Abraão, Obediência e Revelação

“E os espíritos dos profetas estão sujeitos aos profetas.
Porque Deus não é Deus de confusão, senão de paz, como em todas as igrejas dos santos.”
1 Coríntios 14:32-33

Procuramos aqui clarear dúvida acerca de palavras que, quando ditas com excesso de rapidez, podem levar à confusão ou serem manipuladas pelo inimigo para induzir ao erro.
Também quando afirmam:” …pode parecer apostasia… ” tenho uma terrível impressão de que É apostasia,  mesmo que não seja.

“Abstende-vos de toda a aparência do mal. “
1 Ts 5:22

O assunto é Abraão e se ele tinha conhecimento prévio de que o cordeiro do sacrifício não seria Isaque seu filho, o que anularia a importância da demonstração de fé e obediência.

Quando em Gênesis 22:8  está escrito:
“E disse Abraão: Deus proverá para si o cordeiro para o holocausto, meu filho. Assim caminharam ambos juntos.”,
  Creio e defendo o ponto de vista de que Abraão está informando a Isaque que a decisão está nas mãos de Deus e que a eles cabe apenas obedecer.
Abraão poderia até ter raciocinado que, se a promessa de Deus se cumpriria em sua descendência, como matar Isaque ? Deus lhe daria outro filho ? Teria Abraão desagradado ao Senhor e assim anulado a promessa ? Enfim, várias idéias podem ter passado pela mente de Abraão, mas seu coração, posto à prova, respondeu apenas com  a obediência provinda da absoluta fé em Deus.

A Bíblia, destinada como é a seres humanos, fala sob uma perspectiva humana. De forma semelhante, um professor de matemática pode dizer: “Vejamos se podemos encontrar a raiz quadrada de 144”.  E então, depois de fazer a demonstração, declara:  “Agora sabemos que é 12” , muito embora ele já soubesse desde o início qual seria a resposta.

Só após o anjo do Senhor ter ordenado a Abraão para que não tocasse Isaque, pois sua prova de fé já estava feita aos olhos de Deus, é que ele pode vislumbrar que o sacrifício seria feito com o cordeiro que o Senhor lhe provera.
Aqui Deus deu a conhecer também à raça humana a possibilidade do pecador lutar contra o pecado, ao demonstrar, no coração, sincero arrependimento por suas faltas e assim obter o perdão.
Nos capítulos anteriores em Gênesis 20 e 21, Abraão é descrito como aquele que nem sempre andava com o Senhor. Ele mentiu a respeito de Sara (Gn 12:10-20; 20:1-18), e não esperou que o Senhor cumprisse a promessa do filho (Gn 21:1-7)
Mesmo sendo um pecador, Deus pediu a ele que orasse pelo rei a quem mentira e lhe deu um filho com Sara.
Deus ignorou o pecado de Abraão ?
 Em Gênesis 22 é resolvida esta tensão entre um Deus que abomina o pecado mas usa um pecador na Sua obra.
Como sacrifício de sangue sempre será exigido, prefigurou o conhecimento a Abraão, de que sua descendência seria salva por um sacrifício substitutivo providenciado por Deus desde a fundação do mundo, Cristo Jesus.
No livro “A Verdade Sobre os Anjos” páginas 78, 79 e 80, Ellen White escreve sobre este episódio o seguinte:
[ Deus havia chamado Abraão para ser o pai dos fiéis, e sua vida devia ser um exemplo de fé para as gerações subseqüentes. Mas sua fé não tinha sido perfeita. … Para que atingisse a mais elevada norma, Deus o sujeitou a outra prova, a mais severa que o homem jamais foi chamado a suportar. Em uma visão da noite foi-lhe determinado que se dirigisse à terra de Moriá, e ali oferecesse seu filho em holocausto sobre um monte que lhe seria mostrado. …

A ordem foi expressa em palavras que deveriam ter contorcido angustiosamente aquele coração de pai: “Toma agora o teu filho, o teu único filho, Isaque, a quem amas, … e oferece-o ali em holocausto.” Gên. 22:2. Isaque era-lhe a luz do lar, a consolação da velhice, e acima de tudo o herdeiro da bênção prometida. …Satanás estava a postos para sugerir que ele devia estar enganado, pois que a lei divina ordena: “Não matarás” (Êxo. 20:13), e Deus não exigiria o que uma vez proibira. Saindo ao lado de sua tenda, Abraão olhou para o calmo resplendor do céu sem nuvens, e lembrou-se da promessa feita quase cinqüenta anos antes, de que sua semente seria numerosa como as estrelas. Se esta promessa devia cumprir-se por meio de Isaque, como poderia ele ser morto? Abraão foi tentado a crer que poderia estar iludido. … Lembrou-se dos anjos enviados para revelar-lhe o propósito de Deus de destruir Sodoma, e que lhe trouxeram a promessa deste mesmo filho Isaque, e foi para o lugar em que várias vezes encontrara os mensageiros celestiais,…E agora as últimas palavras de amor são proferidas, as últimas lágrimas derramadas, o último abraço dado. O pai levanta o cutelo para matar o filho, quando o braço subitamente lhe é detido. Um anjo de Deus chama do Céu o patriarca: “Abraão, Abraão!” Ele rapidamente responde: “Eis-me aqui.” Gên. 22:11. E de novo se ouve a voz: “Não estendas a tua mão sobre o moço e não lhe faças nada; porquanto agora sei que temes a Deus e não Me negaste o teu filho, o teu único.” Gên. 22:12. …. Seres celestiais foram testemunhas daquela cena em que a fé de Abraão e a submissão de Isaque foram provadas. … O Céu inteiro contemplava com espanto e admiração a estrita obediência de Abraão. O Céu todo aplaudiu sua fidelidade. As acusações de Satanás demonstraram-se falsas. …Tinha sido difícil, mesmo para os anjos, apreender o mistério da redenção, isto é, compreender que o Comandante do Céu, o Filho de Deus, devia morrer pelo homem culposo. Quando foi dada a Abraão a ordem para oferecer seu filho, isto assegurou o interesse de todos os entes celestiais. Com ânsia intensa, observavam cada passo no cumprimento daquela ordem. Quando à pergunta de Isaque – “Onde está o cordeiro para o holocausto?” Abraão respondeu: “Deus proverá para Si o cordeiro” (Gên. 22:7 e 8), e quando a mão do pai foi detida estando a ponto de matar seu filho, e fora oferecido o cordeiro que Deus provera em lugar de Isaque, derramou-se então luz sobre o mistério da redenção, e mesmo os anjos compreenderam mais claramente a maravilhosa providência que Deus tomara para a salvação do homem. Patriarcas e Profetas, págs. 152, 154 e 155.]

Longe estamos de clarear totalmente as dúvidas. Sómente a leitura persistente da Palavra de Deus expressa na Biblia, a oração e meditação, a releitura,  podem dirimir duvidas nos corações.

1. Deus nos fala por intermédio de Sua Palavra (II Timóteo 3:16)
2. Ao ler a Bíblia, obtemos melhor conhecimento de Deus (João 5:39)
3. Nossa fé aumenta pela leitura da Bíblia (Romanos 10:17)

O objetivo da leitura da Bíblia é permitir que Deus fale diretamente ao seu coração e que você desfrute da comunhão com Ele.
Este objetivo não será alcançado se você ler muito depressa ou sem concentração.
Da mesma forma ouvir o falar superficial pode desviar-nos do caminho e do objetivo de ter um encontro com Deus.

Paz a todos. Cristo Vem !

Fábio de Castro Ferreira

Anúncios

, , , , , , , , , , , , , , , ,

  1. #1 por Joelita maria dos Santos em 13 de agosto de 2015 - 12:37

    Sobre Deus

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • ” Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo.” Apocalipse 1:3

  • “Não desprezeis as profecias; julgai todas as coisas, retende o que é bom.” 1 Tessalonicenses 5:20-21.

  • "Conservai-vos a vós mesmos no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo para a vida eterna.
    E apiedai-vos de alguns, usando de discernimento;
    E salvai alguns com temor, arrebatando-os do fogo, odiando até a túnica manchada da carne."
    Judas 1:21-23

%d blogueiros gostam disto: