Comentários à Lição 1 – Escola Sabatina – O GRANDE CONFLITO: FUNDAMENTO DE NOSSAS CRENÇAS – 1ª Parte – 29/09 a 06/10 de 2012

Na batalha contra Satanás, Cristo não saiu ileso. As marcas dos cravos em Suas mãos e pés e a cicatriz em Seu lado serão eternas lembranças da feroz luta na qual a serpente feriu o descendente da mulher.(CB 217)

“Disseram-lhe, pois, os outros discípulos: Vimos o Senhor. Mas ele disse-lhes: Se eu não vir o sinal dos cravos em suas mãos, e não puser o dedo no lugar dos cravos, e não puser a minha mão no seu lado, de maneira nenhuma o crerei.”
João 20:25

Giovanni di Paolo, 1445,  Criação do Mundo e Expulsão do Paraíso

VERSO ÁUREO “Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o Seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu Lhe ferirás o calcanhar”– Gn 3:15

INTRODUÇÃO – Vivemos em um mundo onde todas as pessoas têm fortes convicções espirituais e percepção de influências sobrenaturais atuando nas decisões de todos. De certo modo todos aceitam a ideia de duas forças em oposição que lutam pelo domínio da mente humana. No entanto, praticamente poucos tem uma explicação sustentável sobre estas duas forças. Crê-se que uma das forças apela para as virtudes nobres do ser humano e a outra para as paixões aviltantes e corruptoras.
Qual a nossa origem? De onde viemos? São perguntas que requerem respostas sustentáveis para o nosso conforto. Para depositar crédito em uma fonte de informações, é preciso que ela seja confiável. Eu acredito na bíblia como a Palavra de Deus para o bem da humanidade. Deus mesmo, que é exaltado pelas Escrituras como o Soberano do Universo, declara: “Desde o início faço conhecido o fim, desde tempos remotos, o que ainda virá. Digo: Meu propósito permanecerá em pé, e farei tudo o que me agrada.” Is 46:10

Como a própria Escritura declara que Deus “não mente”, Tito 1:2, torna-se impossível questionar tudo o que está escrito em Sua Palavra. Pode, às vezes, parecer difícil de entender, mas é preciso encontrar o caminho para não cair na armadilha de Satanás e desacreditar na Palavra de Deus e nas suas leis.

Neste trimestre vamos analisar algumas crenças fundamentais das Escrituras, e nesta lição vamos ver a respeito do grande conflito que começou  com a rebelião de Satanás no Céu (Ap 12:7-9), continuou na Terra onde Cristo novamente o derrotou (Hb 2:14), e que terminará com a destruição de Satanás no fim do milênio(Ap 20:10).

DOMINGO (30 de setembro) – O CONFLITO E SEUS ATORES
Quem são os atores que comandam as estratégias deste conflito? Aqui está uma intrigante questão que parece paradoxal: Um é o Criador, e o outro, criatura. O conflito originou-se com a criatura. Por que a criatura se lançou em um conflito com o seu Criador?

Outra questão aparentemente estranha: O conflito teve seu início em um ambiente de perfeita harmonia, paz e felicidade, conhecido como Céu. Veja este texto: “Houve então uma guerra nos céus. Miguel e seus anjos lutaram contra o dragão, e o dragão e os seus anjos revidaram.” Apoc. 12:7

Como foi possível haver guerra no céu? É que ao Deus criar seres inteligentes à Sua semelhança, dotou-os com o direito à liberdade de escolha. Deus correu o risco de ver criaturas Suas rebelarem-se contra Ele. A liberdade que Deus outorgou às Suas criaturas era regida pelos princípios de Sua lei, obedecendo ou desobedecendo.

O que nos é dito sobre Lúcifer em seu primeiro estado? “Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que se achou iniquidade em ti… se encheu o teu interior de violência, e pecaste”. Ezeq. 28:15 e 16. Lúcifer, desde que foi criado vivia em harmonia com o padrão da justiça, o caráter de Deus, até que pecou, cometendo injustiça.

Como resultado desta rebelião surgiu a injustiça no Universo. “Pela multidão das tuas iniquidades, pela injustiça do teu comércio profanaste os teus santuários.” Ezeq. 28:18

No céu havia um código de conduta: “Bendigam o Senhor, vós, seus anjos poderosos, que obedecem à sua palavra.” Sal. 103:20.

SEGUNDA-FEIRA (1º de outubro) A QUEDA DE LÚCIFER
– Quais os motivos que levaram Lúcifer a rebelar-se contra o governo de Deus? Independência, orgulho e cobiça.

Analisando o pensamento do profeta Ezequiel no capítulo 28:15-18, compreende-se que o pecado é um ato que apresenta várias características: iniquidade, violência, orgulho, injustiça, profanação, corrupção. Todas estas características são muito significativas e esclarecedoras em relação ao pecado. São justamente o oposto aos atributos do caráter de Deus. Portanto, era impossível que as duas formas de conduta convivessem em um mesmo ambiente. Como as ideias eram conflituantes, tornou-se inevitável o conflito real. Deus enfrentou e lidou com o problema do pecado no centro do universo.

Uma pergunta não quer calar: Como um ser criado perfeito deu origem ao pecado? O profeta Isaías exclama com assombro: “Como caíste do céu, ó estrela da manhã, filho da alva!” Isaías 14:12.

Numa linguagem profética, até o profeta e Deus ficaram admirados com reação de Lúcifer. Não há explicação racional para o surgimento do pecado. Como entender que um ser perfeito, na presença de um Deus perfeito, em um ambiente de perfeição, pudesse gerar ideias de descontentamento, contestação, rebelião e pecar contra o seu Criador perfeito? O pecado de Lúcifer nasceu da contestação do amor e da justiça de Deus. Começou a alimentar a ideia de que Deus não era nem amoroso nem justo com as Suas criaturas.

Veja estes textos: “Desde o princípio a grande controvérsia fora a respeito da lei de Deus. Satanás procurara provar que Deus era injusto, que Sua lei era defeituosa, e que o bem do universo exigia que ela fosse mudada. Atacando a lei, visava ele subverter a autoridade de seu Autor. Mostrar-se-ia no conflito se os estatutos divinos eram deficientes e passíveis de mudança, ou perfeitos e imutáveis.“ Patriarcas e Profetas, 65.

“Pouco a pouco Lúcifer veio a condescender com o desejo de exaltação própria… Não contente com a sua posição, embora fosse mais honrado do que a hoste celestial, arriscou-se a cobiçar a homenagem devida unicamente ao Criador… E, cobiçando a glória que o infinito Pai conferira a Seu Filho, este príncipe dos anjos aspirou ao poder que era a prerrogativa de Cristo apenas.” Patriarcas e Profetas, pág. 15.

Que cuidados devemos ter para não cairmos presas nas ciladas do diabo? Ver Apoc. 12:12 e I Pedro 5:8

TERÇA-FEIRA (2 de outubro) A ARMA DE DEUS
– Qual foi a arma de Deus? Foi enviar Jesus para morrer em favor da humanidade.

Este texto nos ajuda muito nesta compreensão: “O plano de nossa redenção não foi um pensamento posterior, formulado depois da queda de Adão. Foi a revelação do mistério encoberto desde tempos eternos’. Foi um desdobramento dos princípios que têm sido, desde os séculos da eternidade, o fundamento do trono de Deus… Deus não ordenou a existência do pecado. Previu-a, porém, e tomou providências para enfrentar a terrível emergência.” Desejado de Todas as Nações, 22.

Adão precisava entender que independência de Deus, como indicava Satanás, não significava uma esfera mais exaltada de existência, mas separação da Fonte da Vida !

Como entendemos o verso para hoje? “Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o Seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu Lhe ferirás o calcanhar.”Gên. 3:16.

O máximo que Satanás podia fazer era ferir o calcanhar de Cristo, que significou a Sua morte. Mas, Cristo sim, por sua vez, feriu a cabeça da serpente; que significou o decreto de morte do diabo.

O esmagar da cabeça da serpente tem dois momentos:

a) O primeiro foi com a morte de Cristo que ficou decretada a morte do diabo. Veja este texto: “Por isso alegrai-vos, ó céus, e vós que neles habitais. Ai dos que habitam na terra e no mar; porque o diabo desceu a vós, e tem grande ira, sabendo que já tem pouco tempo.” Apocalipse 12:12.

b) O segundo momento será no final dos mil anos quando Satanás será totalmente destruído: “E o diabo, que os enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde está a besta e o falso profeta; e de dia e de noite serão atormentados para todo o sempre….E a morte e o inferno foram lançados no lago de fogo. Esta é a segunda morte.” Apocalipse 20:10 e 14

Como temos usado os méritos de Jesus em nosso favor?

fabiodeps@gmail.com

adaptação feita a partir de textos do Pr. Luis Fonseca em http://temasbblicos.blogspot.com.br

Anúncios

, , , , , , , , , , , ,

  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • ” Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo.” Apocalipse 1:3

  • “Não desprezeis as profecias; julgai todas as coisas, retende o que é bom.” 1 Tessalonicenses 5:20-21.

  • "Conservai-vos a vós mesmos no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo para a vida eterna.
    E apiedai-vos de alguns, usando de discernimento;
    E salvai alguns com temor, arrebatando-os do fogo, odiando até a túnica manchada da carne."
    Judas 1:21-23

%d blogueiros gostam disto: