AS ÚLTIMAS COISAS: JESUS E OS SALVOS – RESUMO E COMENTÁRIOS DA LIÇÃO 12 (15 a 22 /12/2012)

” E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo,
Assim também Cristo, oferecendo-se uma vez para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o esperam para salvação.” 
Hebreus 9:27-28

22 - O Juízo final

VERSO ÁUREO: “Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e venham assim os tempos do refrigério pela presença do Senhor, e envie ele a Jesus Cristo, que já dantes vos foi pregado. O qual convém que o céu contenha até aos tempos da restauração de tudo, dos quais Deus falou pela boca de todos os seus santos profetas, desde o princípio.”  Atos 3:19-21

INTRODUÇÃO: “Ó Deus, tu és o meu Deus, eu te busco ansiosamente; a minha alma tem sede de ti, o meu corpo te deseja muito em uma terra seca e cansada, onde não há água.” Salmo 63:1
O clamor do salmista neste salmo é um anelo inerente de toda alma humana. Consciente ou inconscientemente, todas as pessoas suspiram por Deus em seu íntimo. Segundo a Bíblia, Deus criou o homem para ter comunhão com Ele. ver Gên. 2.18-20; 3.9, portanto o propósito da vida de todo ser humano seria andar com o seu Criador e glorificar-lhe o nome santo.

Desviado desse objetivo final da existência, a criatura, como não poderia deixar de ser, acha-se acometida de uma crônica falta de sentido. É como se o chapéu, feito obviamente para a cabeça, estivesse sendo usado como sapato. Não teria sentido. Foi o pecado que desviou o homem do plano original que o Criador traçou para a sua vida. Ver Rom. 3:23. A palavra grega usualmente para pecado é “hamartia” e tem o sentido básico de “errar o alvo.” Como um arqueiro que atira a flecha, mas erra o alvo, o pecador erra no tocante ao objetivo final da vida: fazer a vontade de Deus e ter comunhão com Ele. Isso explica o vazio existencial que tem acometido os corações.

O evangelista Billy Graham disse certa vez: “Queremos paz, alegria e felicidade que não achamos em lugar nenhum, porque isso não pode se achar à parte de Deus.” Perfeito! Os seres humanos nunca estarão satisfeitos com aquilo que têm, pois a necessidade da alma é grande demais, é da ordem do eterno, e, portanto não pode ser preenchida com coisas fúteis e perecíveis. Muitos têm buscado preencher-se com os tesouros deste mundo: dinheiro, fama, prazeres; outros se entregam ao sexo, drogas e álcool, mas a sensação de que algo está faltando é como que onipresente. Não adianta tentar fugir: o homem vai dar sempre de cara com esta realidade: ou Deus ou o caos. Paulo diria que esse “algo” que vocês buscam, sem nem mesmo saber o nome, é o Deus que eu anuncio, o Criador dos céus e da terra. Ver Atos 17:23 e 24.

Assim que Adão foi vencido por Satanás e caiu em pecado, Deus fez a promessa da restauração: “Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.” Gên. 3:15. Com a volta de Jesus, Deus vai harmonizar o universo. O planeta terra é o único a estar acometido de pecados, mas tudo ficará perfeito! Por enquanto Jesus está a interceder por nós no santuário celestial.

Veja estes textos: “Eu sou o Senhor; na hora certa farei que isso aconteça depressa.” Isaías 60:22

“Tu dizes: Eu determino o tempo em que julgarei com justiça.” Salmo 75:2

“Porque, eis que eu crio novos céus e nova terra; e não haverá mais lembrança das coisas passadas, nem mais se recordarão.” Isaías 65:17

DOMINGO (16 de dezembro) O SANTUÁRIO CELESTIAL – PARTE I – Existe um santuário no céu como vemos no seguinte texto: “Ora, a suma do que temos dito é que temos um sumo-sacerdote tal, que está assentado nos céus à destra do trono da majestade. Ministro do santuário, e do verdadeiro tabernáculo, o qual o Senhor fundou, e não o homem. Porque todo o sumo-sacerdote é constituído para oferecer dons e sacrifícios; por isso era necessário que este também tivesse alguma coisa que oferecer. Ora, se ele estivesse na terra, nem tampouco sacerdote seria, havendo ainda sacerdotes que oferecem dons segundo a lei. Os quais servem de exemplo e sombra das coisas celestiais, como Moisés divinamente foi avisado, estando já para acabar o tabernáculo; porque foi dito: Olha, faze tudo conforme o modelo que no monte se te mostrou.” Hebreus 8:1-5

O santuário terrestre é apresentado como um tipo, ou modelo do santuário celestial. O santuário celestial existe mesmo e foi nele que Deus Se motivou para pedir a Moisés para construir o tabernáculo no deserto, e posteriormente para o templo.

No grande conflito cósmico houve um momento de exultação e euforia por parte de Satanás e seus demônios: Adão pecou, transgrediu a lei de Deus. O príncipe regente legal deste mundo foi vencido e perdeu o seu domínio para o príncipe das trevas, do mal. A maldosa inquirição corria entre as hostes do mal: Agora, o que fará o Deus do amor e da justiça? O que Deus fez então? Abriu a cortina de outro compartimento desconhecido para todo o Universo, o Santuário, contendo a revelação do “mistério mantido oculto desde sempre nele, o criador do universo… segundo o projeto eterno que ele executou em Jesus Cristo, nosso Senhor.” Efésios 3:9 e 11

O Deus eterno não é Deus de imprevistos e improvisos. Assim como o plano da criação foi estabelecido na eternidade, o plano da salvação também o foi. Isto conduz a inquestionável conclusão de que o serviço típico, regido pela lei cerimonial do santuário terrestre, também o foi. Quando a primeira transgressão aconteceu com Adão, o primeiro animal foi morto e a primeira cerimônia ritual e típica teve lugar junto aos portais do Éden.

SEGUNDA-FEIRA (17 de dezembro) – O SANTUÁRIO CELESTIAL PARTE II – Logo após o pecado a solução definida na eternidade foi revelada e colocada em ação. Esta solução é conhecida para nós como a doutrina do santuário em seus dois aspectos: o verdadeiro santuário no céu, e o santuário na terra, dado para Israel, seguindo o modelo do celestial.

Veja a linda comparação dos serviços do santuário terrestre com a atuação de Cristo em nosso favor:

No Pátio – 1) Altar de sacrifícios: “Farás também o altar de madeira de acácia, de cinco côvados será o comprimento, de cinco côvados a largura, e de três côvados a altura. Farás as suas pontas nos seus quatro cantos; as suas pontas formarão uma só peça, e o cobrirás de bronze.” Ex 27:1-2. Simboliza a morte de Jesus. 2) Pia: “E falou o Senhor a Moisés, dizendo: Farás também uma pia de cobre com a sua base de cobre, para lavar, e a porás entre a tenda da congregação e o altar, e deitarás água nela. E Arão e seus filhos nela lavarão as suas mãos e os seus pés. Quando entrarem na tenda da congregação, lavar-se-ão com água, para que não morram, ou quando se chegarem ao altar para ministrar, para acender a oferta queimada ao Senhor. Lavarão pois as suas mãos e os seus pés, para que não morram; e isto lhes será por estatuto perpétuo a ele e à sua semente nas suas gerações.” Êxodo 30:17-21. Simboliza a purificação do crente através do batismo. Ver Apoc 1:5 e 6

No Lugar Santo – 1) A mesa com os pães – Era colocada no lado direito da porta para entrada no lugar santo. Sabemos que quase todos os santuários antigos possuíam uma mesa para ofertas em seus utensílios. O santuário de Israel não seria excepção. A instrução para a confecção da mesa está em êxodo 25:23, “Também farás uma mesa de madeira de acácia; o seu comprimento será de dois côvados, a sua largura de um côvado e a sua altura de um côvado e meio”. Observe que a madeira seria a “acácia”, a mesma madeira também usada para a construção das paredes do Tabernáculo. Suas dimensões seriam: comprimento de dois côvados; largura de um côvado; altura de um côvado e meio. Para calcularmos o tamanho exato devemos tomar a medida da distância entre o cotovelo e a ponta dos dedos, ou seja cerca de 45 a 50 centímetros. Calculando em metros então teríamos: comprimento, um metro; largura, meio metro; altura, 75 centímetros. Jesus é o Pão da vida que significa o alimento que dEle fazemos através do estudo da Bíblia. 2) O Candelabro – “Farás um candelabro de ouro puro, de ouro batido se fará o candelabro, o seu pedestal, a sua haste, os seus cálices, os seus botões e as suas flores formarão com ele uma só peça.”Ex 25:31 o material era de ouro puro batido. Jesus Cristo é a luz do mundo. Jo 8:12; 9:5. 3) O Altar de Incenso – É a terceira peça descrita pela Bíblia no lugar santo. Enquanto o candelabro estava no lado sul do tabernáculo e a Mesa de Pão da Propiciação estava no lado norte, o Altar de Incenso posicionou-se no centro dos dois e “diante do véu que está diante da arca do testemunho” (Ex 30.6). Significa as nossas orações particulares e públicas.

No lugar santíssimo – A arca da aliança, em si, representa a presença de Deus entre os homens. Cristo “é imagem do Deus invisível.” Col 1.15. O dia anual da expiação, também chamado de dia da purificação do santuário, tipificava o grande dia do juízo. Compunha-se de um cerimonial muito solene, porque toda a nação estava em julgamento. Todas as questões relativas às transgressões e pecados necessitavam estar resolvidas. Tudo isto nos ensina que somente há presença de Deus nas nossas vidas, comunhão verdadeira com Deus e com os cristãos se for por Aquele que é a imagem do Deus invisível, ou seja, por Jesus Cristo. Não há salvação completa, vida espiritual, adoração agradável ou esperança futura senão somente e unicamente por Cristo. A arca da aliança representa a presença de Deus entre os homens, e Cristo é essa presença.

Todas estas cerimônias estão relacionadas tipicamente com a morte Jesus, a Sua mediação intercessora em favor do pecador e a Sua obra de julgamento para conceder o galardão a cada um, em harmonia com a sua aceitação ou rejeição da oferta de perdão e mediação por graça.

TERÇA-FEIRA (18 de dezembro) – A SEGUNDA VINDA DE CRISTO – Como o texto abaixo pode ser relacionado com a purificação do santuário? “Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e venham assim os tempos do refrigério pela presença do Senhor. E envie ele a Jesus Cristo, que já dantes vos foi pregado. O qual convém que o céu contenha até aos tempos da restauração de tudo, dos quais Deus falou pela boca de todos os seus santos profetas, desde o princípio.” Atos 3:19-21.

Terminado o serviço típico do juízo, no dia da expiação, toda nação de Israel aparecia diante de Deus como estando sem pecado, porque todos os pecados foram cancelados na cerimônia típica do juízo. A nação, como um todo, iniciava uma nova página. Quando Jesus conceder-nos a vida, o caráter dos salvos deverá estar sem mancha ou ruga, pois no céu reinará apenas a justiça e o amor.

A volta de Jesus vai trazer alívio para os sofredores e vai proporcionar a paz real e a harmonia em todo o universo. Os filhos de Deus podem estar sobrecarregadas por causa de: 1) Problemas Familiares. A rotina de uma casa em conflito é um dos motivos que mais tem sobrecarregado as pessoas. Relacionamento conjugal incompatível, pais e filhos, genros, noras, sogros e sogras. Alguns dos que lêem estas palavras podem testemunhar isso. 2) Problemas Financeiros. As preocupações advindas de uma crise financeira é simplesmente assoladora, principalmente quando não há recursos para se efetuar os pagamentos básicos. Daí surgem as pressões, perde-se o sono e a sobrecarga se multiplica. 3) Problemas de doenças. Tantas são as moléstias que assolam o mundo e o filho de Deus não está imune a estas coisas. 4)Problemas Espirituais. São pessoas que não sabem a origem de tantos problemas e sensações estranhas. Aparentemente não tem motivos, mas na verdade existe uma ação maligna que tira o vigor, desestimula e enfraquece a alma.

Temos que estar seguros nas promessas de Deus: “E Deus limpará de seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas.” Apocalipse 21:4

QUARTA-FEIRA (19 de dezembro) AGUARDANDO O ADVENTO – Veja estes textos: “Havendo, pois, de perecer todas estas coisas, que pessoas vos convém ser em santo trato, e piedade, aguardando, e apressando-vos para a vinda do dia de Deus, em que os céus, em fogo se desfarão, e os elementos, ardendo, se fundirão?” II Pedro 3:11-12

“Mas vós, irmãos, já não estais em trevas, para que aquele dia vos surpreenda como um ladrão. Porque todos vós sois filhos da luz e filhos do dia; nós não somos da noite nem das trevas. Não durmamos, pois, como os demais, mas vigiemos, e sejamos sóbrios. Porque os que dormem, dormem de noite, e os que se embebedam, embebedam-se de noite. Mas nós, que somos do dia, sejamos sóbrios, vestindo-nos da couraça da fé e do amor, e tendo por capacete a esperança da salvação. Porque Deus não nos destinou para a ira, mas para a aquisição da salvação, por nosso Senhor Jesus Cristo. Que morreu por nós, para que, quer vigiemos, quer durmamos, vivamos juntamente com ele. Por isso exortai-vos uns aos outros, e edificai-vos uns aos outros, como também o fazeis.” I Tessalonicenses 5:4-11

“Cristo aguarda com fremente desejo a manifestação de Si mesmo em Sua igreja. Quando o caráter de Cristo se reproduzir perfeitamente em Seu povo, então virá para reclamá-los como Seus.” Parábolas de Jesus, 69.

Os sinais da volta de Jesus já se cumpriram todos. Falta apenas a nossa adaptação para o céu que significa o preparo da nossa vida santificada e escondida em Cristo.

QUINTA-FEIRA ( 20 de dezembro)  MORTE E  RESSURREIÇÃO – Os que morrem vão para o céu, para o inferno, para o purgatório, reencarnam-se; ou simplesmente ficam a dormir aguardando a ressurreição? Se os que aceitam a Jesus, são perdoados e justificados e ao morrerem vão direto para o céu, por que o glorioso espetáculo da volta de Jesus para ressuscitar os mortos, se já estão vivos no Céu?

Os salvos não vão para o céu logo após a morte. “Homens irmãos, seja-me lícito dizer-vos livremente acerca do patriarca Davi, que ele morreu e foi sepultado, e entre nós está até hoje a sua sepultura… Porque Davi não subiu aos céus.” Atos 2:29 e 34. Os filhos de Deus na época de Davi, dos apóstolos, e em todas as épocas acreditavam e acreditam, que a pessoa que foi boa não vai para o céu logo após a morte. É assim que a bíblia ensina.

Que promessas temos de Jesus de que seremos ressuscitados?

“Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em Mim, ainda que esteja morto, viverá.” S. João 11:25. Ver também I Tessal. 4:13-18

“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o Seu filho unigénito, para que todo aquele que n’Ele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” S. João 3:16

“Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor.” Romanos 6:23

Os mortos que não forem salvos, ressuscitarão 1000 anos após a ressurreição dos salvos. Ver Apoc 20: 5. Portanto, haverá duas ressurreições.

SEXTA-FEIRA (21 de dezembro) ESTUDO COMPLEMENTAR – “Para o crente, Jesus é a ressurreição e a vida. No nosso salvador é restaurada a vida que se perdeu através do pecado; pois ele possui vida em si mesmo para vivificar a quem crer. Acha-Se investido no direito de dar a imortalidade.” D.T. N, 672.

“A intercessão de Cristo no santuário, em favor do homem, é tao essencial ao plano da redenção, como foi o da sua morte sobre a Cruz. No santuário podemos obter uma intuição mais clara dos mistérios da redenção.” O Grande Conflito, 408

“O plano pelo qual poderia unicamente conseguir-se a salvação do homem abrangia o Céu todo em seu infinito sacrifício. Os anjos não puderem regozijar-se ao desvendar-lhes Cristo o plano da redenção; pois viram que a salvação do homem deveria custar a indizível mágoa de seu amado Comandante… Cristo assegurou aos anjos que pela Sua morte resgataria a muitos, e destruiria aquele que tinha o poder da morte… Então alegria, inexprimível alegria, encheu o Céu. A glória e bem-aventurança de um mundo remido sobrepujaram mesmo a angústia e sacrifício do Príncipe da vida”. – Patriarcas e Profetas, págs. 58. 59 e 60.

“O plano de nossa redenção não foi um pensamento posterior, formulado depois da queda de Adão. Foi a revelação do mistério encoberto desde tempos eternos. Foi um desdobramento dos princípios que têm sido, desde os séculos da eternidade, o fundamento do trono de Deus. Desde o princípio, Deus e Cristo sabiam da apostasia de Satanás, e da queda do homem mediante o poder enganador do apóstata. Deus não ordenou a existência do pecado. Previu-a, porém, e tomou providências para enfrentar a terrível emergência.” Desejado de Todas as Nações, 22.

Editado de Luís Carlos Fonseca em http://temasbblicos.blogspot.com.br
Editado: fabiodeps@gmail.com

Anúncios

, , , , , , , ,

  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • ” Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo.” Apocalipse 1:3

  • “Não desprezeis as profecias; julgai todas as coisas, retende o que é bom.” 1 Tessalonicenses 5:20-21.

  • "Conservai-vos a vós mesmos no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo para a vida eterna.
    E apiedai-vos de alguns, usando de discernimento;
    E salvai alguns com temor, arrebatando-os do fogo, odiando até a túnica manchada da carne."
    Judas 1:21-23

%d blogueiros gostam disto: