A LEI E O EVANGELHO – RESUMO E COMENTÁRIOS DA LIÇÃO 10 – 01/12 a 08/12 de 2012

“Escutarei o que Deus, o SENHOR, falar; porque falará de paz ao seu povo, e aos santos, para que não voltem à loucura.
Certamente que a salvação está perto daqueles que o temem, para que a glória habite na nossa terra.
A misericórdia e a verdade se encontraram; a justiça e a paz se beijaram.
A verdade brotará da terra, e a justiça olhará desde os céus. ”
Salmos 85:8-11

sao_marcos

VERSO ÁUREO: “E nisto sabemos que o conhecemos: se guardarmos os seus mandamentos. Aquele que diz: Eu conheço-o, e não guarda os seus mandamentos, é mentiroso, e nele não está a verdade.” I João 2:3-4
INTRODUÇÃO – Por que a lei e a salvação devem estar sempre juntas? Porque Deus que criou os dez mandamentos disse que eles jamais seriam mudados. Mesmo porque a lei de Deus expressa o Seu próprio carácter, e o Seu carácter é de amor. Os mandamentos foram criados para o nosso próprio benefício.
As leis do Velho Testamento são caducas e não mais aplicáveis aos cristãos sob o Novo Concerto? Há leis que caducaram por cumprirem sua função pré-figurativa, como as regras sobre ofertas de cordeiros e manjares, os sacrifícios e normas várias para sacerdotes e povo. Contudo, se há leis de caráter temporário, também há as de caráter eterno, que se caducassem trariam somente o caos a nível público e privado, por exemplo: “Honra o teu pai e a tua mãe”, “não matarás”, “não furtarás”, “não adulterarás.”

Deus tirou Israel do Egito, da terra da escravidão, não porque eles eram melhores do que os egípcios. Tirou-os de lá por causa da promessa que havia feito para Abraão. Tirou-os por graça e amor, justificando-os sem que tivessem mérito. Deus primeiro declarou para Israel que Ele é o Deus da graça. E então os colocou perante o caminho que deviam seguir: a Sua lei, o caminho da graça e da justiça que encontrariam em Jesus o seu perfeito cumprimento da fé. Assim também Deus nos salvou hoje sem que merecêssemos. A salvação é sempre pela fé e graça como vemos: “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie.” Efésios 2:8-9

DOMINGO (2 de dezembro) LEIS E NORMAS DIVINAS – Questionadores em relação à vigência da lei moral recorrem a determinados textos para apoiar os seus argumentos. Valem-se de textos como Gálatas 3:13, que diz: “Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se ele próprio maldição em nosso lugar.” Aqui a lei não é uma maldição, ela apenas acusou a maldição que nos escravizava. Ela fez o papel de espelho. Cristo resgatou o pecador dessa maldição do pecado que a lei mostra.

Qual é a diferença de regras ou normas e leis? A Torah quer dizer direção ou orientação, englobava todos os aspectos relacionados com Deus no Velho Testamento.

Normas: Regras de saúde e assuntos civis são aplicáveis para épocas diferentes em várias culturas. Normas podem ser alteradas e até mudadas, princípios já não podem. Por exemplo: no Velho Testamento havia os ritos relacionados com a morte de animais, e acabou com a morte de Jesus. Já a lei dos 10 mandamentos continua em vigor.

Leis. Quais são as regras ou quesitos dos mandamentos de Cristo? Como servir e obedecer a Cristo? Quando se fala em obediência, a primeira relação que se faz é com regras, mandamentos, ordenanças, etc. Jesus declarou: “Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama.” João 14: 21. Mas, quais são os seus mandamentos? Ao falar dos mandamentos de Cristo, João disse: “Porque este é o amor de Deus: que guardemos os seus mandamentos; e os seus mandamentos não são penosos” I João 5: 3

Percebe-se através destes versículos que o amor de Deus é expresso em Seus mandamentos. Cabe ao crente saber fazer uma clara distinção entre aquilo que é eterno e é transitório.

Veja estes versos: “Abre os meus olhos para que eu veja as maravilhas da tua lei.” Sal. 119:18
“Aguardo a tua salvação, Senhor, e pratico os teus mandamentos.” Sal. 119:166

SEGUNDA-FEIRA (3 de dezembro) – A LEI MORAL HOJE – Antes do Sinai já havia a lei de Deus? Sim, e tanto é verdade que o Sábado existe desde a criação, (antes do Sinai), pois Deus ao proclamar o mandamento por escrito, Ele usou a expressão: “Lembra-te”. Jamais Deus mandaria lembrar de uma coisa que o Seu povo, não o havia conhecido. No relato da criação temos este lindo texto: “E havendo Deus acabado no dia sétimo a obra que fizera, descansou no sétimo dia de toda a sua obra, que tinha feito. E abençoou Deus o dia sétimo, e o santificou; porque nele descansou de toda a sua obra que Deus criara e fizera.” Gênesis 2:2-3. Veja estes outros textos: Gênesis 35:1-4; 4:4-8; 39:7-9; 44:8; 12:18.

A lei hoje – Deus é perfeito! Em todas as épocas Ele teve o cuidado de apresentar a Sua lei de forma clara aos Seus filhos. Já vimos que no Velho Testamento a lei teve um alcance maravilhoso para todas as épocas, e desde o céu, como já vimos. Agora com a vinda do Cristo encarnado a lei continuou em vigor como veremos no estudo de hoje.

“Escrevi-lhe as grandezas da minha lei, porém essas são estimadas como coisa estranha.” Oséias 8:12

Como já vimos, a lei no Novo Testamento é apresentada, por alguns como abolida pela graça, mas veja os seguintes versos bíblicos:

“Porque esta é a aliança que depois daqueles dias farei com a casa de Israel, diz o Senhor; Porei as minhas leis no seu entendimento, E em seu coração as escreverei; E eu lhes serei por Deus, E eles me serão por povo.” Hebreus 8:10

“Esta é a aliança que farei com eles depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei as minhas leis em seus corações, E as escreverei em seus entendimentos.” Hebreus 10:16

“E, voltando elas, prepararam especiarias e ungüentos; e no sábado repousaram, conforme o mandamento.” Lucas 23:56

Quando uma pessoa é salva por Jesus, os frutos da sua vida logo são vistos em boas obras. O verdadeiro cristão tem o maior prazer em guardar os mandamentos de Deus: “Se me amais, guardai os meus mandamentos.” João 14:15. O cristão genuíno ama-se e o próximo como a si mesmo. Cumprir a lei de Cristo envolve amar o próximo. “A ninguém devais coisa alguma, a não ser o amor com que vos ameis uns aos outros; porque quem ama aos outros cumpriu a lei. Com efeito: Não adulterarás, não matarás, não furtarás, não darás falso testemunho, não cobiçarás; e se há algum outro mandamento, tudo nesta palavra se resume: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo. O amor não faz mal ao próximo. De sorte que o cumprimento da lei é o amor.” Rom. 13:8-10.

Há cristãos que preferem manter a tradição em que foram criados, e com isso desobedecem alguns mandamentos. Por exemplo; o católico romano desobedece o segundo e o quarto mandamentos abertamente; e a maioria dos evangélicos não santificam o sábado como Deus pede. E, infelizmente a maioria dos cristãos prefere se esconder atrás das supostas boas obras como: esmolas, ajuda às instituições carenciadas, devolução de dízimos e ofertas e outras coisas, mas não obedecem a Deus naquilo que envolve princípios. Que Deus nos dê forças para sermos servos obedientes dispostos para “obedecermos mais a Deus do que a homens.”

TERÇA-FEIRA (04 de dezembro) A LEI E O EVANGELHO – Qual é a função da lei? 1) Lembrar o pecador do seu pecado. 2) Mostrar o pecado quando este é praticado. 3) Orientar o perdoado, justificado e reconciliado pecador a trilhar o caminho da boa conduta. 4) Conduzir o pecador à Cristo, o único que pode salvar.

Qual é a função do evangelho?

Perdoar: “É a obra de Deus ao lançar a glória do homem por terra, e fazer pelo homem o que não lhe é possível fazer em seu próprio poder.” Test. para Ministros, 456. O perdão é um ato da livre graça de Deus, mediante a qual Ele perdoa todos os nossos pecados e nos aceita como justos aos Seus olhos, baseado somente na retidão de Cristo, a nós imputada, e recebida exclusivamente pela fé.

Santificar: A santificação pode ser comparada a uma escada com muitos degraus que levam da terra ao Céu. Mas só existe uma escada assim, e precisamos descobrir onde ela começa antes de tentar subir. Os caminhos que a ela conduzem são: O chamado de Deus, o arrependimento, a conversão, a justificação, a regeneração ou novo nascimento. Cumpre a nós trilharmos estes caminhos. A santificação começa por ocasião da conversão, e continua através de toda a vida do crente. É o gradual desenvolvimento de um caráter semelhante a Cristo, produzido pela submissão do crente à graça de Deus. Abrange todo o momento da vida, e é de importância progressiva. Significa perfeito amor, obediência e perfeita conformidade à vontade de Deus. Isso tudo vem de Cristo e nunca de qualquer esforço humano para conseguir.

Trazer esperança ao pecador: Os teólogos falam da salvação em três tempos como indicam os verbos no original grego: Passado – Justificação. Fui salvo. É o que Cristo fez por nós. Tito 3:5. Presente – Santificação. Sou salvo. É o que Cristo está fazendo por nós. I Cor. 1:18. Futuro – Glorificação. Serei salvo. É o que Cristo fará por nós como vemos: “Logo muito mais agora, tendo sido justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira.” Romanos 5:9.

Como a lei de Deus pode auxiliar o crente que é salvo pela graça? – “Ora, nós sabemos que tudo o que a lei diz, aos que estão debaixo da lei o diz, para que toda a boca esteja fechada e todo o mundo seja condenável diante de Deus. Por isso nenhuma carne será justificada diante dele pelas obras da lei, porque pela lei vem o conhecimento do pecado.” Romanos 3:19-20.

“Que diremos pois? É a lei pecado? De modo nenhum. Mas eu não conheci o pecado senão pela lei; porque eu não conheceria a concupiscência, se a lei não dissesse: Não cobiçarás.” Romanos 7:7.

Veja esta citação – “A obra de Deus é a mesma em todos os tempos, embora haja graus diversos de desenvolvimento e diferentes manifestações de Seu poder, para satisfazerem as necessidades dos homens nas várias épocas… O Salvador tipificado nos ritos e cerimônias da lei judaica, é precisamente o mesmo que se revela no evangelho.” Patriarcas e Profetas, pág. 373.

QUARTA-FEIRA (5 dezembro) O SÁBADO E A LEI – Por que algumas pessoas dizem que o sábado foi abolido e os outros mandamentos não? – O mandamento do sábado continuou em vigor depois da morte e ressurreição de Cristo. A santidade do sábado, memorial do Criador e monumento da criação para este planeta, foi a primeira experiência espiritual vivenciada por Adão em seu relacionamento com Deus no seu segundo dia de vida. Passou seu primeiro sábado em adoração, companheirismo e aprendizado da vontade e planos de Deus. Aprendeu que o sábado era santo, diferente dos demais dias da semana. Aprendeu que o sábado sempre deveria ser lembrado como o permanente memorial da criação efetuada no planeta Terra. Deve ter sido uma experiência grandiosa, maravilhosa!

O sábado foi dado para benefício de quem? O sábado é um presente de Deus para nós. É um dia de alegria espiritual e de libertação do stress. Se é um presente do Criador, precisamos guarda-lo muito bem. Ninguém, em são juízo, despreza uma prenda de um amigo ou da pessoa amada. O sábado não foi feito para os judeus somente. Os judeus herdaram seu nome de Judá, um dos doze filhos de Jacó, de quem são descendentes. O sábado foi criado mais de 2000 anos antes de haver um único judeu. Assim como o casamento, o sábado foi dado na criação para todos os povos, e em todas as épocas. “E disse-lhes: O sábado foi feito por causa do homem, e não o homem por causa do sábado.” Marcos 2:27.

Veja estes textos do V. Testamento: “Que se faça do dia de sábado um memorial, considerando-o sagrado… mas no sétimo dia repousou. Eis porque o Senhor abençoou o dia de sábado e o consagrou.” Êxodo 20:8 e 11

“Guardem os meus sábados. Isto será um sinal entre mim e vocês, geração após geração, a fim de que saibam que eu sou o senhor, que os santifica.” Êxodo 31:13.

“E abençoou Deus o dia sétimo, e o santificou; porque nele descansou de toda a sua obra que Deus criara e fizera.” Gênesis 2:3

QUINTA-FEIRA (6 de dezembro) O SÁBADO E O EVANGELHO – “E, chegando a Nazaré, onde fora criado, entrou num dia de sábado, segundo o seu costume, na sinagoga, e levantou-se para ler.” Lucas 4:16
Que texto maravilhoso! Uma declaração absolutamente clara de que era “costume”, ou seja, era um hábito normal de Jesus estar na sinagoga (a igreja da época) no dia de sábado. Ele, como Criador e Mantenedor de tudo, não poderia deixar de lado algo que Ele mesmo criou, santificou, abençoou e deixou como exemplo para toda a humanidade.

Este livro é muito esclarecedor porque nos mostra um resumo de como era a vida na Igreja que estava iniciando seus primeiros passos. Certamente é no livro de Atos que poderemos encontrar alguma base de autoridade para a rejeição atual do sábado do sétimo dia, se é que existe tal base.

O sábado depois da ressurreição: a) Atos 13:14 – Os discípulos procuram uma sinagoga para pregar. São acolhidos com atenção e aproveitam para pregar sobre Jesus. Versos 16-41. Acrescentando que em todos os sábados são lidos os ensinamentos de Deus nas sinagogas. v. 27.

Atos 13:42. Os discípulos receberam o convite para retornarem no próximo sábado, e continuarem a maravilhosa pregação sobre Jesus.

Atos 13:44. Quase toda a cidade veio no sábado para ouvir o que os discípulos tinham ainda para falar. Percebemos que não eram todos judeus, pois estes estavam tentando desfazer a pregação dos discípulos diante da multidão. v. 45.

Atos 16:11-15. Alguns dizem que os discípulos pregavam no sábado apenas para aproveitar as sinagogas judaicas. Mas a passagem em questão revela claramente que não era este o real motivo. Fica muito claro para todos que Paulo, um dos maiores apóstolos de Cristo, nunca ensinou a abolição do sábado do sétimo dia, e ele mesmo vivia a santidade deste dia especial por onde quer que andasse.

Atos 17:1-3. Novamente, Paulo é visto aproveitando o sábado para pregar a salvação em Cristo àquelas cidades.

Atos 18:1-4. O apóstolo da graça e dos gentios tinha uma profissão, fazer tendas. Mas o texto é claro ao dizer que Paulo fechava sua oficina. Paulo adorava o Senhor Jesus no dia de sábado, como fica evidente pelo texto bíblico, e se dirigia ao local de adoração para pregar sobre a salvação em Jesus. Percebe-se facilmente, que não era apenas para encontrar os judeus que Paulo ia à sinagoga no sábado, pois o próprio texto afirma que ele pregava também aos gregos neste dia, e bem sabemos que os gregos não santificavam o sábado.

Atos 19:17-27. Nesta passagem, Paulo afirma enfaticamente que estava de consciência limpa porque ensinara tudo que era importante para os gentios viverem uma vida de verdadeiros cristãos, bem como mostrara para eles todo o desígnio de Deus para suas vidas. Mas em nenhum momento ele fala para eles abandonarem o sábado e adorarem o Senhor no domingo ou em outro dia. Que interessante!

SEXTA-FEIRA (7 de dezembro) – ESTUDO COMPLEMENTAR – “Os dez preceitos proferidos por Cristo no monte Sinai foram a revelação do caráter de Deus, e deram a conhecer ao mundo que Ele exerce jurisdição sobre toda a herança humana. Essa lei dos 10 preceitos do máximo amor que se pode apresentar ao homem é a voz de Deus falando do céu às almas, em promessa. “ Fazei isto, e não ficareis sobre o domínio e controle de Satanás…O Senhor deu os Seus santos mandamentos para serem um muro de proteção para os Seus filhos.” Ellen White. Meditações de 1956, 53.

Quando um país elabora a sua constituição e suas leis são quebradas; o infrator, quando descoberto é punido. Quando guardamos os mandamentos de Deus somos beneficiados pela “lei da liberdade” Logo estamos livres da punição e vivemos felizes. Que Deus nos conceda a Sua graça e as Suas misericórdias para obedecer-lhe.

Há dois mal entendidos que geralmente os cristãos interpretam de forma equivocada. O primeiro é pensar que alguém pode salvar-se guardando a lei, essa é uma aberração bíblica! Ninguém nunca, poderia salvar-se guardando a lei. O propósito da lei não é salvar ninguém. A salvação é unicamente pela graça de Cristo e pela fé naquela coisa maravilhosa que Jesus fez por nós na cruz do Calvário. Ele pagou o preço dos nossos pecados, somos salvos unicamente pela fé em Cristo. Mas a outra coisa perigosa é pensar: “Já que fui salvo por Cristo, então não preciso de mais nada, posso viver do jeito que quero, fazer o que quero” e, não é assim. As obras têm sua função na vida cristã, mas não são uma função salvadora. Veja o que diz São João 14:11: “Crede-me que eu estou no Pai, e o Pai está em mim; crede ao menos por causa das mesmas obras.” A função das obras é apenas exteriorizar, mostrar, evidenciar algo maravilhoso que aconteceu na vida do cristão. As boas obras não são para salvá-lo. O apóstolo Paulo é claro ao explicar que as boas obras não salvam ninguém; guardando a lei de Deus e cumprindo mandamentos ninguém se salva. Somos salvos unicamente pela graça de Cristo. As obras colocam em evidência que o cristão já foi salvo.

Luís Carlos Fonseca em http://temasbblicos.blogspot.com.br
Editado: fabiodeps@gmail.com

Anúncios

, , , , , , ,

  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • ” Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo.” Apocalipse 1:3

  • “Não desprezeis as profecias; julgai todas as coisas, retende o que é bom.” 1 Tessalonicenses 5:20-21.

  • "Conservai-vos a vós mesmos no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo para a vida eterna.
    E apiedai-vos de alguns, usando de discernimento;
    E salvai alguns com temor, arrebatando-os do fogo, odiando até a túnica manchada da carne."
    Judas 1:21-23

%d blogueiros gostam disto: