me entender e me conhecer, que eu sou o Senhor, que faço beneficência, juízo e justiça na terra; porque destas coisas me agrado, diz o Senhor.” Jeremias 9:23-24
“E aos violadores da aliança ele com lisonjas perverterá, mas o povo que conhece ao seu Deus se tornará forte e fará proezas.” Daniel 11:32
SEXTA-FEIRA (5 de abril) LEITURA COMPLEMENTAR – Enoque desenvolveu uma grande amizade com Deus, e Ele o tomou para Si: “E andou Enoque com Deus; e não apareceu mais, porquanto Deus para si o tomou.” Gênesis 5:24
 
Veja este pensamento sobre o relacionamento que Moisés tinha com Deus: “Tinha sempre presente o Senhor, e o Senhor estava sempre à sua mão direita para o ajudar. Tinha Moisés uma profunda intuição da presença pessoal de Deus… Deus lhe era real, sempre presente em seus pensamentos… Cria que Deus lhe regia a vida, particularmente. Moisés não só pensava em Deus; ele O via. Deus era a constante visão que tinha presente; nunca lhe perdeu de vista a face. Via a Jesus como seu Salvador, e cria que os méritos do Salvador lhe seriam imputados.” Testemunhos Seletos, vol. II, 267 e 268.
“A medida que o tempo decorria, Oséias tornou-se consciente do fato de que a sua sorte pessoal refletia o sofrimento divino, que a sua tristeza era o eco da tristeza de Deus. Por esse sofrimento paralelo, como uma ato de simpatia com o sofrimento humano, o profeta viu provavelmente o significado do casamento que ele realizara por indicação divina.” Profetas e Reis, 198
Quando voltamos para Deus em resposta ao Seu chamado de amor, Ele perdoa, muda o nosso estatuto, abençoa-nos e conduz-nos a uma nova vida.
“Porque serei misericordioso para com suas iniquidades, E de seus pecados e de suas prevaricações não me lembrarei mais.” Hebreus 8:12.
“E rasgai o vosso coração, e não as vossas vestes, e convertei-vos ao SENHOR vosso Deus; porque ele é misericordioso, e compassivo, e tardio em irar-se, e grande em benignidade, e se arrepende do mal.” Joel 2:13
“E dar-vos-ei um coração novo, e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei da vossa carne o coração de pedra, e vos darei um coração de carne. E porei dentro de vós o meu Espírito, e farei que andeis nos meus estatutos, e guardeis os meus juízos, e os observeis. E habitareis na terra que eu dei a vossos pais e vós sereis o meu povo, e eu serei o vosso Deus.” Ezequiel 36:26-28
A falta de fidelidade a Deus, aos nossos cônjuges e à amizade e amor ao próximo, são problemas enormes e revelam o extremo Adultério Espiritual que vive o nosso mundo hoje. Longe assim de Deus, centrado em nossos interesses carnais e pessoais, vivemos em constante pecado e escolhemos a morte eterna por própria opção.

Editado de  www.temasbblicos.blogspot.com.br por  Luís Carlos Fonseca

Editor: fabiodeps@gmail.com

Blue_2.2

Anúncios

, , , , , , ,

  1. #1 por leandro em 6 de abril de 2013 - 8:20

    muito bom que Deus te abençoe

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • ” Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo.” Apocalipse 1:3

  • “Não desprezeis as profecias; julgai todas as coisas, retende o que é bom.” 1 Tessalonicenses 5:20-21.

  • "Conservai-vos a vós mesmos no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo para a vida eterna.
    E apiedai-vos de alguns, usando de discernimento;
    E salvai alguns com temor, arrebatando-os do fogo, odiando até a túnica manchada da carne."
    Judas 1:21-23

%d blogueiros gostam disto: